O WORKSHOP - INOVADOR

worldfashion • 23/07/24, 18:52

O foco é reunir jovens a partir de 16 anos até 80 anos para entrar em contato com as Artes Plásticas e exercitar a criação de moda – sem que tenham qualquer contato com as áreas – é o que torna a proposta inovadora.

A intenção é estimular um olhar criador e crítico sobre as relações entre as Modas dos Museus e as roupas e acessórios das Lojas e das Ruas. “Todos estamos ligados a Moda, mas aqueles que não estudam ou atuam na área, não têm oportunidade de pensar ou mesmo exercitar a criação sobre as formas como nos apresentamos no social’ diz Mário Queiroz, que estará à frente do WORKSHOP INOVADOR.

“Além um exercício criativo, será uma tarde que poderá abrir caminhos para quem está iniciando sua vida profissional, como trazer novas ideias para quem tem experiências para dividir” explica Mário sobre a iniciativa de reunir pessoas de várias idades que têm em comum a criatividade, o gosto pelas Artes e pela Moda.

O Designer e Doutor em Comunicação Mário Queiroz realizará o WORKSHOP INOVADOR na Casa SLAMB no dia 17 de agosto das 14h às 16h , o evento em que trará o melhor das exposições de Londres e Paris do momento e o workshop de Moda será à partir desta apresentação.

Conhecido pela sua marca voltada ao masculino e muitos desfiles na SPFW, Mário também é um professor experiente, tendo coordenado faculdades de Moda além de um pesquisador com mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica onde trouxe a Moda para o ambiente acadêmico.

“Será uma tarde inesquecível porque além de aprendermos mais sobre as relações da Arte com a Moda vamos trabalhar com cores, tecidos, estampas e formas de uma maneira dinâmica e acessível para todos”, conclui Mário.

A CaSa SLAMB espaço cultural em Pinheiros, criada pelos irmãos Artur e Alex Slama, oferece práticas integrativas que transitam na união entre arte, cultura, educação e entreteServiço:

CaSa SLAMB

Rua Mateus Grou, 106 – Pinheiros

Informações: 11 95552-5573


MODA E ARTE – O WORKSHOP INOVADOR

Quando: de 17 de agosto das 14:00 às 16:00 horas

Vagas Limitadas: até 30 participantes

Valor: R$ 300,00 (+ R$ 30,00 taxa; em até 12x)

Inscrições pelo Sympla, link: https://bit.ly/3WkeXiq

da redação

“EU, LUIZ DE FREITAS, MR. WONDERFUL”

worldfashion • 23/07/24, 11:20

Luiz de Freitas foi um ícone carioca que fez desfiles fantásticos, verdadeiras performances, com as melhores modelos, os melhores cenógrafos, os melhores fotógrafos, nacionais e internacionais, nas melhores e mais inesperadas passarelas, como o Copacabana Palace.  Incomodado com o modo de vestir do homem brasileiro,  inventou a “Clínica de Moda” e lançou a primeira coleção da marca Mr. Wonderful, que iria “curar” a caretice do homem brasileiro ao se vestir, com uma proposta comportamental e uma estética arrojada e provocativa.

Seu primeiro grande cliente foi Fernando Gabeira,  recém-chegado do exílio. Fez roupas e figurinos para Caetano, Gil e para muitas estrelas da TV, cinema e teatro.  Famosos estrangeiros piravam com Mr. Wonderful, como Freddie  Mercury, Prince, Nureyev e Gaultier encheram malas. Gianni Versace comprou vidros da água-de-colônia MW para presentear amigos.

A “MW” como loja durou dez anos de absoluto sucesso de  público e crítica. Teve filiais em São Paulo, Belo Horizonte,  Salvador, Amsterdã, uma no Porto e duas em Lisboa, além de um showroom em Nova York. A visão pioneira de Luiz de Freitas incendiou e continua a incendiar a  cabeça de gerações de estilistas, jovens criativos de hoje seguem essa luz, mesmo sem conhecer as fontes.

Com a coletânia de depoimentos por mais de uma década, a psicóloga Dininha Morgado, que trabalhou com Luiz de Freitas seu conterrâneo mageense, construiu para o homenageado vivo, o livro bibliografico “Eu, Luiz de Freitas, Mr. Wonderful”.

“Este não é um livro sobre moda.  É o relato de um artista à frente do seu tempo que, com propósito e talento, construiu uma indústria com identidade criativa brasileira feita para o mundo. Mas  também é sobre o garoto pobre,  do interior, que se lança na vida e dita estilos no “grand monde”, conta a autora sobre o retrato de uma época bipolar, mas efervescente, para o Rio de Janeiro dos anos 60 e 70, que fervilhava com a música de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roberto  Carlos, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, o desenho de Ziraldo e o Pasquim.

“Mr. Wonderful era Mr. Wonderful, único, visionário, divertido, “moderrrrrrno”, irado (como diz agora a geração século XXI. Inesquecíveis/irresistíveis, seriam ainda & ainda “just now”, suas camisas transparantes (!), para os musculosos da vez. Ou suas alpargatas mapa-múndi”, descreve a editora de moda Regina Guerreiro no texto da contracapa.

A edição é de Catarina Maul, e a publicação sai pela Bem Cultural Editora, financiada com recursos da Lei Federal Paulo Gustavo, via editais culturais da Prefeitura de Magé, e tem duas tardes de autógrafos, no dia 4 de agosto, às 16h, na Pommet Gastronomia Contemporânea, em Magé, e no dia 7, às 19h, na Livraria da Travessa de Ipanema.

“Receber homenagens em vida, premissa defendida por Nelson Cavaquinho em seus versos, é uma realidade na vida do incomparável Luiz de Freitas”, resume autora.

São 429 páginas de casos, causos, relatos, depoimentos, ilustrados por mais de 150 fotografias que rememoram tempos, moda, saudades, visões de mundo nestes 83 anos de vida do biografado.

Sobre a autora  - Dininha Morgado, a escritora, autora do livro, construiu sua narrativa a partir dos relatos gravados pelo próprio Luiz em horas e horas de encontros e conversas, num sonho que vinha sendo gestado por anos. Ela, amiga de vida de Luiz, trabalhou com ele por décadas e presenciou muitas décadas de suas realizações.  Atualmente, dedica-se à psicologia, terapias e palestras. Foi por meio de recursos da Lei Federal Paulo Gustavo sob a realização dos editais culturais da Prefeitura de Magé, terra de Luiz de Freitas e Dininha Morgado, que o sonho tornou-se realidade, na publicação do livro da personalidade renomada mageense, que chegou ao estrelato com seu trabalho na moda, projetando seu nome internacionalmente e levando junto o de sua terra natal.

O trabalho editorial foi coordenado pela própria editora Catarina Maul, e realizado pela Bem Cultural Editora, num processo cuidadoso, meticuloso, visto a responsabilidade da obra. A capa maravilhosa é de Fernand Huriel, tendo revisão e projeto gráfico de Anna Catharina Miranda.

SERVIÇO:

“Eu, Luiz de Freitas, Mr. Wonderful”

Dininha Morgado

Bem Cultural Editora

429 páginas

R$ 80,00


Tarde de autógrafos

Dia 4 de agosto, às 16h

Pommet Gastronomia Contemporânea

Avenida Antônio Ribeiro Seabra 672

Pau Grande

Magé


Dia 7 de agosto, às 19h

Livraria da Travessa de Ipanema

Rua Visconde de Pirajá 572

Ipanema

Rio de Janeiro

da redação com informações de TNT Assessoria

FEBRA TÊXTIL 2025

worldfashion • 22/07/24, 14:31

O relançamento da feira aconteceu na quinta feira passada (18) na sede da ABIT - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção com a presença de vários nomes importantes da indústria têxtil.

No anúncio sobre a retomada da feira, o Presidente do FEBRATEX GROUP, Hélvio Pompeo Madeira,  destacou: “A importância de um evento como a FEBRA TÊXTIL é gigantesca. Será a primeira feira da América Latina focada em insumos e soluções para a indústria têxtil e que trará resultado para os nossos expositores e muita programação para os visitantes”.

Com mais de 40 anos de história, o grupo possui em seu catálogo nove feiras realizadas em diferentes regiões do Brasil e é consolidado como maior grupo brasileiro de feiras e eventos para o setor têxtil das Américas. “A realização da FEBRA TÊXTIL é um trabalho de muitos anos de pesquisa. Essa feira tem o objetivo de representar e expor tudo aquilo que a nossa indústria têxtil produz. E esse trabalho não só com a feira, mas também com vários eventos paralelos, como o Brasil Fashion Designers, as palestras, o podcast, entre outras atividades. Até para podermos amadurecer a indústria a cada ano”, destacou Hélvio Pompeo Madeira, Presidente do FEBRATEX GROUP.

O gerente de novos projetos da FEBRA TÊXTIL, Ricardo Gomes, apresentou toda programação prevista, destacando a nova roupagem e posicionamento. “ Queremos trazer para essa edição um olhar diferenciado que atenda esse segmento. Pretendemos trabalhar muito com a questão da inovação têxtil, sempre voltado para os produtos e confecção. É muito importante ressaltar que o propósito da feira é gerar negócios, trazendo de volta para São Paulo esse evento que é tão importante para o setor”, destacou.

Ricardo ainda ressaltou que a feira está localizada estrategicamente na cidade de São Paulo para facilitar o fluxo de negócios e visitação nacional e internacional, já que a cidade é a mais importante para o setor. Além disso, o gerente pontuou o diferencial da feira, que são os desfiles técnicos para dar visibilidade aos produtos que estarão em exposição.

“A gente quer trabalhar cada um desses insumos (fios, fibras, aviamentos, beneficiamentos, estamparias, design, tecidos e malhas), trazendo esse compilado de produtos e serviços que possam abastecer as confecções e que a gente possa fazer um trabalho de elo com os setores e com os polos têxteis do nosso país. Nosso objetivo é que essas confecções e empresas que tenham interesse em comprar e criem o hábito de estar conosco todos os anos. Vamos voltar a fazer um trabalho forte para que essa feira seja crescente, importante e gere negócios para os expositores, e além disso, que nossos compradores consigam encontrar ali uma gama de produtos e serviços”, disse Ricardo.

A FEBRA TÊXTIL contará com o Brasil Fashion Designers, concurso voltado para estudantes de moda do Estado de São Paulo. Os alunos trabalharão matérias-primas dos expositores do evento.

“Vamos trazer de volta esse concurso fomentando esse design, criando essa sinergia entre os elos da cadeia produtiva têxtil. Acreditamos que só vamos trazer uma cadeia que funciona em todos os seus elos quando um fabricante consiga entender os anseios dos designer de moda, de quem está lá na ponta, quem está mais próximo do consumidor final. Por isso, a importância de um concurso como este! Muitos dos vencedores das outras edições relataram que mudaram de vida depois do concurso”, ressaltou o Gerente de Novos Projetos.

A FEBRA TÊXTIL  2025 será a maior feira de insumos e soluções para a indústria têxtil e de confecção das Américas, com expectativa de 10 a 12 mil visitantes do Brasil e de países como Argentina, Peru, Colômbia, Bolívia e Paraguai. E se realizará de 18 a 20 de fevereiro de 2025, das 14h às 21h, no pavilhão vermelho do Expo Center Norte, em São Paulo. com a parceria: Abit - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, e apoio institucional: Sinditec de Americana. Para mais informações comerciais: comercial@fcem.com.br

Sobre o Febratex Group

O Febratex Group é a maior promotora brasileira de feiras e eventos para o setor têxtil das Américas e uma plataforma de negócios do setor, realizando eventos nos principais pólos têxteis do Brasil. Com mais de 40 anos de história, a empresa possui matriz em Porto Alegre, filiais em São Paulo e Blumenau. O grupo organiza nove feiras, sendo a maior delas a Feira brasileira para a indústria têxtil e de confecção, a Febratex, a terceira maior feira mundial do setor têxtil, responsável por iniciar 40% dos negócios de máquinas têxteis no Brasil. O Febratex Group é pioneiro no setor têxtil na América Latina ao conquistar o Selo Lixo Zero, além de ser signatário do Pacto Global da ONU e membro da Ubrafe, destacando seu compromisso com a sustentabilidade.

da redação com informações da  Pacom 360

NILIT

worldfashion • 19/07/24, 16:41

A crescente valorização da saúde e a busca por um estilo de vida mais conectado à natureza têm se consolidado como tendências marcantes na sociedade contemporânea. A convergência entre saúde, natureza e tecnologia está moldando não apenas a indústria, mas também como as pessoas abraçam um estilo de vida mais equilibrado e conectado com o ambiente ao seu redor.

A WGSN Brasil, líder mundial em previsão de tendências, já indicava em 2015 o crescimento das atividades em áreas externas. No final de dezembro de 2023, reforçaram essa previsão em um novo estudo que, ao longo de mais de oito anos, acompanhou a redescoberta desse estilo de vida e como o tempo dedicado à natureza se tornou parte integrante do cotidiano do brasileiro.  A pandemia de COVID-19 acelerou esse movimento, destacando que a prática de exercícios fora de casa é revitalizante para a população de todo o mundo.

“Estamos em meio a um cenário em que as pessoas priorizam cada vez mais investimentos em saúde e fitness, e a tendência de atividades ao ar livre vem se destacando e impulsionando o desenvolvimento de produtos inovadores em diversos setores”, explica Fabianne Pacini, Diretora Global de Marketing da NILIT.

A líder global na fabricação de poliamida 6.6 NILIT, vem acompanhando e atendendo essa demanda de forma inteligente com sua marca SENSIL®, já utilizada pelos principais players no Brasil e no mundo, nos segmentos de sportswear, roupas íntimas, meias, acessórios, jeans, entre outras aplicações. Como, por exemplo, Lupo, Live!, Plié, Fila, Track & Field, entre outras.

A tecnologia SENSIL® foi desenvolvida para proporcionar sensações únicas de bem-estar físico e mental durante as atividades esportivas. Entre as diversas linhas disponíveis, há fios que proporcionam um efeito refrescante, reduzindo a temperatura corporal, enquanto outros auxiliam no controle da umidade, garantindo que os usuários permaneçam frescos e secos. Além disso, existem aquelas capazes de controlar possíveis odores.

SENSIL® é a marca premium sustentável de poliamida 6.6 da NILIT® para a moda. É o novo padrão de qualidade para roupas íntimas, legwear, roupas esportivas, jeans, roupas para atividades ao ar livre e outros produtos.

SENSIL® é marca registrada da NILIT®, que está celebrando 50 anos de excelência, a empresa apresenta um portfólio de poliamida premium projetado para promover uma abordagem mais sustentável no vestuário. A empresa lançou o pioneiro SENSIL® ByNature, fio produzido a partir de biogás proveniente de resíduos recuperados de aterros sanitários. SENSIL® BioCare é o fio aprimorado com uma tecnologia comprovada, destinada a reduzir a persistência de resíduos têxteis na água do mar e em aterros sanitários. Já SENSIL® EcoCare, fio produzido com poliamida reciclada, contribui para a circularidade e o LCA (Life Cycle Assessment). Enquanto isso, o fio SENSIL® WaterCare, com cor já incorporada, possibilita uma economia de até 100% da água utilizada nos processos tradicionais de tingimento a úmido. Além disso, todo o portfólio de produtos de marca SENSIL® é fabricado em conformidade com os rigorosos critérios de Sustentabilidade Total do Produto da NILIT®. Esses fios oferecem aos designers materiais de alta performance e ecologicamente responsáveis, essenciais para a criação de coleções que atendam às exigências dos consumidores.

da redação com informações da  XCOM Agência de Comunicação

MANZAN BRAND

worldfashion • 19/07/24, 10:53

Na Manzan Band a sustentabilidade, é pilar fundamental da filosofia da marca. Trabalham para minimizar o impacto ambiental. Utilizando tecidos certificados e buscam parcerias com fornecedores que compartilham dos valores de sustentabilidade. As práticas incluem a redução de resíduos no processo de produção, a reutilização de materiais e a criação de peças duradouras que transcendem as tendências passageiras da moda. Acreditam que a moda deve ser consciente e responsável, contribuindo positivamente para o meio ambiente.

A marca, utiliza uma combinação de tecidos de tecelagens e malharias nacionais e importadas para garantir a melhor qualidade e variedade das criações. Trabalham com fornecedores nacionais renomados, além de importar tecidos de empresas prestigiadas. Esta diversidade permite oferecer aos clientes tecidos de alta qualidade, com texturas e acabamentos únicos. Além do conforto e da proteção térmica, os tecidos que utilizados oferecem uma série de outras propriedades que realçam os looks. Os tecidos são escolhidos pela sua durabilidade, resistência e estética. Alguns deles possuem propriedades de secagem rápida, ideais para garantir a praticidade do cliente. Também focam em tecidos com caimento perfeito e que realçam a silhueta, proporcionando um ajuste impecável e uma sensação de luxo.

As modelagens inovadoras pensam nas combinações, como o short saia composto com casaqueto de tweed, mantendo sempre a identidade que fez Leticia Manzan ficar conhecida nacionalmente no segmento de luxo.

Uma das grandes novidades da coleção do Alto Inverno é a alfaiataria de tweed colorido, indo na contramão dos itens monocromáticos que normalmente invadem a estação. Trabalhada em cartelas de cores especiais, que vão dos clássicos neutros às cores vibrantes, as peças foram projetadas para darem um toque de juventude e modernidade ao look.

A camisaria Manzan também marca presença na coleção, sem perder a leveza e a elegância que as clientes já conhecem, amam e pedem reprise. E as peças em couro vem com tudo na estação mais fria do ano, em cores sóbrias como o preto e também no roxo metalizado.

As peças podem ser encontradas nas lojas Manzan em São Paulo e Uberlândia, além do website oficial e revendas autorizadas.

Dentro da filosofia da sustentabilidade, as manutenções das peças da Manzan são pensada para ser o mais prática e sustentável possível. Recomendam as clientes seguirem as instruções específicas de cuidado fornecidas com cada peça, que incluem limpeza a seco para tecidos mais delicados e lavagem à mão para outras peças. O objetivo é garantir que as peças mantenham sua beleza e qualidade por muitos anos.

A Manzan Brand é de propriedade da Leticia Manzan, graduada em Design de Moda e com especialização pelo Instituto Marangoni de Milão e pelo Bunka Fashion College de Tóquio, com uma carreira de mais de 18 anos, quase dez deles à frente de sua própria marca, a Manzan Brand. Reconhecida internacionalmente, ela é a primeira estilista brasileira a lançar uma coleção completa em parceria com a Swarovski, a convite da própria marca austríaca de cristais.

da redação com informações da Balancê Agência

54ª edição da Casa de Criadores

worldfashion • 18/07/24, 17:19

A Casa de Criadores é um dos eventos mais influentes e inovadores do calendário da moda no Brasil, estabelecendo-se como uma plataforma essencial para a promoção de novos talentos e a reinvenção da moda nacional. Serve como um ponto de encontro para designers, estilistas, estudantes, profissionais da indústria e amantes da área, oferecendo uma visão única e contemporânea.

A partir da palavra “Catarse” que vem da palavra grega “kátharsis” cujo significado é a consciência no sentido de uma descoberta divisora de águas, gerando deslumbramento e até fascínio. E assim que é a perspectiva da 54ª edição da Casa de Criadores (CdC), evento de moda autoral iniciado há 27 anos pelo diretor artístico André Hidalgo - e não é por acaso. A CdC, em sua trajetória, costuma lançar provocações para a moda nacional: desta vez, André Hidalgo, junto aos conselheiros Dudu Bertholini, Eduardo Araújo Silva (Dudx) e Neon Cunha, iniciam o chamado para a próxima edição do evento propondo a questão “Qual o sentido da moda?”, em vídeos e nas mídias sociais da CdC. É um convite à percepção de como a moda age de fato e de como poderia agir para mover estruturas, à tomada de consciência e, assim, à catarse, assim a edição de número 54 levanta um debate amplo sobre o sentido da moda como sistema em um contexto de questionamento.

Dentre os principais destaques da edição 54, estão Nalimo, com a constância e coerência do trabalho e a abordagem da cultura indígena, Mônica Anjos, que prestará homenagem à linguista e escritora Conceição Evaristo, além de Rober Dognani, Sukeban, Le Benites, Studio Ellias Kaleb, Guma Joana, Jal Vieira Brand, Guilherme Valente. Estreantes na temporada, Lourrani Baas, N/E* Recycled e Ofegallery trazem representatividade transsexual e preta.

Ao todo, a Casa de Criadores 54 oferecerá espaço para cerca de 10 estilistas transgênero e marcas que abordam questões raciais em suas narrativas, como Studio Ellias Kaleb, Visén, NotEqual, Jal Vieira, MOCKUP, DCRLHS, VOUASSIM, Berimbau Brasil e Estúdio Cena. O evento mantém, como seu cerne, a promoção de um ambiente no qual designers de diferentes origens, identidades e estilos podem mostrar suas criações. A diversidade reflete uma ampla gama de influências culturais, estéticas e sociais, permitindo que diferentes perspectivas sejam representadas no cenário da moda.

Outro destaque entre os estilistas que tratam de questões étnicas é a marca veterana Shitsurei, que se baseia na vivência nipo-brasileira, incluindo, em todas as suas coleções, esse viés racial. Para a linha que será desfilada, máscaras do teatro Noh e Kabuki serão utilizadas como figura de linguagem. Refletindo também a influência da ascendência nipônica, tem no trabalho de Sim Sukeban, diretora criativa da SUKEBAN.

Fazendo jus à sua definição social, a Casa de Criadores 54 se une ao Sebrae para apresentar a oficina Crie Moda Autoral Trans-Forma, que ocorrerá entre os dias 26 e 30 de julho na Galeria Prestes Maia, em paralelo aos desfiles.

Com foco em sustentabilidade e destinado exclusivamente à população trans, o curso oferece capacitação gratuita em moda, enfatizando o reuso de materiais têxteis e o desenvolvimento de projetos criativos que refletem vivências trans.

A oficina, que visa fomentar a autonomia financeira, a afirmação social por meio da moda autoral e busca gerar oportunidades para 25 participantes em situação vulnerável, contará com a participação dos designers Alexandre dos Anjos, Jorge Feitosa e Dayony Moura.

O início será dia 24 de julho, com o desfile do renomado estilista Alexandre Herchcovitch e a sua marca Herchovitch; Alexandre no Salão Almeida Junior. As  demais apresentações serão entre os dias 26 e 30 de julho, sempre em locais históricos do centro da cidade de São Paulo — como o Viaduto do Chá, a Praça Ramos de Azevedo, a Biblioteca Mário de Andrade, a Galeria Prestes Maia e o Vale do Anhangabaú.

A presença da moda num espaço de circulação tão amplo afirma sua força em manifestar a expressão cultural que a cidade pulsa, mesmo que muitas vezes ela não chegue aos seus múltiplos grupos, que agora têm mais chances de se aproximar dela durante o evento. “Para nós, é um orgulho imenso poder sediar este evento tão importante dedicado à moda autoral brasileira e também impulsionar novos talentos, como é a Casa de Criadores. Poder unir o melhor da moda com a beleza dos locais icônicos do centro de São Paulo, localizados no Vale do Anhangabaú, é algo único, pois isso transborda a arte que a moda e a arquitetura urbana oferecem”, afirma Gustavo Fioretto Torres, diretor do Novo Anhangabaú.

Assim como em anos anteriores, a Casa de Criadores 54 tem entrada gratuita para o público geral por meio da distribuição de 250 ingressos por sessões de desfiles. As cotas serão liberadas diariamente entre 22 e 26 de julho, às 11h00, conforme  abaixo, mesmo considerando que a área dos desfiles tem visibilidade para quem passa pelas ruas da cidade.

Confira o line up completo abaixo:

24/07 (quarta-feira) Salão Almeida Junior

•11h30 - Desfile Herchcovitch; Alexandre

26/07 (sexta-feira) Viaduto do Chá

•17h30 - Desfiles: LOURRANI BAAS

VIVAO PROJECT

BERIMBAU BRASIL

•19h00 - Desfiles: MOCKUP - Fashion Filme

Ken-gá

Vou Assim + DCRLHS

NotEqual

27/07 (sábado) Praça Ramos de Azevedo

•16h00 - Desfile: PEDRA BR

27/07 (sábado) Viaduto do Chá

•17h30 - Desfiles: ‘a neoutopia’ - Projeto Lab

UMS 458 - LL

NALIMO

•19h00 - Desfiles: Fkawallyspunkculture - Fashion Filme

Estúdio Traça

SUKEBAN

Le Benites

28/07 (domingo) Praça Ramos de Azevedo

•15h00: Desfile ARTSOUJÊ

•16h00: Leandro Castro

28/07 (domingo) Galeria Prestes Maia

•17h00: Desfile - Studio Ellias Kaleb

28/07 (domingo) Viaduto do Chá

•18h30 - Desfiles: YHRA - Fashion Filme

N/E* Recycled - Projeto Lab

Visén - Projeto Lab

Estúdio CENA

GUMA JOANA

JORGE FEITOSA

29/07 (segunda-feira) Biblioteca Mário de Andrade

•16h00: Desfile - Jal Vieira Brand

29/07 (segunda-feira) Viaduto do Chá

•17h30: Desfiles - Plataforma Açu - Fashion Filme

ALEXEI

DELLUM

Mônica Anjos

29/07 (segunda-feira) Praça Ramos de Azevedo

•19h00: Desfile - Ofegallery

30/07 (terça-feira) Praça Ramos de Azevedo

•16h00: Desfile - Shitsurei

30/07 (terça-feira)  Viaduto do Chá

•17h30: Desfiles - SHERIDA

Xyboia

Dystopic.core Lab

•19h00: Desfiles - JACOBINA - Fashion Filme

Vittor Sinistra

GUILHERME VALENTE

Rober Dognani x Felipe Fanaia

SERVIÇO - CASA DE CRIADORES - 54a. EDIÇÃO

Evento: Abertura: desfile Herchcovitch; Alexandre

Data: Dia 24 de julho de 2024, quarta-feira, às 11h30

Local: Galeria Prestes Maia, Salão Almeida Júnior - Pça do Patriarca, 2, Sé, CEP 01002-010, São Paulo - SP

Pontos de Chegada/Acesso: Desembarque de carros, Banca Sironi. Metrô, entrada pela Estação Anhangabaú.

Evento: Programação: desfiles line-up Casa de Criadores 54

Data: De 26 a 30 de julho de 2024

Local: Vale do Anhangabaú e arredores

Pontos de Chegada/Acesso: Desembarque de carros Banca Sironi. Metrô, acesso pela Estação Anhangabaú.

Plataforma de ingressos: link via Sympla disponível no site da Casa de Criadores(https://casadecriadores.com.br/)

e no Instagram do Novo Anhangabaú (https://www.instagram.com/novoanhangabau/).

Datas da distribuição de ingressos:

22/07 - liberação de ingressos para as sessões do dia 26/07

23/07 - liberação de ingressos para as sessões do dia 27/07

24/07 - liberação de ingressos para as sessões do dia 28/07

25/07 - liberação de ingressos para as sessões do dia 29/07

26/07 - liberação de ingressos para as sessões do dia 30/07

Horário da distribuição de ingressos: 11 hrs.

Evento: Oficina Crie Moda Autoral Trans-Forma - Casa de Criadores 54

Data: De 26 a 30 de julho de 2024, das 10h00 às 18h00

Local: Galeria Prestes Maia (Vale do Anhangabaú)

da redação com informações da Agência Lema

LACOSTE

worldfashion • 18/07/24, 10:33

A história da LACOSTE tem origem nos anos 20 com René Lacoste, a lenda do tênis cujas invenções mudaram todo o esporte e revolucionaram a indústria da moda para sempre. Em 1927, contrariando os códigos de vestimenta da época, René substituiu, nas quadras, a camisa de manga comprida com tecido plano por sua mais recente invenção: uma camisa inovadora. Surgiu um dos maiores ícones da moda, que, após ganhar novo tecido mais leve e ventilado, foi lançado em 1933 com uma campanha publicitária, dando origem à icônica Camisa Polo LACOSTE. Desde então, a marca se mantém fiel à sua história, conciliando elegância, liberdade de movimento e conforto em cada uma de suas coleções.

Neste ano a LACOSTE presta uma especial homenagem à herança olímpica ao revelar sua nova coleção cápsula ‘Olympic Heritage’ dedicada aos Jogos de Paris de 1924.

A marca, cuja história está entrelaçada com a do esporte, presta homenagem aos Jogos Olímpicos passados e demonstra o status emblemático da marca com o lançamento de sua nova coleção Paris 1924.

A linha, composta por oito peças distintas, celebra os lendários jogos que conquistaram o coração de Paris há 100 anos. É a sexta coleção ‘Olympic Heritage’ criada sob o acordo de licenciamento(*) com o Comité Olímpico Internacional.

Com este drop único a Lacoste reinterpreta a herança gráfica do histórico evento de 1924, infundindo-o com códigos de estilo vintage em uma variedade de roupas e acessórios icônicos. Desde a indispensável camisa polo até o boné e a jaqueta impermeável, cada peça incorpora o espírito esportivo e a elegância francesa. Esta coleção cápsula reflete perfeitamente os valores compartilhados da marca do Crocodilo e da herança olímpica, incluindo ousadia, fair play e autenticidade.

Desenhada para todas as gerações, a nova coleção ‘Paris Olympic Heritage’ em homenagem aos jogos de Paris de 1924 já está disponível no e-commerce brasileiro da Lacoste, nas lojas próprias e em algumas multimarcas.

(*) Sobre o programa global de licenciamento do COI - Comité Olimpico Internacional

Como parte das iniciativas da Agenda Olímpica 2020+5, o COI desenvolveu um programa global de licenciamento para fortalecer e promover a marca olímpica, não apenas durante os Jogos Olímpicos, mas também entre os Jogos. Os programas principais de licenciamento do COI incluem The Olympic Collection, que visa engajar um público jovem e ativo através de produtos exclusivos de marca, incluindo vestuário, brinquedos e jogos, bolsas, itens de papelaria e equipamentos esportivos; a Olympic Heritage Collection, que celebra a arte e os designs dos Jogos Olímpicos passados com produtos de alta qualidade e edições limitadas voltadas para colecionadores e entusiastas olímpicos que desejam se conectar com a tradição olímpica e suas memórias dos Jogos Olímpicos passados; e as Olympic and Paralympic Games Collections, que celebram cada edição futura dos Jogos, como Paris 2024, Milano Cortina 2026 e LA28, e incluem uma ampla gama de acessórios, souvenirs, artigos para fãs e vestuário. Através da venda de mercadorias oficiais, colecionáveis e souvenirs, os programas de licenciamento olímpico oferecem aos fãs uma conexão tangível com os Jogos Olímpicos e os valores olímpicos. Todos os programas de merchandising olímpico estão disponíveis para venda na Olympic Shop.

da redação com informações da Agência Lema  - Fotos: divulgação

ARTIGO - Comércio digital global e a necessidade de novas regras tributárias e regulatórias

worldfashion • 15/07/24, 15:11

Por Fernando Valente Pimentel* e Patrícia Pedrosa**

Uma das mudanças mais marcantes tem sido o aumento vertiginoso das pequenas encomendas por meio do e-commerce. Esta tendência não apenas criou mais oportunidades de negócios para pequenos empreendedores, mas também fez grandes plataformas digitais ganharem relevante espaço no comércio internacional de bens de consumo final, como vestuário. Também devemos explorar essas novas formas de vendas para colocar mais produtos brasileiros no mercado mundial.

No Brasil, de acordo com os últimos dados divulgados pela Receita Federal, a média mensal de pacotes recebidos é de 18 milhões. Nos EUA os números são ainda mais expressivos. Estima-se que o país receba cerca de três milhões todos os dias. Será que as regras atuais de comércio internacional e as legislações implementadas pelos países são adequadas para lidar com as características especificas desse tipo de negócio?

O debate sobre o comércio eletrônico cross border tem se intensificado não só no Brasil, mas em todo o mundo. Questões tributárias, controle aduaneiro, oferta de produtos ilegais e falsificados são desafios que se apresentam com força. A regulamentação e aplicação consistentes de normas técnicas e padrões de qualidade também se tornam cruciais para proteger os consumidores e garantir a equidade no mercado.

Nesse contexto é que tem ocorrido a mobilização pela igualdade tributária no Brasil. Em seu mais recente episódio, foi estabelecida pelo Congresso Nacional taxação de 20% do Imposto de Importação para encomendas de até 50 dólares das plataformas internacionais. O fim da isenção foi um primeiro passo, mas o empenho pela isonomia continua, pois persiste grande diferença em relação aos 90% de impostos incidentes sobre a indústria e o varejo do nosso país.

Cabe observar que os benefícios concedidos às plataformas internacionais, a começar pela isenção tributária iniciada em agosto de 2023, e agora com uma taxação ainda muito aquém do que pagam as empresas brasileiras, são muito característicos de acordos comerciais entre países ou bloco de nações, como o que se está tentando efetivar há mais de 20 anos entre Mercosul e União Europeia. No caso da isenção e “preferência tarifária” para as encomendas internacionais via comércio eletrônico não houve nenhum processo de negociação com avaliação dos parceiros comerciais envolvidos e interesses ofensivos e defensivos.

O Brasil simplesmente ofereceu condições especiais a essas empresas estrangeiras, sem qualquer contrapartida ou negociação e de maneira muito simplista. Não se admite como contrapartida, como se justificou na origem do privilégio, a aderência dos sites de e-commerce ao Programa Remessa Conforme, pois cumprir leis e normas é obrigação.

Concessões dessa natureza neste novo cenário do comércio exterior geram riscos para os países, em especial num momento em que não se pode contar com arbitragem adequada de organismos multilaterais, num cenário geopolítico no qual a Organização Mundial do Comércio (OMC) parece letárgica, encontrando-se, inclusive, sem o seu órgão de solução de controvérsias. Assim, precisamos nos adaptar com os recursos e possibilidades que temos para vencer os novos desafios, o que inclui a igualdade de condições quanto aos impostos e ao aspecto normativo, tendência que já se observa na Europa.

É premente conferir o mesmo tratamento tributário, legal e regulatório a tudo o que é vendido em nosso país, prioridade que se coloca aos poderes Executivo e Legislativo e aos organismos reguladores e fiscalizadores. Caso contrário, seremos atropelados pela realidade irresistível de um planeta hoje sintetizado nas telas de múltiplos devices, no qual metade da população está a apenas um clic de comprar tudo o que desejar e de infinitas possibilidades de satisfazer seus anseios de consumo.

*Fernando Valente Pimentel é diretor-superintendente e presidente emérito da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit).

**Patrícia Pedrosa é gerente de Comércio Exterior e Assuntos Regulatório da Abit.

da redação

Ronaldo Silvestre

worldfashion • 12/07/24, 11:41

É o estilista/designer e ativista social, que cuida de todos os processos de pesquisa, análise de materiais, estudo de ergonomia e qualidade colocando a sua essência, para atingir a sua meta social.

Após anos apresentando as coleções “WEARABLE ART” verdadeiras arte vestíveis (peças únicas) trabalhado com resíduos de jeans, em vários eventos pelo Brasil. Marcou em 2021 sua estreia na edição 51 do SPFW São Paulo Fashion Week, onde apresentou a coleção “Conspiração”, uma apresentação virtual no auge da pandemia, com o fashion film gravado em Minas, na fazenda onde o Carlos Drummond de Andrade nasceu, em Itabira, cidade natal do estilista e sede da Fábrica Social ITI do Instituto ITI.

Sobre o meu primeiro desfile no SPFW, Ronaldo Silvestre fala:  “As vezes eu acho que é difícil para as pessoas entenderem que para mim é um prazer poder trabalhar com moda, design, desenvolvimento social, empoderamento feminino, defesa dos direitos da minha comunidade LGBTQIA+ e mais uma infinidade de outros projetos. Porque eu estou construindo o meu sonho. É o meu legado. E está tudo bem se as pessoas não querem isto para a vida delas. Eu quero para minha vida ser alguém que faz o que precisa ser feito.

E eu estou disposto a pagar o preço que for. Estou “sumido” “sem graça” “só sei trabalhar” “sem tempo”, mas eu vim do nada e tudo o que eu tenho hoje, eu conquistei lutando, trabalhando e olhando cada coisinha que conquistei com uma felicidade e agradecimento imenso. É o que eu gosto de fazer. Não tem jeito, eu não me encaixo em outra coisa que não seja ir além e cuidar de mim, mas cuidar do outro também. E eu estou superfeliz de ter me encontrado.  Eu sou todo coração, sou a moda, sou a construção de um futuro melhor”.

No início de 2024, a Fábrica Social do ITI iniciou o processo de uniformização de mais de 10.000 crianças, por meio do Termo de Fomento 049/2022 assinado pelo Instituto em parceria com a Prefeitura de Itabira “como eu sou todo coração e coloco amor em tudo o que faço. Após meses de desenvolvimento criou um tênis cheio detalhes e milhares de sentimentos: respeito aliado a qualidade, a durabilidade e resistência.” conta Ronaldo Silvestre.

Do conceito à produção dos tênis para a Secretaria de Educação de Itabira

Entregar para uma criança da rede municipal de ensino um tênis especialmente desenvolvido para a realidade local de Itabira, não tem preço e muito menos comparação com artigos similares. “Afinal eu sou um designer social e estou ajudando a transformar através da educação a vida de 10.000 crianças. São 10.000 FUTUROS!” diz Ronaldo

E complementa “Eu sou um designer social, em todos os meus processos de pesquisa, análise de materiais, estudo de ergonomia e qualidade eu coloco a minha essência, um pouquinho da minha história de vida… uma criança pobre que não tinha um calçado para ir à escola, que dividia o calçado com o irmão mais novo”.

Do conceito, criação e produção o projeto foi muito importante e especial feito em parceria com a Rider do grupo Grendene.

O estilista Ronaldo Silvestre também é um fazedor do futuro. Na collab em parceria com o Instituto ITI utilizou a prática “upcycling”, reconhecida por utilizar materiais obsoletos, para ressignificar produtos e assim com o RNEXT. Desenvolvida pelas mãos das costureiras do Instituto ITI, o modelo reforça o propósito de recriar uma moda com responsabilidade social e que pensa em soluções para a preservação do meio ambiente.

Sobre o Instituto ITI é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2009. Funciona como centro de convergência para o fortalecimento das aptidões locais, com projetos focados na geração de renda e no desenvolvimento sustentável do terceiro setor. Com a missão de criar, qualificar e transferir tecnologias sociais orientadas ao desenvolvimento humano, atua no território nacional por meio do fortalecimento da economia criativa, das redes sociais e educativas, da autonomia produtiva, do protagonismo cultural das comunidades, da valorização dos recursos naturais e da biodiversidade de cada região. A partir da energia social estabelecida na confiança da comunidade, das parcerias públicas e privadas que a instituição conquistou ao longo de sua história.

da redação

PROJETO MODA REGENERATIVA E CIRUCLAR

worldfashion • 11/07/24, 11:19

O projeto Moda Regenerativa e Circular do Instituto Focus Têxtil com duração de dois anos, terá cinco turmas até o final de 2024, e pretende reutilizar cerca de uma tonelada de resíduos têxteis e peças descartadas, por meio da capacitação internacional de designers, professores e estudantes.

Os resíduos de materiais e peças descartadas serão disponibilizadas pelo Instituto Focus Têxtil, para que os participantes façam a escolha. Pretende-se utilizar, inicialmente, os resíduos oriundos de materiais descartados e/ou já peças confeccionadas (estoques e/ou defeituosas). Essas são a origem de 80% de todos os resíduos do setor.  O intuito é criar coleções capsulas a serem expostas e comercializadas no Focus Fashion Summit, que acontece entre os dias 05 e 07 de novembro. Já foram feitos contatos com vários varejistas e há muito interesse de participação para levar ao consumidor as coleções desenvolvidas pelos participantes deste projeto, que trabalham com a criatividade e a aplicação dos conceitos de upcycling.

CONVÊNIO COM O PROGRAMA  AL-INVEST Verde

O Instituti Focus Têxtil, braço social da Focus Têxtil, uma das maiores importadoras de artigos têxteis da América Latina firmou convênio com a União Europeia por meio do programa AL-INVEST Verde, que impulsiona a economia circular da moda por meio do reaproveitamento de resíduos têxteis e peças descartadas. Concorrer para o programa, mais de 150 instituições da América Latina e Caribe, e o Instituto Focus Têxtil conquistou o convênio.

O convenio total é de 375 000 EUR, sendo que o apoio através do Programa AL-INVEST verde é 300 000 EUR e a contrapartida do Instituto é de 75 000 EUR. Esses recursos serão aplicados em capacitação de empreendedores, formação de designers, criação de materiais virtuais sobre o assunto, rodadas de negócios e encontros B2B.

Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), apenas o Brasil é responsável por descartar, anualmente, mais de quatro milhões de toneladas de resíduos têxteis. “A maioria das peças acaba em lixões e aterros sanitários, além de não ser biodegradável. Parte poderia ser reaproveitada e ganhar novos rumos e é exatamente isso que estamos propondo”, explica Paulo Cristelli, Gerente do Instituto Focus Têxtil.

PROJETO MODA REGENERATIVA E CIRUCLAR

Por meio de aulas teóricas e práticas, além de oficinas gratuitas, os 22 alunos da primeira turma aprenderão sobre um design inteligente que cause menos desperdícios, bem como práticas sustentáveis. O objetivo é que, ao final do curso, eles estejam habilitados a multiplicarem as técnicas aos grupos seguintes e possam criar coleções com os resíduos para algumas das maiores varejistas do país em parceria com o Instituto.

Embora a produção de artigos têxteis gere sobras desde o início, o programa se concentrará no pós-consumo, ou seja, na reutilização de uma peça já existente que seria descartada. “Vamos contar com uma consultoria de Portugal focada no design verde que apresentará novas perspectivas sobre o tema. Esperamos que, a partir dos resíduos previamente coletados, os alunos criem coleções que voltarão a circular entre o público”, complementa Walter Rodrigues, estilista e um dos mentores do projeto.

O Instituto também leva em consideração os impactos do projeto no meio ambiente “Segundo estudo realizado pelo site de revenda americano ThredUp, cada peça que reaproveitamos implica em reduzir a pegada de carbono em uma média de 25%. As mudanças climáticas estão cada vez mais evidentes, portanto, especialmente enquanto indústria, precisamos conscientizar e agir proativamente para mitigar os seus efeitos!”, conclui Paulo.

Sobre a Focus Têxtil - Empresa fundada há mais de 80 anos, é uma das maiores importadoras de artigos têxteis da América Latina. Sempre em busca do melhor produto aliada ao amplo conhecimento, a empresa tem como missão inspirar clientes agregando valor e oferecendo informação de moda por meio de um mix completo de tecidos e serviços.

Em seu portfólio, a Focus Têxtil conta com mais de seis mil produtos que atendem os segmentos feminino, masculino, activewear, lingerie, beach, workwear, denim, infantil, meias, home, calçados, acessórios e estampados. Por meio de estudo de comportamento, consumo e mercado são desenvolvidas e criadas coleções com novas texturas, composições, cores e padronagens a cada estação.

Atualmente, a Focus Têxtil tem dois espaços de atendimento ao cliente, localizados em São Paulo, nos bairros Bom Retiro e Barra Funda. Em cada Showroom, o cliente recebe um atendimento personalizado e poderá ter acesso a todos os artigos disponíveis, acervo de peças de pesquisa, além de contar com uma equipe capacitada com informações sobre tendências de moda.

Sobre o Instituto Focus Têxtil - Criado em 2013, é o braço social e sustentável da Focus Têxtil, uma das maiores importadoras têxteis da América Latina. A organização tem como missão fomentar a sustentabilidade na cadeia da moda por meio de ações de conscientização e desenvolvimento social. Os seis projetos da organização incentivam o empreendedorismo, estimulam a criatividade de novos talentos e buscam facilitar o acesso à capacitação de profissionais do setor, diminuindo a desigualdade social.

O Instituto foi incorporado ao plano de sustentabilidade da Focus Têxtil em 2018 com metas e indicadores que envolvem fornecedores, tecidos, colaboradores e sociedade. Neste escopo, o Instituto Focus Têxtil trabalha, principalmente, com resíduos têxteis que seriam descartados e os reaproveita como material para os projetos de forma a incentivar a economia circular.

Sobre o AL-INVEST Verde - É um programa da Aliança entre a União Europeia e a América Latina para o Crescimento Sustentável e o Emprego, teve início em 1994. Após várias edições, graças ao seu sucesso, o AL-INVEST Verde, está na sexta edição do programa, que foi lançado em 2021. O Programa financiado pela Comissão Europeia promove o crescimento sustentável e a criação de emprego na América Latina. O seu objectivo é apoiar a transição para uma economia com baixo teor de carbono, eficiente em termos de recursos e mais circular, a fim de facilitar a implementação de modelos de produção sustentáveis. O projeto tem um orçamento de 37,7 milhões de euros e uma duração de 60 meses: começou em outubro de 2021 e terminará em setembro de 2026.  No seu desenvolvimento, o programa divide-se em três componentes trabalhar, respectivamente, com as pequenas empresas latino-americanas, as instituições públicas da região e a gestão dos direitos de propriedade intelectual.

da redação com informações da Focus Têxtil e Instituto Focus Têxtil pela Trama Comunicação