SANTISTA TÊXTIL

worldfashion • 14/12/20, 18:37

logo1No último dia 04 de dezembro 2020, foi concluido a aquisição da Santista Têxtil pelo GBPK Holdings, grupo de 21 investidores brasileiros, a empresa pertencia ao grupo mexicano Siete Leguas.

São 21 investidores na GBPK holding, em sua maioria atuando em outros segmentos e a sigla se refere às iniciais de alguns sócios,que foram escolhidas de maneira aleatória. um deles é o Sr. Gilberto Stocche, CEO da Santista Têxtil há quatro anos, que permanece como presidente da empresa. De acordo com Stocche, a decisão do grupo pela compra foi norteada por acreditarem na recuperação da indústria nacional e, também, no potencial de crescimento da empresa.

gilbertostocche3-427x640“A Santista Têxtil tem uma marca consolidada, perfil inovador e é uma das responsáveis pelo crescimento do setor têxtil no Brasil. Com a aquisição, temos como objetivo desalavancar a companhia, trabalhar na sua modernização e no aumento da produtividade”, afirma.

Em 2019, um ano de transição para a companhia por ser subsequente à compra pelo grupo Siete Leguas, o faturamento da Santista Têxtil foi de 663 milhões de reais. Os dois primeiros meses de 2020 foram positivos para o grupo Santista, sendo que os resultados foram maiores em comparação com o mesmo período de pelo menos 5 anos anteriores e cerca de 20% acima do objetivo para 2020. Mas, como todo o mercado, a empresa sofreu o impacto da pandemia, principalmente entre março e junho.

No entanto, com o apoio dos colaboradores e da Consultoria Falconi, foi possível otimizar a gestão por meio de diferentes medidas, como administração do caixa, renegociação de dívidas, venda de maquinário antigo e melhora da performance. Com isso, atualmente a companhia passa por um momento de forte retomada, refletindo em um segundo semestre de melhor resultado, com destaque para a Argentina.

A Santista Têxtil acumula 91 anos de história e atua, tanto no Brasil como na Argentina, em duas Unidades de Negócio: Jeanswear, dedicada à produção de tecidos para a confecção de jeans, e Workwear, voltada para a produção de tecidos para roupas profissionais.

As expectativas pós aquisição, além de dar sequência ao plano de modernização e produtividade da Santista Têxtil, a GBPK Holdings vislumbra aumentar ainda mais o volume de exportação. “O acordo comercial de livre comércio firmado entre Mercosul e União Europeia, que eliminará as tarifas de importação para mais de 90% dos produtos comercializados entre os dois blocos, possibilitará diversas oportunidades nesse sentido”, aponta Stocche.

Ele ainda reforça que a GBPK Holdings manterá ativo o perfil inovador da empresa. A Santista Têxtil foi a primeira companhia a produzir e comercializar um tecido que inativa o coronavírus, por exemplo. Lançado há três meses, o produto foi testado e comprovado pela USP. “A inovação está no nosso DNA, é a nossa marca, sempre valorizaremos essas ações”, afirma. E, por fim, Stocche também ressalta a importância de continuar investindo em sustentabilidade. “A Santista Têxtil atua de forma sustentável desde 1980, quando o tema ainda não era tão discutido. Temos uma série de práticas nesse sentido, como a reciclagem de resíduos e a nossa atuação com Biomassa. E continuaremos investindo nesse setor”, ressalta.

da redação com informações da Mosaike imagens: foto/divulgação

LENZING

worldfashion • 14/12/20, 17:00

lenzing20180509427-640x427O Grupo Lenzing foi reconhecido pelo CDP ambiental global sem fins lucrativos, garantindo um lugar em sua prestigiosa ‘A List’ para combater as mudanças climáticas, bem como agir para proteger as florestas. Por meio de ações significativas demonstráveis ​​nessas áreas, a Lenzing está liderando a ambição ambiental corporativa, a ação e a transparência em todo o mundo.

A divulgação ambiental anual e o processo de pontuação do CDP são amplamente reconhecidos como o padrão ouro de transparência ambiental corporativa. Este ano, mais de 5.800 empresas foram pontuadas com base em dados enviados por meio de questionários do CDP.

lenzingag_vorstand03102016005-640x427“Estamos particularmente orgulhosos de ser o único divulgador pela primeira vez que alcançou uma pontuação ‘A’ por lidar com as mudanças climáticas e agir para proteger as florestas. A pontuação dupla ‘A’ reafirma nossa estratégia de sustentabilidade de longo prazo e é um reconhecimento estimulante de nossos esforços em transparência, bem como no fornecimento sustentável de matéria-prima ”, disse Stefan Doboczky, CEO do Grupo Lenzing. “Este reconhecimento aumentará nossa visibilidade entre um amplo grupo de partes interessadas importantes.”

maxresdefault-640x608Paul Simpson, CEO do CDP, disse: “Estendemos nossos parabéns a todas as empresas na ‘A List’ deste ano. Assumir a liderança na transparência e ação ambiental é um dos passos mais importantes que as empresas podem dar e é ainda mais impressionante neste ano desafiador marcado pela COVID-19. A escala do risco de mudanças climáticas, desmatamento e insegurança hídrica para as empresas é enorme, e sabemos que as oportunidades de ação superam em muito os riscos da inação. A liderança do setor privado criará um ‘ciclo de ambição’ para uma ação governamental maior e garantirá que as ambições globais para uma economia sustentável líquida zero se tornem uma realidade. Nossa ‘A List’ celebra as empresas que estão se preparando para se destacar na economia do futuro, agindo hoje. ”

12Como as empresas entram na ‘Lista A’ - processo e metodologia

Em 2020, mais de 515 investidores com mais de US $ 106 trilhões em ativos e mais de 150 compradores principais com US $ 4 trilhões em gastos com aquisições solicitaram às empresas que divulgassem dados sobre impactos ambientais, riscos e oportunidades por meio da plataforma do CDP. Mais de 9.600 responderam - o maior de todos os tempos.

Uma metodologia detalhada e independente é usada pelo CDP para avaliar essas empresas, atribuindo uma pontuação de A a D- com base na abrangência da divulgação, conscientização e gestão de riscos ambientais e demonstração de melhores práticas associadas à liderança ambiental, como ambiente ambicioso e alvos significativos. Aqueles que não divulgam ou forneceram informações insuficientes são marcados com um F.

A pontuação do CDP para florestas é conduzida através das lentes das quatro commodities que causam a maior parte do desmatamento: produtos madeireiros, produtos pecuários, soja e óleo de palma. As empresas precisam receber nota A em pelo menos uma dessas commodities de risco florestal para ganhar um lugar na ‘Lista A’ de florestas.

A lista completa das empresas que fizeram do CDP ‘A List’ deste ano está disponível aqui, junto com outras pontuações de empresas disponíveis ao público: https://www.cdp.net/en/companies/companies-scores

Principais ações da Lenzing para enfrentar as mudanças climáticas

tree-branch-640x427A Lenzing se tornou o primeiro produtor mundial de fibras celulósicas à base de madeira, assumindo o compromisso estratégico de reduzir em 50% as emissões de CO 2 por tonelada de produto até 2030. Essa meta foi cientificamente verificada e aprovada pela iniciativa Science Based Targets. Além disso, Lenzing tem como objetivo as emissões Net-Zero até o ano 2050.

Marcos importantes este ano na jornada da Lenzing para a neutralidade de carbono foram a introdução das primeiras fibras CarbonNeutral ® da marca TENCEL ™ , uma plataforma de rastreabilidade habilitada para blockchain, bem como a execução de soluções de redução de energia de CO 2 em seus locais de produção em Lenzing (AT) e Nanjing (RPC). Esses marcos são parte integrante da estratégia de sustentabilidade da Lenzing, uma vez que ajudam a combater as mudanças climáticas e desencadeiam um novo nível de transparência em toda a cadeia de valor. Além disso, tecnologias pioneiras como REFIBRA ™ e “Eco Cycle” contribuem para uma economia circular ao combinar a produção de fibra de liocel ambientalmente responsável com a reciclagem de resíduos de algodão.

produktvorteile-contentbild-desktopA nova fábrica de celulose no Brasil, que vai até exportar energia verde para a rede local e uma unidade de produção de fibra de liocel neutra em carbono de última geração na Tailândia, serão os principais contribuintes para reduzir a pegada de carbono da Lenzing nos próximos 18 meses .

Principais ações de Lenzing para proteger as florestas

Junto com seu projeto de florestamento na Albânia, Lenzing foi reconhecida por um registro limpo de longa data de abastecimento sustentável de madeira, com mais de 99% de suas fontes de madeira e celulose sendo certificadas pelo FSC ® [1] ou PEFC ™ [2] , ou controlada de acordo com esses padrões.

editada-pb-640x623Outro anúncio importante é a chegada da Sra. Juliana Jabour, que fará parte da equipe Lenzing, na função de Gerente de Desenvolvimento de Negócios, auxiliando na promoção dos produtos Lenzing, TENCEL ™ Lyocell, TENCEL ™ Modal e LENZING ™ ECOVERO ™ viscose.  Juliana possui um rico conhecimento por conta de seu trabalho com marcas e varejistas no mercado brasileiro, juntamente com a experiência adquirida com a criação e gestão contínua de sua própria marca de moda.

Ela dará apoio ao mercado sul-americano da companhia, fornecendo aos clientes, uma visão geral dos planos e objetivos da Lenzing e principalmente observando o mercado para melhor entendimento das necessidades para aplicações específicas das fibras da Lenzing.

da redação com informações da Lenzing  com imagens: fotos/divulgação

DENIM - lançamentos

worldfashion • 09/12/20, 17:12

CANATIBA DENIM INDUSTRY

img_6101-elastopol-500-4288-640x444Com mais um passo inovador, reafirma o protagonismo do Denim nacional, mesmo em tempos de pandemia, fazendo a diferença no segmento mais competitivo da indústria têxtil brasileira. A nova coleção tem Elastopol, uma nova tecnologia com a inédita utilização de fios 100% produzidos nas fábricas da tecelagem. O resultado é um tecido com ótima performance térmica e de elasticidade. Esta tecnologia confere ao denim a possibilidade de secagem na metade do tempo de tecidos comuns, com a mistura de algodão e elastano. Outra característica é a durabilidade e a resistência dessas bases na manutenção da forma, mesmo depois de inúmeras lavagens.

Esse exclusivo sistema de fiação deu origem a um fio que ‘respira’ melhor que os fios filamentados, proporcionando um conforto térmico diante de temperaturas elevadas (ideal para o uso urbano), associado a um toque bem mais confortável.

img_6108-elastopol-500-4288-640x427img_6111-elastopol-500-4288-640x427Os tecidos com a tecnologia Elastopol resistem aos processos de lavagem e alvejamento sem perda da elasticidade. Essa resistência permite maior flexibilidade na lavanderia, com a utilização de acabamentos em lazeres e puídos.

As  bases que levam esta tecnologia são: Santa Fé Elastopol, com tingimento azul médio ecológico, 9,5 Oz, 69% de algodão, 29% de poliéster, 2% de Elastano e 25% de Stretch.

E a Denim Collor Elastopol, um PT com 9,5 Oz, 67% de algodão, 32% de poliéster e 35% de Stretch.

A tecnologia está inserida na plataforma Smart Denim criada para agrupar tecidos que se destacam por suas propriedades funcionais, na vanguarda tecnológica do segmento.

Com a Elastopol a empresa incorpora aos seus processos técnicas de fiação que conferem domínio e autonomia produtivos, sem onerar o custo do tecido e com ganhos de performance e qualidade para o produto final.

da redação com informações dea Duo Press imagens: fotos/divulgação

CAPRICORNIO

_wm_2599-640x427A empresa totalmente conectada com seus clientes e as necessidades do mercado, atuante em toda cadeia produtiva, do algodão, fabricação de fios, à construção dos tecidos, com um vasto portifólio de produtos e grande variedade de cores, possibilitando diversas opções de lavanderia, lançou a nova coleção, na abertura do DCSP - Denim City São Paulo, em outubro passado,

_wm_2661-427x640As novidades foram na Linha Original, a ideia foi ampliar a variedade de cores – uma gama de produtos de 7 a 13 OZ, bem completa, com artigos com flamê e fios lisos. Destaque para o Algarve, um tecido já consagrado na sua categoria e faltava complementar a sua linha com um Black. Um preto bem intenso com ótimas opções de clareamento, com lindos tons de cinza, mantendo a cor. Largura útil muito boa, de 1,76 m, com excelente aproveitamento e rentabilidade.

Um outro destaque para a linha de 100% é o Aveiro. O artigo com fio flamê, 10,5OZ, proporcionando o efeito “ringado” que muita gente procura, ótimo para fazer jaquetas, saias, shorts e até calças. Largura útil de 1,63m e atendendo a pedidos do mercado, foi lançado o tingimento Blue Black, realçando bem os contrastes da marcação de reserva e costuras.

Outro artigo bem versátil dessa linha, porém bem mais leve é o Juno. Ideal para esse nosso momento de peças confortáveis, é perfeito para peças femininas, shorts, vestidos, macacões e calças mais larguinhas. Também a pedidos dos clientes, uma cor menos intensa, Baby Blue, para facilitar o clareamento e quem não quiser um delavê tão forte, porte somente amaciar a peça.

_wm_2668-427x640Na linha de poliéster – Poli Comfort Denim –  lançando o Orfeu Black, para complementar o artigo Intense Blue  – um Broken Twill, muito utilizado  pelo mercado country. Artigo de 9,5OZ, com strech intermediário.

A Linha Comfort foi o principal foco dessa coleção. Destaque para o Medina, um pouquinho mais pesado, de 10,5OZ, flamê, com strech bem conforto, largura útil de 1,72m com custo benefício excelente.

Outro lançamento de destaque é o Grael, artigo mais largo da coleção, com 1,78 m e já chegou com três cores: Intense Blue, Black e Blue Black. Flamê mais pronunciado e 10,5OZ, com strech conforto.

Já no Ibira Flex, foi feito um complemento de cor – Baby Blue. Um artigo que lembra muito o 100%, de mais peso, com sarja bem marcada e strech moderado.

O último lançamento da coleção, complementando a linha de Dual Core, é o Pitanga. Com a tecnologia do T400, proporciona um “recover” maior, não trazendo deformidade na peça. Bem flat, limpo, puro índigo intenso e visual bem nobre com strech de 40%. Diferencial na largura, com 1,61 m, o que não é muito usual nessa categoria de tecidos, com excelente aproveitamento.

da redação com informações da Taissa Cruz   imagens: fotos/divulgação

SANTISTA JEANSWEAR

31

A  marca que é referência em denim na América Latina, apresentou a sua nova coleção de verão 2022 reforçando o índigo Santista, uma marca registrada da empresa, com tecidos em alto power de stretch, conforto e maior largura.

soft-first-denim-221017db-2-copiar-427x6401Momentos desafiadores como o que estamos passando, forçaram as marcas a uma reinvenção e a uma remodelação para atender as necessidades do mercado. A empresa elevou a outro nível o Stretch Power e a largura do tecido devido aos constantes investimentos, inclusive durante a pandemia. Com isso, a empresa oferecerá produtos Super Premium, com a melhor cor, a melhor estrutura, o maior conforto e alto desempenho em lavanderia.

Os grandes diferenciais dessa coleção são os tecidos nas cores Lazuli e Galaxy, uma das cores mais intensas e versáteis do mercado. Para chegar nessa coleção, a equipe da Santista trabalhou durante um ano inteiro para entregar um leque completo de opções que vão do básico ao diferenciado, para permitir as mais diversas interpretações.

justin-lazuli221009db-2-copiar-405x6401Entre as novidades na família Icon estão os artigos Justin Lazuli, Justin Galaxy e o Soft First Denim; na família Free de stretchs os lançamentos são o New West, New Glue, AXL Plus, Scape Galaxy, New Sandler e Aurora Lazuli. A Santista reforçou a linha Tri-blend®, com os lançamentos Queen Triblend, New Extreme Triblend e Absolut Lazuli Triblend, tecidos com alto power, alto recover e maior largura, resultando em maior performance para o consumidor e confeccionista.

Ainda no segundo semestre de 2020, a marca investiu em novos acabamentos e aspectos inteligentes para oferecer maior valor agregado ao consumidor, como a linha Bio Protect Antiviral, inovação 100% brasileira, que se mostrou eficiente para inativar o vírus SARS-CoV-2 em até 3 minutos, com 99,8% de eficiência.

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria em Comunicação   imagens: fotos divulgação

VICUNHA

capturar4-640x304

A empresa é referência global em soluções jeanswear, e conectada com o que há de mais novo no universo jeanswear e aos movimentos da moda, apresentou a sua segunda coleção do ano, com um portfolio de produtos pautados 100% por tecnologias sustentáveis.

A nova coleção valoriza os processos de transformação e investe na gestão de recursos e resíduos como premissa para o desenvolvimento dos produtos. A fabricante aposta em artigos que contam uma história de sustentabilidade do campo ao consumidor final, e mesclam diferentes técnicas e processos, como a combinação de fibras recicladas naturais e sintéticas e processos de tingimento ou preparação que reduzem o consumo de químicos e de água, assim como a utilização de corantes naturais, produzidos a partir de resíduos renováveis. Com estes lançamentos, a Vicunha reforça seu pioneirismo em práticas positivas na indústria do jeanswear, ao oferecer ao mercado de moda novas soluções sustentáveis alinhadas ao espírito do tempo, atrelando conforto, beleza e versatilidade ao menor impacto possível.capturar15

Aliando diferentes processos produtivos, como a reciclagem e recuperação de algodão, além da redução no consumo de água e químicos, as tecnologias exclusivas lançadas em primeira mão com parceiros como o caso do LYCRA® EcoMade, primeiro fio elastano produzido com 20% de material reciclado pré-consumo e certificação GRS (Global Recycled Standard), inédito na América Latina. Outra novidade pioneira são os tingimentos EarthColors® by Archroma, produzidos a partir de resíduos naturais renováveis como sobras agrícolas não comestíveis, folhas de palmeiras do palmito, cascas de nozes, extração de ervas como o alecrim, além de frutos, substituindo as matérias-primas tradicionais à base de petróleo.

Além das tecnologias, para esta coleção os tecidos são compostos com fio de poliéster reciclado ECORAMA da Indorama Ventures, derivado de garrafas PET; e fibra de liocel TencelTM, RefibraTM, desenvolvida a partir da polpa de celulose da madeira e do algodão reciclado pós-consumo industrial, derivado de sobras do processo de confecção.

A coleção enxuta e assertiva aposta em oito produtos, sendo três no Denim e cinco no Denim Colour, conectados a quatro tendências de comportamento e moda em sustentabildade:

capturar6-640x307Eco.Extremo: Com um caminho em aberto e partindo de uma visão sistêmica, a sustentabilidade na moda está em constante evolução. A trend é baseada na economia circular e busca traduzir o máximo de sustentabilidade em tecidos e shapes, apostando em inúmeras possibilidades e experimentos que combinam diferentes técnicas, processos e materiais. Um casamento perfeito entre as tecnologias Vicunha e de parceiros, que resulta em uma série de produtos inovadores e ultra ecológicos.

Um deles é o denim Taiga (9,4oz), que leva o selo Eco Cycle (Less Water e Recycle) da Vicunha e utiliza as tecnologias TencelTM RefibraTM e LYCRA® EcoMade. No urdume, os fios de algodão reciclado tintos em puro índigo, com redução no consumo de água, garantem um azul intenso e versatilidade na lavanderia, perfeito para acabamentos como sal pimenta.

capturar11-640x3601Já no Denim Colour, a novidade é o tecido Eco Forest (9,2oz), que além das tecnologias TencelTM RefibraTM e LYCRA® EcoMade, leva os fios de poliéster reciclado ECORAMA da Indorama Ventures, derivado de garrafas PET, e tingimentos de corantes naturais EarthColors® by Archroma, nas cores marinho, marrom, verde e preto.

O estilo upcycling, patchwork, panelled, de contrastes, new folk e os efeitos vintage traduzem um novo momento para a moda.

capturar13-640x3601Resíduos positivos: Valoriza a conexão do campo com o consumidor e o investimento na gestão e transformações de resíduos da fibra mais usada no jeanswear: o algodão. Esta trend dá luz ao manuseio responsável do algodão, a partir das certificações ABR e BCI e ressalta a importância da reastreabilidade e da transparência na cadeia de moda.

As novidades levam o selo Eco Cycle da Vicunha: os denim com algodão reciclado Zatar (11,4oz) e Zat Black Black (10,6oz) se destacam ainda pelos tingimentos diferenciados: o primeiro deles com azul intenso para ser explorado desde o dark ao baby blue, e o segundo no black super intenso, ambos versáteis em lavanderia.

O estilo da trend é contemporâneo e valoriza o upcycling, que explora a alfaiataria, looks com contrastes de volumes (oversized & justos) e tons (reservas de cor). As modelagens desencontradas, 80´s, girly e pretty stravaganza completam o mood.

capturar10Plant Based: O reaproveitamento de materiais é uma das alternativas promissoras para sustentabilidade na moda. No jeanswear, o conceito que se originou com o algodão reciclado se expande para outros materiais que também vêm da terra, como flores, frutas, cascas e sementes, que permitem tingimentos naturais. Agora, esses resíduos orgânicos originam pigmentos que dão vida a um denim colour cada vez mais inspirado na natureza, construindo novas relações com o que vem da terra.

Os novos artigos do Denim Colour Pantanal (9,4oz) e Amazônia (9,5oz) trazem a inovação dos corantes EarthColors® by Archroma. Além disso, Amazônia conta com as tecnologia LYCRA® EcoMade, TencelTM RefibraTM e algodão reciclado Vicunha.

Ambos são ideais para shapes que traduzem o novo workwear, mais inspirado na jardinagem e minimalista, assim como calças confortáveis slim fit, sempre guiados pelos tons terrosos.

capturar9-640x3081-É +: A ascensão do essencial na vida das pessoas se traduz na indústria pela redução de processos, trazendo a união do denim colour rígido e estruturado com a valorização do aspecto natural, raw e bull denim.

Destaque para as sarjas 100% algodão Astra (11,4oz) e Renzo (11,9oz), produzidas com algodão reciclado no urdume e na trama, conferindo destaque para a construção de shapes em alfaiataria e uma lavanderia minimalista, evidenciando o aspecto natural do algodão. O estilo carpenter, a alfaiataria minimal e o clean look ditam esta tendência.

da redação com informações da Press Pass  com imagens:fotos/divulgação

“Minha Casa em Mim”

worldfashion • 08/12/20, 11:38

20200120_visitaronaldo_fotonatytorres-11-640x427Com curadoria de Ronaldo Fraga, acaba de ser lançada oficialmente a coleção “Minha Casa em Mim” composta por produtos artesanais e gastronômicos que preservam e resgatam as mais genuínas tradições mineiras. O projeto levou 12 meses de demandas, com uma série de atividades técnicas e de gestão com 13 grupos de artesãos da região de Mariana e Barra Longa (MG) propondo releituras e ressignificação da produção local de forma a agregar valor aos itens desenvolvidos e implantar uma cultura de economia criativa pautada nos conceitos colaborativos e sustentáveis.

Os artesãos foram orientados por consultores como Ana Vaz, especializada em design têxtil, Baba Santana, referência em papietagem, e o designer Marcelo, expert no uso do bambu, para aprimorarem suas técnicas e habilidades, além de receberem direcionamentos técnicos e gerenciais como uniformização da produção, embalagem, procedimentos sanitários e precificação de produtos, entre outros.

20200121_visitaronaldo_fotonatytorres-3-640x427A coleção, que busca privilegiar produtos com o mais genuíno DNA mineiro e estimular o potencial artesanal das regiões, é formada por diversos itens que revelam a cultura e tradições dos respectivos locais onde são desenvolvidos, como o vinho de jabuticaba de Monsenhor Horta, o doce de mamão rosas crocantes de Mestre Ataíde da comunidade de Camargos, as luminárias de bambu do distrito de Cláudio Manuel e as almofadas bordadas com andorinhas pelo Grupo Meninas da Barra, entre outros.

Empreendedorismo colaborativo

20200120_visitaronaldo_fotonatytorres-113-640x427Para Mirian Rocha, da ACG – Associação de Culturas Gerais -, responsável pela metodologia aplicada durante as atividades, a maior contribuição do projeto junto aos participantes foi a compreensão da necessidade de se construir uma rede colaborativa e compartilhada e o entendimento do valor cultural e comercial dos produtos locais.

“Esses artesãos e pequenos produtores nunca foram valorizados e a própria população nunca reconheceu a importância da economia criativa dessas comunidades. Sem dúvida, com “Minha Casa em Mim” conseguimos dar visibilidade ao grupo reforçando uma economia associativa e colaborativa”, analisa. Segundo a gestora, o movimento gerou a criação da primeira cooperativa de artesãos de Mariana e região e as estimativas de crescimento de renda das famílias envolvidas também é bastante promissora. “Acreditamos que, com a ressignificação e qualificação dos produtos comercializados, podem até mesmo triplicar o faturamento atual”, conclui Mirian.

20200121-visitaronaldo-fotonatytorres-38-640x427Esse entusiasmo também é compartilhado pelos grupos de artesãos envolvidos na iniciativa como Célia Antunes dos Passos, presidente da Associação Arte, Mãos e Flores, entidade que reúne 28 mulheres que se dedicam ao artesanato têxtil. “Estávamos quase desistindo pela falta de apoio, mas o projeto aumentou nossa autoestima ajudando a valorizar mais nosso trabalho. É muito gratificante e os resultados financeiros já começam a surgir. Hoje, nossas associadas, além de uma melhor alimentação, também conseguem reformar a casa e investir em qualidade de vida”, atesta Célia. Segundo a artesã, a perpetuação do trabalho, através do interesse dos mais jovens despertado pelo Minha Casa em Mim, é o que mais incentiva o grupo. “Queremos deixar nosso legado para os jovens para não deixar morrer a tradição local”, completa.

“O programa abriu novos horizontes para nosso grupo, agregando valor ao trabalho e divulgando nossa cidade”, revela Raimunda Maria dos Anjos, presidente da Associação Movimento Renovador de Mariana, entidade que reúne bordadeiras que se inspiram nas artes, tradições e monumentos da cidade para realizar seu trabalho. “Aprendemos que podemos agregar a cidade em nossos produtos com novas formas e possibilidades. Com a chegada do projeto, ganhamos espaço, a melhora na renda pessoal e aprimoramos nosso trabalho. Afinal, se você borda contando uma história, o produto tem mais valor”, finaliza a bordadeira.

Marlene Resende Fonseca, que preside a Associação Feira de Artes e Ateliê de Mariana, coletivo artístico e gastronômico, afirma que Minha Casa em Mim “trouxe um significado imenso para nós ao aperfeiçoar e criar novos produtos”. Marlene também aposta no incremento das vendas devido ao valor agregado aos produtos. “Aumentou a valorização do produto abrindo um leque para o mundo. Estamos mais profissionalizados”, conclui.

casadasartesnamoradeiras01-640x640maescolinapanodecopa02-640x640A coleção “Minha Casa em Mim” faz parte do projeto Catarse Coletiva, criado pela Fundação Renova em parceria com a Associação de Culturas Gerais (ACG).

A comercialização dos produtos é via loja virtual no site  camargos-docemamao-640x640lumina-769ria-assoc-cla-769udio-manoel-427x640www.minhacasaemmim.com.br

Grupos participantes:

Associação Arte, Mãos e Flores

Associação Mãos que Brilham

Associação Monsenhor Horta

Casa das Artes

Clube de Mães da Colina

Coletivo Cláudio Manoel

Coletivo de Camargos

feiramarte-portavela03-640x6401movrenovadorjogodemesa01-640x640 Coletivo Padre Viegas

Cooperativa Rural de Gesteira

FAM – Feira de Arte e Ateliê

Feira Mart

Meninas da Barra

Movimento Renovador

da redação com informações da Namidia Comunicação imagens: fotos divulgação de Naty Torres

FIT 0/16 e PUERI EXPO

worldfashion • 04/12/20, 15:05

_mg_4722-640x427O maior evento do setor infantil na América Latina pretende reunir mais de 10 mil lojistas de todo o Brasil e de outros países, além de mais de 300 marcas expositoras, incluindo os principais players do mercado da moda e puericultura. Além da exposição de produtos, a FIT 0/16 e a Pueri Expo oferecem atrações gratuitas aos visitantes, com o objetivo de levar o conhecimento aos profissionais do mercado. Com palestras gratuitas, abordarão temas como: vendas, formação de equipes, tecnologia, comércio electrónico, entre outros. Os desfiles de moda, que são o grande encanto da FIT 0/16, têm curadoria da Bazaar Kids. A Pueri Expo tem também uma área de inovações, a Pueri Trends, que apresenta os principais lançamentos em puericultura pesada (cadeiras para veículos, carrinhos, móveis, etc.) e também leve (acessórios, brinquedos, garrafas, etc.).

A feira acontecerá de 22 a 25 de abril de 2021 no Expo Center Norte, em São Paulo, com todos os protocolos para o bem estar de todos os participantes, com a aplicação das normas de distanciamento e higienização já utilizados pela Koelnmesse em outros eventos ao redor do mundo. Todas essas medidas visam garantir um ambiente seguro, tornando a experiência tanto do expositor como do visitante, mais tranquila e confortável.

whatsapp-image-2020-09-14-at-134558“O nosso maior desafio hoje é atravessar toda essa crise em conjunto com nossos clientes e parceiros, e a nossa expectativa é de retornar para os eventos físicos muito mais fortalecidos, reforçando a proposta de promover encontros comerciais de qualidade por meio das feiras, com programas de apoio aos pequenos empreendedores, marcas e produtos regionais, ou seja, gerar fomento e negócios para todo o setor”. A Koelnmesse mantém a sua postura e comprometimento com o desenvolvimento do setor e da economia e eu tenho certeza de que sairemos mais fortes desse desafio”, complementa Jonathan Tadayuki Gerente de Projeto da Koelnmesse no Brasil.

Até lá um novo canal de comunicação com foco em negociação e divulgação das marcas, produtos, lançamentos, será o apoio para o planejamento e realização da próxima edição das feiras FIT 0/16 e Pueri Expo em 2021, à disposição de expositores e os lojistas.

logo_cor1A plataforma  “f+p BIZ”  é um ponto de encontro de negócios, networking e aftermarketing do setor infantil, uma ferramenta exclusiva de conexão entre os fabricantes, lojistas e profissionais do mercado de moda infantil e puericultura, oferece uma nova experiência de conhecimento, um formato de marketplace dedicado e fontes de inspiração, tudo isso em um único lugar. Além disso, ela torna mais dinâmica e ágil a interação de todo o setor kids reunindo uma seleção expressiva de marcas. “Estamos animados, pois a f+p BIZ irá aproximar lojistas e compradores de todo o Brasil com os expositores, lançamentos e conteúdo de qualidade durante todo ano, 24 horas por dia, 7 dias por semana”, diz Jonathan Tadayuki.

f+p BIZ - Plataforma digital de negócios  click em https://www.fpbiz.com.br

_mg_5495-640x4271Todas as funcionalidades de interação da plataforma servirão como suporte para atrair novos negócios até a próxima edição já confirmada das feiras FIT 0/16 e Pueri Expo, que já contam com grandes marcas, como: Mon Sucrè, Pituchinhus, P-mini, Petit Cherie, Vanilla Cream, Tutti Baby, Brasbaby, Multikids, Buba, Dican, Matic Móveis, Medela, Mam Baby, ABC Design entre outras do setor de moda e puericultura.

Serviço:  FIT 0/16 e Pueri Expo

Data: 22 a 25 de abril de 2021

Local: Expo Center Norte - Pavilhão Vermelho

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme

Horário: 10h às 19h (no último dia, das 10h às 17h)

Credenciamento exclusivo para lojistas a partir de Janeiro de 2021 no site da feira.

www.fit016.com.br ou www.pueriexpo.com.br - apenas um credeciamento é valido para as duas feiras

da redação com informações da Ativa Comunicação  imagens: fotos/divulgação

Santista Jeanswear na Casa de Criadores

worldfashion • 25/11/20, 17:42

1-480x640Na 47ª edição da Casa de Criadores a Santista Jeanswear, que sempre esteve envolvida com o evento apoiando os estilistas, esse ano deu um passo a mais e integra o time de patrocinadores, ontem 24/11, apresentou um desfile próprio especialmente para selar a sua participação nesse evento. Os looks exclusivos criados por 15 estilistas convidados: Bispo dos Anjos, Dendezeiro, Diego Gama, Estúdio Traça, Felipe Fanaia, Heloisa Faria, Igor Dadona, Jal Vieira, Jorge Feitosa, Tom Martins, Matheus Cardoso, NotEqual, Renata Buzzo, Rocio Canvas e Weider Silveirio. O styling com a assinatura de Dudu Bertholini e a direção de arte e fotos pelo time do Estúdio Clava.

bispo-dos-anjos-1-santista-jeanswear-modelo-gama-512x640diegogama-1-santista-jeanswear-modelo-yvson-512x640As peças foram criados pelos estilistas à partir dos tecidos da Santista Jeanswear, uma das maiores fabricantes do autêntico denim  e dos stretch, com toque e power aos 100% algodão no país e todos inseridos nos mais altos processos de sustentabilidade, e a nova linha Bio Protect, tecido com proteção antiviral capaz de inativar o novo coronavírus com uma eficiência de 99,8% em jeans e sarja. Acesso ao desfile no link https://bit.ly/37afBFM

3-480x640“Para este projeto selecionamos os tecidos que vão de encontro os principais atributos percebidos pelo consumidor hoje: Conforto tanto no toque quanto na elasticidade em produtos que ultrapassam 50% de stretch, a busca por Proteção da linha Bio Protect antiviral nas bases adequadas para dentro e fora de casa. A linha Upcycle que representa os tecidos mais sustentáveis do Jeanswear e os Autênticos valorizando as características originais do denim, reedição dos melhores denims da Santista”, conta Sueli Pereira, gerente de comunicação e moda.

A Santista Jeanswear é marca de origem brasileira criada em 1929, é uma das principais produtoras do autêntico denim no país e tecidos para roupas profissionais.  Com um posicionamento que se estende do mercado nacional ao internacional, apoiando seus clientes com equipes especializadas de consultoria de produto, moda e lavanderia. Reconhecida por 23 anos renata-buzzo-2-santista-jeanswear-modelo-tauane-santos-512x640como a marca TOP OF MIND de uniformes no Brasil.

A Santista Jeanswear traz em seu DNA inovação, sustentabilidade e tradição em coleções atualizadas com as tendências globais e produtos tradicionais e tecnológicos para uniformização.

* A Casa de Criadores é o maior evento dedicado à moda autoral brasileira e lançador de novos talentos. Seguindo o calendário de lançamento de coleções (primavera/verão e outono/inverno) o evento acontece duas vezes por não na cidade de São Paulo. Surgiu em maio de 1997, quando um grupo de jovens estilistas decidiu, em parceria com o jornalista André Hidalgo, promover um evento para lançar suas novas coleções.

nota-andre-hidalgo-31

O objetivo principal era o de criar um espaço que permitisse a estes estilistas uma proximidade maior com o mercado da moda brasileira. Desde o começo o foco sempre foi a criação autoral genuína e a revelação de novos talentos que, a partir do evento, tivessem a oportunidade de impulsionar suas carreiras. Dessa iniciativa surgia um evento que se transformou, no decorrer de sua história, na principal e mais visível vitrine da criação da moda brasileira.

Centrado, inicialmente, num movimento nascido na cena underground paulistana que aliava moda, comportamento e música eletrônica, a Casa de Criadores ampliou seu universo e foi incorporando estilistas e criadores de outros estados brasileiros – nos mais variados estágios de carreira.

a 47ª edição termina na próxima sexta feira dia 27 para acompanhar click https://www.casadecriadores.com.br

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria de Comunicação    imagens: fotos/divulgação

LYCRA®

worldfashion • 23/11/20, 18:24

02d18ab2944827ab8cd7b981e00992d3-640x4271O escritório da The LYCRA Company em São Paulo, que ficou fechado desde o início da pandemia e reabriu recentemente em sistema de rodízio, com limite máximo de 10 pessoas/dia e um protocolo rigoroso de prevenção ao COVID-19. E renovou o espaço que começou com a vontade de reinventar o local de trabalho de forma mais criativa e inspiradora, remodelando o ambiente como um lounge, mais moderno, aconchegante e aberto, sem divisórias ou baias, que proporcionasse um trabalho mais colaborativo entre as áreas, ao mesmo que mantém um distanciamento seguro entre as pessoas.

ec1fd67748d604b1a4d85a93e17459f4-640x480A idéia do projeto de trazer arte e cor foi entregue ao coletivo SHN, formado por Eduardo Saretta, Haroldo Paranhos e Marcelo Fazolin,que tem na serigrafia o ponto de partida gráfica para a pesquisa de mídias que apresentam nos 22 anos de atuação, com ícones universais, ressignificando o conceito de logotipo e marca, em uma abordagem bem-humorada e crítica..

O SHN contemplou a diversidade de produtos e serviços da companhia e fez uma curadoria para chegar em imagens que comunicassem o universo de atuação da empresa, a moda, de maneira fácil e intuitiva ao olhar de todos. Bolso de calça jeans, meia, camiseta, maiô, bobina de fio, logotipo, são alguns dos ícones traduzidos em poucas cores (vermelho, azul, preto e branco) e traço bold, marcas registradas do trabalho do coletivo.

A arte ficou estampada nas paredes do escritório e também ganhou gravuras emolduradas criando um espaço galeria, que além de decorar o ambiente, inspira quem trabalha no segmento têxtil no qual atua a icônica marca da companhia: a marca LYCRA® e as demais  LYCRA® T400®, LYCRA HyFit®, COOLMAX®, THERMOLITE®, ELASPAN®, entre outras. Apesar da mudança do novo nome da empresa, seu legado iniciou-se em 1958 com a invenção do fio de elastano original, o fio LYCRA®. Hoje, a empresa está focada em agregar valor aos produtos de seus clientes desenvolvendo inovações para atender às necessidades do consumidor por conforto e durabilidade.

Confira como ficou

b23799c779a5124fd3b3ecae77093e6b-640x4274f73a7a9f2d0afdfeebc34e15f61b8639-640x4273ffe96993268a41b61d796d45af93ac11-640x4272

da redação com informações da MktMix Assessoria de Comunicação

A MODA DOS CALÇADOS

worldfashion • 18/11/20, 14:20

US-VOTE-HARRISSegundo a personal stylist Jana Lee, as roupas comunicam e no caso da futura vice-presidente, a mensagem é a desconstrução do ideal de feminilidade e a exposição de que ela é uma figura política em ação. “Eu corro em aeroportos, atravesso o país e resolvo todo o meu dia com meus tênis Converse”, disse Kamala Harris durante uma entrevista ao The Cut.

kamala-harris-converse-sneakers-campaign-trail-1“Mulheres não precisam estar de salto para estarem elegantes. Não é necessário um calçado fino para que essa figura se empodere e mostre que ela é competente para o trabalho. Kamala é o tipo de mulher que tem muito trabalho a fazer e dispensa o perrengue de precisar estar de salto porque é isso que a sociedade espera dela”, aponta Jana Lee que explica que a escolha do modelo também tem tudo a ver com o que Kamala queria passar durante a campanha. A democrata optou por um modelo All Star, o qual confessou ter uma coleção, um exemplar com forte apelo aos jovens — eleitores decisivos para as eleições.

kamala-harris-gettyimages-1229171280Kamala Harris entrou para a história: ela será a primeira mulher e a primeira negra a ocupar a vice-presidência dos Estados Unidos. Mas não foi apenas esse paradigma que a democrata quebrou. Na moda, ela também descontruiu a ideia da vestimenta necessária para uma mulher que ocupa cargos de chefia e poder. Durante toda a campanha presidencial, os tênis utilizados por ela comunicaram muito sobre sua personalidade, inclinações e sobre o que esperar dela como governante.

“A juventude tem o Converse como seu tênis preferido, assim como Kamala. Sem contar que o modelo é acessível, o que descontrói a ideia do luxuoso e do mais caro para a pessoas que irá ajudar a comandar a maior potencial mundial da atualidade”, comenta a personal stylist que aponta que talvez essa seja a abertura necessária para desfazer a ideia de que uma mulher de poder precisa estar de terninho e salto 15 para ser levada à sério.

da redação com informações da Suporte MF Press Global imagens: fotos/divulgação

logo1A La Femme é referência no segmento de calçados flats com pedrarias no Brasil. Com um parque fabril de 2.500 m², a marca produz para mais de 1.000 lojas multimarcas em todos os estados do  Brasil e no mundo, como África do Sul, Bolívia, Colômbia, República Dominicana,  Equador, Emirado Árabes Unidos, Estados Unidos, Paquistão, Paraguai. Com produção diária de 1.500 pares, a La Femme já produziu e distribuiu mais de 3,5 milhões/pares no mercado nacional e internacional.

Bruna Grein, estilista La Femme, formada pela Univali em Design - Habilitação em Moda (2010), com mestrado em design contemporâneo e moda, na UNESP, Curso técnico de modelagem de calçados e estilismo realizado em San Mauro Pascoli, interior da Itália, University of the Arts London, curso de modelagem de calçados no Senai Birigui, e  MBA em marketing e propaganda na UniToledo. É designer de calçados, especializada em Fashion Accessories and Luxury Goods (2013) pelo Istituto Marangoni em Milão.

Na carreira profissional, fez estágio na área de produto da Raphaella Booz, auxiliar de estilo na Fornarina na Civitanova Marche -Itália (2010), e desde 2016 trabalha na La Femme, Birigui-SP como designer de produto, P&D, criando conceitos e conteúdos para campanhas e mídias sociais.

A La Femme sugere 7 opções de estilos para a moda 50+

121) Estilo Minimalista

O minimalismo já provou, durante as temporadas de moda, que é, sim, um estilo fashion e merece um espaço no guarda-roupa das mulheres. Diversas marcas já apostaram nesse estilo, como Chanel e Yves Saint Laurent, por exemplo.

“O estilo que tem apenas uma regra: menos é mais, tem composições que contam com poucos elementos e possuem cores mais neutras. As peças devem ser, principalmente, democráticas. Ou seja, irem bem com tudo. Algumas roupas até podem possuir estampas, mas desde que não sejam muito exageradas.”, especifica a estilista da marca, Bruna Grein.

22) Estilo elegante

Não se engane: usar peças caras não é ser elegante. Merece esse título os visuais que contam com peças com caimentos perfeitos, cortes sofisticados e tecidos mais nobres, como o famoso linho, por exemplo.

O estilo segue um pouco do que o minimalismo acredita: você não precisa de muito para estar bem vestida, mas, sim, o necessário. “Algumas sugestões de peças para quem quer iniciar neste estilo são camisas, calças com bons tecidos, alfaiataria, blazers, vestidos de diferentes tamanhos, mules, slingbacks e, até mesmo, rasteirinhas.”, destaca a profissional.

Alguns acessórios, como anéis e colares delicados, também podem ajudar a construir um look que exala elegância. Apenas se lembre de não exagerar.

33) Estilo moderno

Aqui o que vale é optar por roupas com designs inovadores que, geralmente, não são vistos nos escritórios mais conservadores.

(1) Invista em blazers com estruturas nada óbvias;

(2) misture sem medo. A regra, aqui, é explorar visuais que você nunca pensou antes;

(3) invista em cores como preto e cinza, que trazem esse ar moderno para a união.

44) Estilo romântico

Se você é fã de looks com mangas bufantes, rendas e cores delicadas, então, já usou uma composição com estilo romântico sem saber. Os visuais deste estilo são apaixonantes e contam com elementos que são super femininos, como:

- Estampas florais - Cores suaves e tons pastel - Mangas bufantes - Vestidos com diferentes tamanhos - Babado - Poá - Sapatos com pedraria - Amarração.

O interessante é que você mescle esses elementos com peças neutras. Assim, as produções não ficam infantis ou muito “menininha”.

55) “Estilo mulher de negócios”

Esse “estilo” conta com peças com alfaiataria, blazers e calças. “Se tivesse que definir quem seria a porta-voz desse estilo, seria a maravilhosa Miranda Presley, de O Diabo veste Prada (2006), ou a icônica Constanza Pascolato.”, menciona o social media da La Femme, Flávio Duca.

Nos closets das adeptas deste estilo, há sapatos sofisticados, blazers com tecidos grossos, camisa, alfaiataria e todas as peças que proporcionam elegância.

66) Estilo despojado

Prioriza a praticidade, bem estar e conforto. As fãs deste estilo possuem peças práticas e com ares bem cool. Calça jogger é uma peça-chave que traduz bem o estilo, modelos de calças e blusas largas, tecidos leves, camisas e saias com volume são algumas peças que fazem sucesso no guarda-roupa de quem ama visuais despojados.

É um estilo tão versátil que pode ser usado em diferentes ambientes e ocasiões. Você só precisa escolher as peças certas para cada situação.

77) Estilo sexy

Nunca se é tarde para ser bonita, sexy e praticar o amor próprio. A idade não impede você de usar peças que mostram um pouco do corpo. E para ousar na medida, tenho um truque: selecione as roupas que contam com transparência, fendas ou tiras.  A produção fica “hot”, mas não exagerada. Lembre-se, você é mais que a sua idade! Quando foi que deixamos a idade nos limitar? São apenas números! A sua idade não precisar impedir você de usar uma roupa que goste muito ou ditar qual será a moda para 50 anos. Você pode seguir estes estilos ou, se preferir, os muitos outros que existem.

da redação com informações da P&S Comunicação imagens: fotos/divulgação

homem-do-sapato-740x493O Homem do Sapato tem seis anos de atuação, nasceu do desejo de empreender de Jhonatan Rêgo e Renata Braga. Com carisma, o jovem empresário conquistou um público fiel e se tornou referência na hora do calçar. Elegância, estilo e sofisticação são as palavras chaves para definir os calçados da Homem do Sapato. A marca tem matriz em Fortaleza e franquias em João Pessoa, Manaus, Salvador e Teresina.

Eles sugerem um Guia de estilo HS: 5 sapatos coringas que todo homem deve ter para um look assertivo, alguns modelos de sapato coringas ajudam a não errar na hora de se vestir com muito estilo, seja qual for a ocasião. Modelos clássicos e atemporais ajudam a criar looks versáteis e cheios de personalidade.

yacht-college-up-hs1) Yacht College UP HS

O modelo coringa que combina com todos os looks e está disponível na cor preta e conhaque. O Yatch college UP e´ escolha certa para o homem moderno que busca praticidade e conforto sem perder o estilo em todas as ocasio~es.

oxford-hs-12) Oxford HS

Modelo cla´ssico e atemporal, o Oxford HS traduz com maestria o homem elegante que preza por qualidade. Peça-chave para ocasiões que pedem elegância, sofisticação e muito estilo.

mocassim-river-hs-13) Mocassim River HS

O Mocassim River e´ a escolha assertiva para uma ocasião mais descontraída. Seu solado de borracha expansiva e´ super conforta´vel, surpreendendo em todos os quesitos.

yatch-yong-hs-134) Yacht Yong HS

Um dos modelos mais versáteis, o Yacht Yong sai do comum e transforma a linha Yacht de maneira inovadora. Modelo cla´ssico que recria as linhas casuais com muito estilo em seus detalhes.

skytree-hs-15) Skytree HS

Ideal para o homem estiloso, que segue tende^ncias e gosta de ousar. Com seu solado tratorado composto por borracha e eva, ele surpreende com sua leveza, combinado ao couro o Skytree na~o passa despercebido. Este modelo faz parte da linha FLAG.

da redação com informações da Capuchino Press  imagens: fotos/divulgação

max-euricoO Grupo Eurico foi fundado em 1938 pelo casal de alemães Erich e Leonie Rosenthal no bairro Moema, em São Paulo. Na época, a Eurico Calçados vendia calçados femininos, masculinos e infantis, mas apostou na compra de um lote de calçados com tamanhos grandes e tornou-se especialista e referência nesse nicho.

Sinônimo de moda inclusiva, proporcionando bem-estar e autoestima para pessoas rotuladas pela sociedade como “fora do padrão”, a Eurico é conhecida como a “loja dos pés grandes” por oferecer sapatos femininos e masculinos de tamanhos largos.

“O ano de 2020 nos mostrou que algumas coisas a que costumávamos dedicar muita atenção, de repente perderam a importância. Encontrar contentamento num gesto de gentileza ou num pequeno aprendizado cotidiano, saber abrir mão de excessos e saborear o momento presente passou a ser o verdadeiro luxo da vida”, pondera Claudia Rosenthal, sócia-diretora da Eurico.

Com o mote “Simples Assim”, tradicional marca de sapatos em tamanhos grandes estimula influenciadores a dividirem suas experiências pessoais e contar como encontraram uma maneira simples de se relacionar com a vida.

campanha_eurico-11) Beto Padiani, transformou sua vida nos anos 90 se lançando ao mar. Com dois metros de altura, tornou-se o maior velejador de travessias oceânicas do mundo, tendo percorrido mais de 60 mil quilômetros em mar aberto num catamarã pouco maior que ele mesmo, expedições que ele inclusive relata em livros inspiradores e repletos de belas fotos.

campanha_eurico-22) Manuh Rubi é uma modelo que quebrou todos os tabus da indústria da moda. Formou-se em design de moda com pós-graduação em produção de moda, e após um ensaio de nu artístico com o renomado fotógrafo internacional Mario Testino, passou dos bastidores aos holofotes, tornando-se modelo e influencer body positive.

campanha_eurico-33) Thais Costa é graduada em Biologia pela USP, com doutorado na Rockefeller University, NY e Pós-Doc em imunologia molecular. Após 20 anos dedicados ao mundo da ciência, Thais descobriu a joalheria e ali mergulhou em águas profundas. Nas suas peças, busca traduzir movimento, leveza e a simplicidade das formas da natureza.

campanha_eurico-44) Olhando as fotos dessa mulher linda, segura e sofisticada, ninguém imagina que Savannah é uma menina simples de apenas 16 anos. Mesmo tão jovem, já possui um book invejável de fotos como modelo e o ambicioso projeto de seguir carreira internacional.

campanha_eurico-55) Nascida em Bento Gonçalves, Fabiane Massola trabalhou na roça ajudando os pais, produtores de uva, desde que era criança. Aos 16 anos, mudou-se para São Paulo, para começar a carreira como modelos e hoje, com 23 anos, além de trabalhar, faz faculdade de farmácia.

campanha_eurico-66) Economista com pós graduação em administração de empresas pela FGV e licenciatura em matemática, Gabriel Sanches é um empreendedor convicto e apaixonado pelo seu trabalho. Descobriu sua verdadeira vocação quando percebeu que nada acontece ao acaso e que empecilhos sempre surgem em qualquer caminho.

A campanha está nas lojas, nas redes sociais e no e-commerce da marca, “Cada uma com se0u jeito e todas de Eurico. Simples assim!”, brinca Claudia.

da redação com informações da Comunicação.marketing   imagens: fotos/divulgação

HACO

worldfashion • 17/11/20, 14:16

convencao_digital_haco_01-640x427A empresa apresentou suas duas novas coleções em sua primeira Convenção Digital de Vendas, as novas coleções cápsulas: Denim e Sustentável são  voltadas aos segmentos, que possuem crescente demanda no mercado.

capsula_denim_05DENIM com propostas de packs de solução em identificação para o jeans, uma das peças mais populares do universo da moda, que transita por todos os estilos, é básico, casual e indispensável. A coleção explora os toques de cor nos aviamentos, de acordo com 4 tipos de essências: Basic, Femme, Premium e Vintage. Imergindo no que há de mais inovador em processos, em design e em moda, a coleção tem foco principal nas etiquetas de cós externo, um item clássico de identidade de marca do jeanswear. Efeitos e texturas diferenciadas foram trabalhadas para criar efeitos únicos, que representem a personalidade de cada marca. Brilho de verniz, couro fake, metalizados, relevos, técnicas de tingimento e toques aveludados foram explorados para inspirar os estilistas a agregarem ainda mais valor a suas peças denim. e Sustentável,

capsula_sustentavel_05-640x640SUSTENTÁVEL, vem como o manifesto da Haco em comprometer-se com este tema tão relevante na atualidade. Com o propósito e a responsabilidade de atender as necessidades de seus clientes sem comprometer as gerações futuras, fazendo uso responsável dos recursos para garantir a segurança das pessoas e do meio ambiente. Sustentabilidade é muito mais que uma tendência, é preocupação ecológica e social tornou-se requisito básico para o desenvolvimento saudável de toda cadeia produtiva. Com matérias-primas ecológicas, como fios de algodão biodegradável em etiquetas tecidas e estampadas; poliéster reciclado em etiquetas de alta definição, cetim e cadarços; papel reciclado; lacres em plástico reciclável; e recouro com silk a base d’água.

Ambas as coleções não são definitivas, e receberão atualizações ao longo dos próximos meses. “A ideia é munir o mercado com produtos cada vez mais inovadores e por dentro das principais referências de moda. Aliando a capacidade produtiva da Haco à capacidade criativa, de entregar diferenciação e exclusividade aos nossos clientes.” afirma Camila Walker, Coordenadora de Produto da Haco.

convencao_digital_haco_02-640x427

O lançamento oficial das coleções aconteceu no dia 06 de novembro, na primeira Convenção Digital de Vendas da Haco. A empresa reuniu seus mais de 150 representantes comercias dos 4 cantos do país, em um evento completamente online, recriando toda a experiência, inovação e interação dos eventos presenciais.

“A Convenção Digital de Vendas da Haco foi um momento especial neste ‘novo normal’, onde todos estão se adaptando às tecnologias. Nós já vínhamos realizando lives mensais com nossos representantes, mas um evento desta grandiosidade e com uma produção robusta por trás, foi a primeira vez. E estamos muito felizes com o resultado, todos gostaram bastante da experiência! Foram mais de 8 horas de transmissão ao vivo, onde levamos muito conteúdo, novidades, capacitação e entretenimento para o nosso time de vendas.” relata Alberto Conrad Lowndes, CEO da Haco.

da redação com informações da Haco   imagens/ fotos divulgação

BRASIL ECO FASHION WEEK

worldfashion • 17/11/20, 11:19

tucum-brasil-credito-divulgacaoO Brasil Eco Fashion Week (BEFW) é um evento anual que promove as boas práticas de sustentabilidade no mercado e indústria da moda brasileira, reunindo conteúdos, desfiles, mercados de venda, exposições e atividades de empreendedorismo. Ponto de encontro da moda brasileira sustentável e inovadora, com fomento às inovações, parcerias, negócios comerciais e internacionalização de marcas. Suas atividades trazem em pauta temas como, o desenvolvimento do algodão orgânico no Brasil, novas tecnologias têxteis e materiais, a força da moda da Amazônia, e soluções para a moda circular.

O BEFW se estabeleceu em São Paulo, recebendo empreendedores, profissionais, estudantes e consumidores de todas as regiões do Brasil, conectados ao propósito de utilizar a moda como uma rede positiva e ferramenta de transformação.

A 4ª edição do Brasil Eco Fashion Week (BEFW), será realizada em 2020 no formato online, e acontecerá entre os dias 18 a 22 de novembro, sob o tema “Conectar para Regenerar: Moda e Planeta”.

A programação das webinares e atividades online está sendo planejada para oferecer o máximo de interatividade, e contemplar os diferentes pilares do evento: conteúdos - com palestras e workshops; desfiles; mercados de produtos; atividades de empreendedorismo; ações para a internacionalização de marcas; filmes e exposições artísticas.

nuz-credito-agencia-fotositeNeste ano, o valor relativo ao pagamento de inscrição das marcas aprovadas no evento foi uma contribuição voluntária, como forma de apoio aos empreendedores, pelo ano comercial atípico em função da quarentena e pandemia global.

A organização do evento ressalta que a edição online será uma experiência nova:  “Vamos testar o modelo online, e será desafiador executar digitalmente uma semana de moda sustentável com diversas áreas. Vamos manter o propósito do evento de ser acessível e oferecer a maior parte das atividades gratuitamente; e também aproveitar a oportunidade de alcançar um maior público pelo Brasil”, explica Rafael Morais, diretor executivo do BEFW.

Outras oportunidades virão com o novo formato, como reduzir o nível de emissões do evento por deslocamento dos participantes, assim como a geração de resíduos; e o acesso prático ao site ou ecommerce das marcas participantes. Os webinares serão acessíveis a todos por meio de inscrição, e neste ano será lançado um modelo colaborativo para a sugestão de conteúdos abordados nas palestras, pelo público, em formato a ser divulgado.

circularA programação completa da edição online, com 10 dias de programação gratuita terão 33 painéis de conversa, e com destaque de presenças internacionais,13 workshops e 18 desfiles. A transmissão online de 18 a 28 de novembro inclui o lançamento de aplicativo para exibição de marcas e produtos do Mercado Eco.

Debates para o impacto positivo

lilyan-berlim-e-kate-fletcherCom estudos que têm como base unir os princípios da natureza, cultura e design, Kate Fletcher, do Centre for Sustainable Fashion da University of the Arts London é um dos destaques da edição. A britânica é a pesquisadora mais citada no campo da moda e sustentabilidade, com 9 livros que escreveu/editou publicados, e mais de 70 publicações acadêmicas.

Além do painel “A Moda dentro dos limites da Terra”, em que estará em conversa com a professora do Re-lab Espm, consultora, escritora e referência em moda e sustentabilidade, Lilyan Berlim, Kate oferecerá o workshop “Explorando o plano Earth Logic”, sobre seu mais recente material, feito em coautoria com a sueca Mathilda Tham, da Linnaeus University, que também irá ministrar a atividade.

Kate comentou sua participação no evento: “Estou emocionada por fazer parte deste evento, o Brasil é um lugar de grande abundância - nas pessoas, nos ecossistemas, no setor de moda - acrescente a isso novas histórias de mudança para a sustentabilidade, e há um potencial incrível!”

Entre os convidados internacionais, o designer e coordenador do projeto americano Agraloop, Ricardo Garay, irá apresentar no painel “Moda regenerativa: Cooperação entre Indústrias da Moda e Alimentação”, o inovador sistema de biorrefinaria que transforma resíduos agrícolas em fios e tecidos para a indústria da moda.

Diretamente da Índia, a pesquisadora e fundadora da Malai, Zuzana Gombosova, irá falar em um painel focado em biomateriais sobre sua celulose bacteriana, desenvolvida com água de coco residual e fibra de banana. Com ela também estará Greg Stillman, diretor de negócios da Natural Fiber Welding, que criou o biomaterial Mirum - ambos os materiais com fórmula 100% biobased, um diferencial almejado nesse novo mercado.

Ainda sobre fibras e materiais, haverá a participação da consultora austríaca da associação global Textile Exchange, Simone Seisl, junto ao diretor técnico da Lenzing, Gilberto Campanati, em um painel focado em discutir impactos e certificações para a viscose, além de palestra de Adriana Gregolin, coordenadora regional do projeto +Algodão da FAO-ONU do Chile.

desfile-roupateca-por-sergio-caddah_agenciafotosite3O evento dedicará o dia 20 de novembro, feriado que homenageia a Consciência Negra, às pautas sobre diversidade racial. Nesse dia será lançado o coletivo VAMO: Vetor Afro-Indígena na Moda, com dois painéis de conversa voltados à iniciativa.

Plataforma para exibição e rastreabilidade de marcas

A exibição de produtos do Mercado Eco (espaço para venda de vestuário e acessórios de slow fashion) será feita por meio de um aplicativo, conectando marcas com atributos de sustentabilidade e consumidores. “Esta inovação vai trazer oportunidade para as marcas colocarem a transparência em prática”, afirma Rafael Morais, diretor executivo da Brasil Eco Fashion, realizadora do evento.

Além da visualização dos produtos de cerca de 60 marcas aprovadas pela curadoria do evento, o aplicativo oferece a possibilidade das marcas descreverem insumos utilizados e processos, identificando origem, fornecedores e custos.

“O sistema poderá ser acessado pelo smartphone ou site do evento, e para as marcas que informaram seus detalhes, será gerado um QRcode com criptografia em blockchain. Mesmo que haja a alteração em alguma etapa produtiva no futuro, o histórico continuará registrado”. A solução será apresentada como uma prestação de serviço que ajudará a criar relacionamentos mais profundos entre marcas conectadas ao evento, e seus clientes.

Desfiles com marcas de todas as Regiões do Brasil

catarina-mina-credito-divulgacaoEntre as marcas selecionadas para desfilar este ano, a cearense Catarina Mina, fará sua estréia na passarela com uma coleção de roupas com renda de bilro, desenvolvida em um projeto com 120 artesãs do Ceará. A empresa sempre esteve presente no Mercado Eco do evento, com bolsas e acessórios feitos à mão.

Outros destaques são a paraibana Natural Cotton Color, que apresenta retrospectiva de 15 anos usando o algodão orgânico naturalmente colorido e destacando sua atualidade a partir do design atemporal, a Nuz Demi Couture, que traz peças com modelagens múltiplas, produzidas no Rio Grande do Sul, e a nortista W’e’ena Tikuna Arte Indígena, com grafismos e o tecido vegetal de Tururi, típicos da cultura do povo Tikuna, local do alto Rio Solimões.

leandro-castro-credito-divulgacaoDa região Sudeste, o evento destaca o estilista e alfaiate Leandro Castro, com moda produzida com tecidos de reuso na periferia de São Paulo, e a Libertées, de Belo Horizonte, que iniciou como projeto social capacitando mulheres detentas e estreia no BEFW.

Do Centro-Oeste, a marca brasiliense Flávia Amadeu vai apresentar sua produção de biojoias feitas em látex natural da Amazônia desenvolvido junto a comunidades seringueiras locais. Flávia desfila seus acessórios em parceria com a marca Comas SP, especialista em upcycling.

Entre as demais marcas selecionadas, há também empresas gerenciadas por cooperativas e/ou arranjos produtivos locais, ou com foco em experimentações com materiais inovadores e tingimento natural, como a Justa Trama de Porto Alegre, e Jouer Couture e Manui de São Paulo.

Workshops ao vivo

A frente de workshops do evento tem se mostrado um pilar cada vez mais importante, ao oferecer dezenas de atividades com foco em educar sobre temas técnicos e inspiradores para a transformação na Moda.

As atividades serão realizadas ao vivo, em salas virtuais do Zoom, poderão durar de 2h a 4h, e os valores variados de inscrição poderão ser consultados nos links das atividades, disponíveis no site do evento.

No dia 23, será realizado o workshop “Design de Moda com Látex da Amazônia” com a iniciativa Ethical Fashion Brazil, e informações sobre o manejo sustentável e uso no Design, da matéria-prima proveniente da maior floresta tropical do mundo.

• “Manuí: Introdução ao Tingimento Natural”, com Juliana Bastos (Manuí) - 18h às 21h

• “Design de Moda com Látex da Amazônia”, com Luciana Duarte (Ethical Fashion Brazil) - 17h às 19h

• “Criando Kimonos a partir de calças: Uma introdução ao upcycling têxtil” , com Wendyel Borin - 17h às 20h

Já no dia 24, a agência especializada em Moda Circular, Regenerate Fashion, vai ensinar sobre estratégias e ferramentas necessárias para que produtos estejam inseridos em “ciclos fechados”, no workshop “Moda circular: Projetando várias vidas para produtos de moda”.

• Introdução à Agrofloresta Têxtil: Conceitos e Cases”, com Larissa Duarte e Raíssa Leão (Jurema) - 18h às 20h

• “Moda circular: Projetando vidas para produtos de Moda”, com Larissa Roviezzo (Regenerate Fashion) - 18h às 20h

• “Armário Afetivo: estratégias para ressignificar o seu guarda-roupa”, com Alba Prizão (Senac) - 18h às 20h

• “Re-Significar a Moda: o lado humano da inovação” , com Giovanni Frasson (Dossier Arts And Fashion Education) - 18h às 20h

E no dia 25, acontece o workshop Desafios da Modelagem de Baixo Resíduo, com instrutoras do Corte Centesimal, que irão comunicar formas práticas de gerar menos retalhos e impacto negativo durante o processo de modelagem de roupas.

• “Co-criação de ecossistema de inovação” - com Larissa Duarte e Larissa Orlow (Confio.Eco) - 9h às 13h

• “Desafios da Modelagem Baixo Resíduo” - com Carolina Franco e Marília Tavares (Corte Centesimal) - 18h às 20h

regenerate-fashion-credito-workshopOutros destaques:

O painel “A construção coletiva da Imagem de Moda”, terá a participação do colunista e autor André Carvalhal, e uma apresentação dos três anos do projeto Trava Afetiva por Jackson Araújo.

Painel “Produção tradicional indígena: subsistência e resistência”, com participação de três marketplaces de produtos tradicionais indígenas, incluindo o Jirau da Amazônia, gerenciado pela fundação Amazonas Sustentável, a presença de duas lideranças indígenas para o artesanato, e mediação pela comunicadora Giovanna Nader.

O Espaço Fornecer trará painéis com debates críticos sobre os tecidos de Linho, Viscose e Poliéster reciclado. A conversa “Ecopontos e logística reversa no varejo de Moda”, com a participação da Grendene, Insecta Shoes, Puket, e mediação da consultora em moda circular, Alice Beyer Schuch.

O evento conta com patrocinadores e apoiadores como Lojas Renner, Mercado Livre, Fundação Hering, Audaces, Vert, Covolan, Sebrae, Senai, Senac, Abit, Abvtex, Abest, Rede Asta, Capitalismo Consciente, entre outros.

Serviço:

Brasil Eco Fashion Week - 4ª ediçãoFormato Online Brasil Eco Fashion Week - 4ª edição

Formato Online

18 a 28 de novembro

Canais do evento:

Site: brasilecofashion.com.br

Instagram: @brasilecofashionweek

Linkedin: Brasil Eco Fashion Week

da redação com informações da Agencia Catu  imagens: fotos/divulgação