TECNOLOGIAS

worldfashion • 14/04/21, 16:03

triwi-marketing-digital-a-transformacao-digital-na-industria-e-como-isso-pode-mudar-seu-negocio-640x375Para falar sobre tecnologias, começamos mostrando a possibilidade de proteger seus produtos originais das falsificações, com a impressão dos códigos com tintas de segurança, que podem rastrear toda cadeia de produção pelos smartphones. Compartilhamos a tecnologia que reinventa o encaixe rápido para atender as necessidade das indústrias em responder rapidamente às mudanças do mercado. Os tecidos para o bem estar, com tecnologias que ajudam no relaxamento e proteção contra virus e bactérias, durante o sono. A utilização da economia circular para acabamentos de malhas. Soluções confiáveis e inovadoras em revestimentos sintéticos para calçados e outros fins. Os fios e fibras que se inovam para atender às necessidades da indústria têxtil com soluções sustentáveis. E as sugestões de estratégias de marketing digital, para se posicionar no mercado cada vez mais tecnológico.

SEGURANÇA

O mercado de produtos falsificados e contrabandeados tem se intensificado no Brasil. De acordo com a Receita Federal, em 2019 o País bateu recorde histórico no número de produtos irregulares apreendidos, totalizando R$ 3,2 bilhões em mercadorias. A indústria têxtil é uma das mais prejudicadas com as falsificações. Os itens de vestuário representaram 7% das apreensões realizadas no ano passado, atrás apenas dos eletroeletrônicos (11,4%) e cigarros (35;7%).

Combater esse mercado ilegal é um grande desafio para as autoridades brasileiras. Neste cenário, cada vez mais, a indústria tem recorrido às tecnologias de ponta para reduzir os riscos de falsificação de produtos. Dentre as tecnologias disponíveis no mercado está o uso de tintas de segurança - as mesmas utilizadas para imprimir cédulas monetárias - que possibilita rastrear toda a cadeia de produção. Isto é possível em razão da alta complexidade físico-química dessas tintas de segurança, que impedem a cópia de etiquetas, rótulos e selos de originalidade, garantindo assim, ao consumidor a origem e qualidade do produto comercializado.

Durante a apresentação a Semana de Ciência e Tecnologia do SENAI CETIQT, Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil, realizado em fins de 2020, 20181126_ceptis_f_0155_017-640x427o palestrante Lucio Barbosa, da Ceptis*, explica que a impressão de etiquetas, rótulos e selos com tintas de segurança agora também traz a possibilidade de verificação digital. De acordo com Lucio, a Ceptis possui patentes de tecnologias avançadas que não permitem a cópia de etiquetas, rótulos e selos de segurança e cita algumas soluções inovadoras: “Hoje podemos, por exemplo, imprimir QR Codes criptografados utilizando tintas de segurança, de forma que qualquer pessoa, com um simples app, possa apontar seu smartphone para o produto e detectar se o produto é original “, explica.

Barbosa afirma ainda que a integração das tintas de segurança à tecnologia digital (verificação de dados criptografados protegidos por blockchain, por meio de apps) aumentará a proteção contra falsificação de produtos e trará maior segurança ao consumidor. Outra vantagem é o uso da inteligência artificial para mapeamento das ocorrências de falsificação do produto e identificação dos locais em que tais práticas ocorreram. “A rastreabilidade segura e o combate à falsificação de produtos têm sido alguns dos desafios da indústria. A proteção dos produtos e mapeamento das informações contribuirá na estratégia de vendas e distribuição. Buscamos soluções inovadoras adaptadas à necessidade do cliente, que além do benefício financeiro e de preservação da marca, proporcionará a qualidade e segurança do produto para o consumidor.”

O mercado ilegal de produtos falsificados causa enormes prejuízos, não somente para a indústria, mas também para o consumidor que muitas vezes não consegue distinguir o produto original do produto falsificado. Em razão dos produtos falsificados não terem a mesma qualidade, o consumidor, enganado, pode julgar e avaliar as marcas negativamente na internet. Comentários sobre a qualidade de produtos falsos (compreendidos como autênticos) podem abalar a imagem de uma empresa rapidamente nas mídias sociais. android-icon-192x192“Além do impacto na imagem e os custos para reverter essa situação, as empresas podem sofrer também queda nas vendas de um determinado produto dependendo do alcance das avaliações negativas associadas a ele. Outro ponto preocupante é que alguns produtos falsificados podem causar riscos à segurança e saúde do consumidor justamente por não possuírem a qualidade do produto original. “, alerta Lucio.

*Ceptis criada em 2016, é uma empresa moderna, ágil, e eficiente, que detém o direito de explorar as atividades tecnológicas para tintas de segurança e rastreabilidade segura garantindo a qualidade, a originalidade e qualidade de diversos produtos. Com propósito de integrar tecnologias digitais, de tintas de segurança e soluções sustentáveis para diversos mercados.

PRODUÇÃOflex-offer_1

A Lectra, grande fornecedora de soluções de inteligência industrial (software, hardware, dados e serviços) para marcas, fabricantes e varejistas do mercado da moda, automotivo e móveis, apresentou a Flex Offer by Lectra, uma nova oferta para os fabricantes de moda. A solução SaaS para encaixes de grandes volumes foi especificamente projetada e desenvolvida para ajudar os fabricantes a responder às novas mudanças e desafios do mercado. Uma vez que o tecido constitui 70% do custo total de uma peça de vestuário, a economia de tecido permite manter ou até aumentar as margens de lucro. A tecnologia na nuvem permite atingir patamares avançados no processamento dos pedidos dos clientes, com a capacidade de lidar com várias centenas de encaixes por hora.

Mais do que nunca, os consumidores querem uma maior variedade de opções, tanto em loja física como online, e estão preocupados com o impacto ambiental das suas compras e valorizam grandemente a sustentabilidade. Estas exigências estão insitando as marcas pela renovação das coleções com mais frequencia e aumentando o número de edições especiais ou coleções capsulas, por exemplo, e impõem ciclos de produção mais curtos para produtos complexos, com requisitos mais rigorosos.

flex-offer_2Estas novas exigências estão sendo um grande fator de mudança para os fabricantes, que estão produzindo quantidades menores de cada modelo, e aumentando a variedade de produtos, registrando um aumento exponencial de pedidos. Além disso, há uma crescente procura, por parte das marcas, da produção em processos acelerados, principalmente os artigos de moda para responder rapidamente a uma tendência emergente e estabelecer inovação num plano de coleção, com um ciclo de desenvolvimento acelerado, e produzidos em pequenas séries. Para manter as margens de lucro, os fabricantes têm de determinar com extrema precisão a quantidade de material de que necessitam. Precisam de um sistema que lhes permita otimizar os fluxos de trabalho, em face aos picos de atividade e evitar congestionamentos.

Aí entre a tecnologia  Flex Offer by Lectra  para a solução de colocação automática alojada na nuvem, que otimiza a gestão do consumo de material em cada etapa: dos pedidos de cotação e encomenda de materiais à produção. A solução determina a quantidade de tecido necessária, impedindo tanto os excedentes como as faltas, assegurando a conformidade com as especificações do cliente. O seu poder de processamento automático - Empowering customers through industrial intelligence 2/2 - baseado na nuvem proporciona poupanças muito significativas. Os algoritmos integrados da solução processam todos os pedidos de posicionamento simultaneamente, e permitem aos fabricantes poupar tempo, uma vez que deixam de ter limitação de capacidade informática.

flex-offer_3A oferta tem funcionalidades para cada etapa do processo: estimativa de custos e resposta a pedidos de cotação, aprovisionamento e produção (Flex Nest Cost & Bid, Flex Nest Procurement, Flex Nest Production). Para isso, foram desenvolvidos três módulos: 1) modo standard, que processa as maiores quantidades de colocações e oferece um equilíbrio entre rapidez e eficiência de material; 2) modo urgente, que proporciona, em minutos, a rapidez de que alguns fabricantes necessitam; e 3) o modo estratégico, que assegura o máximo de poupança de material para os tecidos mais dispendiosos ou para colocações que envolvem grandes volumes de produtos numa encomenda.

Os módulos podem ser utilizados simultaneamente para otimizar o volume de colocações processadas e atribuir prioridades com base na urgência e na eficiência desejada.

Finalmente, a bem da acessibilidade, e para fazer face aos problemas de interoperabilidade dos clientes, a Flex Offer by Lectra converte determinados ficheiros de criação de moldes de outras soluções de desenho assistido por computador (CAD) através do módulo Pattern Converter.

flex-offer_4“Temos grandes ambições para a Flex Offer by Lectra, a nossa nova oferta especificamente concebida para os fabricantes da indústria da moda. Tem em conta todos os seus desafios empresariais, e proporciona know-how e desempenho através da tecnologia na nuvem, da Internet das Coisas e da inteligência artificial. Dá aos fabricantes do setor a oportunidade de aumentar as margens, evitando ao mesmo tempo o desperdício de material”, explica Céline Choussy, Diretora de Marketing e Comunicação da Lectra.

A Lectra fundada em 1973, tem atualmente 34 filiais em todo o globo, prestando serviços a clientes em mais de 100 países. Com mais de 1 700 colaboradores, a Lectra reportou receitas de 236 milhões de Euros em 2020. A Lectra está cotada na Euronext Paris (LSS). As tecnologias premium criadas pela empresa, dão vida nos guarda-roupa, ao interior do nosso automóvel, ao mobiliário e outros facilitando a transformação digital da sua indústria aumentando as capacidades das marcas do design à produção, proporcionando-lhes o respeito do mercado e a paz de espírito que merecem, evitando subtancialmente o desperdício e assim auxiliando na sustentabilidade do planeta.

BEM ESTAR

tecido-para-colchaoA empresa Conexão Malhas, é brasileira que há 27 anos, produz malhas e tecidos de altíssima qualidade para colchões, roupas, calçados e automóveis. Com um dos mais modernos parques fabris da América Latina, está localizada  em Jundiaí (SP). Com tecnologia 100% europeia e com o uso de matérias-primas selecionadas que respeitam o meio ambiente, produz malhas que atendem às exigências mundiais de qualidade. Investiu, em plena pandemia, cerca de 4 milhões de reais em pesquisas e equipamentos que produzem tecidos com nove tecnologias diferentes que vão ajudar o brasileiro a dormir melhor e mais seguro em 2021.

Baseados em dados divulgados pela empresa global de inovação corporativa The Bakery que entrevistou 780 pessoas dos quais 44% disseram estar com problemas para dormir depois da pandemia, e da pesquisa feita pelo Instituto do Sono com 1.738 brasileiros dos quais 55,6% afirmaram que a qualidade do sono piorou nos últimos meses. E de outra pesquisa, feita no início da pandemia pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), a pedido da empresa farmacêutica Takeda, os números são ainda mais alarmantes. Dos 2.635 entrevistados, 65% afirmaram estar com o sono prejudicado.

tear-circularPensando nisso, empresa apostou em alta tecnologia para garantir um sono mais tranquilo. “Já somos referência em malhas para colchões, mas decidimos oferecer muito mais que conforto. Sabendo das dificuldades durante a pandemia, buscamos os melhores princípios ativos e tecnologia de ponta para garantir um sono de melhor qualidade”, explica Luiz Lago, Gerente Geral da Conexão Malhas. Tem tecidos que matam bactérias, inclusive as causadoras da pneumonia, e tem até uma tecnologia - com íons de prata - que mata o coronavírus em menos de um minuto, indicada, principalmente para lugares onde há grande circulação de pessoas, como hotéis e pousadas. A eficácia deste tecido foi comprovada na Unicamp (Universidade Estadual Paulista).

A tecnologia funciona com nanocápsulas importadas da Celessence (Reino Unido) e da Rudolf Group (Alemanha). Na Conexão Malhas, essas nanocápsulas são aplicadas no tecido e, em alta temperatura, são fixadas. A tecnologia é ativada por fricção, ou seja, as microcápsulas se rompem com a movimentação da pessoa enquanto dorme e liberam o princípio ativo.

São nove tipos de tecidos com benefícios diferentes:

1 - VbacBlock - A tecnologia de íons de prata foi testada e aprovada no Laboratório de Biologia da Unicamp. A malha apresentou 99,99% de eficácia no combate ao coronavírus (Cepa MHV-3). Suas propriedades também atuam como inibidor de bactérias e outros microrganismos presentes no ambiente.

2 - Mandala Dreams - Os óleos naturais de várias ervas com propriedades antioxidantes, bactericidas, anti-inflamatórias e antissépticas formam uma combinação perfeita que ajuda no alívio do stress e controle de alergias. É o primeiro antimicrobial natural com base em ervas para o mercado têxtil. Testes realizados no Biotech Testing Services (Mumbai, Índia) mostraram que os componentes do Mandala Dreams combatem até 99,98% das bactérias Staphylococcus Aureus e Klebsiella Pneumonia, grandes causadoras de doenças cutâneas e respiratórias, como a pneumonia.

3 - Hugstar - A combinação de floral, caramelo e coco, com toque de baunilha, rosas e perfume de almíscar garantem um sono mais prolongado, com mais qualidade e mais disposição durante o dia. Os testes que comprovaram isso foram feitos pela Celessence Technologies, em parceria com a empresa Givaudan (Suíça).

4 - Bio Dress - A combinação de lavanda e camomila ajuda no relaxamento, no combate aos radicais livres, alivia as dores, reduz ansiedade e estresse e ameniza cólicas e sintomas da TPM.

cartela-de-tecidos-no-show-room

5 - CitroCare - O PMD, conhecido como mentoglicol, é usado como repelente de mosquitos e outros insetos. A London School of Hygiene & Tropical Medicine testou e comprovou a eficácia do produto.

6 - NatureClass - Os aromas suaves e refrescantes, como o cheiro do mar e na natureza contribuem para um sono reparador e tranquilo.

7 - Climax - O mentol, uma substância 100% natural, tem propriedades descongestionante, anti-inflamatória, antifúngica e antibactericida.

8 - Coreon - Com sua ação magnética, nanopartículas de polímero tornam a carga de elétrons estável. Ao retirar a energia estática da cama, o Coreon evita choques por fricção, aumenta a vida útil do tecido, além de contribuir para a higiene e saúde respiratória, já que reduz a aderência magnética de poeira, pêlos e células mortas.

9 - Fresh Sleep - Polímeros de silano neutralizam os componentes de odor corporal e do ambiente. Por manter o colchão sem odores por mais tempo, a tecnologia é indicada para locais com alta rotatividade de pessoas, como hotéis e para casas com pets.

ECONOMIA CIRCULAR

photo-2021-04-12-17-33-26Atuando há mais de três décadas no mercado têxtil, a Latina Têxtil, produz tecidos com tecnologia para o bem - estar, coloridos e de qualidade para marcas fitness e de moda íntima que aliam tecnologia e conforto voltados para a moda fitness e moda íntima. Especializada em malharia circular e estamparia com processos inovadores nos maquinários, pesquisa e desenvolve produtos e estampas para gerar valor agregado nas coleções dos seus clientes.

Buscando otimizar processos e recursos que impactam positivamente no meio ambiente e na cadeia têxtil, que a empresa inovou e se tornou a primeira malharia no Brasil a utilizar o acabamento sustentável em todos os seus tecidos. O Recicle+ foi desenvolvido em parceria com o grupo alemão CHT(*),  que atua em soluções químicas têxteis aplicadas em fios, malha e acabamentos dos tecidos e leva em sua composição o TUBINGAL RISE, amaciante produzindo a partir de acessórios de silicone descartados, pós-consumo, como capas de celular, chupetas, utensílios de cozinha e outros.

photo-2021-04-13-18-46“Esta iniciativa comprova que é possível repensar e implantar processos sustentáveis na indústria. A parceria se tornou uma bandeira da Latina com a CHT para que possamos sensibilizar o mercado e a cadeia de consumo sobre a importância da economia circular. Decidimos absorver os custos e não repassar aos clientes para que, juntos, realmente possamos atingir o grande objetivo de gerar impactos positivos no mundo”, comenta André Jativa, Diretor Executivo da Latina Têxtil.

Transformar o lixo em matéria prima é o alicerce da economia circular que vem ganhando cada vez mais espaço ao dar utilidade aos resíduos descartados. Repensar o uso inteligente dos recursos naturais e a maneira como se produz não só minimiza os impactos negativos no meio ambiente, como também agrega propósito e traz competitividade ao mercado.

photo-2021-04-12-17O reuso do silicone acontece após o seu descarte. O material passa por um processo de regeneração e purificação, permitindo que retorne para a cadeia têxtil com grau inicial de pureza para dar acabamento aos tecidos. A cada 10 leggings produzidas com o Recicle+, uma capa de silicone pós-consumo é retirada do meio ambiente e regenerada.

A solução ecológica é aplicada no processo de acabamento, proporcionando lisura e toque macio, secagem rápida e respirabilidade. O ReCicle+ se adequa à uma ampla gama de tecidos e reduz em 30% o uso de matéria prima virgem, tornando o processo mais sustentável.

Lançada na segunda quinzena de março, a coleção 2021 “In Real Life”  traduz os momentos que são vividos no dia a dia, trazendo como pilares a conexão com o ser humano, a valorização do bem-estar e a prática da empatia.

photo-2021-04-12-17-33-27photo-2021-04-12-17-33A coleção conta com 23 tecidos com o selo ReCicle + voltados para o mercado fitness, de lingerie e os que dão origem a peças do estilo comfy. Neste ano foram lançados sete novos artigos com destaque para o Evolution que atende a tendência de conforto e bem-estar tanto no fitness quanto na moda casual, o tecido possui textura com a maciez da poliamida sem esquecer da  sustentação. Assim como o Surface - tecido de poliéster de alta compressão que ajuda a disfarçar imperfeições. Com toque macio, sem transparência é ideal para modelagens como a calça legging.

Já o Hug é uma linha para lingerie voltada ao mercado do bem-estar e diversidade de corpos. Possui média compressão sem aquela sensação de tecido pesado, pois sua gramatura é baixa, proporcionando conforto durante o uso.

O Progress, poliamida com toque gelado e maciez, transita muito bem no mercado fitness e uso para o dia a dia. Na mesma linha o Skinner New Premium é um produto versátil, que atende vários mercados com possibilidades de diversas modelagens e opções de estampas alegres e coloridas - marca registrada nas criações da Latina Têxtil.

CONFORTO

O Grupo Cipatex® oferece ao mercado soluções confiáveis e inovadoras em revestimentos sintéticos, buscando sempre uma posição de vanguarda, com responsabilidade social e ambiental. Criada em 1964, a companhia se diversificou constantemente e hoje conta com uma linha de produtos que atende aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual. Por essa dedicação tornou-se líder na fabricação de revestimentos sintéticos. Ao todo, a Cipatex® conta com cerca de 1.200 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

cipatex_linha-feminina_comfyPara a produção da temporada verão 2022 a coleção “Âmago” tem 12 novos laminados com textuas e acabamentos clássicos, naturais e animal print, para calçados e acessórios femininos. As novidades foram desenvolvidas com tecnologia Vinyl Tech, exclusiva da marca. “Os lançamentos combinam entre si, seja por meio das tonalidades ou acabamentos, contemplando desde o estilo mais atemporal ao rústico, além de materiais diferenciados voltados para calçados mais ousados”, afirma a estilista e consultora de moda Tatiana Ritzel, responsável pela coleção. Composta por 15 cores, a paleta contempla os tons básicos, como preto, branco, scarlet e marinho; os neutros, que vão do creme, nude, antique, canela e deserto; os adocicados e leves que estão cipatex_linha-feminina_dubai_amarelocipatex_linhafeminina_croco_coralem alta, como sky, lilás, vanilla e coral. A estilista também aponta a presença calorosa da cor do ano, um amarelo elétrico, quente e solar. As napas surgem com força entre os lançamentos, como a clássica “Birkie”, um material básico com acabamento em semibrilho, gravação sutil e levemente acetinado para composições com itens texturizados, assim como a napa “Dubai”, que traz referências do couro. Ainda nos artigos clássicos estão o “Sparta”, um nobuck que transmite elegância; o “Matelassê”, com aspecto de maciez e conforto em sete diferentes cores; e o “Paris”, um metalizado sofisticado.

O destaque da temporada fica por conta do “Comfy”, uma das principais apostas da Cipatex®. “Especialmente desenvolvido para produções de cipatex_linhafeminina_mayorcacipatex_linha-feminina_snake2calçados que visam proporcionar extremo conforto, o artigo pode ser usado em laços, nós e torcidos que têm conquistado grande espaço no mundo da moda”, diz Tatiana. Ela reforça, ainda, que o material conta com um substrato extremamente leve, o que confere um toque super macio e um caimento praticamente igual a de um têxtil.

Na família dos artigos com aspecto natural, o laminado “San Marino” carrega uma leve gravação em zigue-zague, com brilho sutil e cinco cores perfeitas para compor com artigos mais lisos, tanto na confecção de calçados quanto de bolsas. Em parceria com ele, surge o “Casablanca”, um material rico em detalhes, com um toque mais rústico, desenvolvido em quatro cores quentes e acabamento em sobretom, sendo indicado para forração de cepas e produtos casuais. Seguindo a mesma proposta, a empresa lança o “Mayorca”, um tramado médio com efeito matte e visual de tressê manual. No conceito animal print, a Cipatex® apresenta o “Snake”, com gravação e estampa de cobra em sobretom, trazendo a imponência do réptil, porém sem extravagância. “O material foi trabalhado em cinco cores especialmente pensadas em composições elegantes e atemporais”, completa a consultora de moda.

O artigo “Saara” traz a cobra de forma básica, com um toque sutil e gravação leve. O “Croco” aparece ainda mais natural, buscando a referência do couro, com um brilho acetinado e um suave sobretom.

Conforme Silvio Martins, head de marketing da Cipatex®, o conforto e a durabilidade ganharam a atenção do consumidor no último ano e a proposta é unir os dois aspectos sem abrir mão do estilo e versatilidade. “Conciliar a tecnologia exclusiva Vinyl Tech com acabamentos que permitem inúmeras combinações abrem diversas possibilidades e caminhos para o setor calçadista criar modelos para atender os diferentes perfis de consumidores”, finaliza.

FIOS E FIBRAS

Hyosung é um fabricante abrangente de fibras e fios, produtos de classe mundial, fornecendo inovação e soluções para a indústria têxtil que abrangem malharias e tecelagens.

O fio elástico creora® tem a possibilidade de ser estirado até 500% da sua forma original, característica da força e alongamento, sendo possível reprocessar sem comprometer suas propriedades, proporcionando conforto e suavidade nos tecidos produzidos em sua composição, já responde por 65% do consumo de elastano das empresas têxteis no mercado brasileiro, na posição de produto inovador, reconhecido mundialmente por sua alta performance e rendimento de 8 a 10% superior - gerando resultado direto para os produtos.

21Os artigos confeccionados com este fio em sua composição, possuem superior qualidade e durabilidade, sua consistência garante estabilidade produtiva, com risco de rompimento de fibra quase nulo. Possui classe de polímeros que suportam até 135 graus no processo de tingimento.

15O elastano creora® eco-soft é uma linha especial, que permite fixação a temperaturas mais baixas, mantém a qualidade das cores originais sem perdas de suas características, além de um branco “mais branco”. Aumenta a sensibilidade ao toque dos tecidos em combinações com materiais à base de celulose, sensíveis ao calor, reduz o amarelecimento do tecido e proporciona uma excelente estabilidade dimensional. Por fixado com menor temperatura, permite aos fabricantes a redução de custos e/ou o aumento da produtividade reduzindo a emissão de CO2 para o meio ambiente, o que torna o produto mais sustentável. Uma característica extra do produto é a afinidade tintorial, que resulta num tecido acabado com cores mais profundas e menor risco de desbotar. O fio é utilizado na produção de malhas e tecidos para roupas casual, roupa íntima e denim e sua versatilidade permite ser trabalhado junto a fibras de algodão, lã, seda, viscose, modal, Tencel®, poliamida, acetato e acrílico.

4O elastano creora® highclo, foi testado e comprovado como produto com superior resistência aos impactos de ação do cloro dentre outros agentes que causam danos ao tecido tais como: cremes de proteção solar, óleos bronzeadores e até mesmo a luz UV, proporcionando maior durabilidade dos produtos de swimwear e outdoor. Foi concebido para superar a vulnerabilidade do elastano aos danos provocados por esses agentes. Assim as malhas para confecção da moda praia, piscina, fitness, ciclismo, montanhismo ou mesmo roupas do dia a dia que têm mais exposição à água clorada, protetores solar e óleo de bronzeamento, que causam danos às peças e maximizam o encurtando sua vida útil. Tem no produto a melhora na durabilidade do tecido proporcionando ajuste mais duradouro das peças, além de uma boa compressão e modelagem dos artigos confeccionados para a conservação da forma, garantindo maior durabilidade do produto.

6O Mipan® nylon e poliéster tecnológico oferecem soluções funcionais e sustentáveis de fibras, essenciais para o mercado têxtil.

A Hyosung possui 10 plantas industriais localizada na Coréia do Sul, China, Turquia, Vietnã, Brasil e Índia.  No Brasil, está presente desde 2011, quando instalou a planta industrial situada na cidade de Araquari, em Santa Catarina, com terreno de 250 mil metros quadrados e área construída de 40 mil metros quadrados. A unidade no Brasil é o ponto estratégico não só para produção e distribuição nacional, mas como base de distribuição de elastano para países como a Argentina, Peru, Equador, Colômbia, Chile e Paraguai. Neste ano, a Hyosung investiu mais R$ 200 milhões na ampliação de sua indústria brasileira, aumentando sua capacidade produtiva para 22 mil toneladas/ano de elastano.

ESTRATÉGIAS

Nos últimos 10 anos, foi possível perceber a evolução tecnológica, e com uma rapidez jamais vista em qualquer momento da história mundial. Essa evolução meteórica ocorreu em todas as áreas de nossas vidas que possamos imaginar; desde os aparelhos que já eram tecnológicos e inovadores como os smartphones, até as geladeiras, que hoje podem atuar até mesmo como um celular. Em 2010, existiam 202,9 milhões de dispositivos móveis ativos no Brasil e, em 2019, chegamos a 230 milhões somente no âmbito dos smartphones, o que não inclui os celulares comumente vendidos no início da década.

A indústria foi uma das que mais “sofreu” alterações. Atualmente vivemos a Quarta Revolução Industrial, tamanho o desenvolvimento dos últimos anos, e uma pandemia, não podem ser os únicos motivos para essa digitalização. Devem ser observadas ainda mais as questões de mercado. Assim, a maioria dos consumidores migraram para compras via  “internet” e estar presente nos meios digitais é essencial para que a indústria não fique para trás em relação às outras.

No B2B, é comum as indústrias terem uma carteira fixa de clientes, vendendo sempre para eles. Mas, porque não expandir essa gama de clientes e aumentar o faturamento? Com o marketing digital ao seu lado, você pode manter essa carteira dos seus “fiéis” clientes e ainda conquistar muito mais, já que, obviamente, estará aparecendo para mais pessoas.

ricardo-martinsRicardo Martins, especialista em marketing digital, graduado em Marketing pela Escola Superior Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, com Master em Marketing pela ESPM, em São Paulo e CEO da TRIWI agência de inovação digital sugere algumas ferramentas:

•SEO (Search Engine Optimization): essa é a ferramenta responsável pelo ranqueamento dos sites nos mecanismos de busca, como o Google. Através de artigos que, respeitando a quantidade de palavras-chave, ainda são interessantes ao consumidor, o marketing digital consegue deixar sua indústria entre os primeiros resultados;

•Anúncios Pagos: ainda falando nos mecanismos de busca, você já deve ter visto na parte de cima do Google, por exemplo, alguns resultados acompanhados da escrita “anúncio”. Uma agência de marketing digital, através do seu investimento, pode incluir este serviço na estratégia de sua indústria, garantindo visibilidade;

•E-mail Marketing: o marketing digital atuando pela sua indústria, dá a opção da criação de um e-mail marketing! Assim, é possível criar campanhas específicas para cada tipo de cliente, usando as famosas “boas práticas” para que suas mensagens não caiam na caixa de SPAM.

•Redes Sociais: manter uma presença sólida nas redes sociais ajudará sua indústria a gerar diferenciação dos demais concorrentes. Suas publicações ajudarão a gerar relacionamento, reconhecimento de marca e vendas.

da redação com imagens: fotos/divulgação

setor calçadista

worldfashion • 07/04/21, 16:07

AÇÂO SOLIDÁRIA

2A Gambo (nome originária do latim e significa base, apoio, sustentação), estes são os pilares  que inspiram a empresa que term mais de três décadas de experiência em fazer calçados de qualidade, produz cada par artesanalmente, tornando-o um produto único. Os sapatos são produzidos em couros nobre, selecionados e super macios, para meninos e meninas, nos tamanhos 13 a 36.

Como seria se pudéssemos entregar às crianças o poder de modificar nosso planeta? Certamente veríamos a natureza sendo cuidada com mais carinho, teríamos a bondade como um de nossos alicerces e presenciaríamos as nossas cidades repletas de murais coloridos e com mensagens positivas por todos os cantos.

11Inspirada nessa ideia, a Gambo lançou a coleção de Inverno 2021 - IMAGINE -  e ainda firmou uma parceria inédita com a Casa Hope, instituição filantrópica que oferece acolhida e todo o suporte às crianças em tratamento de câncer e transplantadas (e suas famílias), provenientes de todo o Brasil, aumentando suas chances de cura.

Assim a coleção IMAGINE  estará 100% comprometida em auxiliar e estimular seu público a se envolver com a causa, com uma série de ações.

Segundo Luis Eduardo Pereira, gerente comercial e marketing da Gambo, “a parceria com a Casa Hope é um marco importante na nossa empresa e legitima nosso comprometimento com a responsabilidade social. Vamos batalhar juntos para o sucesso dessas ações e esperamos inspirar nossos parceiros e clientes a se envolverem com essa causa tão especial”.

As ações tiveram início em janeiro de 2021, com a criação de dois produtos temáticos com a imagem do urso panda, símbolo da Hope, que foram doados pela Gambo para venda na loja virtual da Casa. A verba integral da venda da linha panda será revertida para a Casa Hope. E nas vendas de qualquer produto da coleção Inverno 2021 nas lojas que revendem a marca, parte da renda será revertida para a Casa Hope. Todos os produtos Gambo receberão uma tag de identificação sinalizando, que na compra do produto, o consumidor estará automaticamente ajudando a Hope. No verso da tag, um QR Code direciona o consumidor para conhecer a causa e fazer uma contribuição pessoal, se desejar. Finalizando essa série de ações, a cada 100 compartilhamentos da ação ou 100 hashtags   #CadaSapatinhoImporta,  além de ajudar a promover a Casa Hope, a Gambo fará mais uma doação substancial para a Casa.

Onde encontar: Coleção Panda: https://casahopestore.lojavirtual.com.br - Coleção Gambo Hope: https://www.gambo.com.br/onde-encontrar

da redação com informações da Gisele Najjar Assessoria     imagem: fotos/divulgação

AÇÃO SOCIAL

A marca a marca Grendha, criada em 1996 pelo grupo Grendene, com foco em rasteiras e sandálias para todas as ocasiões de uso da mulher brasileira, lançou as sandálias ” Bordando Histórias”, criada com as Artesãs da Linha Nove - projeto do Instituto Acaia com as moradoras das Favela da Linha Nove, na Vila Leopoldina em São Paulo, são mulheres que encontraram no bordado a sua fonte de renda, uma prática terapêutica, de fortalecimento e de possibilidade de viver relações de solidariedade.

img-5111-alta-427x640img-5186-alta-427x640

A coleção aproxima da mulher real e acompanha nas mais diversas ocasiões do cotidiano, a coleção alia qualidade, beleza, conforto e história. As sandálias, flexíveis e macias resgatam a cultura brasileira do bordado ao mesmo tempo que garantem estilo e elegância. Em 6 cores diferentes tem como proposta permitir que as consumidoras bordem na parte superior do produto, traduzindo assim a moda para a realidade da mulher brasileira. O calçado tem bordados exclusivos na palmilha feitos pelas Artesãs da Linha Nove, que retratam em suas artes flores que simbolizam ao mesmo tempo a delicadeza e força de ser mulher.

Além da participação das bordadeiras na criação e confecção das sandálias, elas gravaram mini tutoriais que serão veiculados nas redes sociais da Grendha, com técnicas de bordado e ensinando como customizar o produto. A campanha relembra a essência do bordado de conectar histórias e costura ponto a ponto uma rede de empoderamento feminino.

As sandálias custam R$44,99 e podem ser encontrados na loja online da marca: www.grendha.com.br e nas lojas e sapatarias revendedoras de Grendha no Brasil

celia-maria-dos-santos-silva-alta-640x427juventina-matos-de-assis-464x640Célia Maria dos Santos Silva - Projeto Artesãs da Linha Nove

Juventina Matos de Assis - Projeto Artesãs da Linha Nove

maria-da-paz-ribeiro-alta-640x427maria-gorette-eduardo-464x640Maria Gorette Eduardo - Projeto Artesãs da Linha Nove

Maria Da Paz Ribeiro - Projeto Artesãs da Linha Nove

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria de Comunicação   imagens/foto divulgação

IGUALDADE DE GÊNERO

Conforme dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) a partir da RAIS/MTE, o setor calçadista brasileiro se destaca nacionalmente quanto à participação feminina  nas empresas, com mais de 33% dos cargos de liderança ocupados por mulheres.

12Vale ressaltar que a presença está acima da média nacional, que é de 25%, segundo a consultoria internacional Grant Thornton. Entretanto, ainda assim, a desigualdade de gênero é um problema antigo, mas que infelizmente continua atual. A discussão sobre esta questão é um assunto de essencial importância, e cada vez mais atravessa os mais diversos setores da sociedade.

Estas mudanças no setor não são de hoje, em 1998, a pesquisadora Maria Cristina Bruschin constatou que, na indústria calçadista, a queda do nível de emprego incidiu mais severamente sobre as mulheres; enquanto a ocupação masculina cai de 27,0% em 1985 para 26,4% em 1995, a presença das mulheres sofre declínio mais acentuado, decaindo de12,4% em 1985 para 9,3% em 1995.

flats2Já a distribuição de rendimentos no setor também se apresentava muito desigual: em 1995, 49% das mulheres e 33% dos homens ganhavam até dois salários mínimos, ao passo que 7,5% das mulheres e 14,7% dos homens ganhavam mais de dois a cinco salários mínimos.

A marca de calçados femininos, La Femme, com 12 anos de mercado, comprova as mudanças no setor e a empresa conta com 65% do quadro de funcionários composto por mulheres, com uma preocupação genuína com a questão.

“Para valorizar quem sempre está conosco, proporcionamos para algumas colaboradoras mais antigas da empresa um dia especial, ensaio fotográfico, almoço especial e outras atividades que, por mais singelas que pareçam à primeira vista, têm a importante missão de resgatar o autocuidado e ao autoamor na rotina dessas mulheres”, menciona a Diretora da La Femme, Silvia Barboza.

flats4A empresária ainda destaca a importância de não realizar distinção de cargo, salários e, principalmente, funções. “Quando pensamos em uma indústria, como é o nosso caso, associamos muito a um trabalho braçal e mais intenso, por vezes necessário força, mas, é aí que você se engana, aqui cada funcionário tem sua posição, indiferente de gênero. Quem disse que uma mulher não pode carregar uma caixa ou manusear um maquinário?”, pontua Silvia.

As diferenças se tornaram ainda mais latentes durante a pandemia. No terceiro trimestre de 2020, o Brasil registrou 8,5 milhões de mulheres a menos na força de trabalho, em comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo dados do IBGE. A taxa de participação das mulheres na força de trabalho ficou em 45%, 14% menor do que em 2019, segundo a Pnad Contínua do IBGE.

“A mulher precisa - e deve - ocupar o cargo que lhe é por direito. É importante ver que a presença feminina vem ganhando destaque em um setor que é mais frequentado e gerenciado por homens. Claro que, infelizmente, com a pandemia muitas mulheres perderam seus postos de trabalho, mas, em contrapartida, muitas outras começaram a empreender ou foram promovidas dentro da empresa”, destaca a empresária.

flats6A La Femme é referência no segmento de calçados flats com pedrarias no Brasil. Com um parque fabril de 2.500 m², a marca produz para mais de 1.000 lojas multimarcas em todos os estados do Brasil e no mundo, como África do Sul, Bolívia, Colômbia, República Dominicana,  Equador, Emirado Árabes Unidos, Estados Unidos, Paquistão e Paraguai. Com produção diária de 1.500 pares, a La Femme já produziu e distribuiu mais de 3,5 milhões/pares no mercado nacional e internacional.

flats3Na tendência do conforto e, claro, do home office, o sapato de salto alto tem perdido espaço no guarda-roupa das mulheres ao redor do mundo. Uma pesquisa realizada no Reino Unido mostra que as vendas de salto alto caíram mais de 70%. Já no Brasil, o setor de calçados foi impactado de forma geral em cerca de 25%, segundo a Abicalçados.

“Já vínhamos com uma tendência de queda de saltos. A mulher, com o passar do tempo, entendeu que usar sapatos mais baixos também traz estilo, conforto e elegância para as composições, não há necessidade de optar sempre pelo salto.”, menciona a executiva da La Femme Silvia Barboza.

Em meio à pandemia, às transformações do consumidor e os debates sobre consumo consciente, escolher uma peça versátil para ter no armário faz toda a diferença e, claro, só traz benefícios. Além de você economizar dinheiro, está promovendo uma moda sustentável, que defende que não é necessário ter muitas roupas, mas, sim, diferentes itens versáteis que rendem inúmeras produções.

da redação com informações da Agencia Temma   imagens: fotos/divulgação

SUSTENTABILIDADE

img-6865-alta-427x640Criada em 2019, a dL Store é uma marca nacional de bolsas para mulheres que aposta na qualidade de seus materiais, na durabilidade e na atemporalidade. Com design atemporal, contemporâneos as bolsas  circularam nos mais diversos momentos. A dL Store faz parte do grupo MCM, comandado pela CEO Tita Mallmann, composta por um time 90% feminino, passando do processo de criação, produção e gerenciamento. Além disso, todas as bolsas são feitas à mão por artesãs brasileiras, reforçando a qualidade e exclusividade das peças.Utilizam couro natural, ráfia e detalhes em acrílico e metais, nas peças.

Somos singulares, porém apostam também na variedade de materiais, cores e design, trazendo peças de couro 100% natural e ráfia, com detalhes em acrílico e metais. Uma variedade para quem não quer se ver presa às regras e padrões. Para quem busca ser livre para ser.  A marca busca contar histórias diferentes a cada coleção, a partir de campanhas que criam mundos únicos, serão quatro coleções cápsulas anuais, a marca se inspira em histórias que proporcionam diferentes sensações às consumidoras.

img-6314-alta-427x640A primeira coleção deste ano é WAVES, inspirada no balanço das ondas e na leveza da natureza, a coleção conta com quatro novos modelos.

Waves é o carro-chefe da coleção, uma bolsa transversal, com alça ondular, perfeita para qualquer ocasião, dia ou noite.

Wave Baguette se apresenta como uma clutch oversized, perfeita para o dia a dia.

Wave Shopper é o terceiro novo modelo, prática e moderna, com alça e necessaire de camurça removível.

Por fim, Wave Tote é uma bolsa de ombro, com estrutura maior e ampla, perfeita para levar até notebook.

A marca está disponível no seu e-commerce próprio, no site OQVestir e em multimarcas espalhadas pelo Brasil.

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria de Comunicação imagens: fotos/divulgação

isla_fev21_0654-640x427Pensando em unir uma cadeia de produção sustentável e a estampa Vichy, nova febre do mercado da moda, a ISLA lançou, a coleção cápsula que conta com peças que utilizam a padronagem de forma lúdica. As bolsas da família VICHY possuem dois shapes super modernos: bucket e baú. O quadriculado clássico ganha ainda mais vida através das cores azul, vermelho e preto.  As bolsas foram feitas isla_fev21_0470-512x640através de resíduos têxteis reunidas com a técnica ancestral do crochê, absorvendo materiais que seriam descartados e os transformando em produtos de luxo. Além disso, as bolsas também contam com o toque charmoso da palha indiana, material presente em diversas peças da marca.

“Percebemos a oportunidade de unir o comeback do estilo setentista da estampa Vichy com nosso DNA sustentável. O resultado foram peças statements que são a cara da nova fase da ISLA!”, conta Silvia Monteiro, fundadora e diretora criativa da marca. As bolsas da coleção cápsula são limitadas e já podem ser adquiridas no site www.islaoficial.com.br

da redação com informações da Fernanda Castro - RP da marca  imagens: fotos de Gustavo Romanelli

EXCLUSIVIDADE

3A Sugoi Shoes desde 2010, já produziu mais de 10 mil calçados, entre coleção e exclusivos. São sapatos com temas autorais personalizado para diversas ocasiões. Lançou no início do mês a coleção Jeanne Hébuterne, inspirada na pintora modernista que viveu na França do início do século XX e foi esposa do renomado pintor Amadeo Modigliani, para celebra os 11 anos da empresa na produção de sapatos personalizados e pintados a mão. A coleção conta com 3 modelos de sapatos exclusivos criados pela artista Louise Mello, que é a mente por trás da Sugoi Shoes. Louise explica que a ideia de homenagear Jeanne Hébuterne surgiu da ideia de mostrar outras mulheres na arte: “Muitas pessoas falam de Frida Kahlo como se somente ela fosse uma figura importante na arte. Conheço a história de Jeanne Hébuterne faz bastante tempo e venho estudando desde então, a ideia é mostrar como ela não era apenas a esposa de um grande pintor, mas também uma grande artista”.

Anabela La Vie en Rose, que representa o amor de Jeanne e Modigliani e as desavenças que ela enfrentou por conta desse amor;

Mule Provence, que remete ao período onde o casal viveu no Sul da França, cheia de campos de lavanda;

Doll Jeane, que retrata o aspecto físico da pintora, no que costumam chamar de “noix de coco” devido ao cabelo negro com a pele clara da artista.

Veja mais em : www.sugoishoes.com.br/jeanne-hebuterne

da redação com informações de Luan Carlos de Araújo Peixoto Assessor da Sugoi  imagens: fotos/divulgação

NEGÓCIOS

Em 2020, empresas de diversos segmentos tiveram que se reinventar por conta da pandemia mundial de covid-19. Apesar dos desafiados, a Calçados Bibi deu sequência ao plano de expansão da rede, inaugurando a primeira unidade de microfranquia em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. A pioneira em calçados infantis bateu o recorde de implantação com 17 novas unidades, sendo quatro delas no exterior, totalizando 130 lojas em operação. Além disso, a marca registrou um crescimento de 151% nas vendas digitais em canal próprio (e-commerce) e de 207% na rede online, explorando diferentes plataformas digitais. Para o ano de 2021, a expectativa é manter o ritmo e patamares alcançados no ano anterior.

Em 2021, continuam com foco na expansão da rede de franquia. e são esperadas 32 inaugurações, sendo 20 lojas no Brasil e 12 no exterior, concentrado em países da América Latina. “Como exportamos com marca e design próprio para mais de 70 países, a implantação de lojas fora do Brasil é feita por meio dos nossos parceiros comerciais de longa data. Já que eles conhecem melhor o mercado, a cultura e o comportamento dos consumidores, a estratégia acaba sendo mais assertiva. Ingressamos inicialmente em países da América Latina, como Peru, Bolívia, Equador e Chile, mas outros continentes também estão o nosso plano de expansão. Até 2030 queremos chegar a 100 lojas internacionais”, revela a presidente da Calçados Bibi, Andrea Kohlrausch.

Além da internacionalização, um dos focos da rede para os próximos anos será a expansão nas cidades do interior brasileiro, em diferentes estados brasileiros. De acordo com a presidente, as mais de 3,5 mil multimarcas que vendem calçados da Bibi foram menos afetadas com os impactos do coronavírus. Isso se dá, pois grande parte delas está localizada em cidades menores e fora de shopping centers, como habitualmente ocorre em capitais e grandes metrópoles. “Com o lançamento do projeto de microfranquia em 2020, que conta com um investimento de R$ 90 mil, essa será uma estratégia da Bibi para atuar em pequenos municípios. O modelo é inovador, já que a operação é montada dentro de uma loja multimarca, que oferece outros itens para o público infantil, mas com calçados exclusivos da Bibi”, explica Kohlrausch.

14Outra estratégia da marca é promover cada vez mais a integração de canais em diferentes mercados, avançando na abertura de e-commerce em outros países da América Latina, com o intuito de replicar o sucesso do canal existente no Brasil e no Chile. “O período de pandemia estimulou a integração, intensificou a transformação digital e proporcionou ainda mais estimulo para as marcas inovarem. Hoje, queremos incentivar nas lojas a competência de buscar o cliente fora das unidades, esta é uma tendência que veem trazendo retornos positivos ao negócio. Dessa forma, o e-commerce entra como um facilitador em outros países onde vendemos os calçados por meio das franquias ou multimarcas”, ressalta a presidente.

A Bibi conta com três modelos de negócios, que podem ser escolhidos de acordo com o número de habitantes da cidade em que o investidor tem interesse em investir. São eles: loja Padrão, Light e Microfranquia. Os valores partem de R$ 90 mil com prazo de retorno a partir de 12 meses, sendo que o faturamento médio mensal começa em R$ 40 mil.

Fundada em 1949, a Bibi é referência no mercado de calçados infantis. Com fábricas em Parobé (RS) e em Cruz das Almas (BA), produz mais de 2 milhões de pares ao ano. Promove o desenvolvimento natural e saudável para o público de 0 a 9 anos, uma das premissas básicas da Calçados Bibi. A marca é pioneira e líder em desenvolver produtos a partir de pesquisas e estudos científicos. Conquistou reconhecimento do setor a partir do desenvolvimento dos calçados atóxicos, fisiológicos e da tecnologia da exclusiva palmilha Fisioflex Bibi, que proporciona a sensação de andar descalço. Tudo para crianças ser criança. Presente em mais de 70 países nos cinco continentes, no Brasil está em mais de 3.500 mil pontos de venda multimarcas, além do e-commerce e de uma rede de franquias com mais de 130 lojas. A empresa é ainda a única calçadista certificada pelo Selo Diamante de Sustentabilidade, que atesta o compromisso com as iniciativas nos processos industriais, bem como o desenvolvimento de ações em sintonia com os pilares estabelecidos pelo programa de Origem Sustentável: Ambiental, Econômico e Social.

da redação com informações da DFREIRE Comunicação e Negócios  imagem: foto/divulgação

PROGRAMA da SWAROVSKI

worldfashion • 30/03/21, 11:35

b887a066fb2da44857690d75a6c62c7d-427x640A Swarovski Foundation anunciou em Londres no dia 25 de março de 2021 - o lançamento do Swarovski Foundation Institute: Creatives for Our Future, um novo programa global de bolsas desenvolvido com o assessor do Escritório das Nações Unidas para Parcerias para identificar e acelerar a próxima geração de líderes criativos em sustentabilidade.

O  SFI (Swarovski Foundation Institute): Creatives for Our Future começa com uma chamada aberta de quatro semanas para os jovens criativos de todo o mundo com idades entre 18 e 25 anos nas disciplinas como moda, design, arte, arquitetura, ciência, tecnologia e engenharia - sem limite para o meio criativo. A Fundação Swarovski tem como objetivo atrair um grupo diversificado de candidatos de todo o mundo e trazer novas vozes e perspectivas para o processo criativo. E serão aprovados os que possuirem grande interesse, demonstração ou potencial exemplar de usar o processo criativo para acelerar a conscientização, tecnologias ou soluções para o desenvolvimento sustentável.

26d5d09013d358aed490908a93db990b-427x6402c029417cdcab7b92bc3bf100a1743df-427x640Os selecionados receberão apoio financeiro para promover sua prática e desenvolver novos caminhos para um mundo melhor. O financiamento é ligado a um programa educacional em colaboração com as principais instituições internacionais, orientação personalizada e conexões profissionais na indústria com a orientação da Fundação Swarovski. Cada mentor participante, líder em seu campo, representará a mais ampla gama de disciplinas criativas, desde moda e arte até tecnologia e ciência. Ao longo do programa, os participantes selecionados receberão apoio 77998ae44a51061a973868f2ff8b320a-480x640c9e6ef51cf4620f328077e826387a15a-427x640para desenvolver as inovações e práticas descritas em suas aplicações e impulsionar o progresso em direção à Década de ação para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Decade of Action to Deliver the Sustainable Development Goals - SDGs). Os participantes serão convidados a apresentar em setembro de 2021 - em torno do segmento de alto nível da Assembleia Geral da ONU  que declarou 2021 o Ano Internacional da Economia Criativa para o Desenvolvimento 4fbc0adcd7a806ab1d45e9a611b569a4-427x64075186f3e402875a4845b49135b244812-427x640Sustentável pelas Nações Unidas.

O programa global de bolsas é lançado com uma chamada aberta de quatro semanas para inscrições de diversos jovens talentos (18-25) em todas as disciplinas criativas, incluindo moda, arte, design, arquitetura e engenharia

Inscrições abertas em www.sfcreatives.org

de 9 de março a 09 de abril de 2021

Data do anúncio dos beneficiários e mentores selecionados e professores mestres, Dia Mundial da Criatividade e Inovação da ONU:  21 de abril de 2021

0d0668cd50ff771d4c7c1fc45de889e3-640x427Os participantes selecionados receberão uma bolsa, mentoria pessoal, treinamento educacional e conexões profissionais na indústria em apoio às suas práticas de desenvolvimento. Eles serão convidados a se apresentar em setembro de 2021 - em torno do segmento de alto nível da Assembleia Geral da ONU - com o início do programa programado para dezembro de 2021

da redação com informações da MktMix Assessoria de Comunicação  imagens: fotos/divulgação

IN-MODE

worldfashion • 26/03/21, 16:03

235891025f0b6595467e2bd84442c721-602x388O IN-MOD (Instituto Nacional de Moda e Design), organização à frente de iniciativas como o Projeto Estufa (debate de moda e design como agentes de negócios), do São Paulo Fashion Week, incorpora a Economia Criativa em sua sigla e passa a ser denominada IN-MODE (Instituto Nacional de Moda, Design e Economia Criativa) e realizará, a 7ª edição do evento, nos dias 30 e 31 de março e 6 e 7 de abril, das 9h às 13h, e a roda de conversa será conduzida por criativos, empresários e economistas. O tema será  “Mudar como mudamos”, o evento desloca suas raízes, do São Paulo Fashion Week (SPFW), para uma edição 100% virtual transmitida pelo canal do Instituto no YouTube. Envolta pelo véu de aceleradas transformações comportamentais complementares à ascensão de novas tecnologias, a moda avança em sua relevância para os negócios, sociedade e novas economias.

festa-lancamentolivro-spfw-inverno2012-123lalalidiaO novo ciclo de encontros reúnirá players importantes do mercado com o propósito de instigar reflexões, diálogos, e, sobretudo, apontar caminhos e identificar recursos em função de um futuro que desejamos construir e habitar. Tecnologia e colaboração se mostram, cada vez mais, indissociáveis e, juntas, resultam em pontos de convergência cruciais de negócios, design e inovação. A mediação será feita pelas curadoras e idealizadoras (na foto acima ) à esquerda Graça Cabral, no meio Lala Deheinzelin e à direita  Lidia Goldenstein.

c5ca5b455a3d8f4a5d67464c717deffb-360x640Com o propósito de inspirar e transformar modelos e processos que não cabem mais ao modus operandi, os novos encontros de economia criativa trazem luz à aceleração da complexidade tecnológica, globalização, 5G e inovação divididos em oito talks, durante as duas semanas do evento digital.

Nos dias 30 e 31 de março, temas como cultura de inovação, ESG, mercado e bem comum percorrem os talks conduzidos por Alvaro Machado Dias (WeMind), Lindalia Junqueira (Hacking.Rio), Alberto Serrentino (Varese Retail), Renato Meirelles (Instituto Locomotiva), Francine Lemos (Sistema B), Miriam Rocha (Negócios Criativos), Cesar Paz (Unisys/POA Inquieta, Sergio Marcondes (Blend/Impact Valley) e o estilista Ronaldo Fraga.

Na semana seguinte, nos dias 6 e 7 de abril, inovação retoma ao palco nas vozes da estilista Flavia Aranha, Fernando Bertolucci (Suzano), Flávio Grynszpan (iCorpsBrasil), Lia Coelho (SciGrow), Ana Carla Fonseca (Garimpo de Soluções), Olivia Merquior (DACRI DEVIATI), Léo Rodrigues (VTEX), Cairê Moreira (Renner), Fred Gelli (Tátil) e Ricardo Catto (Chie e Grupo Anga).

Assim como em edições anteriores, as conversas do #7 IN-MOD serão disponibilizadas on-line de forma gratuita no canal do YouTube (Instituto INMOD) e integram a coleção de Cadernos de Economia Criativa do Instituto, braço institucional do Calendário Oficial da Moda Brasileira.

Link para inscrição do evento, via Sympla:  https://bit.ly/7EncontroEconomiaCriativa.

da redação com informações da PressPass imagens: fotos/divulgação

c3254c1fac73c1393899118cae30a2fb-640x6401

96abf5d5cef5f9227229c80471387919-640x6401

FALL-WINTER 2021-2022

worldfashion • 25/03/21, 16:03

BALMAIN

balmain-2Pierre Balmain fez as malas e começou a viajar, isto há 75 anos atrás, após o incrível triunfo de sua primeira apresentação de alta-costura.Ele voou para a América, seguindo as dicas de sua amiga Gertrude Stein, para atuar como embaixador itinerante de sua própria marca, cruzando todo os Estados Unidos para dar palestras sobre a cultura francesa e sobre o seu “saber viver”. Pierre Balmain também saltou o canal, e levou a nova versão feminina da alta-costura para Londres. Seis anos após a guerra com a oassagem por difíceis anos de guerra e ocupação, surgiu de repente a possibilidade de escapar para destinos que ele sonhou durante anos - e deve ter sido incrível. E nesta série de voos por meio mundo, pousou na Austrália, trazendo notícias de seu “Novo Estilo Francês” (e, claro, certificando-se de incluir uma visita ao Subúrbio de Balmain em Sydney).  Agora, pós-2020, é muito mais fácil apreciarmos o quão empolgantes deverem ter sido essas viagens para Pierre Balmain.

Assim a apresentação de Outono Inverno da Balmain trouxe coleções masculinas e femininas que canalizam essa sensação incrível de liberdade. Nos lembrar do poder que as viagens possuem em abrir mentes, animar espíritos e reunir aqueles que foram mantidos separados, pois todos nós esperamos pelos dias melhores que logo chegarão.

balmain-5balmain-7Muitos dos designs são sobre a beleza encontrada nos uniformes dos primeiros pilotos e astronautas, como os vestidos de paraquedas, botas de voo com cordões, jaquetas bomber e macacões cintilantes. Uma peça particularmente notável, com mais de 68 mil cristais Swarovski reciclados, reflete o cuidado que nosso ateliê possui em trazer ousadia às inspirações de aviador.

Como era de se esperar, os acessórios têm um papel importante nesta coleção. As macias e estruturadas, as bagagens de mão são cobertas com uma variedade deslumbrante de cores, tecidos e estampas relançadas pela Balmain, e as bolsas são um show à parte - se parecem bússolas, aviões de papel e almofadas de pescoço de viagem.

balmain-3balmain-6Com certeza nota-se a atitude que o Balmain é parisiense, então há sempre um toque despretensioso da cidade em cada um dos looks - mas as referencias dos primeiros voos na coleção outono de 2021 parecem ter ampliado de alguma forma este espírito tão familiar. Também é claro, para o glamour das viagens de meados do século - algo que é nitidamente refletido nas elegantes linhas da coleção ELY 64-83 (batizada com o nome da central telefônica da casa: ELYsées 64-83, que também deu seu nome ao primeiro perfume). Essa linha, inspirada pelo design de Pierre Balmain do início dos anos 70, remete as silhuetas femininas nas quais o fundador apostou. Assim como ele, vários outros jovens talentosos, foram responsáveis pelo renascimento histórico da moda em Paris no pós-guerra.

balmain-1balmain-4Valentin Petit e sua equipe foram responsáveis pela gravação do video, dentro dos hangares da Air France, onde os conhecimentos aeronáuticos e tecnológicos tornam possível um belo voo - assim como as habilidades do ateliê parisiense permitem que as passarelas de Balmain aconteçam. Muitos dos bordados dos artesãos da casa, foram inspirados pela construção e mecânica dos aviões e motores, que desempenham papéis importantes no filme. Por fim, insisti em forçar um pouco os limites de nosso vídeo do outono/inverno de 2021 - porque hoje, conforme seguimos em frente, é preciso sempre sonhar grande, permanecer otimistas e considerar todas as possibilidades. Então, a lua não forma apenas um belo cenário para este vídeo, mas também uma promessa, enquanto Balmain olha para as futuras passarelas lunares da maison.

EMILIO PUCCI

emilio-pucci-fw21_-15-427x640A coleção Outono/Inverno 2021 da Emilio Pucci, idealizada por um renovado time criativo, que está à frente do design há algumas temporadas, celebra um inverno ensolarado com trajes resort que vão de St Tropez à St Moritz. As cores são alegres, refinadas e audaciosas; o corpo é leve e livre, atlético, com estampas rodopiando: shorts e saias com transparências revelam pernas sempre enfeitadas, nunca nuas.

A modernidade impregna a ideia de um guarda-roupa modular, de peças separadas, que podem ser combinadas de maneiras infinitas de acordo com as vontades individuais. Jaquetas bomber acolchoadas, blusões e shorts curtos, polos e bodysuits em jacquard de mohair, túnicas e casacos dupla face, macacões, vestidos plissados leves e vestidos de chiffon com transparências, decorados com cristais e penas são os destaques de uma coleção que carrega todo o DNA da Emilio Pucci, inspirado nos tons de marfim, amarelo, rosa, laranja, nude e petróleo. Os mesmos tons caracterizam as estampas Cervinia, Cortina d’Ampezzo, Specchi, Clessidra, Nuages e Nappine: prints e desenhos icônicos, direto dos arquivos da Pucci foram atualizados e dessaturados.

emilio-pucci-fw21_-21-427x640emilio-pucci-fw21_-09-427x640O clima invernal pede peças acolchoadas e com cara de edredom e a Emilio Pucci traduziu esse conforto em jaquetas bomber e em shorts em seda ou veludo técnico, com preenchimentos sustentáveis feitos de fibras de seda natural e de garrafas R-PET. O tecido dos macacões de esqui também é feito de náilon reciclado, em alinhamento com o compromisso da Pucci em dar ênfase a questão da sustentabilidade em suas coleções.

Para a Emilio Pucci, o Resort é um estado de espírito, um jeito de ser. Aliás, é ensolarado, mesmo em pleno inverno, esbanjando alegria, energia e otimismo, no frescor das cores, no ritmo das estampas. Tudo remonta ao próprio Emilio Pucci, o visionário fundador da maison italiana, que se antecipou a tantas inovações. Como um viajante e um homem ativo, ele traduziu suas criações e sua moda com a mesma vitalidade. Ele abriu a primeira boutique em Capri, mas na verdade começou sua carreira em 1947 nas pistas de esqui da Suíça.

SALVATORE FERRAGAMO

ferragamo-fw21-11-427x640Dá um salto adiante para dar forma a um novo agora. Inspirado pela liberdade conceitual ilimitada da ficção científica e pela herança de inovação técnica da casa, o diretor criativo Paul Andrew projeta para o futuro a elaboração de uma visão alternativa do presente. Alimentado pelo otimismo e pela esperança, esta é uma coleção brilhante e jovem que revoluciona e melhora os padrões de uniformes do século 21 - comerciais, militares, noturnos, esportivos - descartando tudo o que é antiquado. Esta coleção é impulsionada pela sensibilidade para a saúde de nosso meio ambiente. Paul Andrew diz: “Na moda, o passado exerce uma gravidade – somos sempre atraídos por ele. Para esta estação eu queria inverter essa física. O objetivo era criar uma coleção que visse o presente através de um prisma do futuro – liberando uma infinidade de novas perspectivas. Os clássicos da ficção científica pré-milenares Gattaca, Until The End Of The World, e The Matrix foram todas influências cinematográficas - imaginações do passado do futuro que moldaram o hoje. Para esta coleção ‘Futuro Positivo’ imaginei os contornos padronizados dos uniformes de hoje como restos fossilizados de um passado há muito esquecido, libertos de todas as associações de classe, cor ou credo. Esta coleção propõe novos uniformes para um futuro utópico em que diversidade e positividade se combinam para transformar nosso mundo para melhor. Como Salvatore Ferragamo disse certa vez de seu próprio trabalho, esta coleção é dedicada “a todos aqueles que devem caminhar” - num momento em que devemos estar unidos em nossa determinação de reimaginar, reconstruir, progredir”.

ferragamo-fw21-07-427x640A Coleção: ready-to-wear vê modelos de alfaiataria misturados e sequenciados com códigos desenhados a partir de militaria, moto, atletismo, scuba e além. Tanto para mulheres como para homens, camisas, malhas mohair, calçados e acessórios são conectados e complementares, apresentados em monocromático contra explosões de cor. Os avanços sazonais incluem capas, casacos e parkas em couros e lãs processados por calor, malhas técnicas de espessura fina, bodysuits de malha e vestidos padronizados em uma camuflagem futura abstrata. Parcas utilitaristas e alfaiataria casual, vestidos e roupas para o exterior com tramas irregulares de fios com franjas. Uma constelação de vestidos de jersey drapeados e declarações em cota de malha estrelam e brilham em toda a programação.

Sapatos: Os principais calçados incluem botas de motociclista, tênis ’scuba sock’, tamancos em napa emborrachada e uma reinterpretação elegante do icônico F-heel da Ferragamo adornado com strass e um acabamento galvanizado.

Acessórios: As bolsas chave incluem o Nano-Trifolio em napa emborrachada e a bolsa Studio desconstruída e reformulada. Uma bolsa de viagem para homens vem em couro futurista com estampagem Gancini e possui uma alça utilitária.

Sustentabilidade – Highlights:

ferragamo-fw21-61-427x6401ferragamo-fw21-01-427x640• Um vestido confeccionado em poliéster feito de materiais reciclados pós-consumo.

• As solas de calçados incluem madeira proveniente de florestas certificadas de manejo responsável, borracha TPU reciclada pré-consumo e poliuretano e couro sem metal curtido com materiais à base de plantas e através de um processo de produção certificado de menor impacto ambiental.

• Os acessórios selecionados são feitos a partir de aparas recicladas pré-consumidor, tratando do desperdício de material e evitando a produção de material virgem, e outros são feitos a partir de lã e cashmere reciclados certificados pré e pós-consumidor.

• Parte do couro foi feita com um processo de curtimento sem cromo ou sem metal.

• Os fios de costura para parte de calçados e artigos de couro são feitos de 100% de PET reciclado certificado pós-consumo.

• Pré-consumo: A reciclagem pré-consumo é a recuperação de resíduos que foram criados durante o processo de fabricação ou entrega de mercadorias antes da entrega ao consumidor.

da redação com informações da Balmain e Emilio Pucci pela Samantha & Time JHSF e da Salvatore Ferragamo pela Suporte Comunicação imagens: fotos/divulgação

Santista Jeanswear

worldfashion • 18/03/21, 14:09

o-1eubl8e164nqagq1gm01ke1dkrtAs dicas da próxima estação, considerando que no hemisfério norte as marcas já se preparam para mostrar mais uma temporada de outono inverno e aqui no Brasil estamos prontos para captar trends do pré-outono desse ano. Os modelos mais folgados e descontraídos estiveram em alta nas temporadas passadas dado o conforto exigido pelos consumidores, assim as pantalonas jeans surgem com grande destaque nas próximas coleções, os shorts também ganham modelagens mais soltas, um visual bermudinha com o uso de pregas para dar movimento, recortes e passantes mais largos. reforçando esse ideal de bem-estar no 100% algodão ou com elastano.

A mudanças de comportamento, com o isolamento e mais tempo em casa, reflete em peças mais utilitárias e confortáveis. Na hora de sair é prioritário todo o conforto e zelo que temos em casa, assim há a união do conforto e funcionalidade. Calça de cintura elástica mesclando com jaquetas e sarjas coloridas com referência de alfaiataria e detalhes funcionais são itens que não podem ficar de fora da tendência workleisure. “O guarda-roupa foi enriquecido com modelagens mais amplas, conjuntinhos através de cores que combinam e exalam tons neutros e aconchego, jaquetas e blazers com camiseta e bermuda, propondo itens casuais em junção à alfaiataria, pronto para o ambiente interno e externo”, explica Sueli Pereira Gerente de Inovação e Design da Santista Jeanswear.

o-1eubl8e161hhidg614aj4bk1d3psshortsNeste cenário conflituoso, principalmente para o público jovem que não havia lidado com questões, como agora pertinentes a pandemia, com um futuro incerto, questões econômicas, o isolamento e diversos outros pontos estão resultando em mudanças no padrão de consumo e comportamento. As cores tornaram-se passível de cumprir papéis importantíssimos, como ressalvar a tranquilidade, resiliência e permitir também momentos de euforia. “A saúde e o bem-estar vêm se tornando prioridades, abrindo espaço para as cores que trazem equilíbrio e conforto, tons pastel, cáquis, rosas gold e verdes são cores que podem ajudar nessa proposta”, afirma a Gerente de Comunicação e Moda da Santista Jeanswear Sueli Pereira.

tibio-1ev5f72aj1h7d1h51o8fq6i1fqguTons naturais e acolhedores trarão a tranquilidade necessária e em contraste, cores vibrantes, acessas e revigorantes, serão escolhidas por aqueles que buscam um escapismo e animação entre um dia e outro do cotidiano, com as rosas em tons mais fortes, laranjas e turquesa.

Dicas de trends para ficar de olho em 2021

A gerente de Inovação e Design da Santista Jeanswear, Sueli Pereira, analisou os desfiles de moda que ocorreram esse ano e os conteúdos de moda que devemos ficar atentos nesse ano, para repaginar e ousar em novas interpretações. Sueli selecionou alguns trends para ficarmos de olho. Confira:

chanel- Pernas Largas: As calças com silhuetas mais largas são uma tendência genuína para a primavera, mostrando seu lado elegante com cara de alfaiataria ou mais despojado fazendo a linha skatista. O importante é mostrar conforto e versatilidade na peça ideal com tecidos mais leves como os artigos Ray e Ray Orion, da Santista Jeanswear.

gabriela-hearst- Cortar e manter: Já pensou na área abaixo da caixa torácica e logo antes da cintura? Os recortes abriram caminho para vestidos, tops e calças, apimentando looks conservadores graças a vislumbres de pele amostra, ocultando e revelando em igual medida.

david-koma- O retorno do espartilho: Peças mais estruturadas que marcam cintura e lembram os corsets, que evocam a sensualidade e deixam de lado o visual relaxado e confortável.

coperni1- Entre as linhas: Existe algo mais energizante do que listras? Quanto maior, mais corajosa, melhor. As listras remetem ao visual fresco, com neon podem revigorar os looks novamente. Nos itens jeans é possível usar laser ou tecnologias semelhantes para criar esse visual.

Para cada modelagem a Santista indica o artigo mais adequado:

- os artigos Scape e Scape Galaxy são indicados para peças que necessitam de stretch e aspecto rústico, opções de sucesso para nova estação que está chegando.

- os artigos White Denim Trend, Lite, White Denim Lite, Fields, Hope Stretch e o Joker para desenvolver looks dentro desse trend workleisure.

- os artigos denins Ray e Justin em diversos tons de azuis ampliando ainda mais as possibilidades em índigo.

11A Santista é marca de origem brasileira criada em 1929, é uma das principais produtoras do autêntico denim no país e tecidos para roupas profissionais. Tem um posicionamento que se estende do mercado nacional ao internacional, apoiando seus clientes com equipes especializadas de consultoria de produto, moda e lavanderia. Reconhecida por 23 anos como a marca TOP OF MIND de uniformes no Brasil, traz em seu DNA inovação, sustentabilidade e tradição em coleções atualizadas com as tendências globais e produtos tradicionais e tecnológicos.

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria de Comunicação  imagens: fotos/divulgação

Canatiba Printing

worldfashion • 17/03/21, 14:57

4-480x640Nesta terça feira, em coletiva de imprensa virtual, Fábio Covolan - Diretor de Marketing e Exportação da Canatiba, apresentou o lançamento da estamparia digital sobre o denim, reafirmando o prioneirismo da empresa com inovação e sustentabilidade. Foram meses de pesquisa, entre a aquisição do equipamento, montagem/ajustes e produção, para apresentar ao mercado uma revolução no cenário do jeanswear brasileira, abrindo novas fronteiras, em cores, formas e desenhos ( desde imagens fotográficas digitais, passando por grafismos, até os chamados microdesenhos utilizados para gravataria)  o leque de ofertas para a criação de estilistas, confecções e marcas, para desenvolverem estampas exclusivas para suas coleções, a partir de 100 metros de denim, que passarão por testes de qualidade e adequação da arte às bases escolhidas.

600-2354-img_6238-640x603Uma série de bases denim e sarjas PT,  com mais de 97% de algodão, na impressão digital,  alcançam resultados inusitados, possibilitando algo até então impossível para esse recurso de estamparia: a variação visual das lavagens, faz com que cada estampa multiplique seus efeitos.

São poucas e contornáveis as limitações que a nova técnica apresenta, se o fundo da estampa é na cor branca, por exemplo, são utilizadas as bases PT e para fundos escuros em microdesenhos a opção de tingimento se mostrou mais adequada. No mais, o céu é o limite.

frente-6002356-427x640A Canatiba também lança suas próprias estampas, como padrões camuflados, xadrez, dobby (pontilhados de gravataria), animal printing, florais e desenhos de céu que saltam aos olhos pela resolução que alcançam no tecido. O xadrez remete a padronagens de alfaiataria (como o Príncipe de Gales). O animal printing em bases PT chega ao requinte dos efeitos de pelagem e as cores e tons das nuvens - no azul do denim – e das flores – com as múltiplas lavagens – revelam um jeans absolutamente inovador.

No cardápio da tecelagem, consta também ampliação da linha Elastopol - com utilização de fios de poliéster 100% produzidos nas fábricas da tecelagem. São três novas bases. Destaque para o Marrakéxe Elastopol  (9,0 Onças, 65% algodão, 33% poliéster, 2% de elastano, tingimento ecológico e 50% de Stretch). A tecnologia Megaflex apresenta duas novas bases: o Forasteiro Thermofix New Collor (8,0 Onças, 98% algodão, 2% elastano, largura de 1.59 m e  35% de Stretch) e o Marrakéxe Stretch Denim (8,5 Onças, 76% algodão, 22% poliéster; 2% elastano, largura de 1.50 m, tingimento ecológico e 45% de Stretch), o  novo produto de melhor custo/benefício da Canatiba.

frente-6002346-427x640No grupo Premium Denim, com foco em tecidos 100% algodão, a Canatiba apresenta quatro novas bases entre as quais o Mascate + LARGO (10 Onças, tingimento ecológico com 15% de Algodão Reciclado) com o diferencial de largura de 1,80 m e o Phelps Blue Denim (6,0 onças com 1.70 m de largura), muito usado para camisaria, que ganha agora lavagem ecológica, com economia de 80% de água.

SUSTENTABILIDADE

Todos os lançamentos terão como novidade o acabamento Rice Éko, que traz o conceito de economia circular mais uma vez entre as boas práticas utilizadas pela Canatiba. Trata-se de um óleo extraído da casca do arroz. Tradicionalmente usado no mercado cosmético, esse acabamento adiciona vivacidade às cores, toque natural às bases, maciez e boa costurabilidade. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de arroz, com cerca de 11 milhões de toneladas colhidas por ano, o que gera aproximadamente 20% desse volume em resíduos. A casca de arroz leva mais de cinco anos para se decompor. Mesmo quando descartada em aterros, sua decomposição resulta na produção de gases poluentes, como o metano.

frente-6002350-427x640Também na direção dos processos sustentáveis na sua cadeia produtiva, a tecelagem passou a adotar o sorgo na engomagem de todos os tecidos da sua linha. Esse cereal substitui com ganhos ambientais outras fontes de amido (batata, mandioca, milho, etc).

O Sorgo é o quarto cereal mais produzido no planeta e cresce com baixa utilização de água, menor área de cultivo - inclusive em áreas de solos mais secos e pobres - com colheita mecanizada e boa tolerância a pragas (diminuindo o uso de agrotóxicos).

Na base do ciclo de produção do denim, a agricultura, com a utilização do sorgo a Canatiba contribui para o aumento da área cultivável de alimentos, prática das mais importantes para o equilíbrio ambiental.

Os lançamentos e processos sustentáveis da Canatiba Denim Industry reafirmam os compromissos da empresa na geração de valor na cadeia têxtil a partir da inovação com responsabilidade social e ambiental – marcas registradas em mais de meio século de história. Desde do  “envelhecimento” industrial, passando pela elasticidade, até a incorporação características funcionais, como tratamentos antimicrobiais, fazem parte do cardápio de inovação do segmento mais competitivo da cadeia têxtil. E agora com a tecnologia até então utilizada somente em outros segmentos: a impressão digital no denim - Canatiba Printing será a estrela dos lançamentos da tecelagem nas bases Elastopol, Megaflex e Premium Denim,

da redação  com informações da Duo Press imagens: fotos/divulgação

Ponto da Moda

worldfashion • 17/03/21, 10:22

lab-ponto-da-moda-2Um projeto, para ministrar curso destinado a dar formação a jovens que querem ingressar profissionalmente no campo da moda. É uma iniciativa da Quest/Zeppelin, com patrocínio da Pernambucanas e a participação, pedagógica e de conteúdo, da Faculdade Santa Marcelina, referência na área de cursos de moda.

Serão três turmas de alunos, totalizando 120 vagas com as aulas iniciando no dia 29 de março que seguirão, de acordo com as normas de restrições vigentes no momento, o formato híbrido, com atividades on-line e presenciais.

lab-ponto-da-moda-1A coordenadora do projeto, Professora Walquíria Caversan, docente da Santa Marcelina, afirma que os alunos terão acesso ao conteúdo idealizado pela instituição e especialmente adaptado com programas que incluem: projeto multidisciplinar; laboratório de costura e modelagem; laboratório gráfico e têxtil, além da disciplina “Arte, Moda, Cultura e Sociedade”, totalizando 144 horas/aula, com duração de um ano.

As atividades presenciais ocorrerão na sede do Lab Ponto da Moda, localizada no bairro da Vila Romana, em São Paulo, onde se encontram máquinas do tipo industrial (costura reta, galoneira e overlock), mesas de corte e computadores.

lab-ponto-da-moda-3Walquíria Carvesan destaca: “Trata-se de uma oportunidade gigante de troca, tanto para esses jovens que buscam conhecimento na área, como também para todos envolvidos no projeto, descentralizando a cultura e oferecendo um espaço democrático de reflexão e de produção de conhecimento”.

O Lab Ponto da Moda oferece também aos alunos consultoria focada em  empreendedorismo e educação financeira, buscando ser referência neste momento turbulento a todas as camadas da sociedade.

As inscrições gratuitas para o Lab Ponto da Moda, podem ser feitas até 19/3 (próxima sexta feira) pelo link https://bit.ly/3bSAAiO.

da redação com imagens: fotos/divulgação

Volta ao mundo em 80 pixels

worldfashion • 15/03/21, 14:44

Por Alexandre Schnabl*

1093web-640x427Na mira do empoderamento feminino ao redor do globo – e tendo como alvo a ressignificação de abusos sofridos em diversas culturas –, o Atelier Chilaze embarca numa viagem de balão virtual, reimaginando a rota do clássico de Jules Verne

1146web-427x640A trip agora é digital. Pelo menos por enquanto. Na impossibilidade momentânea de alçar grandes voos por causa da desglobalização forçada, nos resta viajar diante da tela dos devices. Nos dois sentidos: no relaxing e no geográfico. Por hora, o mundo está literalmente – e apenas! – ao alcance do computador. Agora, os cartões postais se resumem a imagens de #tbt nos feeds do Instagram. Frustrante? Talvez. Ou estimulante, quem sabe? Pensando nisso, o Atelier Chilaze olhou para trás para pensar adiante: focou no passado mecânico de uma era pré-informática para refletir sobre o momento atual, se inspirando num dos maiores clássicos da ficção infanto-juvenil – “Volta ao mundo em 80 dias”, de Jules Verne, escrito em 1873 no limiar da 2ª Revolução Industrial.

A partir das peripécias do inglês Phileas Fogg e seu fiel escudeiro Jean Passepartout, protagonistas da obra-prima, Claudia e Sandra Chilaze refazem o percurso da narrativa com a devida licença poética, alterando o itinerário para recônditos relevantes em dias de responsabilidade social. O foco? O empoderamento feminino, questão que move a brand na criação de acessórios e homewear que promovem a autoestima. No seu balão virtual com levada steampunk, as irmãs movimentam a sua bússola rumo a localidades planetárias que têm a ver com o mundo que nos cerca, navegando em direção a paragens onde a posição da mulher é louvável e a outras nas quais as condições sub-humanas precisam ser denunciadas.

1412web-427x640Afinal, se agora impera trocar o flanar pelo engajar, que ele seja sincero. Até porque, nas mídias digitais, o engajamento muitas vezes é fake. Então, que tal substituir a vontade profana de obter likes pelo desejo genuíno de transformar o planeta? No roteiro dessa intrépida jornada, a nova coleção-cápsula do Atelier Chilaze é tanto metáfora para necessários avanços sociais em prol das mulheres quanto libelo para a supressão de comportamentos tóxicos que insistem em privá-las de um admirável mundo novo. Que urge agora, no novo normal.

Na trajetória dessa nova coleção, ninguém viaja sem eira nem beira: os ventos da moda sopram o dirigível on-line a culturas que, se por um lado são espetaculares por sua riqueza, podem ser consideradas primitivas pelo domínio patriarcal que ainda leva as mulheres à submissão e torturas. Físicas e psicológicas, capazes de causar cicatrizes irreversíveis. Ou ainda a modificações corporais à revelia, inaceitáveis em tempos atuais. Tais tradições encontram paralelo no nosso cotidiano urbano ocidental em intoleráveis hábitos arraigados no ambiente contemporâneo, como a discriminação de gênero, a violência doméstica, o assédio e a diferença de salário por sexo, corroborando, no âmbito da disputa entre os gêneros, com aquilo que o pensador evolucionista queniano Richard Dawkins definiu em seu “O gene egoísta” (The Selfish Gene, Companhia das Letras, 2007): a batalha entre os sexos sempre fará com que um tente submeter o outro, e o gene egoísta masculino teria se encarregado, ao longo dos tempos, de controlar o comportamento feminino para a sua supremacia.

1055web-427x640Diante disso, o que seria mais pré-histórico? Ou demodê? A mutilação da genitália feminina (MGF) – clitoridectomia, excisão e infibulação – em cerca de 30 países de regiões da África Subsaariana e da Ásia, ou a postura do Brasil, único país americano a se recusar a mencionar o termo “saúde sexual e reprodutiva” em um texto proposto por países africanos em julho de 2020, na ONU, para banir essa prática? A burca que leva à invisibilidade como forma de suprimir o desejo, o apedrejamento de mulheres em países regidos pelo Talibã, a amputação dos seus dedos por usarem esmaltes nas unhas ou o levantamento realizado pela organização britânica Womankind Worldwide de que a violência contra a mulher continua endêmica no Afeganistão, onde 60% a 80% dos casamentos consumados são fruto de transações econômicas (dotes) e 57% das noivas têm menos de 16 anos? Difícil definir qual a maior barbárie.

O que repudia mais? Reduzir a curiosidade de safári, na Tailândia, as mulheres-girafa da etnia Karen autobanidas de Myanmar, prontas a enriquecer agências de turismo tal qual um freak show, ou a dominação milenar das chinesas, tibetanas e coreanas por meio da deformação dos pés por ataduras e quebra dos ossos, desde a tenra idade, a fim de satisfazer fetiches masculinos? A constatação, através do estudo realizado em 2012 pela Reuters Thompson Foundation, de que a Índia é o integrante do G-20 no qual 0520web-427x640as mulheres mais sofrem discriminação pela crença de serem inferiores, sobretudo nas afastadas planícies no norte do país, ou a banalização dos estupros sofridos pelas cidadãs somali no campos de refugiados de Mogadíscio, após fugirem das regiões dominadas pelos militantes islâmicos da Al-Shabaab?

A pesquisa dessa nova cápsula de peças, lançada no mês que celebra a mulher, aponta para abusos seculares que servem de prelúdio para denunciar aberrações atuais – o feminicídio, racismo, misoginia, preconceito e a coerção que a sororidade ainda não conseguiu resolver no Brasil da Era de Aquário. Dessa forma, subverter é preciso: signos de sultanatos sociais que relegam a mulher a objeto são ressignificados pelo Atelier Chilaze à condição de empoderamento delas, numa digníssima inversão de valores, em imagens que valorizam a exuberante natureza planetária em sintonia com a essência feminina.  Trata-se da não-burka.

Por outro lado, esse mergulho aprofundado também aponta para localidades que, sem necessariamente serem paraísos, podem ser consideradas idílicas do ponto de vista da dignidade feminina. É o caso das tribos do Vale do Omo, no sul da Etiópia, com pouquíssima influência ocidental, mas presença solar da figura feminina. São mais de 50 etnias, povos como os Mursi, Hamer, Karo, Arbore, Suri e Surma, muito simples, mas de tradições únicas. Todos extremamente vaidosos, sem distinção de sexo, sobrevivendo da agricultura e pecuária de subsistência, e equivalendo, em isolamento, a populações amazônicas como os yanomamis. São pequenas culturas com características peculiares que, em comum, dividem do respeito à mulher à valorização dos adornos, a pintura corporal e a escarificação – decoração voluntária da cútis com desenhos em relevo criados a partir do talho na pele e o surgimento de queloides.

O Atelier Chilaze crê na potência de transgredir comportamentos descabidos. Mais que isso, leva fé na possibilidade de, com atitudes positivas e através da valorização da beleza plural, contribuir para a mudança necessária. Como diz o concierge interpretado por Ralph Fiennes em “O Grande Hotel Budapeste” (2014), de Wes Anderson: “Ainda resta um lampejo de refinamento na barbárie que se tornou a civilização”.

Comunidades de artesãs continuam sendo presença vital na criação da brand, em collabs bacanudas, seja no manuseio da palha, corda e bambu, na marcheteria da madeira com resina ou nos tingimentos orgânicos. São pólos espalhados pelo Brasil e exterior, que Claudia Chilaze garimpa com afinco para desenvolver sua moda consciente, traduzida em bolsas, clutches, chapeus, luminárias, banquinhos, cestaria e leques, cujo processamento final é executado na própria oficina, no Rio. Agora, além do Rio, Minas, Bahia, Ceará e Rio Grande do Sul, talentos locais do Maranhão, Pernambuco e até do Peru engrossam as fileiras de colaboradores do Atelier Chilaze.

0597web-640x427Na coleção, grafismos em preto & branco contracenam com cores sólidas e translúcidas,  em aspecto brilhante ou lalique, numa cartela de cores que transita entre a resina handmade manuseada sem descarte e as linhas e cordas naturais, usadas em alças, tiras,  borlas, barbicaches e macramês, evocando a luminosidade necessária aos tempos atuais. Peças geométricas se harmonizam com orgânicas, como pingentes de elefantes, para trazer boa sorte. É disso que todos precisamos.

* Alexandre Schnabl é sócio-diretor na Scena Lúdica Studio de Criação e Produção de Conteúdo, jornalista com larga experiência em moda, beleza, cultura e comportamento, profissional com ampla vivência áreas de comunicação corporativa, marketing de experiência, eventos e produção de conteúdo. Produtor de texto e imagem, com destaque nos segmentos de comunicação em geral, tanto no mercado publicitário quanto no meio jornalísto e no varejo. Especializações nas áreas de comunicação visual, merchandising visual, direção de arte e cenografia. Atuação de mais de 20 anos como docente e palestrante nestas áreas.

imagens: fotos

VAREJO

worldfashion • 05/03/21, 17:32

CIA.HERING

cia-hering-s-a-hgtx3-1024x727Com seus 140 anos recém-celebrados, desenvolve, fabrica, distribui e comercializa seus produtos, e transmite o orgulho de ser nacional, a clareza na procedência e a preocupação em contribuir para a comunidade. Com unidades localizadas em São Paulo, Santa Catarina e Goiás. As marcas têm alcance em todo o País e no exterior, com mais de 700 lojas, além da presença no digital e em mais de 7.000 pontos multimarcas.

O foco no futuro é reforçado com sua atuação baseada na gestão de marcas, expansão e integração de canais, foco no cliente e nos critérios ESG (environmental, social and governance). A empresa reporta ao mercado o resultado do 4T20, com um crescimento de 230,6% no e-commerce (em relação ao 4T19), representando 14,3% das vendas no mercado interno. O resultado consolida a tendência verificada nos trimestres anteriores, dentro da jornada de digitalização de ponta a ponta. O modelo omni se fortalece, com a expansão da rede de lojas físicas registrando 130 inaugurações no ano - 29 no último trimestre - sendo 5 megalojas. As vendas digitais tiveram 91% de crescimento de fluxo na plataforma e 61% de novos clientes no site.

Resultados advindos da contínua estratégia de expandir os pontos de contato com o cliente e fortalecer ainda mais a relação com as marcas, com o consumidor no centro da operação, facilitando sua jornada de compra com conveniência e alto nível de serviço. As lojas físicas tiveram melhora em seus indicadores operacionais apesar do cenário de restrições de funcionamento de lojas devido ao covid, com aumento de 12% no ticket médio e crescimento de 5,1p.p. na taxa de conversão, dentro da ressignificação de seu papel como espaço de vitrine, coleta de produtos e centro de distribuição. As megalojas, uma nova proposta que amplia a experiência de compra, trouxeram crescimento de receita de 85% e ticket médio maior em 22%. Neste movimento, 100% das lojas foram habilitadas para Pick-up e ship-from-store.

A Cia. Hering, que já tem sua alta capilaridade como diferencial, reforçou isso com forte incremento em tecnologia e nos canais digitais, que resultou em 38 mil downloads nos primeiros 30 dias após o lançamento do APP, e a ferramenta Whatsapp Smart Sales, disponível em 518 lojas, apresentando 6.000 atendimentos no período. Neste cenário, 11% das vendas foram geradas a partir da plataforma de CRM, e 12% das vendas através de modalidades Omnichannel. Sete HUBs avançados de distribuição foram implantados, e houve uma redução de 2,4 dias no prazo de entrega. A frequência do cliente Omni foi 2,4 maior e o gasto médio, 2,6 maior, respectivamente, que o do cliente monocanal, mostrando que o foco no futuro traz resultados para o presente. No período, a Cia. Hering atingiu uma base de 10,2 milhões de clientes cadastrados. E uma conquista expressiva foi a redução do tempo médio de atendimento no SAC de 40 minutos para 23 segundos.

dzarm-inauguracao-patio-higienopolisEvoluindo também a experiência com as marcas, a Cia. Hering reporta um crescimento de vendas expressivo para a Dzarm no último trimestre de 2020: 11,5%. A loja inaugurada no terceiro trimestre do ano passado no Shopping Center Norte, com projeto tecnológico, colaborou para este número, com funções que permitem a compra e o recebimento do produto em casa, além de oferecer uma curadoria que permite experimentar as peças sem sair de casa. A linha Hering Intimates cresceu 4 vezes no canal online. Entre as novidades de produtos, foram lançadas 20 coleções-cápsula com time-to-market de até 3 semanas e sell-trough médio de 75%. As collabs com Smiley e Cartel 011 um novo público, ampliando a visibilidade no mercado, junto com a campanha de comunicação da marca Hering resgatando o foco no DNA de Básico do Brasil.

Dentro do cenário de recuperação do varejo, a Cia. Hering encerrou o último trimestre de 2020 com 778 lojas, das quais 758 no Brasil e 20 no mercado internacional. A receita bruta do 4T20 foi de R$ 503,4 milhões, com crescimento de 0,1% diante do 4T19. A margem bruta foi de 43,6% neste período, expansão de 0,2 p.p versus T42019. A EBITDA corrente foi de R$ 74,7 milhões, margem de 17,6% e geração caixa livre de R$ 45,8 milhões. Posição total de caixa de R$ 473,0 milhões, com caixa líquido de R$ 265,1 milhões.

A Cia. Hering continua pautada pelo foco na gestão de indicadores ESG, reforçando o planejamento de sustentabilidade, integrado à estratégia do negócio. A atuação da empresa fica estruturada em cinco grandes frentes: Cadeia de Valor, Meio Ambiente, Diversidade, Marcas e Governança. No 4T20 a Cia. Hering concluiu a implementação do Comitê de Sustentabilidade, com a finalização do inventário de emissões - que baliza a construção do plano de reduções e neutralização de gases de efeito estufa. Para buscar alternativas mais sustentáveis em seus processos, começa a adotar a técnica de análise de ciclo de vida de produto.

Os resultados atingidos pela empresa conjugam a evolução de uma atuação baseada em marcas, canais, clientes, e nos critérios ESG. Visando o fortalecimento de uma plataforma digital, integrada e ágil, em 2021, terá seu maior investimento da história, totalizando R$ 131 milhões em Capex. Estes recursos serão direcionados para nossos programas de tecnologia focados na reestruturação da arquitetura de sistemas e dados, desenvolvimento de infraestrutura, plataformas digitais e estratégia de inovação, modernização do parque industrial e logístico, além de melhorarias na experiência de loja.

A Cia. Hering é protagonista da jornada do conforto e com as marcas Hering, Hering Kids, Hering Intimates e Dzarm tem foco em experiências de bem-estar. Enxerga a vida de um jeito mais leve, humano e descomplicado, e acredita: isso nunca sai de moda.

O resultado completo do desempenho da Cia. no 4T20 pode ser visto no site ri.ciahering.com.br.

RENNER

1Lançou a coleção cápsula Cyber com itens confortáveis e cheios de informação de moda para looks masculinos, pegando carona no comeback da estética early 00’s, usando como referência o movimento tribal, raver e a era da computação. O futurismo vem aparecendo no streetwear urbano, por meio de novos acabamentos em 3D, looks impermeáveis, efeitos holográficos, metalizados e outros detalhes que deixam os looks com cara de “roupa do futuro”.

42A coleção Cyber é composta por peças variadas, de camisetas a jaquetas. Os produtos possuem tecidos com aspecto metalizado e materiais que refletem elementos gráficos como mini prints, patches emborrachados, glitches, zíper de metal aparente, aplicações de cristais localizados, ajustadores e distorções.

As peças chegam com estampas modernas e fits diferenciados, com desenhos tribais, japonismo, palavras e frases como “Nasa”, “Authenticity” e outras. Sua cartela de cores varia de tons de preto, branco, cinza e metalizados com acento de laranja.

3A jaqueta com capuz ganha destaque pelo tecido metalizado liso, moderno e cheia de estilo. A peça se destaca com facilidade no look, e pode ser coordenada com itens mais básicos, como camisetas com estampa e o clássico jeans ou calça preta.

Assim como a calça de moletom, que possui recortes laterais e nos joelhos em material refletivo. Seu cós elástico, com amarração para ajuste, adiciona estilo e garante melhor fit e praticidade ao vestir. Os acessórios arrematam a produção. São pochetes, bolsinhas tipo shoulder bag, bottoms, entre outros. Em evidência, o chapéu preto bucket, que confere um ar despojado e atual ao look, além dos óculos, com cores e shapes modernos, como o modelo em azul metalizado.

5Todas as peças estão disponíveis no e-commerce e em lojas físicas da marca.

A  Lojas Renner S.A. constituída em 1965, foi a primeira corporação brasileira com 100% das ações negociadas em bolsa e está listada no Novo Mercado, grau mais elevado dentre os níveis de governança corporativa da B3. Atua em todo o país por meio da Renner, que tem moda em diferentes estilos; da Camicado, empresa no segmento de casa e decoração; da Youcom, especializada em moda jovem; e da ASHUA Curve & Plus Size, que oferece roupas nos tamanhos 46 a 54. A companhia opera ainda com a Realize CFI, que apoia o negócio de varejo, através da oferta e gestão de produtos financeiros.

RIACHUELO

45df3656abffbfd875dd23222c8acbad-427x640Chega às lojas de todo o Brasil, a Coleção Fitness Mais Sustentável, desenvolvido pela equipe de Estilo e Sustentabilidade da marca, reforçando o posicionamento da Riachuelo em trazer uma moda cada vez mais sustentável e transformadora por meio de cada peça.

fee63974405655ab60fb1e9805a490e3-640x427749bf11773c4429ae687e7249058a718-427x640A tecnologia têxtil sustentável da coleção foi produzida com fios de poliamida biodegradáveis Amni Soul Eco® da Rhodia(*), que se decompõem completamente em cerca de três anos após descarte em aterros sanitários, e também com o fio EcoMade da LYCRA® (**)  feito com elastano reciclado pré-consumo. São mais de dez opções de conjuntos super confortáveis com estamparia Eco Print ( processo que reduz em 90% o consumo de água e em 30% o consumo de energia, c4d70c6930b72518c2ef7b1d536c45e1-427x6408009b6c90e2ab602e7dbbb46261dd7ee-427x640se comparado com o processo rotativo) que foram produzidas pela Berlan Têxtil (***)

“Nosso foco é ofertar cada vez mais produtos mais sustentáveis aos nossos clientes e, com esta coleção, abrimos mais uma porta para o setor varejista. A Riachuelo vem se mostrando cada vez mais atuante e estamos muito comprometidos em contribuir para uma moda mais sustentável”, afirma Valesca Magalhães, gerente de Sustentabilidade da Riachuelo.

fee63974405655ab60fb1e9805a490e3-640x4271b1d8a452e83211b28d35561987fdcb67-427x640A funcionalidade e elasticidade das peças são pontos fortes da coleçao, que modelam o corpo facilmente, visto que foram feitas especialmente para os momentos de lazer e esportes com muita versatilidade. As estampas variam entre florais, lisas, com ou sem texturas e telas nas cores preto, azul, verde e rosa.

As peças estarão disponíveis no site, aplicativo e podem ser adquiridos pelo WhatsApp no número 800 772 3555 ou nas lojas físicas.

(*) A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, atua na área têxtil/moda desde 1929. Pioneira e inovadora, a empresa foi a introdutora no País de todas as fibras têxteis artificiais e sintéticas. Líder sul-americana em fibras e fios de poliamida 6.6, a empresa possui unidade industrial em Santo André (SP) e conta com laboratórios de pesquisa desenvolvimento em diversos países, além de parcerias e acordos de produção na Europa e na Ásia. Suas fibras e fios têxteis de poliamida, comercializados sob as marcas Amni®, Emana® e Rhodianyl®, atendem aos mercados têxteis e industriais de alto valor agregado. O Grupo Solvay é um dos maiores players internacionais em química e em materiais avançados, com fábricas em 64 países, 24 mil empregados diretos e faturamento anual da ordem de 10 bilhões de euros. Visite  www.rhodia.com.br e www.solvay.com

(**) A The LYCRA Company empresa sediada em Wilmington, Delaware, tem o legado iniciado em 1958 com a invenção do fio de elastano original, o fio LYCRA®. Hoje, a empresa

é reconhecida mundialmente por seus produtos inovadores, conhecimento técnico e suporte inigualável em marketing, e é proprietária de marcas como LYCRA®, LYCRA HyFit®, LYCRA® T400®, COOLMAX®, THERMOLITE®, ELASPAN®, SUPPLEX®, TACTEL® e o EcoMade. É focada em agregar valor aos produtos de seus clientes desenvolvendo inovações para atender às necessidades do consumidor por conforto e durabilidade. Visite www.thelycracompany.com

(***) A Berlan Têxtil iniciou há 60 anos em São Paulo, como Malharia Berlan. Uma história marcada por muito trabalho e investimento. Atualmente a fábrica conta com maquinário de última geração e pessoas altamente qualificadas. Qualidade e criatividade são valores fundamentais para a marca Berlan, portanto investi em pessoas e seus times é fundamental para fazer diferença neste mercado competitivo. A empresa trabalha com o que existe de mais atual no que diz respeito aos avanços tecnológicos de fios, processos de produção e acabamento, atendendo os segmentos Fashion, Activewear, Beachwear e Underwear em malhas e tecidos planos lisos e estampados, jacquards e listras.

da redação com informações da:  MktMix Assessoria de Comunicação/CIA.HERING e LYCRA®  -  Press Pass/RENNER  -  FSB Comunicação /RIACHUELO  imagens: fotos/divulgação