Ronaldo Silvestre

worldfashion • 12/07/24, 11:41

É o estilista/designer e ativista social, que cuida de todos os processos de pesquisa, análise de materiais, estudo de ergonomia e qualidade colocando a sua essência, para atingir a sua meta social.

Após anos apresentando as coleções “WEARABLE ART” verdadeiras arte vestíveis (peças únicas) trabalhado com resíduos de jeans, em vários eventos pelo Brasil. Marcou em 2021 sua estreia na edição 51 do SPFW São Paulo Fashion Week, onde apresentou a coleção “Conspiração”, uma apresentação virtual no auge da pandemia, com o fashion film gravado em Minas, na fazenda onde o Carlos Drummond de Andrade nasceu, em Itabira, cidade natal do estilista e sede da Fábrica Social ITI do Instituto ITI.

Sobre o meu primeiro desfile no SPFW, Ronaldo Silvestre fala:  “As vezes eu acho que é difícil para as pessoas entenderem que para mim é um prazer poder trabalhar com moda, design, desenvolvimento social, empoderamento feminino, defesa dos direitos da minha comunidade LGBTQIA+ e mais uma infinidade de outros projetos. Porque eu estou construindo o meu sonho. É o meu legado. E está tudo bem se as pessoas não querem isto para a vida delas. Eu quero para minha vida ser alguém que faz o que precisa ser feito.

E eu estou disposto a pagar o preço que for. Estou “sumido” “sem graça” “só sei trabalhar” “sem tempo”, mas eu vim do nada e tudo o que eu tenho hoje, eu conquistei lutando, trabalhando e olhando cada coisinha que conquistei com uma felicidade e agradecimento imenso. É o que eu gosto de fazer. Não tem jeito, eu não me encaixo em outra coisa que não seja ir além e cuidar de mim, mas cuidar do outro também. E eu estou superfeliz de ter me encontrado.  Eu sou todo coração, sou a moda, sou a construção de um futuro melhor”.

No início de 2024, a Fábrica Social do ITI iniciou o processo de uniformização de mais de 10.000 crianças, por meio do Termo de Fomento 049/2022 assinado pelo Instituto em parceria com a Prefeitura de Itabira “como eu sou todo coração e coloco amor em tudo o que faço. Após meses de desenvolvimento criou um tênis cheio detalhes e milhares de sentimentos: respeito aliado a qualidade, a durabilidade e resistência.” conta Ronaldo Silvestre.

Do conceito à produção dos tênis para a Secretaria de Educação de Itabira

Entregar para uma criança da rede municipal de ensino um tênis especialmente desenvolvido para a realidade local de Itabira, não tem preço e muito menos comparação com artigos similares. “Afinal eu sou um designer social e estou ajudando a transformar através da educação a vida de 10.000 crianças. São 10.000 FUTUROS!” diz Ronaldo

E complementa “Eu sou um designer social, em todos os meus processos de pesquisa, análise de materiais, estudo de ergonomia e qualidade eu coloco a minha essência, um pouquinho da minha história de vida… uma criança pobre que não tinha um calçado para ir à escola, que dividia o calçado com o irmão mais novo”.

Do conceito, criação e produção o projeto foi muito importante e especial feito em parceria com a Rider do grupo Grendene.

O estilista Ronaldo Silvestre também é um fazedor do futuro. Na collab em parceria com o Instituto ITI utilizou a prática “upcycling”, reconhecida por utilizar materiais obsoletos, para ressignificar produtos e assim com o RNEXT. Desenvolvida pelas mãos das costureiras do Instituto ITI, o modelo reforça o propósito de recriar uma moda com responsabilidade social e que pensa em soluções para a preservação do meio ambiente.

Sobre o Instituto ITI é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2009. Funciona como centro de convergência para o fortalecimento das aptidões locais, com projetos focados na geração de renda e no desenvolvimento sustentável do terceiro setor. Com a missão de criar, qualificar e transferir tecnologias sociais orientadas ao desenvolvimento humano, atua no território nacional por meio do fortalecimento da economia criativa, das redes sociais e educativas, da autonomia produtiva, do protagonismo cultural das comunidades, da valorização dos recursos naturais e da biodiversidade de cada região. A partir da energia social estabelecida na confiança da comunidade, das parcerias públicas e privadas que a instituição conquistou ao longo de sua história.

da redação

PROJETO MODA REGENERATIVA E CIRUCLAR

worldfashion • 11/07/24, 11:19

O projeto Moda Regenerativa e Circular do Instituto Focus Têxtil com duração de dois anos, terá cinco turmas até o final de 2024, e pretende reutilizar cerca de uma tonelada de resíduos têxteis e peças descartadas, por meio da capacitação internacional de designers, professores e estudantes.

Os resíduos de materiais e peças descartadas serão disponibilizadas pelo Instituto Focus Têxtil, para que os participantes façam a escolha. Pretende-se utilizar, inicialmente, os resíduos oriundos de materiais descartados e/ou já peças confeccionadas (estoques e/ou defeituosas). Essas são a origem de 80% de todos os resíduos do setor.  O intuito é criar coleções capsulas a serem expostas e comercializadas no Focus Fashion Summit, que acontece entre os dias 05 e 07 de novembro. Já foram feitos contatos com vários varejistas e há muito interesse de participação para levar ao consumidor as coleções desenvolvidas pelos participantes deste projeto, que trabalham com a criatividade e a aplicação dos conceitos de upcycling.

CONVÊNIO COM O PROGRAMA  AL-INVEST Verde

O Instituti Focus Têxtil, braço social da Focus Têxtil, uma das maiores importadoras de artigos têxteis da América Latina firmou convênio com a União Europeia por meio do programa AL-INVEST Verde, que impulsiona a economia circular da moda por meio do reaproveitamento de resíduos têxteis e peças descartadas. Concorrer para o programa, mais de 150 instituições da América Latina e Caribe, e o Instituto Focus Têxtil conquistou o convênio.

O convenio total é de 375 000 EUR, sendo que o apoio através do Programa AL-INVEST verde é 300 000 EUR e a contrapartida do Instituto é de 75 000 EUR. Esses recursos serão aplicados em capacitação de empreendedores, formação de designers, criação de materiais virtuais sobre o assunto, rodadas de negócios e encontros B2B.

Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), apenas o Brasil é responsável por descartar, anualmente, mais de quatro milhões de toneladas de resíduos têxteis. “A maioria das peças acaba em lixões e aterros sanitários, além de não ser biodegradável. Parte poderia ser reaproveitada e ganhar novos rumos e é exatamente isso que estamos propondo”, explica Paulo Cristelli, Gerente do Instituto Focus Têxtil.

PROJETO MODA REGENERATIVA E CIRUCLAR

Por meio de aulas teóricas e práticas, além de oficinas gratuitas, os 22 alunos da primeira turma aprenderão sobre um design inteligente que cause menos desperdícios, bem como práticas sustentáveis. O objetivo é que, ao final do curso, eles estejam habilitados a multiplicarem as técnicas aos grupos seguintes e possam criar coleções com os resíduos para algumas das maiores varejistas do país em parceria com o Instituto.

Embora a produção de artigos têxteis gere sobras desde o início, o programa se concentrará no pós-consumo, ou seja, na reutilização de uma peça já existente que seria descartada. “Vamos contar com uma consultoria de Portugal focada no design verde que apresentará novas perspectivas sobre o tema. Esperamos que, a partir dos resíduos previamente coletados, os alunos criem coleções que voltarão a circular entre o público”, complementa Walter Rodrigues, estilista e um dos mentores do projeto.

O Instituto também leva em consideração os impactos do projeto no meio ambiente “Segundo estudo realizado pelo site de revenda americano ThredUp, cada peça que reaproveitamos implica em reduzir a pegada de carbono em uma média de 25%. As mudanças climáticas estão cada vez mais evidentes, portanto, especialmente enquanto indústria, precisamos conscientizar e agir proativamente para mitigar os seus efeitos!”, conclui Paulo.

Sobre a Focus Têxtil - Empresa fundada há mais de 80 anos, é uma das maiores importadoras de artigos têxteis da América Latina. Sempre em busca do melhor produto aliada ao amplo conhecimento, a empresa tem como missão inspirar clientes agregando valor e oferecendo informação de moda por meio de um mix completo de tecidos e serviços.

Em seu portfólio, a Focus Têxtil conta com mais de seis mil produtos que atendem os segmentos feminino, masculino, activewear, lingerie, beach, workwear, denim, infantil, meias, home, calçados, acessórios e estampados. Por meio de estudo de comportamento, consumo e mercado são desenvolvidas e criadas coleções com novas texturas, composições, cores e padronagens a cada estação.

Atualmente, a Focus Têxtil tem dois espaços de atendimento ao cliente, localizados em São Paulo, nos bairros Bom Retiro e Barra Funda. Em cada Showroom, o cliente recebe um atendimento personalizado e poderá ter acesso a todos os artigos disponíveis, acervo de peças de pesquisa, além de contar com uma equipe capacitada com informações sobre tendências de moda.

Sobre o Instituto Focus Têxtil - Criado em 2013, é o braço social e sustentável da Focus Têxtil, uma das maiores importadoras têxteis da América Latina. A organização tem como missão fomentar a sustentabilidade na cadeia da moda por meio de ações de conscientização e desenvolvimento social. Os seis projetos da organização incentivam o empreendedorismo, estimulam a criatividade de novos talentos e buscam facilitar o acesso à capacitação de profissionais do setor, diminuindo a desigualdade social.

O Instituto foi incorporado ao plano de sustentabilidade da Focus Têxtil em 2018 com metas e indicadores que envolvem fornecedores, tecidos, colaboradores e sociedade. Neste escopo, o Instituto Focus Têxtil trabalha, principalmente, com resíduos têxteis que seriam descartados e os reaproveita como material para os projetos de forma a incentivar a economia circular.

Sobre o AL-INVEST Verde - É um programa da Aliança entre a União Europeia e a América Latina para o Crescimento Sustentável e o Emprego, teve início em 1994. Após várias edições, graças ao seu sucesso, o AL-INVEST Verde, está na sexta edição do programa, que foi lançado em 2021. O Programa financiado pela Comissão Europeia promove o crescimento sustentável e a criação de emprego na América Latina. O seu objectivo é apoiar a transição para uma economia com baixo teor de carbono, eficiente em termos de recursos e mais circular, a fim de facilitar a implementação de modelos de produção sustentáveis. O projeto tem um orçamento de 37,7 milhões de euros e uma duração de 60 meses: começou em outubro de 2021 e terminará em setembro de 2026.  No seu desenvolvimento, o programa divide-se em três componentes trabalhar, respectivamente, com as pequenas empresas latino-americanas, as instituições públicas da região e a gestão dos direitos de propriedade intelectual.

da redação com informações da Focus Têxtil e Instituto Focus Têxtil pela Trama Comunicação

MARCA - ANARQUIA DE VESTIR

worldfashion • 26/06/24, 10:52

A marca santista Anarquia de Vestir, das sócias Adriana Seixas e Suzaña Azär, chega ao mercado com o propósito de uma moda ética, com ênfase e foco na sustentabilidade com reaproveitamento de tecidos e roupas, criando assim peças únicas, respeitando todos os corpos e acreditando na beleza real de cada um, incentivando a autoestima e a criatividade. Para a Anarquia de Vestir não existem regras de moda a serem seguidas. A única regra é exatamente não seguir regras e sim sua autenticidade o lema é

Seja quem você é e celebre ser você.

Para o lançamento da primeira coleção da marca Anarquia de Vestir, elas se inscreveram e foram aprovadas no edital do FWPS Novos Talentos.

Na passarela do FWPS - Fashion Weekend Plus Size Novos Talentos apresentarão a coleção Burlesque: peças únicas, criadas com tecidos que as sócias tinham em seus acervos, reaproveitamento de tecidos de roupas que não usam mais e as bijuterias artesanais feitas por Adriana Seixas que é artesã e trabalha com bijuterias há mais de 20 anos e o stylist do desfile praticamente será complementado por acessórios dos acervos das sócias, com bolsas de ancestrais, chapéus, e muito mais.

O desfile que acontecerá no sábado, 13 de julho, às 18 horas abrindo o segundo bloco de desfiles do dia, na Fábrica de Cultura do Jardim São Luís, o destaque será a presença de duas mulheres da Baixada Santista, que foram especialmente convidadas pela Anarquia de Vestir: Isa Shipward, 25 anos, é professora de dança e nunca atuou como modelo; e Elaine Ribeiro, empreendedora, modelo e Miss Plus Size, com mais de 22 títulos como Musa Plus Size do Santos Futebol Clube - categoria master; e Miss São Vicente Plus Size, entre outros.

Isa Shipward fará uma performance especial além de abrir o desfile, sendo seu primeiro trabalho como modelo plus size. A bailarina participará de todo o desfile mostrando um pouquinho de Chair Dance ou Dança da Cadeira, que tem sinergia com o tema da coleção Anarquia de Vestir que é o Burlesque.

Para valorizar ainda mais a moda autoral da região da Baixada Santista a Anarquia de Vestir priorizou contratar profissionais da região para trabalhar no projeto, desde o DJ Ice que mixou a trilha sonora do desfile e mora na Praia Grande, até a modelagem a cargo de Danieli Carvalho, que apoiou a marca e criou peças pensadas para minimizar resíduos têxteis e aproveitar o máximo dos materiais de forma criativa  e a costura de Cris Carvalho, mãe de Danieli.

Memória Afetiva

A cofundadora da Anarquia de Vestir, Suzaña Azär tem histórico familiar com tecidos e roupas, e reuniu diversos tecidos antigos que estavam na casa de seus pais já falecidos para serem a matéria-prima da primeira coleção da Anarquia de Vestir. A sócia e designer Adriana Seixas também juntou tecidos de seu acervo e juntas criaram a maioria das peças da coleção com esses tecidos cheios de histórias. Algumas peças da coleção como o Tule, foram comprados no comércio de São Vicente para valorizar o varejo local.

São peças únicas, que misturam tecidos, e convidam a cada um a montar seu look sem seguir as ditas regras de moda como: não usar a cor branca se você é plus size; não misturar estampas e padronagens, entre outras.

Sobre a Anarquia de Vestir: Adriana Seixas e Suzaña Azär se conheceram em 1990, na Faculdade de Comunicação Social, da Universidade Católica de Santos. Suzaña cursava Jornalismo e Adriana estudava Publicidade e Propaganda. A identificação foi imediata, inclusive porque as duas já eram apaixonadas por moda e tinham estilos únicos de se vestir. Em 2002 as amigas chegaram a montar a Chiquita Banana (um dos apelidos da Adriana é Bananinha) com a proposta de upcycling e de consultoria de moda, mas Suzaña acabou voltando para São Paulo e seu trabalho como assessora de imprensa e Adriana seguiu outros rumos, mas sempre fazendo uma bijuteria aqui outra ali, atendendo pedidos de amigas e clientes. Agora, 8 anos após a volta da Suzaña como moradora de Santos, muitas conversas, planos e ideias, em 2024 as amigas que se chamam de gêmeas decidiram que era o momento de colocar o sonho de uma marca disruptiva como elas. Assim nasceu Anarquia de Vestir que no próprio nome já mostra que a proposta é a da liberdade de corpos e a moda como expressão de cada pessoa.

Sobre o evento: O Fashion Weekend Plus Size foi criado em 2010 por Renata Poskus, uma das pioneiras da moda plus size no país.  Nesta 20ª edição do Fashion Weekend Plus Size há uma repaginação com foco em Novos Talentos. O evento será realizada no sábado e domingo, 13 e 14 de julho, na Fábrica de Cultura do Jardim São Luís, na capital paulista.  Modelos e marcas de todo o estado de São Paulo puderam participar dos editais do evento que selecionou as marcas, designers e modelos. Além dos desfiles o Fashion Weekend Plus Size Novos Talentos conta com programação ao longo do dia como oficinas diversas e rodas de conversa.  A entrada é gratuita, mas é necessário fazer inscrição no Sympla, tanto para as atividades como para os desfiles. Mais informações podem ser acessadas no site www.fwps.com.br

da redação com informação da Suzana Comunica

Coleção “NO WASH”

worldfashion • 07/03/24, 09:37

A Santista Jeanswear, protagonista na história do denim nacional, inova com a coleção “No Wash”, uma collab assinada pelo artista Didu Losso.

Trata-se de uma coleção repleta de trabalho manual, onde cada peça é única. O artista personalizou com pinturas, bordados e colagens jaquetas jeans da Santista. Foi responsável, além das intervenções nas jaquetas, pela direção geral da campanha de lançamento.

O local do editorial não poderia ser mais icônico para a história da moda. As fotos foram feitas extinta flagship da Forum que teve projeto arquitetônico de Isay Weinfeld, pré sua demolição, que dará vida a um novo empreendimento imobiliário no Jardins. Com coordenação do próprio Losso, o styling leva assinatura de Marcia Jorge, fotografia de Angelo Pastorello e Beleza de Letícia de Carvalho.

No desenvolvimento da coleção “No Wash” Didu teve liberdade total para criar suas obras originais, pintadas e bordadas, sobre jaquetas desenvolvidas pela Santista Jeanswear, peças que se transformaram em jóias raras inspiradas no lifestyle do rock, punk e skate das ruas da Califórnia, Nova York e São Paulo.

Para além do lançamento, no mês de Abril de 2024 algumas peças dessa coleção farão parte de uma das feiras de arte mais importantes dos Estados Unidos em Nova York, a ArtExpo New York.

“Eu afirmo com certeza que não estaria realizando essa collab se não fosse em parceria com a Santista. Admiro muito a marca e todo seu papel sustentável e de peso na história da moda nacional – trata-se de um projeto lindo e individualizado, cada uma das peças foi muito bem pensada para ser única, bem como o ensaio de fotos exclusivo em um lugar icônico que já foi berço da Forum”, comenta Didu Losso.

As encomendas das jaquetas e obras de arte podem ser feitas via email: didulosso@hotmail܂com

A Santista Jeanswear é marca de origem brasileira criada em 1929, é uma das principais produtoras do autêntico denim no país e tecidos para roupas profissionais. Com um posicionamento que se estende do mercado nacional ao internacional, apoiando seus clientes com equipes especializadas de consultoria de produto, moda e lavanderia. Reconhecida por 23 anos como a marca TOP OF MIND de uniformes no Brasil. A Santista Jeanswear traz em seu DNA inovação, sustentabilidade e tradição em coleções atualizadas com as tendências globais e produtos tradicionais e tecnológicos para uniformização.

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria.

Desfile - Ponto Firme

worldfashion • 12/12/23, 09:55

O Ponto Firme reafirma sua potência com a moda sustentável e social, promovendo a inclusão, tanto na confecção de peças, oferecendo oportunidades a egressos do sistema prisional e de pessoas em situação de vulnerabilidade social, quanto no desfile, com uma diversidade representada nas passarelas por modelos plus, asiáticas e trans. A drag queen Halessia foi um dos destaques que brilhou com sua personalidade e estilo únicos. O styling é assinado por Dudu Bertholini, em total sintonia com a essência do Ponto Firme, trazendo seu olhar apurado da moda plural, ética e inclusiva.

O crochê é a principal técnica usada por Gustavo e seus alunos, e é o ponto de partida para conectar resíduos plásticos e têxteis, criando peças que dão um efeito de brilho conforme ganham movimento pelo corpo, com muita fluidez, cores e transparências. Foram usados paetês cortados a laser, que já haviam sido utilizados na coleção anterior, e para esta edição, foram desenvolvidos paetês sustentáveis feitos com resíduos plásticos, moldados e pintados 100% à mão. Esses detalhes foram costurados um a um, com os fios Cordonê - sutilmente cintilantes - da Círculo, em tecidos e em tramas de crochê que transformaram esses elementos em roupas exclusivas.

Gustavo e Kevin são dois designers de moda nascidos em países com realidades bastante distintas, mas que investigam a sustentabilidade social e ambiental nos processos de moda.

“Foi incrível poder trazer a collab do Ponto Firme com o Kevin Germanier para o Brasil,

principalmente com esse trabalho, que tem tanto a ver com a nossa cultura tão diversa

e rica. Seguimos firmes no nosso propósito de usar o crochê para a transformação social,

unindo toda a questão ambiental, descobrindo novas formas de reaproveitar materiais

descartados e os ressignificando na moda. Esse desfile, assim como todos os outros nove

que já participamos pelo São Paulo Fashion Week, representa o sonho e a esperança de

muitas pessoas evolvidas nos processos de construção de cada peça e é um orgulho muito

grande poder fazer parte e acompanhar cada passo dessas pessoas com tanto potencial artístico e manual”, avalia Silvestre.

A trilha sonora foi mais um importante coadjuvante do desfile, resgatando a vibe das festas eletrônicas dos anos 2000, com muito drum’n bass, um estilo que veio da periferia e que também representa muito do que é o Ponto Firme. Quase impossível ficar parado ao som das batidas animadas e cheias de nostalgia, sob o comando e criação do artista musical, Ad Ferreira. Os jovens do Artesanato Chave, coletivo de moda que reúne artesãos da periferia de São Paulo e que fazem bonés e chapéus de crochê, contribuíram com alguns acessórios da coleção.

“A gente vê uma sinergia muito grande entre o Projeto Ponto Firme

e o que eles fazem, já que são jovens da periferia e muitas vezes

inviabilizados ou estigmatizados. Então acreditamos que é super

importante darmos esse apoio para que eles sejam vistos como

os artistas que são”, comenta Silvestre.

Ficha técnica

Direção criativa

Gustavo Silvestre

Artesãos

Anderson Figueiredo

Danny Aranha

Diego Henrique

Lolla Francis

Marilene Cardoso

Reneé Abgail

Tiago Araújo

Costura

Neuza da Silva

Corte a laser

Sol Santin

Styling

Dudu Bertholini

Beleza

André Veloso e equipe

Capa Management

Produção executiva

Danilo Sorrino

Direção de casting e desfile

Bill Macintyre

Assistência geral

Ítalo Tavares

Assistência de styling

Luokon

Renatta Serra

Bia Maciel

Victoria Merlin

Assistência de casting

Iris Zabaleta

Alex Oitaven

Trilha sonora

Ad Ferreira

Audiovisual

Danilo Sorrino

Fotografia

Felipe Ruffino

Modelos

Maressa

Bruna Japona

Raven

Mariana Gonn

Gabrielle Braga

Abigail

Iohany

Valéria

Letícia K.

Gzebel

Luokon

Deusa M.

Fabrício

Elen Pinaki

Mariana H.

Allexia

Halessia

Nego Mark

Israel

Iara

Apoio

Rider

Círculo

Brazil Foundation

São Paulo Fashion Week

Assessoria de Imprensa

Patrícia Wippel - Oficina das Palavras

Agradecimentos

Alexandre Reis

Andressa Guerin

Carine Pimentel

Fernanda Casara

Fernanda Wieser

Patrícia Wippel

Junior Oliveira

da redação com informações da Oficina das Palavras    fotos/divulgação Marcelo Soubhia agfotosite

DESFILE - TRAMA AFETIVA

worldfashion • 05/12/23, 10:26

Com direção de moda liderada pela estilista Thais Losso, o desfile “TUDO PODE ACONTECER”, busca transformar a indústria têxtil e da moda, enfatizando a diversidade de materiais disponíveis para reuso, contribuindo para a redução do descarte.

A Trama Afetiva leva à Brasil Eco Fashion Week a força coletiva da transformação na moda reunindo uma rede de parcerias inédita em upcycling em seu desfile

Por sempre busca um ecossistema de moda inclusivo, sustentável, transparente, lucrativo e criativo. É imprescindível a abordagem coletiva das iniciativas da Trama, que conta com grupos de costureiras, cooperativas de tratamento de resíduos e coletivos de artesanato, para trabalhar segundo o upcycling, técnica que recupera matérias-primas em desuso na prática produtiva central de criação das peças únicas da Trama.

É essa força agregadora que guia do desfile da plataforma na próxima edição da Brasil Eco Fashion Week (BEFW), no dia 7 de dezembro, às 20h30, inteiramente composta de criações colaborativas, sempre seguindo o upcycling, para reforçar o compromisso da Trama com uma articulação coletiva para transformar a indústria têxtil e da moda em todos os seus níveis.

Os parceiros são a AZLA (calçados), a Sagui Óculos (óculos de sol), a Revoada (bolsas) e Justine Le Lapin (acessórios). Também fazem parte o designer de superfícies Anderson Rubbo, da Silk na Goma (estampas em silk) e o grupo de crocheteiras Empreendedoras da Quebrada. Os looks do desfile serão arrematados por acessórios de cabeça criados pelo diretor de arte Zeca Gerace, e em três looks do desfile, modelos levam objetos cênicos assinados pelo ator e artista plástico Nelson Baskerville.

O nome da coleção tem origem na trilha composta para o desfile pelo sound designer Dan Maia, outro criativo parceiro, que fez um upcycling musical: a frase vem de um verso da música “Chuva”, interpretada por Gaby Amarantos e presente no remix “Tropicanalha”, criado pelo DJ Ad Ferreira em 2013 e retrabalhado por Dan para o desfile.

“A frase ‘Tudo pode acontecer’ diz muito sobre a liberdade de experimentações que constrói nosso

processo criativo, além de falar das incertezas climáticas que nos rodeiam –

um dia tempestade, noutro calor escaldante –

caracterizando nossa participação na Brasil Eco Fashion Week como

um manifesto micropolítico por meio da moda”,

declara Jackson Araujo, diretor criativo da Trama Afetiva.

O desfile é, de fato, um recorte detalhado das camadas de estrutura política que a Trama atravessa tendo o impacto social como perspectiva maior do seu trabalho como plataforma de pesquisa e criação em design regenerativo na moda.

Com o investimento de recursos financeiros e humanos para suas iniciativas, a Trama potencializa cerca de 300 costureiras e catadoras mensalmente – em sua maioria, mulheres responsáveis pelo sustento de suas famílias. Todos os itens do desfile e as peças da Trama estarão à venda na Feira da Rosenbaum e na loja Bafu.

A mente criativa por trás das peças da Trama é a estilista Thais Losso, diretora de moda da iniciativa e estilista de uma geração que redefiniu a moda brasileira, com criatividade e autenticidade entre os anos 1990 e 2000 – trabalhando para as marcas Cavalera e Zapping. A coleção de vestíveis deste ano já confirma a adoção do upcycling como caminho, já que todas as peças são confeccionadas em náilon de guarda-chuvas recuperados do descarte de resíduos sólidos. Em aterros sanitários, esse náilon levaria 30 anos para se decompor.

A ideia principal da linha consiste em dispor de uma série de peças únicas que, combinadas entre si, podem construir um guarda-roupa pautado pelo maximalismo, com muitas referências à mistura de estampas, cores e modelagens da moda esportiva e de rua. Isto vai na contramão do minimalismo comum às etiquetas de moda responsável e procura provas que a sustentabilidade começa nas etapas de produção, antes das roupas chegarem às mãos do consumidor.

As estampas variadas e os tons vibrantes do náilon dos panos dos guarda-chuvas são coautores das peças da Trama, já que convidam a pensar diferentes possibilidades de combinação para um mesmo item. Quanto mais opções, melhor para montagem desse quebra-cabeça têxtil, que é o que move a criação de Thais Losso: a estilista gosta de ser surpreendida pela diversidade do material que chega das cooperativas de catadoras de resíduos sólidos, que fornecem o náilon para ser transformado em vestíveis e acessórios.

“Essa lógica da surpresa rompe com o esquema tradicional em que o designer

cria sabendo a cartela de cores e estampas na qual vai trabalhar.

Aqui, só sabemos que é náilon de guarda-chuvas e que,

além da surpresa com as cores e estampas,

também temos que lidar com as variáveis de gramatura.

E tudo vai surgindo mesmo é na mesa de corte,

ao darmos forma às peças como num caleidoscópio”,

conta Thais. “Tudo pode acontecer”, conclui.

‘Mais é mais’: autoria compartilhada que aumenta as possibilidades de reuso da matéria-prima

É este um dos traços mais marcantes do que a Trama chama de ‘Mais é mais’, em que quanto mais material disponível mais formas surgem de reaproveitá-lo. “Quanto mais possibilidades criamos de utilização do náilon, mais conseguimos interditar a ida do material para o aterro sanitário”, afirma Thais. Outro ponto importante de seu trabalho na Trama é que ela modela e corta com duas assistentes, mas sua definição da modelagem e do corte é decisiva para o aproveitamento criativo do náilon.

PARCEIROS – PEÇAS EM CROCHÊ

No reemprego do náilon para as peças da Trama, a criatividade de Thais conta com a força das Empreendedoras da Quebrada, grupo de crocheteiras da região do Jaraguá, Zona Norte de São Paulo, nos itens em crochê. Eles são elaborados com fitas recortadas do náilon dos guarda-chuvas fornecidos pelas cooperativas de catadoras de resíduos sólidos. As fitas são feitas seguindo técnica desenvolvida por Thais Losso, capaz de obter 42 metros de fita de náilon de cada pano de guarda-chuva resgatado do lixo. Thais selecionou as capas em cor preta, única nuance que se repete nos lotes de guarda-chuvas recuperados do descarte, e fez do crochê preto a marca registrada desta prática desenvolvida na Trama Afetiva e transmitida às Empreendedoras da Quebrada. “Ao todo, foram usados 250 guarda-chuvas, dos quais 45 tiveram seus panos transformados em fitas para crochê, resultando em 1.764 metros de fita”, revela Thais.

ESTAMPARIA EXCLUSIVA

O náilon multicolorido dos guarda-chuvas ganha uma camada extra de criatividade com as estampas em silk do artista plástico e serígrafo Anderson Rubbo, que atua como designer de superfícies há mais de 25 anos. Ele idealizou o curso Silk na Goma para ensinar a impressão doméstica de desenhos, a baixo custo. Em sua série de quadros “Mata borrão/Viva o borrão”, Anderson utiliza upcycling de material artístico que seria descartado, como telas, restos de tinta, retalhos e sobras de tecido, embalagens, para retratar por meio da sobreposição, imagens do lugar onde nasceu, o bairro periférico da Penha, em São Paulo. Para a Trama Afetiva, Anderson também traduz o ambiente das cidades, criando estampas em linguagem de fanzine sobre o náilon, com desenhos inéditos feitos a partir de telas de silkscreen já existentes, sugerindo a ideia de muros rabiscados, grafitados e pichados.

CALÇADOS RESPONSÁVEIS

Os sapatos dos looks da apresentação são assinados pela AZLA, marca de Matheus Yoshimura, à frente do design e da criação das peças, e Lucas Dorr, que conduz a gestão sustentável da produção e operações da empresa. Para eles, criar com intenção é mais que uma prática; é uma filosofia de design – os calçados são versáteis, atemporais e transcendem a obviedade, incorporando uma linguagem contemporânea que reflete o pacto da marca com a inovação, não apenas em termos de moda, mas também no compromisso com o planeta. Isso é visto nos detalhes: o material de solados e palmilhas é o PVC sustentável, composto por 60% de fontes renováveis, como sal marinho, plastificantes de mamona, soja e cana-de-açúcar.

Ao optar por fontes renováveis, a AZLA contribui para a preservação de recursos e diminuição das emissões de carbono. Assim, a marca incorpora pelo menos 50% de resíduos da indústria plástica e de outros players calçadistas em sua mistura de PVC, escolha que, além de oferecer durabilidade e resistência, reduz significativamente o impacto ambiental. Para o desfile, Matheus e Lucas desenvolveram uma série de sandálias e botas tabi utilizando náilon de guarda-chuvas nos cabedais sobre solado plataforma em estilo Geta, a forma tradicional de calçado japonês e que lembra tamancos e chinelos, traduzidos pela Trama para o universo das ruas.

BOLSAS

As bolsas desfiladas são assinadas pela Revoada, híbrido de marca de produtos, negócio de impacto social e consultoria de design responsável conduzida pela designer Itiana Pasetti. Fiel à economia circular, ela cria itens para a Revoada utilizando resíduos, câmaras de pneu e tecidos de guarda-chuva descartados como principais matérias-primas, e também elabora linhas de produtos para empresas com essa mesma abordagem. Além de consultora industrial, especializada no tema, a designer também é tutora de projetos colaborativos realizados pela Trama. Para o desfile, ela criou uma série de maxi-bolsas em náilon de guarda-chuvas, que dão um toque divertido aos looks urbanos da coleção.

ÓCULOS DE SOL

Os óculos de sol são criados e desenvolvidos pela Sagui Óculos, marca do designer Felipe Madeira, especialista em pesquisas de ressignificação de materiais em desuso ou em situação de descarte. Em 2017, ele começou a desenvolver armações de óculos com tubos de pasta dental e sacolas plásticas, depois transformados em uma chapa, onde são feitos os moldes e os cortes a laser que dão forma às armações. Assim, cada par é único, já que a cor das armações depende do material: na reciclagem a textura e a cor dos tubos de pasta e das sacolinhas criavam padrões aleatórios. Agora, Felipe lança em primeira mão e em parceria com a Trama Afetiva, uma série especial de óculos de sol produzidos a partir da ressignificação de peças de acrílico em desuso ou descartadas, num resultado colorido e surpreendente.

JOIAS DE UPCYCLING

Os acessórios são criações da designer Pri Tiltscher, com a marca Justine Le Lapin. Lapin é lebre, em francês, e Justine é um nome derivado de Justice, ou justiça, também em francês. E Justine Le Lapin, a personagem mágica criada pela designer para traduzir seu universo criativo, não tem gênero definido, e sua cauda é como um feixe de luz. Ela representa a energia da esperança, da renovação e da boa sorte, ensinando a sentir a abundância das novas oportunidades, e também a essencial conexão com a natureza. Com essa perspectiva, a partir do uso das rodinhas plásticas de porta-alfinetes como base, Pri desenvolveu para a Trama Afetiva máxipingentes. Neles são encaixadas meias bolas de acrílico, onde serão montados jardins de flores e folhagens em miniatura. A série traz também máxicorrentes de alumínio coloridas e pingentes diversos, feitos do reuso da sobra de materiais e pingentes de coleções anteriores de Justine.

HEADPIECES

Zeca Gerace, multiartista e diretor de arte, é também parceiro da Trama neste desfile. Foi criador do Estúdio Xingu que, desde o início dos anos 2000, faz projetos para publicidade, moda e arte, marcados por uma estética neotropicalista, caótica e subversiva, em meio à cultura da noite paulistana. Zeca tem trabalhado para grandes marcas de moda, cultura pop e tecnologia, como Melissa, Samsung e O Boticário, além de realizar projetos artísticos, principalmente cenografias e performances urbanas, que misturam arte e vida noturna. Para a Trama, Zeca criou a série de headpieces “Aranhas”, reutilizando as hastes metálicas da estrutura dos guarda-chuvas. “Essa série inédita e experimental será realizada com impressora 3D usando PLA, um filamento termoplástico biodegradável de origem natural e de fontes renováveis, como amido de milho ou cana-de-açúcar”, explica Zeca.

OBJETOS DE CENA

Para emoldurar toda a potência de criação transformadora, a Trama Afetiva vai colocar na passarela da Brasil Eco Fashion Week, três modelos carregando objetos cênicos do ator, diretor e autor teatral, além de artista plástico, Nelson Baskerville. Com uma carreira premiada e trabalhos relevantes nas artes dramáticas no Brasil, nas artes plásticas Nelson também se destaca, tendo exposto trabalhos em Guimarães, em Portugal, e nas galerias de arte paulistanas PoP e Dicromatopsia. Hoje, é representado pelas galerias Smith, na Nova Zelândia, e Tribo, em São Paulo. Nelson criou a série de três objetos também batizada de Aranhas, construída a partir dos esqueletos dos guarda-chuvas entrelaçados. Unindo todos esses universos em seu desfile, a Trama mostra que, de fato, “mais é mais”, e que o agregar de diferentes ideias, saberes e perspectivas é a chave para a transformação.

Diferente dos eventos de moda em geral, o desfile da Trama Afetiva na BEFW será aberto ao público mediante a distribuição de ingressos pelo site da Sympla, e acontece no Centro de Convenções Frei Caneca.

No dia seguinte (08/12), as peças poderão ser adquiridas na Feira na Rosenbaum.

FICHA TÉCNICA

Direção criativa: Jackson Araujo

Direção de moda: Thais Losso

Styling: Marcio Banfi

Trilha sonora: Dan Maia

Assistente de moda: Nana Wharton

Beleza: Diego Américo

Parcerias:

Calçados: Matheus Yoshimura e Lucas Dörr/Azla

Bolsas: Itiana Pasetti/Revoada

Bijouterias: Pri Tiltscher/Justine Le Lapin

Estamparia: Anderson Rubbo/Silk na Goma

Óculos: Felipe Madeira/Sagui Óculos

Headpieces: Zeca Gerace/Estúdio Xingu

Objetos cênicos: Nelson Baskerville

Agradecimentos: Jorge Feitosa, Marianna Stockler, Leandro Matulja, Flavia Vanelli, Walter Rodrigues e Rafael Morais

da redação com informações da Agência Lema

CdC - Casa de Criadores

worldfashion • 28/11/23, 10:20

A Casa de Criadores chega à 53ª edição, e contará com 29 desfiles, performances, exposições, fashion filmes, shows gratuitos, e nesta temporada apresenta 10 marcas estreantes em um total de 46 apresentações autorais.

Esta edição amplia os olhares, ressignifica e transforma marcas e pessoas que desenvolvem um trabalho manual, artístico e único. A CdC é uma plataforma que contempla a arte em todas as formas e olhares, por isso o evento proporciona aos novos talentos diferentes possibilidades para expor suas demonstrações artísticas durante a temporada, com exposições, performances e fashion filmes. O evento conta ainda com seis shows exclusivos e gratuitos que serão anunciados em 30/11, trazendo o melhor da música popular brasileira e talentos emergentes.

Para dar protagonismo a novas grifes e artistas, a CdC traz um line up repleto de autenticidade e diversidade cultural e, entre os destaques, estão as grifes estreantes na CdC: Herchcovitch; Alexandre, ‘ a neoutopia ‘, ACZAN, Dystopic, KRIXINA, Mateos Quadros, Patrícia Kamayurá, Ruma (das estilistas Helena Malditta e Rubi Ocean, participantes do Drag Race Brasil) e Visén + Kabila Aruanda. O evento também marca a volta do estilista Le Benites.

“Estamos empolgados para realizar mais uma edição da Casa De Criadores.

São 26 anos inovando e abrindo portas ao novo protagonismo que busca nos trabalhos

manuais uma forma de expandir a cultura. As exposições, desfiles e as performances

que serão realizadas no CCSP mostrarão a pluralidade cultural

de um país magnífico e emblemático como o Brasil”,

comenta André Hidalgo, idealizador da Casa De Criadores.

Os desfiles da Casa De Criadores ocorrem de 5 a 10 de dezembro e suas exposições permanecem até 14 de dezembro, encerrando mais uma temporada de sucesso. Confira a programação completa abaixo:

5/12

11h30 - Desfile - Piso Flávio de Carvalho: Herchcovitch; Alexandre

14h30 às 18h - Oficina de Criadores - Espaço Missão:  Aula inaugural com Alexandre dos Anjos, Jorge Feitosa e Vicenta Perrotta

19h - Show - Sala Adoniran Barbosa:

6/12

10h às 13h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Transmutação Têxtil — Vicenta Perrotta

14h às 18h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Sulanca: Têxtil - Moda - Vestuário — Jorge Feitosa

17h30 - Desfile - Sala Adoniran Barbosa: Visén + Kabila Aruanda - Projeto Lab e Volat - Projeto Lab

18h30 - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: SOUJE e Guma Joana

19h30 - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra:  Moda Inclusiva

• 21h - Show - Sala Adoniran Barbosa:

7/12

10h às 13h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Transmutação Têxtil - Vicenta Perrotta

14h às 18h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Design e Criação - Alexandre dos Anjos

17h - Desfile - Sala Adoniran Barbosa: Nalimo

18h30 - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: Woolmay Mayden (Fashion Filme), Dystopic [Rato Distópico] e SUKEBAN

19h30 - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: UMS 458 - LL, Ken-gá e Jorge Feitosa

20h - Exposição: A Linha Longa – Piso: Flávio de Carvalho - Curadoria: Guilherme Teixeira, Eduardo Araújo e Alzira Incendiária

Alexandre dos Anjos

COZONOSAN

Dellum

Felipe Caprestano

Ken-gá

LARA

Liga Lab

PEDRA

Plataforma Açu

RIDDIM Clothing

Studio Ellias Kaleb

Vicenta Perrotta

Xyboiá

21h - Show - Sala Adoniran Barbosa:

8/12

10h às 13h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Transmutação Têxtil - Vicenta Perrotta

14h às 18h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Sulanca: Têxtil - Moda - Vestuário — Jorge Feitosa

17h - Desfile - Sala Adoniran Barbosa: Mateos Quadros - Projeto Lab e ACZAN - Projeto Lab

18h - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: Cynthia Mariah e NotEqual

19h - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: Berimbau Brasil (Fashion Filme), Ruma, por Helena Malditta e Rubi Ocean e Vittor Sinistra

20h - Exposição – Piso Flávio de Carvalho:  Performance Procissão da Xyboia

21h - Show - Sala Adoniran Barbosa:

9/12

10h às 13h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Transmutação Têxtil - Vicenta Perrotta

14h às 18h - Oficina de Criadores – Espaço Missão: Aula Design e Criação - Alexandre dos Anjos

17h - Desfile - Sala Adoniran Barbosa: ‘a neoutopia’ - Projeto Lab (Fashion Filme) e SHERIDA - Projeto Lab

18h - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra:  Estúdio Traça (Fashion Filme) Tradição e Revolução - Jeans 50 anos no Brasil, por Santista + Lycra  e Le Benites

19h - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: Rober Dognani

20h - Exposição - Piso Flávio de Carvalho: Performance PEDRA

21h - Show - Sala Adoniran Barbosa:

10/12

16h - Desfile - Sala Adoniran Barbosa: Ateliê Vou Assim + Luä Ayo Ayana

17h - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: KRIXINA, Patricia Kamayurá e Leandro Castro

18h - Desfile - Espaço Cênico Ademar Guerra: Fkawallyspunkculture (Fashion Filme), Priscilla Silva e Yebo

19h - Exposição - Piso Flávio de Carvalho: Performance Studio Ellias Kaleb

20h -  Show - Sala Adoniran Barbosa:

Evento: Casa de Criadores 53ª Edição

Data Desfiles: De 5/12 a 10/12, somente com convite

Data Oficinas: De 5/12 a 09/12, somente alunos inscritos

Data Shows: De 6/12 a 10/12, aberto ao público, convites na bilheteria no site do CCSP e presencial (datas da liberação de convites ainda serão divulgadas)

Data Exposições: De 7/12 a 14/12, aberto ao público

Local: Centro Cultural São Paulo (CCSP) — Rua Vergueiro, 1000, Liberdade - , São Paulo - SP (Conectado ao Metrô Vergueiro).

SOBRE O CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

O Centro Cultural São Paulo é um equipamento público, promotor e potencializador de arte e cultura da cidade de São Paulo, subordinado à Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Desde 1982, ano de sua fundação, atua visando estabelecer um espaço múltiplo na capital, democrático que abarque diversas expressões artísticas, culturais e educativas. Dentre suas atividades estão realizar programações culturais, oferecimento de bibliotecas, promoção de visitas guiadas e salvaguarda de acervos, prezando pelo encontro, troca de conhecimentos e livre acesso da sociedade como um todo.

da redação com informação da Agência Lema

FOCUS FASHION SUMMIT

worldfashion • 09/11/23, 10:23

O evento contou com mais de 120 expositores e alcançou o objetivo de tornar o evento, uma vitrine do que há de mais inovador dentro do setor têxtil de moda, e mais um espaço, Hub de Soluções, com a participação de mais de 80 empresas confeccionistas dos mais diversos segmentos, que juntos com a Focus Têxtil, auxiliarão as pequenas marcas e estilistas a encontrarem empresas que produzam as sua criações.

“Dentro deste hub, queremos fomentar ainda mais o networking e o empreendedorismo para que todos possam contar com oportunidades de investimentos, parcerias de negócios e mentorias futuras”, destacou Renato Hojda, Diretor Comercial da Focus Têxtil.

Na arena principal foram mais de 20 palestras, entre talks e painéis, a partir de uma curadoria com players de renome do mercado colocaram temas importantes como Inteligência Artificial, modelo de negócios, marketing e conteúdo digital, sustentabilidade.

A palestra mais aguardadas do dia, foi do coordenador de pesquisa e insights da Focus Têxtil, Alê Morita apresentou as tendências para o verão 2024/2025. “Fazemos uma pesquisa excepcional que inclui desde os principais bureaus de estilo internacionais até coberturas dos maiores eventos de moda do mundo para levar ao público e clientes o máximo de informação e estratégia”, afirmou.

A proxima estação, explicou Alê, abraça três estéticas diferentes:

Diversão Surreal – provocativa, fluida, experimental, divertida e otimista. Não define o bonito ou o feio, mas capta o olhar por meio do diferente;

Encanto Sensorial – futurismo soft, estética refinada, com formas mais limpas, puras e suaves. Traz equilíbrio em meio a rotinas super estimuladas pelo digital;

Fusão Multicultural – Exalta a beleza artesanal e o maximalismo por meio de volumes, texturas, fibras e estampas ao mesmo tempo que celebra o natural, mas sem deixar de lado a modernidade.

Para complementar, a consultora de moda da Focus Têxtil, Bia Aidar mostrou em um desfile possíveis aplicações e referências das três estéticas.

Rafael Coca, CSO da Spark Influencer Marketing, e a influenciadora Vivi Nascimento reforçaram o protagonismo dos creators na indústria da moda e a importância de parcerias estratégicas com criadores de conteúdo que sejam criativos e tenham autoridade sobre o assunto que estão divulgando. O evento também contou com a participação de Henry Costa, Diretor de Produtos da Renner, que compartilhou os maiores desafios da indústria da moda e destacou a importância do digital para os negócios. Henry também mencionou a necessidade de um olhar atento ao cliente e um pensamento colaborativo entre fornecedores.

Miguel Lannes, Chief Artificial Intelligence Officer da Exame, deu uma palestra sobre as aplicações da Inteligência Artificial no segmento. Unindo tecnologia à sustentabilidade, Evelin Wanke, Diretora da Epson, e o estilista Dario Mittman falaram sobre o mercado da estamparia digital e as possibilidades de estampar diversos tecidos reduzindo o consumo de água a quase zero.

Instituto Focus Têxtil no Focus Fashion Summit

Fundado há 10 anos, o Instituto Focus Têxtil é um braço de responsabilidade social da Focus Têxtil e, nesta edição do Focus Fashion Summit, o objetivo foi expor ações de sustentabilidade desenvolvidas no decorrer do ano.

Durante os três dias de evento, além de conscientizar o público sobre questões ambientais, o Instituto também forneceu mentorias exclusivas e apresentou cases de empreendedorismo, como o projeto Costurando o Futuro. A iniciativa criada pela Fundação Grupo Volkswagen conta com o apoio do Instituto para fornecer capacitação técnica aos empreendedores da área utilizando tecidos automotivos doados pelo Grupo e parceiros. O curso tem a curadoria e participação do estilista Walter Rodrigues, um dos nomes mais importantes da moda brasileira, e da designer uruguaia Agustina Comas.

Durante o evento 20 ex-alunos previamente selecionados e tiveram uma mentoria exclusiva do Walter Rodrigues, no estande do Instituto. O momento visa agregar valor às peças produzidas com o reuso de tecidos, com foco no design, para despertar mais desejo nos possíveis clientes.

“Queremos explorar o que há de melhor e o futuro do segmento como um todo, além de apresentar estratégicas práticas que abordam temas relevantes e atuais por meio de palestras e conteúdo dos players do mercado”, destacou Yoni Stern, diretor executivo da Focus Textil.

Já o presidente da Focus Têxtil Jacques Stern ressalta que, durante os três dias, os participantes tiveram a oportunidade de fazer uma imersão para expandir ainda mais os negócios. “Acreditamos no potencial de cada um que está aqui, por isso esse é um evento de grande importância para o nosso segmento”, complementou Stern.

da redação    com informações da Grupo Trama Reputale

REALITY - ‘DESCOSTURANDO COM HERCHCOVITCH’

worldfashion • 23/10/23, 11:14

Um dos mais renomados estilistas do país e criador de modelos icônicos nos últimos 30 anos, Alexandre Herchcovitch é atento às tramas que compõem um guarda-roupa e transforma peças e histórias pessoais de famosos e anônimos em DESCOSTURANDO COM HERCHCOVITCH, novo reality que o E! Entertainment estreia em 24 de outubro, às 20h30.

DESCOSTURANDO é uma co-produção da NBCUniversal e Mood Hunter, com criação e produção executiva do estilista. O programa combina moda e sustentabilidade por meio do conceito de upcycling. O Brasil descarta anualmente 4 milhões de toneladas de resíduos têxteis (Abrelpe, 2022), tornando consensual a necessidade de uma moda mais consciente e com menor impacto no planeta, tanto para a indústria quanto para os consumidores. “No programa, a gente ressignifica as roupas, uma das várias formas de upcycling que, na prática, é não jogar fora as roupas de imediato, tentando estender a vida útil das peças até o limite”, observa Herchcovitch, que lidera o programa junto com sua mãe, Regina Herchcovitch, e o criativo Rhody, um fiel colaborador do estilista em sua oficina de costura.

“A ideia central é mostrar que as pessoas podem reaproveitar suas peças, reformando, trocando ou doando. E que jogá-las no lixo que segue para o aterro sanitário deve ser a última alternativa considerada, pois é a prática mais prejudicial ao meio ambiente, uma vez que as roupas demoram muito para se decompor, ainda mais as de poliéster.” Alexandre Herchcovitch

A cada temporada, Alexandre conta com um convidado especial que contribui com sua perspectiva sobre as tendências da moda e participa de conversas com os convidados do programa. Nesta primeira temporada, a rapper MC Soffia se junta à equipe de DESCOSTURANDO.

De forma lúdica e surpreendente, num show de tesouras, agulhas e habilidade, DESCOSTURANDO COM HERCHCOVITCH propõe uma reflexão sobre a necessidade de transformar a indústria da moda numa atividade cada vez mais sustentável. Herchcovitch cria looks exclusivos, transformando roupas usadas em peças totalmente originais e únicas, a partir do garimpo nos armários de um famoso e um anônimo. Samantha Schmütz, Zeca Camargo, Sabrina Parlatore, Maria Ribeiro, Penelopy Jean, Luis Lobianco e Marina Dias estão entre os convidados da temporada.

Ao final de cada episódio, o modelo criado a partir das peças do famoso é oferecido ao anônimo, e vice-versa. O processo acontece em meio a um bom papo dos apresentadores com os convidados, sobre desapego, consumo consciente, estilo pessoal e histórias divertidas de vida. O resultado é um look pra lá de especial, muito além do “sob medida”.

O desapego é, sem dúvida, um hábito que deve ser cultivado. Mas, na prática, não é sempre fácil doar certas peças, não é mesmo? O quarteto visita as casas dos participantes para garimpar peças e, como demonstra o programa, a missão não é das mais simples. “Tem gente que abre mão de peças muito queridas e, justamente por gostar tanto delas, resolve doar. Mas isso é raro. É mais comum termos peças de que gostamos, mas não usamos mais porque deixaram de caber ou porque mudamos de estilo – estas são mais fáceis de desapegar”, explica Herchcovitch.

Alexandre e seu entourage vão fazer de tudo para conseguir as roupas que desejam, incentivando o desapego e a economia circular. Com as peças nas mãos, o estilista tem pouco tempo – e não raro pouco tecido – para dar vida a uma nova criação. Ele usa toda sua experiência e genialidade para entregar looks incríveis que serão usados em momentos especiais.

DESCOSTURANDO conecta anônimos e famosos por meio da moda e, principalmente, por meio de memórias com pontos em comum, numa trama muito além do tecido.

Com a estreia de DESCOSTURANDO COM HERCHCOVITCH e sua mensagem por uma moda inclusiva e sustentável, o E! Entertainment reforça seu compromisso com a Diversidade, a Equidade e a Inclusão (DEI), pilares da ação global da NBCUniversal e da campanha pioneira VOZES DO E!, iniciada em 2019. “Reality shows ambientados no mundo da moda são uma tradição no E!, e nada melhor do que seguir inovando neste seguimento com programas como o DESCOSTURANDO, que está alinhado com as tendências da moda inclusiva e consciente”, observa Marcello Coltro, vice-presidente sênior da NBCUniversal e produtor executivo.

A programação do E! Entertainment propõe à audiência a troca de informações, conversas e expõe diferentes realidades para amplificar todas as vozes. Fazem parte dessa iniciativa séries como BELEZA GG e BORN TO FASHION, que retornarão ao canal para novas temporadas em breve, além da franquia DRAG ME AS A QUEEN, documentários como VOZES DO E!: AUTONOMIA FEMININA e ALL THAT DRAG, disponíveis no YouTube do Eonline Brasil. As ações da campanha vão além do canal linear, chegando também às plataformas digitais, em projetos como HISTÓRIAS INSPIRADORAS e campanhas como #EuExisto, de visibilidade LGBTQIAP+.

CONHEÇA OS APRESENTADORES DE ‘DESCOSTURANDO COM HERCHCOVITCH’

Alexandre Herchcovitch - Estilista  - Cresceu entre tesouras, tecidos e máquinas de costura. Aos dez anos, ele já opinava sobre as criações da pequena confecção de lingeries de sua mãe, Regina. E, segundo a própria, desde criança, o menino Alexandre já mostrava ao mundo sua originalidade, sendo apaixonado por cruzes e caveiras e Boy George, o vocalista do Culture Club.

Em mais de 30 anos de carreira, Herchcovitch revolucionou o mundo da moda e do design tanto no Brasil quanto no mundo. Rompeu paradigmas de estilo, trouxe materiais como látex, correntes, tachas e vinil para as passarelas de São Paulo, Nova York, Londres e Paris. Hoje, o estilista se debruça sobre um tema importantíssimo: a sustentabilidade. Vamos conhecer com ele os vários caminhos do upcycling em DESCOSTURANDO.

MC Soffia - Cantora e apresentadora - Nasceu na Zona Oeste de São Paulo, e é filha de uma família de militantes do movimento negro. Sua vida foi sempre marcada pela presença em conversas e rodas de hip-hop. Com seis anos, ela começou a cantar e, com a ajuda da mãe e da avó, passou a escrever letras autorais sobre as dificuldades de ser uma menina negra no Brasil. Seu primeiro grande show foi aos 7 anos, numa apresentação dentro das comemorações do aniversário de São Paulo.

Em 2016, MC Soffia e Karol Conká se apresentaram juntas na abertura dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, e a partir daí sua carreira deslanchou. No ano seguinte, ela foi eleita uma das 100 Mulheres Mais Influentes do Mundo, pela BBC Brasil. Agora, ela está ao lado de Alexandre, Regina e Rhody nessa empreitada entre moda e sustentabilidade.

Regina Herchcovitch - Criativa e mãe de Alexandre  - Conhecida como “a mãe do Alê”, mas a verdade é que os dois, mãe e filho, andam mesmo de braços dados. Um não se vê sem o outro. Mas enquanto ele é mais reservado, ela já gosta de uma boa conversa. Regina é sincerona, agitada e generosa, e se preocupa com todo mundo ao redor. Uma verdadeira “mãe judia”, como ela se define.

Quando Alexandre começou a demonstrar o interesse pela moda, ela deixou a confecção de lingeries para trabalhar com ele. Hoje, com os dois filhos – Alexandre tem um irmão chamado Artur – muito bem-criados, ela se lançou no desafio de criar a própria marca. Ainda assim, Regina encontra tempo para estar ao lado do filho nos desafios do programa.

Rhody - Criativo e amigo de Alexandre  - Conheceu Alexandre na clínica veterinária onde trabalhava. Naquela época, já sonhava adentrar o mundo da moda e acabou conseguindo: os dois se tornaram grandes amigos e Alexandre não faz mais nada sem ele.

É o Rhody que resolve os problemas mais cabeludos dentro da oficina. Ele conhece São Paulo como a palma da mão, sabe exatamente aonde ir para encontrar exatamente o que Alexandre precisa. Muito bem-humorado, Rhody sabe aproveitar o melhor de cada situação e se torna o melhor amigo de todos os personagens num instante.

Não perca a estreia de DESCOSTURANDO COM HERCHCOVITCH, terça-feira, 24 de outubro, às 20h30, só no E! Entertainment! com reapresentação aos sábados, às 20h30, e aos domingos, às 23h10.

da redação com informações da Beyond PR & Communication