Indústria 4.0

worldfashion • 03/02/20, 19:06

5025d23bc539a66c4864d201fb407bf8lowSegue o artigo de Ronaldo Brito* , responsável do Centro de Inovação da empresa e doutorado na POLI/USP.

O desenvolvimento exponencial das tecnologias no mundo físico — das coisas, no mundo digital e no biológico-, estão impactando todas as indústrias. Ser capaz de inovar frente a um cenário econômico adverso é o grande desafio das empresas brasileiras deste tempo. Em uma situação onde o erro não é uma opção, como saber se estamos na direção certa, dentro desta jornada de conversão em 4.0?

Na década de 80, o “seis sigma” foi uma métrica fundamental para as empresas conseguirem materializar a distância entre o desempenho corrente e o objetivo em termos de qualidade. Hoje, quando falamos em Revolução 4.0, não temos uma métrica largamente aceita pelo mercado. Mesmo quando focamos especificamente em Indústrias, em que existem modelos para mensurar o nível de maturidade em termos de conversão em 4.0, como o da ACATECH (Academia Alemã de Ciências e Engenharia), não existe um consenso sobre este instrumento ser o GPS para jornada de transformação 4.0.

Na régua da ACATECH existem seis etapas de desenvolvimento consecutivas dentro de uma jornada de transformação digital. Cada estágio conquistado representa um avanço em termos da absorção do potencial do uso da Inteligência Artificial, até atingir o patamar no qual a empresa consegue operar um modelo de negócio que identifica as ações a serem adotadas, e realiza as mudanças de forma automática.

Na primeira análise, o modelo sugestiona a interpretação de que classificar uma empresa nesta régua é uma tarefa comum. Quando se tenta aplicá-la, o primeiro obstáculo refere-se aos três grandes eixos de integração: eixo vertical - assegura que o planejado no back office ocorra no front office; eixo de integração da cadeia de valor - ligando a matéria prima ao ponto de vendas e; eixo entre a pesquisa e engenharia de produto ao cliente. Estas múltiplas dimensões de integração possibilitam que uma empresa possa atingir o grau máximo de maturidade em um eixo, ao mesmo tempo em que está dando os primeiros passos em termos de transformação no outro.

Um segundo ponto a ser considerado é o ciclo de vida da dinâmica operacional em cada um destes eixos. Quando pensamos no ciclo horizontal, por exemplo, temos o modelo SCOR* (Supply Chain Operations Reference) desenvolvido pelo Supply Chain Council, formado por cinco macroetapas: planejamento, abastecimento, produção, entrega e retorno, e permite que uma empresa se classifique como avançada no processo de transformação para 4.0, por ter alcançado um alto nível de maturidade em uma das macroetapas, ao mesmo tempo em que é iniciante em outra.

Neste contexto, no qual as ferramentas de suporte estão desintegradas, podemos ter uma leitura errada sobre os avanços conquistados, traduzindo conquistas pontuais em progressos significativos em termos de transformação para a Indústria 4.0.

A Revolução 4.0 desafia a todos. Acelerar uma transformação sem o apoio de instrumentos adequados, traz à sensação de dirigir a noite em alta velocidade com os faróis apagados. Apesar de desconfortável é até paralisante, não há como refutar que a visão de futuro está dada. A Indústria deste século será uma organização que atua sob um novo um sistema operacional, no qual as decisões são tomadas com base em um amplo apoio da inteligência artificial e não apenas de forma pontual em alguma macroetapa da dinâmica operacional, em um dos eixos de integração.

É urgente que a discussão sobre a estratégia da organização para uma Revolução 4.0 seja colocada no topo da agenda dos executivos, pois estamos diante de uma nova revolução industrial que avança em alta velocidade em todos os setores, com oportunidades e armadilhas que não devem ser subestimadas.

*Ronaldo Brito é  responsável pelo Centro de Inovação da empresa e doutorando na POLI/USP, sócio-diretor na SPI Integração de Sistemas,e também coautor nos livros Automação e Sociedade: Quarta Revolução Industrial, um olhar para o Brasil e Governança Digital 4.0. Para um aprofundamento na discussão sobre como se orientar na jornada 4.0 é possível consultar a obra Governança Digital 4.0, que traz um amplo ferramental para ajudar neste processo de definição do caminho na a Revolução 4.0.

Sobre a SPI

A SPI é uma empresa nacional, com 27 anos de mercado, que promove soluções em automação industrial e tecnologia da informação, auxiliando seus clientes com processos produtivos inovadores. Possui uma equipe multidisciplinar de profissionais composta por engenheiros e técnicos de quatro áreas de conhecimento da engenharia: produção, mecânica, elétrica e software, com expertise em tecnologias como a robotização, internet das coisas, inteligência artificial, sistemas ERP, sistemas PLM, sistemas MES, sistemas LIMS, sistemas SCADA, sistemas DCS, dispositivos móveis, beacons, dentre outras. O centro tecnológico e o assembly shop da companhia ficam em São Caetano do Sul (SP). A empresa conta ainda com escritórios em Detroit (EUA), Rosário (Argentina), São Leopoldo (RS), Salvador (BA) e Belo Horizonte (MG).

da redação com informações da AtitudeCom Estratégia em Comunicação  imagem foto/divulgação

A “The LYCRA Company” comemora seu primeiro ano

worldfashion • 31/01/20, 17:16

logoA líder global no desenvolvimento de soluções inovadoras para as indústrias têxtil, de vestuário e de cuidados pessoais, está operando com força máxima em todos os segmentos da organização, visando e aprimorando o seu foco na geração de valor, por meio de investimentos estratégicos em ciência e tecnologia, uma vez que a inovação é um facilitador essencial para o sucesso futuro da companhia. A empresa também está explorando ativamente possíveis sinergias com o The Ruyi Group, seu acionista majoritário, o que inclui alavancar sua capacidade de produção de elastano e uma cadeia de valor totalmente integrada. Seguem abaixo os destaques, da empresa Lycra, que completa hoje (31/01) o seu primeiro ano como subsidiária independente do The Ruyi Group.

4617b439c1b8ad173ced2d874e2aa8d7lowOs executivos da Shandong Ruyi Chairman, Sr. Yafu Qiu e da The LYCRA Company CEO, Sr. Dave Trerotola

“O The Ruyi Group tem sido um forte parceiro, que entendeu os desafios que enfrentamos como uma nova empresa, incluindo o impacto que as tendências econômicas globais tiveram no desempenho de nossos negócios”, afirmou o CEO da The LYCRA Company, Dave Trerotola. “Este ano de transição também nos trouxe muitas vitórias, à medida que construímos uma base sólida de crescimento futuro, mantendo nossa tradição de investir em inovação”.

360837_879982_04_web_A The LYCRA Company inaugurou recentemente um laboratório de pesquisa e desenvolvimento de última geração em Foshan, na China, e lançou várias soluções promissoras, projetadas para agregar valor às coleções e atender às necessidades dos consumidores por conforto e desempenho duradouros.

A empresa expandiu seu portfólio EcoMade de produtos sustentáveis, abriu novos caminhos com sua primeira oferta de tecnologia de impressão e está pronta para revolucionar o caimento de peças de vestuário novamente, com uma nova fibra do tipo stretch, que estica para se adequar a mais formatos de corpo dentro de uma mesma faixa de tamanho.

360837_879984_03_web_Os produtos lançados incluem:

• LYCRA® EcoMade é a primeira marca de elastano da empresa, que oferece o mesmo desempenho que o fio LYCRA® original, mas é fabricado com conteúdo reciclado pré-consumo.

• Tecnologia LYCRA® FitSense™ é dispersão revolucionária à base de água, serigrafada nas roupas para fornecer suporte leve e direcionado.

• LYCRA® MyFit™ permite a fabricação de roupas com maior tolerância à forma, para oferecer aos consumidores uma experiência de caimento personalizada.

360837_879985_02_web_• LYCRA HyFit® T859 é uma nova formulação para produtos de cuidados pessoais, que permite que os clientes tenham mais tempo de uso por embalagem. Isso resulta em maior tempo de uso e menor consumo elástico, além de reduzir custos de distribuição e armazenamento. Também ajuda os clientes a atingirem metas de sustentabilidade.

366162_898122_img_8383_2_web_1Os destaques de marketing incluem muitas colaborações bem-sucedidas com marcas e varejistas respeitados, um sólido programa de publicidade comercial global e um programa de marketing integrado de 360 graus para ampliar o reconhecimento da marca e impulsionar a preferência pela fibra LYCRA® na China.

2Para o futuro, a The LYCRA Company espera implementar um robusto pipeline de inovações, com produtos novos e aprimorados, para ajudá-la a consolidar o mercado.

A empresa também reafirmou seu compromisso com sua plataforma de sustentabilidade, a Planet Agenda, que abrange todos os aspectos do negócio, desde responsabilidade corporativa e excelência de produção até sustentabilidade de produtos.

Os clientes terão sempre a garantia que a The LYCRA Company manterá a sua abordagem de negócios baseada em princípios, com seu compromisso inabalável com a ética e a conformidade. “Estou realmente orgulhoso de tudo que realizamos em nosso primeiro ano”, concluiu Trerotola. “Estamos muito entusiasmados por fazer parte da família Ruyi e esperamos contar com seu apoio contínuo, enquanto seguimos transformando nossos negócios e as indústrias de vestuário e cuidados pessoais”.

Sobre a The LYCRA Company

A The LYCRA Company inova e produz soluções em fibras e tecnologia para as indústrias de vestuário e cuidados pessoais, bem como especialidades químicas usadas nas cadeias de valor de elastano e poliuretano. Sediada em Wilmington, Delaware, a The LYCRA Company é reconhecida mundialmente por seus produtos inovadores, conhecimento técnico e suporte inigualável em marketing, e é proprietária de marcas como LYCRA®, LYCRA® T400®, LYCRA HyFit®, COOLMAX®, THERMOLITE®, ELASPAN®, entre outras. Apesar de seu novo nome, seu legado iniciou-se em 1958 com a invenção do fio de elastano original, o fio LYCRA®. Hoje, a empresa está focada em agregar valor aos produtos de seus clientes desenvolvendo inovações para atender às necessidades do consumidor por conforto e durabilidade.

da redação com informações da MKT MIX Assessoria de Comunicação   imagens: fotos divulgação

Feira FIT 0/16 2020

worldfashion • 24/01/20, 01:55

fit016A FIT 0/16 - Feira Internacional do Setor Infantojuvenil e Bebê - é palco para lojistas e as principais marcas do varejo movimentarem o mercado de moda infantil e apresentarem as coleções. É considerada a principal vitrine das tendências de moda infantil  da América Latina. Recebe 3.008 lojistas de todo o Brasil e de países como Uruguai, Paraguai, Peru, Bolívia, Itália e Canadá e se consolida, como a feira e um importante canal de conhecimento e networking aos empresários empreendedores por meio das palestras.

cassianoSegundo Cassiano Facchinetti, diretor geral da Koelnmesse Brasil, organizadora do evento, a ideia de trazer um novo conceito para a edição de inverno veio após uma pesquisa com expositores e visitantes. “O Brasil é um país tropical, com um inverno mais ameno. Por isso, resolvemos diferenciar as duas edições do evento e fazer uma edição conceito. Na edição de verão, que acontecerá em abril de 2020, manteremos a tradicional e consolidada feira que acontece junto com a Pueri Expo. Já para o inverno, resolvemos trazer uma versão boutique, mais petit, onde o visitante, além de encontrar os produtos que procura, terá experiências diferenciadas. O que foi um sucesso!”, ressalta.

_mg_56561Organizada e promovida pela Koelnmesse, a próxima edição da FIT/016 Primavera-Verão será em abril de 2020, junto com a Pueri Expo, Feira Internacional de Negócios em Puericultura. A edição, que já está com 70% das áreas vendidas, conta com a presença de grandes marcas como Petit Cherie, Mon Sucré, Pituchinhus, Perfumaria, Avent Philips, ABC Desing e Dorel.

A Koelnmesse Brazil organiza seis feiras no Brasil: a feira de moda infantil FIT 0/16, realizada duas vezes por ano em São Paulo; a Pueri Expo, Feira Internacional de Negócios em Puericultura, evento inspirado na maior feira de artigos infantis do mundo, a “Kind + Jugend”; o WellFood Ingredients, Summit Internacional de Ingredientes Funcionais e Nutracêuticos, e a ANUFOOD Brazil, Feira fit016_Internacional Exclusiva para o Setor de Alimentos e Bebidas, inspired by Anuga. Já em Curitiba, acontece a cada dois anos a ANUTEC BRAZIL, feira de tecnologia para indústria alimentícia. A Koelnmesse Brasil está localizada em São Paulo e conta com uma equipe com mais de 10 anos de experiência na organização de grandes eventos para diversas indústrias. A filial brasileira é responsável pelos eventos internacionais da Koelnmesse, além do futuro desenvolvimento das atividades comerciais no país.

A próxima  FIT 0/16 e Pueri Expo

Serão nos dias 23, 24, 25 e 26 de Abril de 2020

no Expo Center Norte em  São Paulo, Brasil

da redação com informações da Ativa Comunicação   imagens fotos divulgação

ONE X ONE

worldfashion • 22/01/20, 00:11

13

A Swarovski e a Study Hall, organização sem fins lucrativos de sustentabilidade, formaram uma parceria em colaboração com o Escritório das Nações Unidas para Parcerias (UNOP), para o lançamento do “One X One” (one by one), uma nova iniciativa de sustentabilidade global criada afim de promover colaboração, criar impacto positivo e promover mudanças duradouras no mundo da moda.

Metade companheirismo, metade aceleradora, One X One tem como objetivo fortalecer três parcerias chave em seu ano inaugural, associando designers emergentes a inovadores, concentrando-se em práticas sustentáveis em materiais, manufatura e consumo. O objetivo e missão do programa giram em torno da idéia de parceria, ilustrando dois mundos se unindo, o “X”, geralmente denotando uma colaboração de marca, também implica a multiplicação do impacto que pode acontecer quando se une forças. Um por um, podemos ajudar a identificar e resolver os problemas atuais da indústria da moda.

Com o apoio da equipe One X One, que inclui membros da Swarovski, UNOP e Study Hall, os participantes receberão subsídios para fortalecer suas inovações e inspirar a indústria. Equipes trabalharão em conjunto para definir um projeto criativo, produto ou processo que demonstre expertise de sua organização, apoiada por um comitê de figuras globais icônicas do mundo da moda e sustentabilidade.

Os emparelhamentos de projetos serão selecionados em alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e cumprirão a missão principal de seguir os princípios da Study Hall “Bom para a Terra, Bom para as Pessoas”. Uma seleção de participantes será escolhida para contemplar uma gama de atividades nos principais temas de Circularidade, Inovação Tecnológica e Design Centrado no Homem. O programa será lançado oficialmente no final de 2019, com colaboradores trabalhando durante a primavera verão de 2020. Os produtos, projetos e criações que os times produzirem serão documentados e apresentados em uma exposição em setembro de 2020.

Os princípios organizadores da Study Hall são dedicados a promoção da conscientização, defesa e colaboração dentro da indústria da moda para promover globalmente uma agenda progressiva ambiental e centrada no ser humano. A parceria da Swarovski no projeto reflete o compromisso contínuo da empresa com os valores do legado estabelecido por Daniel Swarovski, que fundou a empresa familiar em 1985, com foco em trabalhar em harmonia com o mundo natural, investindo em comunidades e nutrindo e educando jovens e talentos emergentes em design.

Nadja Swarovski, membro do Conselho Executivo da Swarovski, comenta: “Com uma marca de 125 anos de história, impulsionada pela inovação, colaboração criativa e práticas comerciais responsáveis, temos o prazer de apoiar essa nova iniciativa global para conectar o talento do futuro às empresas e indivíduos que podem ajudar a criar um impacto dinâmico e mudanças duradouras. O Escritório das Nações Unidas para Parcerias e Study Hall são o parceiro perfeito para esse projeto global e esperamos anunciar nossos mentores para o programa One X One nos próximos meses, enquanto trabalhamos juntos para moldar o futuro da moda sustentável”.

Sobre a gênese da iniciativa, Celine Semaan, fundadora do Study Hall e da agência de sustentabilidade Slow Factory Global, explica: “O One X One foi criado para inspirar a intersecção entre disciplinas e culturas, a fim de promover a inovação em escala. No Study Hall, acreditamos que a educação sobre sustentabilidade e ações ousadas precisam estar no centro de nossas indústrias à medida que elas se expandem. Estamos orgulhosos em fazer parceria com a Swarovski em colaboração com o Escritório das Nações Unidas para Parcerias em função de liderar a indústria pelo bom exemplo”.

“No Escritório de Parcerias da ONU, nosso principal objetivo é promover a Agenda das Nações Unidas para 2030, atuando como porta de entrada para parcerias para Sustainable Development Goals (SDGs). A colaboração One X One é muito empolgante e UNOP antecipa que isso alcançará grandes resultados. Esperamos ansiosamente para trabalhar com a Swarovski e Study Hall para criar uma visão compartilhada e avançar com os SDGs”, disse Robert Skinner, diretor executivo do Escritório de Parcerias da ONU.

22

Celine Semaan, fundadora do Study Hall e da Agência de Design Sustentável, Slow Factory Global. Lucie Brighman, Chefe de Gabinete, Escritório de Parcerias das Nações Unidas. Helene Keech, Vice Presidente Sênior de Comunicação Corporativa na Swarovski.

Sobre

A Swarovski cria um mundo mais brilhante e oferece um portfólio diversificado de qualidade, habilidade e criatividade incomparáveis. Fundada em 1985 na Áustria, a empresa projeta, fabrica e vende cristais da mais alta qualidade do mundo, além de pedras preciosas, diamantes e zircônia criados pela Swarovski, produtos acabados como jóias e acessórios, além de soluções de design de interiores e iluminação. A Swarovski Crystal Business é administrada pela quinta geração de membros da família e tem uma presença global de aproximadamente 3.000 lojas em cerca de 170 países, com mais de 29.000 funcionários e uma receita de cerca de 2,7 bilhões em 2018. Juntamente com suas empresas irmãs Swarovski Optik (dispositivos ópticos) e Tyrolit (abrasivos), a Swarovski Crystal Business, forma o Grupo Swarovski. Em 2018, o Grupo gerou uma receita de cerca de 3,5 bilhões de euros e empregou mais de 34.500 pessoas. No ano de 2019, a Swarovski UK Limited recebeu um mandado real como fabricante e fornecedor de cristais para a Rainha Elizabeth II.

Um relacionamento responsável com as pessoas e o planeta sempre fez parte da herança da Swarovski e está Incorporado hoje na agenda de sustentabilidade da empresa. Além disso, o programa global de educação da Swarovski Waterschool atingiu 500.000 crianças vivendo nos maiores rios do mundo. A Fundação Swarovski foi criada em 2013 para honrar o espírito filantrópico do fundador da empresa, Daniel Swarovski, e tem a função de apoiar a cultura e criatividade, promover empoderamento humano e conservar os recursos naturais do planeta para alcançar um impacto social positivo.

Sobre

Study Hall - Surgiu da prática de design da Slow Factory Global, o Study Hall é uma organização sem fins lucrativos, dedicada à educação sustentável, focada principalmente na indústria da moda. Sua missão é promover colaborações significativas dentro da indústria da moda afim de direcionar seus esforços para um futuro sustentável. Utilizando uma abordagem holística e centrada no ser humano, os projetos do Study Hall fazem a conexão entre ciência, direitos humanos, tecnologia, moda e cultura para desenvolver consciência e impacto em escala global. A cúpula do Study Hall já reuniu milhares de líderes, desde fornecedores, manufaturas, marcas e designers globais, à formuladores de políticas, ativista, culturais, cientistas, pesquisadores e acadêmicos. As cúpulas foram realizadas em Nova York, na sede da ONU, além de Los Angeles e Londres.

www.studyhall.earth

Sobre

O Escritório das Nações Unidas para Parcerias (UNOP) serve como um portal global para catalisar e construir parcerias com várias partes interessadas afim de avançar na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O UNOP fornece uma plataforma para o envolvimento efetivo de parceiros e trabalha para alavancar os ativos e expertises de uma ampla gama de parceiros para promover os ODS. O Escritório supervisiona o Fundo das Nações Unidas para Parcerias Internacionais, O Fundo das Nações Unidas para a Democracia, o Centro de Ação dos ODS e os Advogados dos ODS dos Secretários Gerais. www.un.org/partnerships.

da redação com informações da Index Estratégias de Comunicação fotos divulgação

Lez a Lez

worldfashion • 20/01/20, 02:07

lez-a-lez-sustentabilidade-22-2Lez a Lez, marca do Grupo Lunelli, tem embalagem plástica biodegradável para as peças da coleção cápsula Graphic Tees By Maya Gabeira, firmando seu compromisso com as causas sustentáveis e o consumo consciente.

lez-a-lez-sustentabilidade-4-2lez-a-lez-sustentabilidade-112A iniciativa veio do desejo de incluir na produção da empresa mais ações em benefício do cuidado com o meio ambiente. As embalagens plásticas feitas de álcool polivinílico são solúveis em água quente e compostáveis, sendo mais eficientes que as sacolas de resina. Com isso, o processo de decomposição da matéria plástica se torna muito maislez-a-lez-sustentabilidade-28-2 lez-a-lez-sustentabilidade-7-2rápido e eficiente, reduzindo impactos ambientais.

Os primeiros testes com a embalagem ecológica já estão sendo feitos e a adesão nas coleções está acontecendo de forma gradativa. Estima-se que em pouco tempo todas as marcas do Grupo Lunelli usarão o plástico biodegradável como embalagem.

lez-a-lez-sustentabilidade-2-2Para o Grupo Lunelli, cuidar do meio ambiente é um dever de todos, por conta disso, a empresa adota diversas atitudes sustentáveis para tentar minimizar os impactos. Entre as ações do grupo estão o tratamento de efluentes utilizadas no processo de fabricação das roupas, economia de energia, reutilização de resíduos, coleta seletiva, tratamento e monitoramento da fumaça que sai das chaminés das fábricas, a recuperação de margens de rios próximos às fábricas e reflorestamento. Além disso, a Lez a Lez utiliza em suas coleções a Ecovero, viscose com menos impacto ambiental.

Os jeans Eco Recycle da Lez a Lez também tem como objetivo a redução dos impactos no meio ambiente, por isso em seu processo de produção tem 90% menos alvejantes químicos e economiza até 60% de água.

Atualmente, o Brasil ocupa a quarta posição no ranking dos países que mais produzem plástico no mundo, totalizando mais de 11 milhões de toneladas de lixo plástico no ano. Por essa razão, ações como a da Lez a Lez são cruciais para a redução do descarte deste material que demora, em média, 450 anos para se decompor.

da redação com informações da Index Conecta  imagens fotos divulgação

Selo Re - Moda Responsável

worldfashion • 16/01/20, 23:33

renner_r-4990-550109924_5-2renner-r-4990-550109991_5-editar-22Após apresentar uma linha inspirada na flora brasileira em extinção e produzida com matérias-primas de menor impacto ao meio ambiente, a Renner informa que tem coleção assinada com selo Re - Moda Responsável, que simboliza o jeito da marca pensar e praticar a sustentabilidade em todas as áreas do negócio. Inspiradas no folclore brasileiro, as peças foram desenvolvidas através da reutilização criativa de tecidos, a partir da vestido-renner-r-11990-549603124_5-2técnica de upcycling. Além disso, focam no aproveitamento total de resíduos e possuem múltiplas formas de usar.

A partir de princípios do design circular, a Renner aplicou o processo de upcycling para criar novas peças com sobras têxteis de seus fornecedores. O desenho dos produtos foi pensado para utilizar ao máximo possível os resíduos disponíveis, reduzindo assim o descarte do material. Desta maneira, além das roupas confeccionadas a partir de tecidos parados nos fornecedores, os retalhos gerados na etapa de corte destes itens foram usados para fazer os acessórios da coleção, sempre com a proposta de chegar o mais próximo do zero desperdício.

macacao-renner-r-15990-549740081_5-editar-2Utilizando muitas referências do design brasileiro e alinhado com o desejo de identidade, a nova coleção é criativa, alegre e vibrante. O mix de tecidos excedentes escolhido traz essa identificação, através de estampas inspiradas na flora, que se misturam com poás, geométricos e orgânicos, todas, de certa forma, remetendo à natureza. Nessa mesma linha de elementos nacionais, as camisetas produzidas com algodão BCI exibem lendas fictícias originais. Para a criação dessas histórias, a marca selecionou símbolos da natureza brasileira e mesclou com informações das culturas regionais. Assim, surgiram o Carimbó da Onça Guaraná, o Cordel do Baiacu Capim-Dourado e o Samba da Arara Rendeira.

Campanha Selo Re - Moda Responsável

O maior aproveitamento do que se tem no guarda-roupa também gera um consumo mais consciente. Pensando nisso, a Renner desenvolveu uma cartela de produtos que possibilitam múltiplos usos: o quimono que pode ser usado como blusa ou saída de praia, a saia que vira vestido, o vestido que desmembrado pode ser usado como saia e top, o top com estampas diferentes na frente e saia-renner-r-13990-549603191_5-2verso, o top de linho reversível com diversas opções de amarrações e a saia em camadas que vira vestido amarrado no pescoço. A coleção ainda traz peças híbridas, que fluem em looks femininos e masculinos como macacões, camisetas, camisas e shorts. Acessórios como tiara, scrunchie com laço e brinco remontam a uma atmosfera cool e jovem.

A coleção já está disponível no e-commerce da Renner e nas araras das lojas localizadas no Shopping Leblon (RJ), no Shopping Bosque Grão-Pará (PA), no Shopping RioMar Recife (PE), no Salvador Shopping (BA) e na loja de rua da Oscar Freire (SP).

vestido-renner-r-15990-549611618_5-2short-renner-r-9990-549611546_5-2

SOBRE A LOJAS RENNER

Constituída em 1965, a Lojas Renner S.A. foi a primeira corporação brasileira com 100% das ações negociadas em bolsa e está listada no Novo Mercado, grau mais elevado dentre os níveis de governança corporativa da B3. Atua em todo o país por meio da Renner, que tem moda em diferentes estilos; da Camicado, empresa no segmento de casa e decoração; da Youcom, especializada em moda jovem; e da ASHUA Curve & Plus Size, que oferece roupas nos tamanhos 46 a 54. A companhia opera ainda com a Realize CFI, que apoia o negócio de varejo, através da oferta e gestão de produtos financeiros.

brinco-renner-r-3590-550200648_1-2renner-r-2990-55020065_1-2A sustentabilidade está presente na missão e nos valores corporativos da Lojas Renner. Por isso, em 2018 a varejista assumiu alguns compromissos públicos para o ano de 2021, alinhados com o entendimento deste valor enquanto pilar de atuação da companhia.

Confira abaixo:

• Ter 80% dos produtos feitos com matérias-primas e processos menos impactantes;

• Utilizar algodão certificado em 100% de sua cadeia de fornecimento;

• Ter 75% do consumo corporativo de energia proveniente de fontes renováveis;

• Reduzir em 20% as emissões absolutas de gás carbônico (CO2);

• Ter 100% da cadeia nacional e internacional dos fornecedores de revenda

com certificação socioambiental.

da redação com informações da Press Pass Comunicação imagens fotos divulgação

“Guaraná Cultura”

worldfashion • 12/01/20, 23:22

2019-ellus_guarana_10_22271Originais do Brasil, Guaraná Antarctica, Ellus e Salinas apresentam a coleção “Guaraná Cultura”. A linha teve inspiração na Amazônia e em Maués, cidade que é berço do Guaraná Antarctica e que fazem da marca um símbolo nacional.

2019-ellus_guarana_05_21008-copy-2As três marcas se inspiraram no fruto do guaraná para criar peças vibrantes, cheias de brasilidade e que terão uma importante função socioambiental. A parceria valoriza a essência original do Brasil da marca, com grifes, que trazem toda a leveza necessária para encarar o verão brasileiro.

Todo o street style e identidade urbana da Ellus ganha uma releitura mais próxima à natureza. A grife apresenta coleção com camisas, bermuda, camisetas, windbreaker e bonés. As estampas foram inspiradas na cultura do guaraná, fruto da região de Maués na Amazônia, que é repleta de lendas e histórias contadas pela população local.

Especializada em moda praia, Salinas terá sete diferentes biquínis na coleção. Serão ainda dois maiôs, dois chinelos unissex, duas bermudas e uma sunga. Tão brasileira quanto o Guaraná, a Salinas traz sua bossa à coleção na linha beachwear. Diferentes texturas, tecidos e aviamentos remetem à fauna e flora da região do cultivo.

2019-ellus_guarana_13_22538-2Bikini, maiô, saia pareô, boardshort, chinelo e sunga compõem a coleção cápsula, que tem as principais modelagens da marca com aviamentos exclusivos.

“Guaraná Antarctica faz parte do dia a dia dos brasileiros. Ter a oportunidade de unir nossa marca com Ellus e Salinas em peças que valorizam nossa origem na Amazônia é algo grandioso e importante na construção de um novo tipo relacionamento com nossos consumidores”, comenta Daniel Silber, gerente de marketing de Guaraná Antarctica.

Toda a coleção “Guaraná Cultura” já está disponível nos tamanhos de P ao GG em lojas físicas das duas grifes e também em e-commerce, franquias e lojas multimarcas de todo o Brasil.

A coleção tem ainda um papel que vai além da moda. Parte do lucro será investido nos projetos que Guaraná Antarctica apoia na cidade de Maués, a 641 quilômetros de Manaus. Por meio da Aliança Guaraná de Maués, projeto financiado por Guaraná e USAID e executado pelo Idesam, é desenvolvido um ativo e 2019-ellus_guarana_15_22917-21participativo trabalho junto a um conselho de produtores para promover a produção sustentável do fruto, além de trazer melhorias, escolhidas pela própria comunidade, nas áreas de educacional e sociocultural, com envolvimento e atuação de produtores e instituições do município.

Para que o público possa acompanhar todos os detalhes da parceria entre as marcas e também conhecer o impacto gerado na região de Maués, basta acessar o site http://www.guaranacultura.com.br.

da redação com informações da Index Conecta   imagens fotos divulgação

lenzing & duratex

worldfashion • 08/01/20, 02:49

A produtora de fibras celulósicas está investindo na construção da maior fábrica de celulose de madeira do mundo no Brasil, para potencializarr o crescimento do negócio e fortalecer a posição no mercado. O investimento de 1,3 mil milhões de dólares (1,17 mil milhões de euros) é uma joint venture com a Duratex, a maior produtora de painéis de madeira industrializada do hemisfério sul.

A unidade industrial será instalada no estado de Minas Gerais, perto de São Paulo, e produzirá até 500 mil toneladas de polpa de madeira anualmente, oriundas de plantações com a certificação FSC (Forest Stewardship Council), que assegura que os produtos provêm de florestas bem geridas que oferecem benefícios ambientais, sociais e econômicos.

Segundo a Lenzing, o novo centro de produção fortalece a integração e posição da empresa em termos de custos retroativos, assim como o crescimento do negócio de fibras especiais, alinhado à sua estratégia corporativa sCore RTE. A dissolução da polpa de madeira é essencial para a produção de fibras de base biológica, pelo que a joint venture deverá garantir todo o volume desta matéria-prima ao grupo.

img_5823«As fibras celulósicas da madeira dão uma importante contribuição para melhorar a sustentabilidade na indústria têxtil», afirmou o CEO Stefan Doboczky. «Com este investimento, iremos tornar-nos mais competitivos, agiremos de forma mais independente e, posteriormente, fortaleceremos a nossa posição no mercado. A confiança e o apoio dos principais acionistas da Lenzing e da Duratex foram essenciais para este projeto», explicou.

A fábrica deverá começar a operar no primeiro semestre de 2022 e estará entre as mais produtivas e energeticamente eficientes do mundo, alimentando-se em cerca de 40% de excesso de bioeletricidade, gerada no local como energia verde.

O projeto representa um marco na estratégia da Lenzing para a neutralidade de carbono.

da redação  fonte: site PortugalTextil de 07/01/2020 imagem foto divulgação

100 anos da KLM: coleção especial, do uniforme à bolsa

worldfashion • 06/01/20, 00:00

A KLM  comemorou em setembro 2019, seu centésimo aniversário, e para a ocasião criou uma coleção exclusiva e limitada de produtos. Tudo é feito com materiais sustentáveis – do bambu ao plástico reciclado. Tanto os uniformes das comissárias, como a capa das cabeceiras de couro na cabine receberam uma segunda vida. Talvez o melhor de tudo seja que esses itens não contam apenas uma história especial, mas também devolvem algo aos seus criadores.

11

A KLM coleta materiais de todos os seus departamentos e os dá uma vida nova. A companhia tem várias iniciativas em andamento para separar resíduos e reutilizar materiais, o que foi, portanto, o foco principal na hora de montar essa coleção. Somente na KLM já é possível encontrar uma grande variedade de materiais sustentáveis e puramente KLM. Em outras palavras, perfeito para os artigos de edição limitada do centenário.

Os uniformes femininos da companhia são feitos para uso intensivo e com a mais alta qualidade, e após anos de serviço fiel são substituídos por novos. Porém, o material usado para os uniformes é de qualidade tão boa que ainda pode ser usado para outros fins, o que é ótimo não apenas pelo material, mas também pela cor azul icônica que a KLM consegue trazer de volta nos produtos.

O uniforme é transformado em uma bolsa, mas antes de tudo, o tecido deve ser separado pela máquina e processado em fibras. Em seguida, é processado em uma máquina de agulhas especial em um feltro azul-KLM macio e extremamente forte. É um tecido ideal para inúmeros produtos, como bolsas de ombro, etiquetas de bagagem, chaveiros, capas para laptop e carteiras.

2

O material não é apenas especial, mas também as pessoas que os fabricam. Eles fazem parte da i-did, organização parceira da KLM, que ajuda as pessoas em assistência social a aproveitar sua vida profissional novamente e a descobrir – ou redescobrir – seus talentos e interesses, e com sucesso. Setenta por cento desses homens e mulheres encontraram um emprego permanente depois de trabalharem no i-did.

Os uniformes femininos não são os únicos itens a bordo que podem receber uma nova cara. A companhia substitui regularmente as capas de couro dos encostos de cabeça na classe econômica.

As capas são feitas de material autêntico e natural – perfeito para a coleção KLM100. A empresa de reciclagem Circulairinbedrijf usou sua experiência e técnicas inovadoras para criar capas para passaportes, suportes para notebooks, estojos de óculos, bolsas e muito mais. Os pneus reciclados para aeronaves da KLM Cargo provaram ser a solução ideal para a alça de uma bolsa.

31

Semelhante ao i-did, o Circulairinbedrijf ajuda a levar as pessoas com deficiência física ou mental ao mercado de trabalho. Oferece entre dez e quinze opções de locais onde as pessoas ganham experiência trabalhando em uma variedade de projetos e produtos. Permite que os estagiários expandam sua rede para que possam melhorar suas chances de trabalho efetivado.

51A KLM também coleta matérias-primas sustentáveis e recicladas fora da companhia – copos de café feitos de bambu, e bandeiras da KLM, penduradas do lado de fora de cada prédio da empresa, são feitas de garrafas PET. A companhia também tem garrafas d’água fabricadas na Join the Pipe.

Todos os produtos da coleção KLM100 são vendidas a um preço justo, e parte dos rendimentos vai para a fundação “Make a Wish”. A instituição realiza os desejos das crianças com doenças graves e às vezes com risco de vida.

Como lembrete do centésimo aniversário da companhia, todos os produtos exibem o logotipo especial KLM100. Você pode visualizar e comprar todos os itens on-line na loja KLM. Todos os produtos são edições limitadas e disponíveis em poucas unidades. Passageiros podem comprar online e pedir para retirar os produtos a bordo de seu próximo voo com a KLM, em voos partindo de Amsterdã.

4A propósito, se você comprar um produto, não se esqueça de conferir o rótulo. Para enfatizar seu passado bem viajado, quase todos os produtos feitos com o tecido do uniforme contêm uma etiqueta de lavagem que diz: “O tecido deste uniforme teve inúmeras horas de voo, cumpriu belos anos de serviço e conheceu milhares de pessoas especiais”.

A KLM completa 100 anos e é pioneira no setor de transporte aéreo, sendo a companhia aérea mais antiga que ainda opera sob seu nome original. A empresa pretende ser a companhia aérea com mais foco no cliente, inovadora e eficiente, oferecendo um serviço confiável e produtos de alta qualidade na Europa. Em 2018 transportou um recorde de 34,1 milhões de passageiros, oferecendo aos seus passageiros voos diretos para 162 destinos com uma frota moderna de 214 aeronaves. A companhia aérea emprega uma força de trabalho de mais de 33.000 pessoas em todo o mundo. O Grupo KLM como um todo transportou mais de 43 milhões de passageiros em 2017. Além da KLM, o Grupo KLM inclui a KLM Cityhopper, Transavia e Martinair. A malha aérea da KLM conecta a Holanda com todas as principais regiões econômicas do mundo e é um poderoso motor impulsionando a economia da Holanda.

Desde a fusão em 2004, a KLM faz parte do Grupo Air France-KLM. Essa fusão deu origem a um dos principais grupos de companhias aéreas da Europa, com duas marcas fortes operando em dois grandes centros: o Aeroporto Schiphol de Amsterdã e o Charles de Gaulle de Paris. O grupo concentra-se em três atividades principais: transporte de passageiros e carga e manutenção de aeronaves. Juntas, as duas companhias aéreas transportam mais 100 milhões de passageiros por ano.A companhia também é membro da SkyTeam Alliance global, que possui 19 companhias aéreas associadas e uma malha aérea conjunta de 1063 destinos em 173 países.

No Brasil a KLM opera atualmente 18 frequências semanais entre a Holanda e o Brasil – são 4 voos para Fortaleza, 7 frequências para o Rio de Janeiro e outras 7 para São Paulo. Juntamente com a parceria global Air France e a GOL Linhas Aéreas Inteligentes, parceira desde 2014 no Brasil, as companhias já operaram mais de 1 milhão de passageiros e cobrem 99% da demanda entre o Brasil e a Europa.

da redação  com informações da empresa  imagens: fotos divulgação

diretoria da ABIT para o TRIÊNIO 2020 - 2022

worldfashion • 03/01/20, 02:25

abit_nobo_redes_sociais_400x400mi_4253108488415839-360x400Fernando Pimentel foi reeleito presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), para o triênio 2020-2022. E assumirá o novo mandato a partir do próximo ano, juntamente com membros do Conselho de Administração, Conselho Fiscal e respectivos Suplentes da Entidade.

“Fiquei muito honrado com a confiança dos conselheiros e dos associados em me convidar para uma recondução ao cargo de presidente por mais esse período. São muitos os desafios que nos esperam, mas nada que não possa, com a força de nosso conjunto, ser enfrentado de forma altiva e propositiva como sempre temos feito, mas agora num cenário ainda mais sensível, tanto na esfera política quanto na econômica, no Brasil e no mundo”, destaca Fernando Pimentel.

Para os associados e conselheiros a reeleição se fez necessária para continuar a trabalhar em projetos para o fortalecimento do setor. É o que acredita Anna Maria Kuntz, conselheira da Vicunha. “O conselho que acaba de ser eleito terá grandes desafios para apoiar as empresas nos cenários que estão por vir”, ressalta a executiva.

“Ter uma votação por unanimidade, sem sequer voto nulo ou branco, dispensa comentários. Acho incrível a liderança desta equipe da Abit. É impressionante a forma de inserir todos no propósito, seja uma pequena indústria até mesmo estudantes que se destacam. Espero naturalmente que consigamos prosseguir no mesmo caminho”, afirma Hari Hartmann, representante do Sindivest Bahia

“Nosso desafio para este novo período é resgatar para o setor têxtil e de confecção o seu merecido lugar na economia nacional”, afirma Dilézio Ciamarro, presidente do Sinditec.

ana-mariaAnna Maria Kuntz (à esq.), Dilézio (centro), e Hari Hartmann (à dir.) em votação do novo Conselho Abit

Natural do Rio de Janeiro, Fernando Valente Pimentel, 65, é formado em Economia e Administração de Empresas com Especialização em Marketing, pela Faculdade Cândido Mendes. Atua no setor têxtil e de confecção desde 1977, foi diretor superintendente da Abit e é membro de várias comissões na Confederação Nacional da Indústria (CNI). Pimentel tem representado a indústria têxtil e de confecção em diferentes fóruns no Brasil e no exterior, como International Textile Manufacturers Federation (ITMF), International Apparel Federation (IAF), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Mundial do Comércio (OMC), União Europeia (UE), Federación de Industrias Textiles Argentinas (FITA), American Apparel and Footwear Association (AFAA), entre outras.

da925314-4eb8-48d6-bfbb-3d9c9ddd5d76

Conselho de Administração Abit – 2020-2022

Presidente Fernando Valente Pimentel Paramount

1º Vice-Presidente Ricardo Steinbruch Vicunha

2º Vice-Presidente Giuliano Donini Marisol

3º Vice-Presidente Renato Gomes da Silva Boaventura Solvay/Rhodia

Conselheiro Vice-Presidente Fuad Mattar Paramount

Conselheiro Vice-Presidente Ivo Rosset Rosset & Cia

Conselheiro Vice-Presidente Flávio Gurgel Rocha Guararapes

Conselheiro Vice-Presidente Ivan José Bezerra de Menezes TBM

Conselheiro Vice-Presidente Ronald Moris Masijah Sindivest –SP

Conselheiro Vice-Presidente Gilberto Mestriner Stocche Santista Work Solution

Conselheiro Vice-Presidente Romeu Antonio Covolan Canatiba

1º Conselheiro Secretário Mauro Henke Dystar

2º Conselheiro Secretário José Altino Comper Sintex Blumenau

3º Conselheiro Secretário Grasiela Moreto Ufo Way

1º Conselheiro Tesoureiro Alfredo Emílio Bonduki Kalina

2º Conselheiro Tesoureiro Luiz Arthur Pacheco de Castro Paramount

3º Conselheiro Tesoureiro Mário Adriano Leão Sette Coteminas

Conselheiro Fiscal Carlos Zabani Hudtelfa

Conselheiro Fiscal Flávio Roscoe Nogueira Sindimalhas MG

Conselheiro Fiscal Rui Altenburg Altenburg

Conselheiro Fiscal S. César Pereira Döhler Döhler

Conselheiro Fiscal S. Luiz Augusto Barreto Rocha BDS

Conselheiro Fiscal S. Luca Pascolato Santaconstância

Conselheiro Adriana Saliba Morasco Lycra

Conselheiro Alberto Conrad Lowndes Haco Etiquetas

Conselheiro Alessandro Pascolato Santaconstância

Conselheiro Antonio Cesar Berenguer de Bittencourt

Gomes CIRJ - RJ

Conselheiro Antonio Greco Fiação Alpina

Conselheiro Carlos Alberto Mazzeu Lupo

Conselheiro Carlos Alexandre Winderlich Ferraz Sindivest - Maringá

Conselheiro Carlos Eduardo Benatto Abint

Conselheiro Claudio Dini DiniTêxtil

Conselheiro Daniel Borger Norfil

Conselheiro Dênis Luis Lunelli Lunelli

Conselheiro Dilézio Ciamarro Sinditec

Conselheiro Eli Kattan Afipol

Conselheiro Fabio Hering Cia Hering

Conselheiro Felipe Alexandre Felipe Neto Ind. Têxtil Apucarana

Conselheiro Guilherme Colonna Rosman De Millus

Conselheiro Guilherme Dionizio Gomes Filho Abritac

Conselheiro Guilherme Weege Malwee

Conselheiro Heitor Alves Filho Sindiroupas - SP

Conselheiro João Karsten Neto Karsten

Conselheiro João Paulo Reginatto Sultextil

Conselheiro José Inácio Peixoto Neto Cataguases

Conselheiro Lars Muller Desleeclama

Conselheiro Lineu Jorge Frayha Indorama

Conselheiro Lucas de Carvalho Rocha Unifi do Brasil

Conselheiro Luciano José de Araujo Sindivest-MG

Conselheiro Marco Antonio Branquinho Junior Cedro Têxtil

Conselheiro Matheus Diogo Fagundes 2 Rios

Conselheiro Paulo Walter Leme dos Santos Comask

Conselheiro Rafael Barroso Cabral Sinditextil - CE

Conselheiro Rainer Zielasko Fiasul

Conselheiro Rogério Mascarenhas Cezarino Sift –MG

Conselheiro Romeu Trussardi Neto GVR Home

da redação com fotos divulgação