DELRIO e FICALINDA COM PRODUTOS TECNOLÓGICOS

worldfashion • 20/02/20, 15:26

lcmdelriocalcinhaecologica03-426x640A DelRio – uma das três maiores marcas de lingeries de todo país – sempre teve a preocupação em gerar seus produtos de maneira sustentável e com o mínimo de impacto para o meio ambiente. As peças Duo de Calcinhas Ecológica.  utilizam em sua produção 90% a menos de água e traz tecnologia desde o fio do tecido até o elástico. Esse tecido – revolucionário – é uma microfibra inovadora, com toque delicado, que não desbota, tem secagem ultrarrápida e maior durabilidade. O forro de algodão 100% sustentável reduz sensivelmente o impacto ambiental, sem contar o tratamento recebido, que evita a proliferação de fungos e bactérias, promovendo a saúde das consumidoras. Importante lembrar que o algodão utilizado é licenciado pela BCI (Better Cotton Initiative) que atua para melhorar sua produção mundial, promovendo o crescimento e a sustentabilidade por meio da conscientização sócio ambiental.

img_9942A FicaLinda uma marca brasileira, sugere para o verão, estação mais quente do ano, uma alternativa de roupa leve e com muita proteção solar. A marca desenvolveu roupas que protegem a pele dos raios ultravioletas. São fabricadas em tecido LIGHT CO2 biodegradável (fio AMNI SOUL ECO, o primeiro fio de nylon biodegradável do mundo), com fator de proteção solar 50FPS+ UVA e UVB. Antes as roupas com proteção UV eram restritas ao universo esportivo. A proposta da marca, é oferecer peças versáteis para serem usadas no dia a dia, desde uma reunião de trabalho, para ir à academia ou até um passeio ao ar livre.

De origem australiana, a fabricação de tecidos que bloqueiam os raios UV foi desenvolvida em 1996, como método para redução da alta incidência de melanoma (tipo de câncer de pele) no país, cujos habitantes são, em sua grande maioria, de pele clara e sofrem com a intensa radiação solar.

img_0938img_0607A ARPANSA (Agência Australiana de Proteção à Radiação e Segurança Nuclear) é a responsável pela criação da norma que quantifica o nível de proteção oferecido pelas roupas, ou seja, a porcentagem de raios UV filtrados por um tecido. Roupas com FPU (Fator de Proteção Ultravioleta) 40, 45 e 50 bloqueiam mais de 97,5% da RUV. Portanto, permitem excelente proteção. No Brasil, empresas têxteis adotaram como base os parâmetros australianos para proteção solar de vestuário.

img_9897-427x640O processo de fabricação que garante o FPU (Fator de Proteção Ultravioleta) nos tecidos feitos de fibras de poliéster e poliamida são fabricados com fios à base de dióxido de titânio, pela Santa Constância Tecelagem, indústria 100% nacional. Com esse beneficiamento, ele passa a atingir os níveis mais altos de proteção, oferecendo FPU 50.

Para proteger a pele dos raios nocivos do sol, a recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia é ao sair ao ar livre, procurar ficar na sombra, principalmente no horário entre as 10 e 16 horas, quando a radiação UVB é mais intensa. Usar sempre protetor solar com fator de proteção solar (FPS) 30 ou maior. Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas. Óculos escuros também complementam as estratégias de proteção.

As blusa são em modelos e estampas são atemporais e não caem de moda nunca. Uma moda sustentável na concepção da peça e na eternização do uso.

estão disponíveis no site: www.ficalinda.com.br.

da redação com informações da DelRio Lilica Cesar de Mattos e da FicaLinda Juliana Ribeiro    imagens: fotos/divulgação

epson inaugura o primeiro Solutions Center

worldfashion • 05/02/20, 15:17

fabio-neves-2-640x427“O Brasil é um dos principais atores da indústria têxtil mundial. Produzimos desde a fibra até o produto final manufaturado e foi com base neste mercado que a Epson desenvolveu as suas tecnologias de sublimação. Por isso o país foi escolhido para sediar o primeiro Solutions Center da América Latina voltado para o setor”, explica Fábio Neves, presidente da Epson do Brasil. “Já somos uma empresa líder em impressão, projeção e imagem digital, mas estamos expandindo a nossa expertise para o setor têxtil trazendo uma amostra de como serão as estamparias do futuro, com mais inovação, qualidade e sustentabilidade”, completa Fábio.

aab_9400-640x427A indústria têxtil é uma das mais antiga indústria do mundo, no Brasil tem quase 200 anos de história, mas pouco mudou ao longo dos séculos. Em plena 4ª Revolução Industrial, questões como o custo ambiental, otimização no uso de recursos, a escalabilidade e a personalização dos produtos assumiram o protagonismo nos debates sobre inovação. Em razão disso, e mantendo o compromisso de desenvolver novas tecnologias em prol da sustentabilidade, a Epson instala no Brasil o seu primeiro Centro de Soluções na América Latina, focado na transformação digital da indústria têxtil.

aab_9681-640x427Único que utiliza tinta pigmentada, o Solutions Center vem para mostrar ao setor as inovações no maquinário têxtil e impulsionar a digitalização e a sustentabilidade nos processos de estamparia. De acordo com dados apresentados pela agência da ONU para o meio ambiente no ano passado, a indústria da moda é o segundo setor da economia que mais consome água e produz cerca de 20% das águas residuais do mundo. O Brasil, segundo a Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil), tem a maior cadeia têxtil do Ocidente e é um dos setores da indústria de transformação que mais emprega no país - são 1,5 milhão de empregados diretos e quase 8 milhões de indiretos.

Além de ocuparem um espaço físico dez vezes maior, as estamparias analógicas consomem em média de 80 a 200 litros de água por quilograma de tecido estampado enquanto a impressão digital com tinta pigmentada utiliza apenas dois litros. Ao reduzir o consumo de água, diminui-se também o volume de água residuais enviadas para as usinas de tratamento e, por consequência, as emissões de carbono (cerca de 40%) que são liberadas nos processos de limpeza dessas águas.

aab_9755-640x427Para promover a sustentabilidade, a impressão digital têxtil concilia três fatores primordiais para as indústrias: economia de custos, redução de tempo e aumento de qualidade. Este tipo de tecnologia ajuda a promover a inovação no setor, uma vez que oferece vasta possibilidade de design, imprimindo imagens em alta resolução, em todos os tipos de materiais. Apesar disso, uma pesquisa realizada em março de 2019 pelo IEMI - Inteligência de Mercado -mostrou que a estamparia digital corresponde a apenas 8% do volume de tecidos consumidos no vestuário na indústria brasileira.

fabio-neves-3-427x640“Estamos atendendo a uma demanda de mercado que pede por produtos personalizados, de maior valor agregado e mais agilidade no desenvolvimento de novas coleções”, explica o presidente da Epson no Brasil. Segundo Fábio, a Epson busca promover a sustentabilidade de toda cadeia produtiva, por isso, as tintas utilizadas nos processos de estamparia possuem duas certificações ambientais essenciais para indústria: a ECO PASSPORT da OEKO-TEX®, que leva em consideração os aspectos químicos, e o ECOCERT, certificador para o GOTS (Padrão Têxtil Orgânico Global), que avalia a sustentabilidade desde a produção da fibra, até a manufatura levando em consideração questões ecológicas e sociais. Já o sistema bluesign® garante que o produto final atende a requisitos segurança do consumidor.

A tecnologia de sublimação da Epson foi desenvolvida pela matriz japonesa para atender ao mercado brasileiro e rapidamente se espalhou para outros continentes. O Solutions Center é parte da estratégia da empresa de acelerar essa expansão global dos negócios de impressão digital têxtil, e criar um espaço que possibilita, não apenas demonstrar os produtos, mas testar novas soluções para melhorar a indústria da moda.

aab_9783-640x427O Centro de Soluções mostra que, em apenas 200 m², é possível produzir 20 mil camisetas estampadas e 200 mil m² de tecido por mês. Uma estamparia analógica precisaria de um espaço dez vezes maior para fazer a mesma quantidade. “O Solutions Center é um exemplo de como podemos fazer mais com menos, sem deixar de lado as questões ambientais. É tudo o que o empresário precisa somado a um rápido retorno de investimento”, explica Fábio Neves.

O espaço foi equipado para atender a todas as etapas do processo de impressão têxtil, com os seguintes equipamentos:

aab_9807-640x427• Monna Lisa Evo Tre 16  é uma impressora têxtil digital industrial com base em Solução Total, ou seja, um sistema integrado no qual o processo de impressão e secagem acontece sem interrupções, garantindo excelência e maior produtividade. A Monna Lisa é equipada com 16 avançados cabeçotes de impressão Epson PrecisionCore®. A simetria de cabeças e o sistema de impressão bidirecional, combinados à tecnologia de gotas de tinta de tamanho variável, garantem extrema precisão na reprodução de imagens, bem como a melhor relação qualidade/velocidade. A Monna Lisa imprime em qualquer tipo de tecido, mediante a instalação dos diferentes tipos de tinta Genesta® correspondentes - ácidas, reativas, dispersão e pigmentadas.

24e02f59fff9e9c812318824f3e80cbflow1• SureColor F9370 é uma impressora de sublimação que permite produção de nível industrial, precisa e eficiente. Esta impressora é econômica e ideal para impressão de grandes volumes em alta velocidade, até 108 m²/ hora. Foi desenvolvida com as últimas tecnologias do mercado, incluindo duas cabeças de impressão PrecisionCore® TFP®, e as tintas UltraChrome® DS com preto de alta densidade.

aab_9661-640x427• SureColor F2100 e F3070 projetadas exclusivamente para impressão direta em vestuários de algodão, as SureColor F2100 e F3070 oferecem um sistema especializado que permite altas velocidades de produção. A F2100 já é muito utilizada em lojas conceito de grandes marcas que trabalham com peças personalizadas, enquanto que a F3070 estará disponível no mercado brasileiro a partir de agosto. Desenvolvida para fornecer baixo custo total de operação (TCO), confiabilidade e economia excepcionais em ambientes de alta produção, a SureColor F3070 é a primeira impressora direta para vestuário da Epson a utilizar a tecnologia de dupla cabeça de impressão e um sistema de refil de tinta a granel, proporcionando custo de tinta notavelmente baixo e desperdício minimizado em comparação com os sistemas de cartuchos. Apresenta novos ajustes automáticos de altura da peça e recursos fáceis de manutenção do usuário para aumentar a produção e reduzir o tempo de inatividade para as estamparias de vestuário que criam roupas personalizadas e que trabalham sob demanda.

epson_logoSobre a Epson

A empresa é uma líder global de tecnologia dedicada a tornar-se indispensável para a sociedade ao conectar pessoas, coisas e informações com suas tecnologias originais, eficientes, compactas e de precisão. A empresa está focada em impulsionar inovações e exceder as expectativas dos clientes em jato de tinta, comunicações visuais, wearables e robótica. A Epson orgulha-se de suas contribuições para a realização de uma sociedade sustentável e seus esforços contínuos para cumprir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Liderado pela Seiko Epson Corporation e sediado no Japão, o Grupo Epson gera em todo o mundo vendas anuais de mais de US$10 bilhões.

da redação com informações da CDI Comunicação e imagens: fotos/divulgação

Indústria 4.0

worldfashion • 03/02/20, 19:06

5025d23bc539a66c4864d201fb407bf8lowSegue o artigo de Ronaldo Brito* , responsável do Centro de Inovação da empresa e doutorado na POLI/USP.

O desenvolvimento exponencial das tecnologias no mundo físico — das coisas, no mundo digital e no biológico-, estão impactando todas as indústrias. Ser capaz de inovar frente a um cenário econômico adverso é o grande desafio das empresas brasileiras deste tempo. Em uma situação onde o erro não é uma opção, como saber se estamos na direção certa, dentro desta jornada de conversão em 4.0?

Na década de 80, o “seis sigma” foi uma métrica fundamental para as empresas conseguirem materializar a distância entre o desempenho corrente e o objetivo em termos de qualidade. Hoje, quando falamos em Revolução 4.0, não temos uma métrica largamente aceita pelo mercado. Mesmo quando focamos especificamente em Indústrias, em que existem modelos para mensurar o nível de maturidade em termos de conversão em 4.0, como o da ACATECH (Academia Alemã de Ciências e Engenharia), não existe um consenso sobre este instrumento ser o GPS para jornada de transformação 4.0.

Na régua da ACATECH existem seis etapas de desenvolvimento consecutivas dentro de uma jornada de transformação digital. Cada estágio conquistado representa um avanço em termos da absorção do potencial do uso da Inteligência Artificial, até atingir o patamar no qual a empresa consegue operar um modelo de negócio que identifica as ações a serem adotadas, e realiza as mudanças de forma automática.

Na primeira análise, o modelo sugestiona a interpretação de que classificar uma empresa nesta régua é uma tarefa comum. Quando se tenta aplicá-la, o primeiro obstáculo refere-se aos três grandes eixos de integração: eixo vertical - assegura que o planejado no back office ocorra no front office; eixo de integração da cadeia de valor - ligando a matéria prima ao ponto de vendas e; eixo entre a pesquisa e engenharia de produto ao cliente. Estas múltiplas dimensões de integração possibilitam que uma empresa possa atingir o grau máximo de maturidade em um eixo, ao mesmo tempo em que está dando os primeiros passos em termos de transformação no outro.

Um segundo ponto a ser considerado é o ciclo de vida da dinâmica operacional em cada um destes eixos. Quando pensamos no ciclo horizontal, por exemplo, temos o modelo SCOR* (Supply Chain Operations Reference) desenvolvido pelo Supply Chain Council, formado por cinco macroetapas: planejamento, abastecimento, produção, entrega e retorno, e permite que uma empresa se classifique como avançada no processo de transformação para 4.0, por ter alcançado um alto nível de maturidade em uma das macroetapas, ao mesmo tempo em que é iniciante em outra.

Neste contexto, no qual as ferramentas de suporte estão desintegradas, podemos ter uma leitura errada sobre os avanços conquistados, traduzindo conquistas pontuais em progressos significativos em termos de transformação para a Indústria 4.0.

A Revolução 4.0 desafia a todos. Acelerar uma transformação sem o apoio de instrumentos adequados, traz à sensação de dirigir a noite em alta velocidade com os faróis apagados. Apesar de desconfortável é até paralisante, não há como refutar que a visão de futuro está dada. A Indústria deste século será uma organização que atua sob um novo um sistema operacional, no qual as decisões são tomadas com base em um amplo apoio da inteligência artificial e não apenas de forma pontual em alguma macroetapa da dinâmica operacional, em um dos eixos de integração.

É urgente que a discussão sobre a estratégia da organização para uma Revolução 4.0 seja colocada no topo da agenda dos executivos, pois estamos diante de uma nova revolução industrial que avança em alta velocidade em todos os setores, com oportunidades e armadilhas que não devem ser subestimadas.

*Ronaldo Brito é  responsável pelo Centro de Inovação da empresa e doutorando na POLI/USP, sócio-diretor na SPI Integração de Sistemas,e também coautor nos livros Automação e Sociedade: Quarta Revolução Industrial, um olhar para o Brasil e Governança Digital 4.0. Para um aprofundamento na discussão sobre como se orientar na jornada 4.0 é possível consultar a obra Governança Digital 4.0, que traz um amplo ferramental para ajudar neste processo de definição do caminho na a Revolução 4.0.

Sobre a SPI

A SPI é uma empresa nacional, com 27 anos de mercado, que promove soluções em automação industrial e tecnologia da informação, auxiliando seus clientes com processos produtivos inovadores. Possui uma equipe multidisciplinar de profissionais composta por engenheiros e técnicos de quatro áreas de conhecimento da engenharia: produção, mecânica, elétrica e software, com expertise em tecnologias como a robotização, internet das coisas, inteligência artificial, sistemas ERP, sistemas PLM, sistemas MES, sistemas LIMS, sistemas SCADA, sistemas DCS, dispositivos móveis, beacons, dentre outras. O centro tecnológico e o assembly shop da companhia ficam em São Caetano do Sul (SP). A empresa conta ainda com escritórios em Detroit (EUA), Rosário (Argentina), São Leopoldo (RS), Salvador (BA) e Belo Horizonte (MG).

da redação com informações da AtitudeCom Estratégia em Comunicação  imagem foto/divulgação

100 anos da KLM: coleção especial, do uniforme à bolsa

worldfashion • 06/01/20, 00:00

A KLM  comemorou em setembro 2019, seu centésimo aniversário, e para a ocasião criou uma coleção exclusiva e limitada de produtos. Tudo é feito com materiais sustentáveis – do bambu ao plástico reciclado. Tanto os uniformes das comissárias, como a capa das cabeceiras de couro na cabine receberam uma segunda vida. Talvez o melhor de tudo seja que esses itens não contam apenas uma história especial, mas também devolvem algo aos seus criadores.

11

A KLM coleta materiais de todos os seus departamentos e os dá uma vida nova. A companhia tem várias iniciativas em andamento para separar resíduos e reutilizar materiais, o que foi, portanto, o foco principal na hora de montar essa coleção. Somente na KLM já é possível encontrar uma grande variedade de materiais sustentáveis e puramente KLM. Em outras palavras, perfeito para os artigos de edição limitada do centenário.

Os uniformes femininos da companhia são feitos para uso intensivo e com a mais alta qualidade, e após anos de serviço fiel são substituídos por novos. Porém, o material usado para os uniformes é de qualidade tão boa que ainda pode ser usado para outros fins, o que é ótimo não apenas pelo material, mas também pela cor azul icônica que a KLM consegue trazer de volta nos produtos.

O uniforme é transformado em uma bolsa, mas antes de tudo, o tecido deve ser separado pela máquina e processado em fibras. Em seguida, é processado em uma máquina de agulhas especial em um feltro azul-KLM macio e extremamente forte. É um tecido ideal para inúmeros produtos, como bolsas de ombro, etiquetas de bagagem, chaveiros, capas para laptop e carteiras.

2

O material não é apenas especial, mas também as pessoas que os fabricam. Eles fazem parte da i-did, organização parceira da KLM, que ajuda as pessoas em assistência social a aproveitar sua vida profissional novamente e a descobrir – ou redescobrir – seus talentos e interesses, e com sucesso. Setenta por cento desses homens e mulheres encontraram um emprego permanente depois de trabalharem no i-did.

Os uniformes femininos não são os únicos itens a bordo que podem receber uma nova cara. A companhia substitui regularmente as capas de couro dos encostos de cabeça na classe econômica.

As capas são feitas de material autêntico e natural – perfeito para a coleção KLM100. A empresa de reciclagem Circulairinbedrijf usou sua experiência e técnicas inovadoras para criar capas para passaportes, suportes para notebooks, estojos de óculos, bolsas e muito mais. Os pneus reciclados para aeronaves da KLM Cargo provaram ser a solução ideal para a alça de uma bolsa.

31

Semelhante ao i-did, o Circulairinbedrijf ajuda a levar as pessoas com deficiência física ou mental ao mercado de trabalho. Oferece entre dez e quinze opções de locais onde as pessoas ganham experiência trabalhando em uma variedade de projetos e produtos. Permite que os estagiários expandam sua rede para que possam melhorar suas chances de trabalho efetivado.

51A KLM também coleta matérias-primas sustentáveis e recicladas fora da companhia – copos de café feitos de bambu, e bandeiras da KLM, penduradas do lado de fora de cada prédio da empresa, são feitas de garrafas PET. A companhia também tem garrafas d’água fabricadas na Join the Pipe.

Todos os produtos da coleção KLM100 são vendidas a um preço justo, e parte dos rendimentos vai para a fundação “Make a Wish”. A instituição realiza os desejos das crianças com doenças graves e às vezes com risco de vida.

Como lembrete do centésimo aniversário da companhia, todos os produtos exibem o logotipo especial KLM100. Você pode visualizar e comprar todos os itens on-line na loja KLM. Todos os produtos são edições limitadas e disponíveis em poucas unidades. Passageiros podem comprar online e pedir para retirar os produtos a bordo de seu próximo voo com a KLM, em voos partindo de Amsterdã.

4A propósito, se você comprar um produto, não se esqueça de conferir o rótulo. Para enfatizar seu passado bem viajado, quase todos os produtos feitos com o tecido do uniforme contêm uma etiqueta de lavagem que diz: “O tecido deste uniforme teve inúmeras horas de voo, cumpriu belos anos de serviço e conheceu milhares de pessoas especiais”.

A KLM completa 100 anos e é pioneira no setor de transporte aéreo, sendo a companhia aérea mais antiga que ainda opera sob seu nome original. A empresa pretende ser a companhia aérea com mais foco no cliente, inovadora e eficiente, oferecendo um serviço confiável e produtos de alta qualidade na Europa. Em 2018 transportou um recorde de 34,1 milhões de passageiros, oferecendo aos seus passageiros voos diretos para 162 destinos com uma frota moderna de 214 aeronaves. A companhia aérea emprega uma força de trabalho de mais de 33.000 pessoas em todo o mundo. O Grupo KLM como um todo transportou mais de 43 milhões de passageiros em 2017. Além da KLM, o Grupo KLM inclui a KLM Cityhopper, Transavia e Martinair. A malha aérea da KLM conecta a Holanda com todas as principais regiões econômicas do mundo e é um poderoso motor impulsionando a economia da Holanda.

Desde a fusão em 2004, a KLM faz parte do Grupo Air France-KLM. Essa fusão deu origem a um dos principais grupos de companhias aéreas da Europa, com duas marcas fortes operando em dois grandes centros: o Aeroporto Schiphol de Amsterdã e o Charles de Gaulle de Paris. O grupo concentra-se em três atividades principais: transporte de passageiros e carga e manutenção de aeronaves. Juntas, as duas companhias aéreas transportam mais 100 milhões de passageiros por ano.A companhia também é membro da SkyTeam Alliance global, que possui 19 companhias aéreas associadas e uma malha aérea conjunta de 1063 destinos em 173 países.

No Brasil a KLM opera atualmente 18 frequências semanais entre a Holanda e o Brasil – são 4 voos para Fortaleza, 7 frequências para o Rio de Janeiro e outras 7 para São Paulo. Juntamente com a parceria global Air France e a GOL Linhas Aéreas Inteligentes, parceira desde 2014 no Brasil, as companhias já operaram mais de 1 milhão de passageiros e cobrem 99% da demanda entre o Brasil e a Europa.

da redação  com informações da empresa  imagens: fotos divulgação

O novo motorola RAZR®

worldfashion • 29/12/19, 20:41

razr-black-camera-detail-closedAté chegar ao produto final, foram vários estudos para entender como as telas flexíveis poderiam melhorar e reinventar a forma como as pessoas usam seus smartphones. Para isso, a Motorola desenvolveu e testou vários formatos dobráveis, utilizando mais de 20 protótipos durante as fases iniciais de pesquisa com os consumidores. E o design flip, que todos conhecem e amam, acabou sendo a solução perfeita. Ele resolve o principal problema real do consumidor: o de possuir um aparelho realmente compacto, sem comprometer a experiência de uma tela grande que os usuários valorizam tanto.

razr-black-combo2razr-black-top1O motorola RAZR® tem elegância e design totalmente exclusivos. Ao utilizar aço inoxidável premium e Gorilla Glass 3D, a parte externa do aparelho ficou mais protegida e se encaixa confortavelmente na mão. Como o original, o novo motorola razr é fino e compacto, sem contrastes de cores e materiais, destacando ainda mais seu design inigualável.

razr-black-front-closedrazr-black-left-side-open1Durante o desenvolvimento do motorola , RAZR® vários desafios em função das limitações tecnológicas, que desafiaram a empresa em encontrar novas soluções de engenharia. O primeiro sistema de fechamento com “zero gap”, que permite que ambos os lados da tela flexível se fechem perfeitamente, protegendo-a da sujeira e poeira, foi patenteada.

A antena foi redesenhada para caber em um espaço com metade do tamanho dos smartphones atuais; e o revestimento do aparelho com uma camada protetora que oferece resistência a respingos d´água¹ acidentais, cria uma barreira que ajuda a proteger contra exposição moderada à água, tais como derramamentos, respingos, transpiração ou chuva leve. Não é projetado para submersão na água ou exposição a água pressurizada ou outros líquidos; pode diminuir com o tempo. Não é à prova d’água.

Com essa visão disruptiva de engenharia e design, estão inaugurando uma nova era da mobilidade. Enquanto o tamanho dos smartphones cresce cada vez mais, o motorola razr é compacto e oferece o melhor dos dois mundos. Quando aberto, ele garante uma experiência mais imersiva, com a tela dobrável Flex View de 6.2″ e proporção 21:9. Enquanto não utiliza, simplesmente feche o aparelho e curta seu design inovador, que cabe de forma confortável no seu bolso.

Quando fechado, a tela interativa Quick View permite acessar informações importantes de forma prática e fácil. Você pode fazer chamadas, responder mens agens, fazer pagamentos, controlar suas músicas, tirar selfies incríveis e utilizar o Google Assistant™. Tudo isso sem abrir seu aparelho.

razr-black-front-openUma experiência de smartphone totalmente única e diferente de tudo que o mercado oferece hoje. Para os consumidores que procuram uma marca icônica, combinada a uma tecnologia revolucionária e design único, o novo motorola razr é o smartphone ideal.

Pronto para curtir o radicalmente diferente motorola razr? Cadastre-se em motorola.com.br para receber mais informações sobre o lançamento, que chegará ao mercado brasileiro a partir de janeiro..

A RAZR® é uma marca registrada de Razor USA LLC; RAZR e RAZR-formatives são utilizadas com a permissão de Razor USA LLC.

da redação com  informações da RPMA Comunicação imagens: fotos divulgação

DUPONT

worldfashion • 09/12/19, 00:49

logoA DuPont Segurança & Construção é líder mundial no fornecimento de inovação para as necessidades essenciais da vida, como água, abrigo e segurança; permitindo que seus clientes beneficiem-se através de capacidades únicas, com escala global e marcas icônicas, que incluem Corian®, Kevlar®, Nomex®, Tyvek®, GreatStuff™, Styrofoam™ e Filmtec®.

Com a primeira viagem prevista já para 2020, a VIRGIN GALACTIC projeto criado pelo magnata inglês Richard Branson, está desenvolvendo espaçonaves para voos turísticos suborbitais e missões científicas.para tanto a empresa recentemente revelou o vestuário de bordo dos futuros astronautas. Um design com muito estilo, predominantemente azul com detalhes dourados, a roupa espacial da Virgin Galactic foi desenvolvida pela Under Armour. turistaespacial_credito-divulgacao-under-armourAlém de proteção e segurança, essenciais para a permanência no espaço, a vestimenta visa proporcionar conforto ao usuário. A funcionalidade não foi esquecida: o design inclui diversos bolsos e até um botão integrado para intercomunicação. O Nomex®, a fibra da DuPont para proteção elevada contra calor e resistência a chamas, é um dos componentes essenciais do traje. Presente nas roupas dos astronautas no primeiro pouso na Lua, há 50 anos, o Nomex® também está em uniformes de milhares de bombeiros em todo o mundo. A fibra vai garantir aos turistas espaciais proteção contra a variação de espectro de temperaturas na jornada.

A Under Armour também incluiu tecnologias como o tecido com infusão de minerais UA RUSH, que reflete energia para garantir mais fluxo e recuperação de sangue de quem veste. Outra novidade é a UA Intelliknit, tecnologia que mapeia necessidades específicas do corpo para fornecer gerenciamento perfeito de calor e suor, evitando superaquecimento e resfriamento.

Até o calçado dos futuros viajantes espaciais foi apresentado pela Under Armour. O acessório não lembra em nada as pesadas botas dos astronautas, também exibindo um desenho todo fashion.

da redação cominformações da 2PRÓ Comunicação Crédito/Foto: Divulgação/Under Armour

Olivia: a primeira assistente virtual de estilo do Brasil

worldfashion • 14/11/19, 18:04

equipe-mob-e-silvia-brazA MOB, tradicional marca de moda feminina, que fincou seu nome na moda brasileira, conquistando as mulheres que buscam na marca seu estilo sofisticado, antenado e contemporâneo. Conta com uma equipe de estilo sensível às tendências, que pesquisa intensamente e sabe conceituar os looks da estação em peças ágeis, intercambiáveis e usáveis, de modelagem impecável em tecidos perfeitos. Do vestido à alfaiataria, às peças casuais e aos acessórios, tudo é coordenado pensando na sazonalidade do guarda-roupa feminino com ênfase na qualidade, funcionalidade, nas novas propostas e, claro, no estilo, muito estilo. Com 33 anos de sucesso, 34 lojas e mais de 300 pontos de venda espalhados no país, acabam de lançar uma inovação tecnológica no mercado brasileiro da moda.

12A marca se uniu à start up de tecnologia Catwalk e apresentou a primeira Assistente Virtual de estilo do Brasil, que vai sugerir em tempo real combinações de looks através de um clique. O objetivo é ajudar a consumidora a fazer uma compra mais rápida e assertiva.

olivia-mob-8olivia-mob-7Ela é a Olivia que baseada em inteligência artificial, imita habilidades idênticas a de uma personal stylist e oferece combinações de looks com peças do closet pessoal e das lojas MOB, ajudando a responder dúvidas que todas as mulheres têm, como “O que visto hoje?”, “Como combinar esta peça?”, “Como criar produções diferentes com a mesma peça?” assim economizando o tempo pela procura e escolha de looks para o dia a dia. Outro diferencial é que as dicas de styling são independentes, sem qualquer categorização pré-estabelecida e dependência de intervenção humana.

Olívia está no site da MOB ou no app Catwalk e vai te assistir durante as compras online, aparecendo nas páginas de produtos sugerindo opções de looks e itens similares as peças de seu interesse. Em outra frente de atuação, especialmente na loja do shopping JK Iguatemi, a Assistente Virtual estará presente em um totem exclusivo e personalizado, onde a consumidora poderá consultar a Olivia e combinar, inclusive, as peças das araras com a própria roupa que estiver vestindo na hora. Futuramente, o plano da marca é levar a novidade para as outras lojas físicas existentes no Brasil.

2A Olívia é acessível, funcional e gratuita, e o serviço da Assistente Virtual vai mais além. Olivia será capaz de reconhecer a localidade e a temperatura da cidade ou país de destino, para poder sugerir os looks mais adequados ao clima e de acordo com ocasiões específicas. Além disso, as peças da MOB estarão presentes no aplicativo da startup parceira, o Catwalk, onde haverá a opção de fotografar as roupas do próprio closet para combinar com as peças da marca.

marcelo-dib-ceo-da-mobEm meio ao tentador universo do consumo de moda, com infinitas tendências que surgem constantemente, e a rotina non stop das mulheres 24/7(24 horas X 7 dias) a MOB,  está atenta e atuando na inovação e melhoria da experiência de compra das suas clientes, trouxe essa novidade e entrega a solução que as mulheres atuais precisam. Marcelo Dib, CEO da marca diz: “Somos a primeira marca de moda brasileira a investir em uma assistente virtual de estilo, estamos trazendo o futuro do consumo e com ele a praticidade para a mulher de hoje em dia”.

carol-socia-fundadora-da-catwalk“O mercado da moda passa por um momento de transição e questionamento de valores. Os consumidores demandam respostas rápidas e atendimento ágil e personalizado. A MOB entendeu a importância destas tendências e aliou-se a Catwalk, investindo em Inteligência Artificial para oferecer uma inovadora experiência em seus canais de venda, para que suas clientes se sintam mais confiantes com suas escolhas”, completa Carolina Albarran, sócia-fundadora da start up brasileira.

da redação com informações da Melina Tavares Comunicação  imagens: fotos/divulgação

Inteligência artificial contra o mundo fake news

worldfashion • 10/10/19, 15:03

Enquanto o Congresso Nacional discute a CPI das Fake News com o objetivo de determinar o impacto desse tipo de prática nas eleições de 2018, um dos aspectos que garante o retorno financeiro de quem publica conteúdo inautêntico acaba pouco discutido. Esse esquema aproveita o ecossistema utilizado para a oferta automática de anúncios online e suga o investimento de grandes empresas em páginas com alto tráfego, mas baixa confiabilidade.how-much-of-the-internet-is-fake-turns-out-a-lot-of-it-actually-640x379

Nesse sentido, o mesmo aparato e tecnologias utilizados para influenciar o debate público de forma danosa é usado para lucrar de forma indevida com o dinheiro gasto por pequenas e grandes empresas em anúncios digitais, que remuneram o publisher por clique. Os cliques são gerados de diversas formas. Há, como exemplos, o uso de fazendas de cliques na Ásia, em que trabalhadores contratados por salários baixíssimos passam dias clicando em anúncios de forma ininterrupta ou tráfego automatizado gerado por bots ou programas de computador.

Como um todo, a indústria de clicks enganosos causou um prejuízo de US$ 35 bilhões em 2018, de acordo com a Juniper Research (empresa de Pesquisa, Previsão e Consultoria para Mercados de Tecnologia Digital)images2

“Podemos dizer que isso tipo de prática é uma das formas encontradas para praticar golpes em publicidade digital”, explica Michel Primo, da ClickCease, martech israelense especializada na identificação e bloqueio automático de fraudes do tipo.

Por meio de inteligência artificial e análise de tráfego, a ClickCease identifica problemas do tipo e bloqueia a origem dos cliques para dificultar ações fraudulentas. É uma maneira das empresas preservarem seu investimento e ajudarem a desestimular a propagação de notícias falsas na internet. Segundo a Martech, os cliques falsos correspondem, na média a 20% do total de cliques de uma campanha digital.

1-640x320A Clickcease  trabalha com a Martech israelense de proteção a cliques fraudulentos. A partir de uma solução própria que incorpora machine learning e monitoramento de tráfego, identifica cliques inautênticos em anúncios e bloqueia a origem deles, além de contestar e recuperar o valor gasto junto à plataforma de anúncios de Google e Microsoft. Atende tanto empresas quanto agências que produzem e intermedeiam campanhas para terceiros. Para demonstrar o quanto esses ads são explorados, há um demo grátis de 14 dias. No Brasil desde meados de 2019, a expectativa da Martech é chegar ao fim do ano com mais de mil clientes.

da redação com informações da Press Works  imagens: fotos/divulgação

LECTRA

worldfashion • 27/09/19, 15:24

abtNa edição 2019 da feira China International Sewing Machinery and Accessories (CISMA) em Xangai, a Lectra apresentou suas principais soluções da Indústria 4.0  a Fashion On Demand by Lectra e a Furniture On Demand by Lectra—além da Vector Automotive iP9, a nova solução de corte de tecidos para assentos e interiores de veículos.

lectra_fashion-on-demand-by-lectra-2Com o lema “Lectra 4.0: Digitalizando e conectando sua cadeia de valor”, reforçou sua liderança como consultora confiável para empresas de moda, móveis e automotivas que estão realizando a transformação digital. As cadeias de suprimentos inteligentes e conectadas são a base da quarta revolução industrial. Em todos os setores que usam têxteis, a fabricação inteligente requer um elevado grau de flexibilidade, máxima eficiência e processos de planejamento ideais para diversos tipos de produção, da produção em massa à produção sob demanda. Esses requisitos são cruciais para o sucesso futuro das empresas que competem por negócios nos mercados asiáticos.

images-2Lançadas pela primeira vez no mercado asiático, as soluções pioneiras de ponta a ponta Fashion On Demand by Lectra e Furniture On Demand by Lectra automatizam o processo completo, do processamento dos pedidos ao corte dos tecidos. Adaptadas para as respectivas demandas dos dois setores, as duas soluções são constituídas pela Plataforma de Corte Digital da Lectra e pela solução de corte de tecido plano Virga®. Elas permitem que os usuários gerenciem o fluxo de trabalho sem interrupções, tanto para produção de pequenas séries, quanto para de pedidos personalizados. Isso proporciona aos fabricantes alternar imediatamente de produção em massa para produção de lote pequeno, além de otimizar o processo de personalização de produtos na sala de corte.

modaris-and-quick-estimate-focusComo o tecido pode representar de 60 a 70% dos custos de vestuário, a Lectra tem lançado versões adicionais de suas aplicações na nuvem para ajudar os fabricantes de moda da Ásia, para as tomadas de decisões, com mais informações sobre desenvolvimento e ofertas. A Quick Estimate gera simulações de consumo de tecido em segundos para projeções de rentabilidade precisas em todo o desenvolvimento do produto. Durante o processo de RFQ, o software de marcação de tecido Quick Nest possibilita ganhar novos contratos ao responder com mais rapidez e com preços competitivos. Além disso, o Quick Nest agrega velocidade e agilidade à produção por meio do processamento paralelo de listas de marcações.

lectra-furniture-event-2019A feira foi  também, uma boa oportunidade para a Lectra revelar sua nova solução de corte de tecido, a Vector Automotive iP9. É a primeira solução do mercado a habilitar o corte sem buffer em uma grande variedade de materiais. Para os fabricantes automotivos, isso representa milhares de dólares em economia de material anualmente, em comparação com outras soluções, um caminho cada vez mais importante rumo à excelência operacional.

Para permitir que os participantes da feira se projetassem na visão de operações inteligentes de corte em fábrica, a Lectra cativou a audiência com demonstrações de suas últimas soluções de tecnologia avançada.

lectra_cisma-2019-640x373“Apesar dos desafios enfrentados atualmente pela China, ela continua sendo a principal economia com o mais rápido crescimento do mundo”, observa Javier Garcia, Presidente da Lectra na Ásia-Pacífico, (na foto  ao lado do Daniel Harari, CEO e Presidente do Comitê Executivo e da Céline Choussy Bedouet Diretora de Marketing e Comunicação) “A Lectra, há muito tempo, tem um dedo no impulso dos mercados asiáticos. Estamos prontos para apoiar os fabricantes que operam aqui a atenderem seus objetivos da Indústria 4.0 o mais rápido que a tecnologia permite”.

Em 2017, a China foi responsável por 46% da produção global de móveis e é, atualmente, a principal exportadora de vestuário. Com quase 60% dos millenials do mundo morando na Ásia, a demanda constante por produtos personalizados e entregues rapidamente continua a impulsionar a tendência no sentido da personalização em massa. A personalização dos produtos está cada vez mais rapidamente se tornando uma preocupação importante para os responsáveis pelas decisões dos setores de moda e móveis, assim como a otimização de produções de pequenos lotes.

imagesSobre a Lectra

Fundada em 1973, a Lectra conta hoje com 32 filiais mundo afora, atendendo a clientes em mais de 100 países. Com mais de 1.700 funcionários, a Lectra declarou um faturamento de 333 milhões de dólares em 2018. A Lectra está cotada na Euronext (LSS).

A Lectra molda tecnologias superiores que facilitam a transformação digital em seu setor. Fortalecendo marcas, fabricantes e varejistas do projeto à produção, proporcionando o respeito profissional e a tranquilidade que merecem. Soluções para empresas que respiram vida nos nossos guarda-roupas, interiores de carros, móveis, entre outros.

da redação com informações da Lectra  imagem: foto/divulgação

Coleção “Powerful”

worldfashion • 09/08/19, 16:37

366162_898128_img_8389_2_web_A coleção “Powerful” celebra os diferentes tipos de corpos do público plus size, a linha busca exaltar a diversidade e a beleza da mulher, independente do seu biotipo. Além disso, a chegada da coleção estabelece o início de um momento importante para a marca, que agora possui peças composta por quinze tipos e com a cartela de cores que varia entre o rosa, azul, preto, branco e cinza. As opções são top, legging, calça flare, camiseta, regata, cardigan, jaqueta, bermuda e body, com numerações do 50 ao 58 e modelagens ajustadas para as necessidades do corpo. Além disso, todas as peças contam com a tecnologia do fio LYCRA®, que aliado ao DNA fashion fitness da Vestem, resultam em mais conforto, durabilidade e caimento perfeito.

366162_898126_img_8436_2_web_As consumidoras já podem encontrar a nova coleção no e-commerce e nas lojas da Vestem localizadas em São Paulo. Todos os produtos vêm identificados com a etiqueta da marca LYCRA®, que é a chancela de qualidade.

logo-vestem-215x2151366162_898133_img_8217_2_web_A Vestem é uma empresa fundada em 2010 e um dos principais players do mercado nacional de moda fitness, foi a primeira marca a trazer para o Brasil as últimas tendências da moda internacional para este segmento. A empresa surgiu com uma proposta inovadora para suprir uma necessidade de mercado, transformando a roupa de academia em produto de moda. O objetivo era claro e ousado: criar peças para compor looks que podem ser usados além das atividades físicas.

Hoje, a Vestem marca presença nas melhores lojas fitness do Brasil, 366162_898124_img_8314_2_web_além de ter uma loja de fábrica de 400m2 na Mooca, zona leste de São Paulo. Com uma vasta cartela de mercadorias, seus produtos seguem os mais rigorosos padrões de qualidade. Todos os itens são confeccionados com maquinário de primeira, matérias-primas de altíssima qualidade e pautados pelas últimas tendências da moda internacional. Este conjunto de diferenciais coloca a Vestem à frente de sua concorrência, oferencendo coleções exclusivas para mulheres de todas as idades.

A LYCRA® é marca de um fio, cujas propriedades, redefiniram o que é conforto, lycra-logocaimento, liberdade de movimento e manutenção da forma em praticamente todas as categorias de vestuário. Designers de todo o mundo valorizam os tecidos com fio LYCRA® quando criam roupas elegantes e duráveis, que não restringem o movimento. A marca LYCRA® é amplamente reconhecida por fiações, fábricas de tecidos, confecções e marcas de vestuário e outros na cadeia de suprimento como garantia de inovação e qualidade.

da redação  com informações da MktMix Assessoria de Comunicação/ assessora da LYCRA®   imagens: fotos/divulgação