INDÚSTRIA TÊXTIL

worldfashion • 10/05/22, 14:45

img-2098Podemos apontar que a tendência da aplicação de matérias-primas sustentáveis veio para ficar, impulsionada principalmente pelas novas gerações. Para se ter uma ideia, de acordo com o estudo Generation Z And Consumer Trends In Environmental Packaging, cerca de 70% dos membros das gerações Y e Z dão preferência para produtos que sejam alinhados com suas crenças pessoais. Cerca de 66% dos consumidores da geração Z, por exemplo, não se importam com marcas de luxo ou designs exclusivos, dando preferência para produtos com propósito. Por isso, a aposta em produtos que causem menos impacto no meio ambiente devem tornear a indústria têxtil nos próximos anos.

download1Sempre atenta às principais tendências mundiais, a Texneo (*), uma das principais empresas da indústria têxtil no Brasil, acaba de ter um de seus produtos selecionados com 100% de aceitação durante a Functional Fabric Fair 2022, evento realizado em Portland, Estados Unidos, foi criado para dar luz às empresas e empresários da indústria têxtil, destacando as inovações mais atuais em tecidos funcionais de alto desempenho, acabamentos e acessórios.

O produto selecionado da empresa, foi o Life Green Digital, uma malha para estamparia digital que possui 50% de poliamida reciclada em sua composição, proveniente do reaproveitamento de resíduos têxteis. Além disso, a estamparia digital Texneo é uma tecnologia limpa, que usa menos água durante o processo de estampar.

ricardo_texneo“Participar da Functional Fabric Fair já é uma honra para nós, pois conseguimos atuar em um espaço onde a inovação e o olhar atento para ações sustentáveis se unem. Agora, com a seleção do Life Green Digital, estamos ainda mais empolgados, pois sabemos que essa atenção especial é dada para pouquíssimos participantes”, comemora Ricardo Axt, CEO da Texneo. (foto acima)

41746_sense-green-0431-sportswearE a empresa acaba de receber o selo ‘Movimento Somos ODS’, fundado em 2004, o movimento é composto apenas por voluntários e tem o intuito de mobilizar a sociedade brasileira para o desenvolvimento sustentável pleno por meio da adoção da Agenda 2030. A certificação comprova que a empresa cumpre os requisitos de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

“Essa conquista é um marco muito importante, já que para tal feito é preciso comprovar uma série de fatores e ações que dizem muito sobre os compromissos sociais e sustentáveis da Texneo para com o meio ambiente e a sociedade em geral”, completa Francis Axt, gestora do Comitê de Sustentabilidade Texneo.

download-11O Movimento Somos ODS contempla 17 objetivos ambiciosos criados pela ONU, como saúde e bem-estar, igualdade de gênero, trabalho descente e crescimento econômico, indústria, inovação e infraestrutura, consumo e produção responsáveis e outros temas.

Também foi pioneira no uso da fibra de bioamida (feita de milho) no país. Com isso corrobora sua atuação com matérias-primas sustentáveis e eleva a empresa a um patamar muito interesse no que se trata de cuidado com bem-estar, meio ambiente e sustentabilidade.  “Somos focados nos segmentos de sportswear, beachwear e underwear. Nossa premissa é uma busca constante por inovação, crescimento e expansão para outros mercados. O resultado desses esforços é traduzido em malhas leves, tecnológicas e com estilo”, completa Ricardo Axt, CEO da Texneo.

fabricio_texneoDentre outras tecnologias que compõem o TexneoGreen, o fio de bioamida é considerado um produto inovador para o mercado da moda por se tratar de fonte renovável, produzido a partir da biomassa vegetal de um milho geneticamente modificado para a atender o uso industrial, não competindo com o usado para alimentação. Ele aparece no novo produto  Sense Green, que além dos benefícios para o meio ambiente, ainda oferece um toque mais macio, suave e uma sensação de frescor que traz mais conforto durante o uso. “Dentro de todas as ações pensadas e executadas por nossas equipes, o conceito de sustentabilidade e preocupação com impactos no meio ambiente fazem parte da atmosfera da Texneo. Por isso, estamos contentes em sermos pioneiros no uso da bioamida no Brasil e vamos expandir ainda mais outras ações nesse sentido”, finaliza Axt.

(*) Sobre a Texneo - Fundada em 1995 pelo irmãos Ricardo Axt e Fabrício Axt, (na foto à direita) a Texneo é uma das principais indústrias têxteis no Brasil, com foco na produção de malhas em rolo para os segmentos sportwear, beachwear e underwear. A empresa aposta na tríade de sustentabilidade, inovações e olhar humano para desenvolver seus produtos e ampliar seu atendimento em todo território nacional e outros 17 países, entre eles: Uruguai, Argentina, Bolívia e boa parte da América Latina. A empresa marca presença também nos Estados Unidos, Europa, África do Sul, somando mais de 1,5 mil clientes ativos.

da redação com informações da Piar Comunicação   imagens: fotos/divulgação

SUSTENTABILIDADE

worldfashion • 06/05/22, 14:33

9c4e25d3-a586-4862-80c5-bcf3ab98fc6bA Brandili, marca de roupa infantil com mais de 54 anos de história focada em trazer o melhor em moda infantil para meninas e meninos, possui uma grande variedade de roupas direcionadas às crianças de todas as idades, sendo uma das marcas preferidas pelas mães e pelos lojistas, e está presente em mais de 67% das cidades brasileiras e em mais 25 países, produz 15 milhões de roupas infantis ao ano.

foto-006-2022-economia-circularEm dezembro de 2021, decidiram reciclar as sobras de alimentos em adubo e os resíduos têxteis em fios ecológicos, com exemplos práticos de economia circular, também reduzem a emissão de gases de efeito estufa e a quantidade de lixo destinada aos aterros sanitários. Assim construiram na matriz da empresa, em Apiúna (SC) uma horta orgânica dentro da empresa, onde é utilizado adubo natural produzido a partir das sobras geradas no preparo e consumo de alimentos do refeitório. Foi uma iniciativa da área de sustentabilidade, com o apoio de colaboradores de diversas áreas, se tornou possível o projeto. “Foram adquiridas duas recicladoras de orgânicos. Estes equipamentos desidratam e reduzem os resíduos orgânicos da cozinha industrial a um composto orgânico inerte, o qual é utilizado como adubo. Passam pela máquina cascas, talos, sobras de frutas e vegetais, grãos crus ou cozidos e temperados, pães, bolos, tortas, cascas de ovos, ou sobras desse alimento cru e cozido, além de sopas ou ensopados”, explica o gerente de Sustentabilidade da Brandili, Leonir Felipe Soliman Filho( foto abaixo)foto_012-2022-leonir A ação vem como um exemplo prático de economia circular em função de um melhor uso dos recursos naturais e da reciclagem de nutrientes e de matéria orgânica estabilizada. “Há uma base de cálculo para que não haja desperdício de alimentos. Mas, como oferecemos refeições em três turnos, sempre temos uma perda e também as sobras normais de preparo dos alimentos. Buscamos essa iniciativa para amenizar os impactos”, ressalta Leonir Filho.

O termo economia circular tem pautado cada vez mais as ações de grandes empresas que, quando preocupadas em minimizar os impactos ambientais e sociais, se desafiam a desenvolver novas soluções para uma recuperação inteligente de recursos. Na indústria têxtil Brandili, que emprega cerca de 1,2 mil colaboradores diretos e 700 indiretos em oficinas de confecção, iniciativas vêm gerando números positivos e mostrando que esse é o caminho para um mundo mais sustentável.

Para o Leonir, os aspectos sustentáveis deste projeto vão além da redução da quantidade de lixo destinada ao aterro sanitário. “Com base no volume de resíduos orgânicos gerado na Brandili em Apiúna (40 toneladas/ano), deixamos de emitir uma tonelada de gás metano (CH4) e 28 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano no aterro sanitário localizado em Timbó (SC), o que contribui positivamente para a redução da emissão de gases de efeito estufa e reflete diretamente no incentivo a práticas de economia circular”, detalha o gerente.

foto-007-2022-economia-circularHoje, na horta da Brandili, são cultivadas as hortaliças de época, como alface, chicória e também alguns temperos verdes. Ao todo, são cinco canteiros que compõem cerca de 75 metros quadrados. “Atualmente, nossa horta já supre de 10 a 15% da demanda de hortaliças da cozinha industrial”, explica Leonir Filho. A manutenção é feita pelo jardineiro e outros colaboradores voluntários da empresa, com o apoio da equipe de sustentabilidade que possui um engenheiro agrônomo.

Desde 2014, assegura também a reciclagem dos resíduos têxteis gerados nas mais de 40 oficinas de confecção responsáveis por uma parcela significativa do processo de costura e embalagem de produtos. Elas estão localizadas em 13 municípios de Santa Catarina e oportunizam inúmeros empregos diretos. Beneficiando e consumindo 2 mil toneladas de malha anualmente, a empresa catarinense é responsável pela produção de aproximadamente 18 milhões de peças por ano.

foto-009-2022-economia-circularO processo funciona da seguinte forma: a matriz da Brandili em Apiúna (SC) recebe os resíduos de confecção produzidos pela unidade de Otacílio Costa (SC) e facções de costura. O material se junta aos resíduos de corte e confecção gerados pela empresa. Eles são pesados e identificados de acordo com o local de origem. A Brandili tem uma parceria com a empresa EuroFios, de Blumenau (SC), que faz a coleta do material e realiza o processo de desfibração do fio e a fabricação de um novo, que é chamado de fio ecológico. “Fazemos todo o controle do processo, desde o transporte do resíduo até a comprovação de destinação/reciclagem, de acordo com padrões e regulamentações ambientais”, complementa o gerente de Sustentabilidade.

O material desfibrado possui diversas aplicações, como enchimentos de pelúcias e almofadas, revestimentos acústicos, cobertores, mantas térmicas, geotêxteis, feltros, filtros, fios e barbantes reciclados. “Adotando de forma continuada ações de não geração, redução e reutilização, e cientes de que os aterros devem ser utilizados apenas depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento, recuperação disponíveis e economicamente viáveis, podemos afirmar que na Brandili, mensalmente, cerca de 21,2 toneladas de resíduos têxteis são transformadas em desfibrados e fios reciclados”, enaltece o diretor Geral, Jacques Douglas Filippi.

da redação com informações da  Oficina das Palavras – Inteligência em Comunicação e Conteúdo   imagens: fotos/divulgação

PROJETO SCORE

worldfashion • 04/05/22, 10:41

download-2A Organização Internacional do Trabalho (OIT), em parceria com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) e a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), vai fortalecer as pequenas e médias empresas (PMEs) da cadeia têxtil e de confecções da Região Metropolitana de São Paulo inicialmente, por meio da introdução no Brasil da metodologia Sustentando Empresas Competitivas e Responsáveis (SCORE, na sigla em inglês).

A metodologia SCORE é uma iniciativa global da OIT que reúne experiências de sucesso em mais de 20 países na África, Ásia e América Latina, e tem como objetivo aumentar a produtividade e melhorar as condições de trabalho de PMEs. Por meio de treinamentos práticos e consultorias in-factory, a metodologia estimula a adoção de ferramentas de cooperação no local de trabalho e o trabalho decente.

A metodologia está organizada em módulos e explora temas como gestão da força de trabalho, produção limpa, controle de qualidade, saúde e segurança no trabalho e promoção da igualdade de gênero, sempre com foco no papel da cooperação entre trabalhadores e empregadores para a obtenção de ganhos compartilhados de produtividade de competitividade.

download-1Segundo dados da RAIS de 2020, o setor têxtil e de confecções é um dos mais importantes empregadores da indústria de transformação brasileira, com mais de 730 mil trabalhadores formais, dos quais 56,7% são empregados em PMEs. Apesar de sua importância para a produção industrial e para a geração de empregos no Brasil, persistem obstáculos para a melhoria das condições de trabalho e da produtividade na cadeia têxtil.

martin-hahnPara Martin Hahn, diretor do Escritório da OIT no Brasil, “as PMEs do setor enfrentam desafios relevantes para a agenda do Trabalho Decente, como qualificação de trabalhadores, práticas de subcontratação e informalidade, saúde e segurança, além da integração de grupos vulneráveis, sobretudo imigrantes. Muitos desses temas têm sido abordados por iniciativas da OIT no Brasil em parceria com organizações do setor. Esse novo projeto se beneficiará das experiências bem-sucedidas que tivemos anteriormente com Abit e ABVTEX.”

No Brasil, a metodologia introduzida pelo Projeto SCORE conta com o apoio do Ministério Público do Trabalho (MPT). Os recursos do projeto são utilizados para apoiar a adaptação da metodologia SCORE para o contexto brasileiro, capacitar treinadores, apoiar a realização de treinamentos piloto e desenvolver iniciativas de conscientização de atores do setor sobre os benefícios de práticas empresariais responsáveis.

A participação da Abit e da ABVTEX, como membros do Comitê Executivo do Projeto SCORE, contribui para aproximar a metodologia dos desafios específicos do setor têxtil e de confecções no Brasil e para mobilizar atores estratégicos para o sucesso da iniciativa.

abvetexEdmundo Lima, diretor executivo da ABVTEX, observa que esta é mais uma iniciativa colaborativa entre a OIT e entidades que trará resultados positivos para o setor de moda. “A ABVTEX tem como um dos seus principais pilares de atuação o desenvolvimento da cadeia de valor para a construção de uma moda socioambientalmente sustentável. Diante de uma cadeia produtiva complexa e pulverizada instalada no País, o uso de metodologias que promovam melhorias de produtividade e competitividade ajudarão a criar um novo ambiente a ser replicado para outras empresas e a participação da ABVTEX no SCORE ajuda a consolidar o propósito da entidade.”

fernando-pimentel-06Por sua vez, Fernando Pimentel, presidente da Abit, considera que: “Se manter competitivo, aumentar a produtividade e reter trabalhadores não é tarefa fácil, principalmente para pequenas empresas da indústria têxtil e de confecção. E são essas, que representam a maioria, que movem a cadeia da moda no Brasil. Com essa união de esforços entre a indústria, o varejo e a OIT, temos a expectativa de aprimorar a oferta de capacitações para o setor e alcançar bons resultados em produtividade de forma perene, a partir da melhoria das relações de trabalho nas fábricas”.

O projeto adota uma abordagem gradual, que se inicia com a implementação de treinamentos piloto nas PMEs selecionadas da cadeia têxtil e de confecção da Região Metropolitana de São Paulo. A definição do setor e da região de início do projeto se deve à origem dos recursos, ao potencial do cluster têxtil e de confecções de São Paulo e a infraestrutura de treinamento local para uma primeira utilização da metodologia SCORE.

As atividades serão desenvolvidas até, pelo menos, novembro de 2024 e poderão ser ampliadas para outros setores e regiões do país, a depender da disponibilidade de recursos. A longo prazo, o projeto tem como objetivo a incorporação sustentável da metodologia SCORE por parceiros nacionais.

Este projeto contribui para atingir os seguintes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 no Brasil: ODS 5 (Igualdade de gênero), ODS 8 (Trabalho decente e crescimento econômico), ODS9 (Indústria, Inovação e Infraestrutura), e ODS 12 (Consumo e produção responsáveis).

download-3Sobre a OIT - Fundada em 1919 para promover a justiça social, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) é a única agência das Nações Unidas que tem estrutura tripartite, na qual representantes de governos, de organizações de empregadores e de trabalhadores de 187 Estados-membros  participam em situação de igualdade das diversas instâncias da Organização.

A missão da OIT é promover oportunidades para que homens e mulheres possam ter acesso a um trabalho decente e produtivo, em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade. Para a OIT, o trabalho decente  é condição fundamental para a superação da pobreza, a redução das desigualdades sociais, a garantia da governabilidade democrática e o desenvolvimento sustentável.

da redação com informações de Ricardo Viveiros & Associados Oficina de Comunicação/ABIT  imagens: fotos/divulgação

IPI - IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS

worldfashion • 02/05/22, 10:47

ipi-1024x629

ABIT

6fc14003-c054-453e-b717-d4fc5091475dFernando Valente Pimentel, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), salienta ser correto o aumento do desconto de 25% para 35% no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (29/04). “O corte de alíquota estimula o consumo e a competitividade da indústria. É oportuno e terá impactos positivos para a sociedade, ao contribuir para a recuperação econômica, barateando o que é produzido e conferindo mais poder de compra à população”.

O presidente da Abit considera que o ideal seria a extinção do IPI, pago apenas pela indústria, para que a competitividade do setor fosse ampliada a um patamar mais próximo do observado em outros países. “No entanto, cada redução é um avanço para a manufatura, a economia, os trabalhadores e os consumidores”.

Pimentel defende que o Brasil precisa manter os passos para que a carga de impostos seja menor em relação ao PIB, reiterando serem prementes as reformas tributária e administrativa. “Essa mudança estrutural teria impactos bastante positivos, proporcionando mais estabilidade e crescimento econômico, com mais investimentos e geração de empregos”, conclui.

da redação com infomações da Ricardo Viveiros & Associados Oficina de Comunicação  imagem: foto/divulgação

ASSINTECAL

silvana-dippA Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal) comemorou, nesta sexta-feira (29), a ampliação da redução no Imposto de Produtos Industrializados (IPI) de 25% para 35%. A medida, publicada no Diário Oficial de hoje, passa a valer a partir de 1º de maio e abrange o setor de componentes para calçados.

A superintendente da Assintecal, Silvana Dilly, destaca que a redução do IPI é um “alívio tributário em setores da indústria altamente prejudicados pela alta carga de impostos”. Segundo ela, a medida tem impacto importante para segurar a inflação em determinados produtos, dando mais fôlego para a cadeia produtiva do setor por meio da redução dos custos de produção. “É uma medida importante em um cenário de mercado ainda bastante volátil”, conclui. Conforme a entidade, os principais materiais impactados pela medida devem ser laminados sintéticos (que atualmente pagam 15% de IPI) e embalagens para calçados (que atualmente pagam 7% do imposto).

da redação com informações da DCR - Assessoria de Imprensa  imagem: foto/divulgação

AVERY DENNISON (*)

worldfashion • 07/04/22, 16:10

etiqueta-rfid-avery-dennison-cosmeticos-22A empresa é líder global em ciência de materiais e maior fabricante de etiquetas RFID (identificação por radiofrequência) do mundo, deu início às operações de sua nova fábrica de etiquetas inteligentes no Brasil. Com o propósito de atender à crescente demanda de diversos setores do mercado nacional e demais localidades da América do Sul, impulsionada pelos novos formatos de consumo e vendas “sem contato” trazidos pela pandemia, a nova unidade é a primeira do país e a oitava do mundo a entrar em operação - as demais estão na China, Europa, Estados Unidos e México.

ad-food-1427Localizada em Vinhedo, interior de São Paulo, a nova planta em área de 2 mil metros quadrados tem possibilidade de ampliação de acordo com o desenvolvimento da adoção da tecnologia na região. A fábrica produzirá uma variedade de designs de inlays, disponíveis nos formatos “dry” ou “wet”, com soluções para setores como vestuário, indústrias alimentícia, farmacêutica, cosmética, automotiva, aviação e muito mais.

fabiana-wu-2“É preciso que todos estejam preparados para as constantes mudanças de cenário nas formas de consumo e logística, como vimos recentemente. Estamos muito animados com o início dessa operação, pois existe uma demanda crescente do mercado por etiquetas inteligentes na América Latina. A combinação de recursos e capacidade de fabricação com nossa experiência em ciência de materiais nos permite essa conexão de maneira exclusiva com nossos clientes”, comenta Fabiana Wu, Gerente de RFID da Avery Dennison na América Latina.

rfid-averydennisonAs etiquetas inteligentes têm sido cada vez mais utilizadas no mercado, pois aumentam a precisão das informações sobre o estoque e podem fornecer detalhes sobre conteúdo e composição dos produtos. Com isso, milhares de produtos que não estejam ao alcance visual podem ser lidos à distância e têm suas informações como peso, tamanho, cor e procedência detalhados rapidamente de forma automatizada.

francisco-melo_avery-dennison“Ao fornecer uma identidade digital exclusiva a cada item, as etiquetas inteligentes permitem o acesso aos dados, incluindo conteúdo sobre produto, origem, autenticação e até mesmo insights sobre os materiais dos produtos e como reciclá-los. Uma tecnologia que pode ajudar as marcas a alavancarem informações mais precisas para melhorar significativamente o gerenciamento de estoque, tornar as cadeias de suprimentos mais eficientes e reduzir o desperdício, promovendo a sustentabilidade em vários setores”, destaca Francisco Melo, Vice Presidente e Gerente Geral da Avery Dennison Smartrac.

Dada a crescente demanda pela tecnologia no país, Fabiana Wu pontua que “a Avery Dennison continuará investindo na região, pois acreditamos que o Brasil pode expandir ainda mais a nossa visão de um futuro em que todos os produtos terão identidade única e vida digital, com a habilidade de criar experiências de consumo mais ricas, afinal, os etiquetas inteligentes serão a base central dessa conectividade”.

avery-dennison-brasil-divulgacao1A nova planta da empresa, recebeu investimento para um laboratório conceito, o ILab Brasil, um centro de experiência único que mostra os recursos da Avery Dennison em tecnologias de identificação digital. Assim como os outros laboratórios interativos da Avery Dennison pelo mundo, o espaço é palco para acompanhar a progressão tecnológica e transformação do mercado através do uso de RFID. Incluindo atma.io, a nuvem de produtos conectados da Avery Dennison, uma plataforma que libera o poder dos produtos conectados atribuindo IDs digitais exclusivos a itens do dia a dia, fornecendo transparência de ponta a ponta incomparável ao rastrear, armazenar e gerenciar todos os eventos associados a cada indivíduo produto — da fonte ao consumidor e além para permitir a circularidade.

Neste sentido, os visitantes têm a oportunidade de aprender como a tecnologia pode ajudá-los a aumentar a precisão de estoque, melhorar a agilidade da cadeia de suprimentos e também a experiência do consumidor. Portanto, convidamos nossos clientes e parceiros de negócios a interagir com nossas demonstrações ao vivo, conhecer nossos especialistas e obter experiência prática com as tecnologias de amanhã.

(*) Avery Dennison (NYSE: AVY) é uma empresa global de ciência em materiais, especializada em design e produção de uma grande variedade de materiais para rotulagem e funcionais. Os produtos da empresa são usados por grande parte das indústrias e incluem materiais autoadesivos, sensíveis à pressão, para rotulagem e aplicações para comunicação visual; fitas e outras soluções para aplicações industriais, médicas e varejo; etiquetas, rótulos e adereços para vestuário; além de soluções de identificação por radiofrequência (RFID) para mercado varejo e outros. Com sede em Glendale, Califórnia, a empresa emprega aproximadamente 35.000 funcionários em mais de 50 países. As vendas reportadas em 2021 foram de 8,4 bilhões de dólares americanos.

da redação com informações da Atitude Comunicação   imagens: fotos/divulgação

CANATIBA TÊXTIL

worldfashion • 29/03/22, 11:30

A empresa iniciou  o projeto - Canatiba Social Care - com uma doação de peças de mostruário para a AACD, em outubro de 2020. Na ocasião, a equipe Canatiba visitou a ONG e testemunhou in loco a dimensão dessa obra e, consequentemente, o alcance de uma ação dirigida sintonizada com as melhores práticas do terceiro setor.

whatsapp-image-2022-03-10-at-113747-11Só em dezembro de 2021, foram doadas mais de 800 peças sem uso, dos mostruários comerciais Canatiba, que foram transformados em produtos vendidos no bazar da AACD,  para a arrecadação de recursos que financiaram 408 atendimentos a pessoas com deficiência e suas famílias.

A Rede Feminina de Combate ao Câncer recebeu 400 peças e também contou com o apoio da Canatiba no desenvolvimento de gifts, nas oficinas dessa ONG criada em 1972, para a defesa e garantia de direitos de pessoas de com câncer e seus familiares em situação de vulnerabilidade social. Com um olhar holístico, a instituição procura assistir à população em várias frentes.

A Rede atua desde a facilitação de acesso aos serviços públicos e ao SUS para diagnóstico, exames e tratamentos, até o acolhimento e amparo de pessoas ligadas aos pacientes com câncer que não tem tempo de conciliar o acompanhamento dos doentes com seus compromissos cotidianos.

whatsapp-image-2022-03-10-at-113747Considerando toda forma de arrecadação da Rede - Bazar, Brechó, Lojinha, telemarketing, algumas campanhas próprias e parcerias somadas - o projeto Canatiba Social Care alcançou 44 crianças e adolescentes e 110 beneficiários adultos e suas famílias.

Para a Casa da Criança de Santa Bárbara D’Oeste foram doadas 200 peças. A arrecadação do bazar totalizou um valor de R$ 5.790,00. Fundada em 1958, a entidade atua de forma descentralizada, executando serviços de proteção básica, educação, acolhimento institucional e até ações de alta complexidade no atendimento a crianças, adolescentes e seus familiares em situação de risco social. A entidade atende 1100 crianças entre 0 a 5 anos. Os recursos arrecadados na venda das peças no Bazar dessa instituição foram revertidos na compra de roupas para as crianças e adolescentes abrigadas pela ONG.

A partir de maio de 2022 o Canatiba Social Care se prepara para uma nova rodada de doações, seja para as entidades já atendidas como também para outras ONG’s selecionadas pela equipe da empresa para o Canatiba Social Care, promete avançar nesse ano, fazendo valer o compromisso da tecelagem com uma sociedade mais justa e solidária.

da redação com informações do Ronald Sclavi  imagens - fotos divulgação

SANTISTA JEANSWEAR (*)

worldfashion • 22/03/22, 10:31

13

A empresa cada vez mais alinhada com a sustentabilidade e para comemorar o Dia Mundial da Água (22/03), promove suas ações ligadas ao cuidado com os recursos hídricos, como a retirada da anilina no tingimento índigo, entre outras que visam processos mais sustentáveis.

A Santista integra o programa ZDHC (Zero Discharge of Hazardous Chemicals), o Programa de Descarte Zero de Produtos Químicos Perigosos, uma iniciativa que busca eliminar o descarte de tóxicos, como ftalatos, metais pesados e fenóis, no meio ambiente. Realizando toda a gestão de produtos químicos através do reaproveitamento de soda e banhos de tingimento, reduzindo o descarte.

Além do Zero Anilina, a empresa possui diversas iniciativas de manutenção da qualidade e economia de água, como o projeto Acquasave® atinge uma redução de aproximadamente um milhão de litros de água por dia. E no tratamento de efluentes, a empresa devolve a água mais limpa do que quando captada. A estação de tratamento de efluentes (ETE), presente na fábrica de Americana, é referência para a Cetesb, já que a estação devolve ao Rio Piracicaba água com remoção de 99% de carga orgânica processos biológicos e acima do índice estabelecido pela legislação ambiental vigente.

269991267_4637155923034233_461256449288698563_n“Nossos denims são totalmente isentos dos compostos químicos perigosos, com o novo tingimento Zero Anilina. Desta forma, eliminamos seu envio à estação de tratamento de água e contribuímos para a redução dos riscos aos trabalhadores e consumidores finais. Reforçando o cuidado e responsabilidade com o planeta e às gerações futuras”, explica Sueli Pereira, Gerente de Comunicação e Moda da Santista Jeanswear.

Outro fato interessante é a remoção de cor no efluentes, não estabelecido por lei no estado de São Paulo, mas praticado pela empresa, que estabelece como padrão de controle interno a remoção de 95% de resíduos na cor do efluente devolvido ao meio ambiente.

(*) A Santista Jeanswear é marca de origem brasileira criada em 1929, é uma das principais produtoras do autêntico denim no país e tecidos para roupas profissionais.  Com um posicionamento que se estende do mercado nacional ao internacional, apoiando seus clientes com equipes especializadas de consultoria de produto, moda e lavanderia. Reconhecida por 23 anos como a marca TOP OF MIND de uniformes no Brasil. A Santista Jeanswear traz em seu DNA inovação, sustentabilidade e tradição em coleções atualizadas com as tendências globais e produtos tradicionais e tecnológicos para uniformização.

da redação com informações da Helena Augusta Assessoria de Comunicação   imagens: fotos/divulgação

ABICALÇADOS

worldfashion • 15/03/22, 14:57

12No dia 03 de março de 2022, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), firmaram a renovação do convênio para a realização do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido pelas entidades desde o ano 2000. O investimento em ações de promoção comercial e de imagem no exterior será de R$ 35,45 milhões para o biênio 2022-2023. Deste valor, R$ 18,95 milhões serão oriundos da agência ligada ao Ministério das Relações Exteriores e R$ 16,5 milhões investidos como contrapartida da Abicalçados e empresas associadas ao Brazilian Footwear.

O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, destacou que o objetivo do convênio é alavancar as exportações de calçados brasileiros, indicando estratégias para internacionalização das empresas de diferentes maturidades e visando a ampliação da presença ou mesmo a inserção em mercados-alvos do Brazilian Footwear (Estados Unidos, Colômbia, Reino Unido, França, Emirados Árabes Unidos e Coreia do Sul).

“Hoje é um dia importante para as exportações brasileiras de calçados. Um dia que repetimos, a cada dois anos, há mais de duas décadas, quando assinamos o nosso primeiro convênio com a ApexBrasil dando origem ao Brazilian Footwear. Nesses anos de parceria, qualificamos e pulverizamos nossas exportações, passando de 99 destinos para mais de 160”, comentou o executivo, ressaltando que a renovação acontece em um momento de retomada das exportações de calçados. No ano passado foram exportados 123,6 milhões de pares, 32% mais do que em 2020, um número superior ao registrado antes da pandemia, em 2019 (em 7,4%). “Para 2022, nossa expectativa é positiva e certamente será impulsionada pelas ações de promoção comercial e de imagem que serão realizadas pelo Brazilian Footwear”, projetou Ferreira.

O convênio foi assinado pelo diretor de Negócios da ApexBrasil, Lucas Fiuza, que ressaltou a importância das exportações brasileiras e do apoio da agência. Segundo ele, para cada R$ 1 investido no Brazilian Footwear entre 2020 e 2021, R$ 168 retornaram em exportações. As empresas ligadas ao programa responderam por mais de 75% dos valores gerados com embarques no ano passado (US$ 679,8 milhões de US$ 900,3 milhões). “O retorno expressivo obtido com as exportações das empresas que participam do Brazilian Footwear se deve à parceria e cooperação entre a iniciativa privada, a Abicalçados e a ApexBrasil, que confia no potencial da indústria brasileira e no seu compromisso de fazer um produto de excelência que se adeque ao mercado internacional cumprindo as melhores práticas pelo meio ambiente”, disse.

A assinatura do convênio, aconteceu após uma agenda de visitas a indústrias de calçados da região do Vale do Sinos e Paranhana, no Rio Grande do Sul. Na oportunidade, dirigentes da Abicalçados e da ApexBrasil visitaram as unidades produtoras da Beira Rio, em Novo Hamburgo/RS, da Arezzo, em Campo Bom/RS, e da Bibi, em Parobé/RS.

Sobre o programa: Brazilian Footwear é um incentivo às exportações desenvolvido pela Abicalçados em parceria com a ApexBrasil. O programa tem por objetivo aumentar as exportações de marcas brasileiras de calçados através de ações de desenvolvimento, promoção comercial e de imagem voltadas ao mercado internacional.

Sobre a ApexBrasil - Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua na promoção dos produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. Para alcançar esses objetivos, a ApexBrasil realiza ações diversificadas de promoção comercial que visam promover as exportações e valorizar os produtos e serviços brasileiros no exterior, como missões prospectivas e comerciais, rodadas de negócios, apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais, visitas de compradores estrangeiros e formadores de opinião para conhecer a estrutura produtiva brasileira entre outras plataformas de negócios que também têm por objetivo fortalecer a marca Brasil.

da redação com informações de Diego Rosinha assessor de imprensa/Press Officer Unidade de Promoção de Imagem/Image Promotion Unit  e fotos/divulgação

CEDRO TÊXTIL

worldfashion • 10/03/22, 15:26

download2Após o sucesso do editorial de moda da Coleção Reflexos, lançada em outubro de 2021, a empresa lançou editorial intermediário inspirado na resiliência dos brasileiros, que buscam no que há de melhor em suas características, a força, para atravessar dificuldades.

As imagens traduzem o conceito elaborado por Eduardo Paixão, gerente de estilo e sua equipe, fazendo referência ao impacto da pandemia nas pessoas que se viram confrontadas pelas imposições do Coronavírus. Nesta fase, a ideia da campanha é usar a moda como instrumento de transformação social. Assim, foram produzidos seis vídeos criados pela agência Reciclo Comunicação e fotos registradas pelo olhar de moda aguçado de Márcio Rodrigues, com pessoas que não são modelos profissional.

5571c340-2b87-4efb-811c-3550817b8a8a“Vivemos uma crise que não é só pandêmica. É econômica, social e de identidade. Isso é muito difícil. Mas nos deu a oportunidade de olharmos pra dentro de nós e buscarmos aquilo que nos torna quem somos em meio a todas as adversidades. Com a pergunta ‘O que não está no retrato?’ convidamos todos a pensar sobre os estereótipos, as imposições sociais e, claro, a própria imagem. Nossa proposta para os 150 anos de história da Cedro é celebrar a vida como ela é agora. Sem utopias e com respeito. Por isso, convidamos 6 pessoas com histórias de vida inspiradoras para incentivar positividade, reação e equilíbrio. Sem negar a dor, o problema e a dificuldade. Ao contrário, encarando tudo isso de frente. Reconhecemos a capacidade ancestral do nosso povo frente às situações difíceis. E desejamos que a Reflexos seja um disparador para que os brasileiros possam enxergar a beleza na diversidade e, nela, reavivar a força para construir um país melhor e uma vida mais intimamente confortável”, reflete Eduardo Paixão.

Assim, homens e mulheres foram convidados a retratar as qualidades marcantes em suas personalidades, que o espelho não mostra:

luta, vaidade, paixão, perseverança, resiliência e otimismo.

reflexos-cedro_chico-mascarenhasChico Mascarenhas, 30 anos, arquiteto e paisagista, é um apaixonado pelo que faz. Com a mãe Vanda, aprendeu a se amar e a respeitar seus desejos. Com a irmã, abriu-se ao universo das plantas. Em todo seu processo de busca nestas três décadas de vida, uma perspectiva que passa pelo afeto livre: “Eu coloco paixão em tudo que faço. E acredito que a paixão é um caminho transformador e para mim passa pela dedicação. Sou apaixonado dedicado em meus projetos, meus amigos, minhas plantas e meus amores. E acredito que isso é uma semente que lanço para uma vida melhor, um mundo melhor”, comenta.

reflexos-cedro_marcela-rosaJá a bailarina Marcela Rosa, 54 anos, conta que em quase 40 anos de dança, tem aprendido a reconhecer e lidar com os limites do corpo e da vida em si como referências de ponto de partida, de construção de foco e de objetivos para alcançar e transpor. Para ela, esse processo de autoconhecimento de seu corpo e de sua essência é um caminho para o crescimento pessoal: “Fui convidada a falar de resiliência para a campanha e isso me fez refletir sobre o movimento, sobre a dor, sobre os limites do corpo, do tempo e da vida. Cada pessoa tem um corpo, e cada corpo tem seu tempo e sua história. Isto não é necessariamente ruim, pelo contrário, é aí que mora a beleza, a riqueza e o que cada um tem a contribuir com sua expressão. A existência é fluida, querendo ou não estamos vivos no movimento do tempo e para evoluirmos precisamos estar atentos e abertos às mudanças e necessidades do tempo presente. Portanto, para mim, a resiliência é doação e ação que se fazem em comportamentos do dia a dia ou em grandes atos na vida. É também o que me permite manter minha flexibilidade, sempre buscando o movimento do corpo e da alma”, confidencia Marcela.

reflexos-cedro_waleson-rosaEm uma realidade muito diferente está Waleson Rosa, 35, barbeiro. Nascido e criado no Vera cruz, aprendeu sobre vaidade e autoestima com o pai Luiz. E se inspirou no ofício da mãe, a cabelereira Marilsa. Barbeiro e cabelereiro, tem clientela fixa da periferia à zona sul e faz questão de andar alinhado. Estimula a esposa Manuella e outros que o rodeiam a fazer o mesmo. Isso porque considera a vaidade um ato de amor-próprio: “Para mim, a vaidade é estar bem, com autoestima renovada, livre para ser quem você é, onde estiver. Por isso, a vaidade funciona para mim como exercício de representatividade” defende.

reflexos-cedro_lua-sanjaPerseverança é a marca da cantora, modelo e comunicadora Sanja, 29 anos. De família simples, vivem a infância e adolescência em Vespasiano. Precisou batalhar para estudar e formou-se em dois cursos superiores: jornalismo e publicidade. Depois de estabelecida no mercado da comunicação, decidiu colocar sua voz no mercado e já gravou o primeiro clipe chamado Hurricane, de pop music “De onde eu venho, a educação é um privilégio. E a perseverança um modo de vida que aprendi com meus pais. É isso que me permite viver mais que sobreviver. Com ela, posso mapear meus lugares e ser quem eu sou. Isso é importante para mim. Também é para minha mãe e tias que não puderam ousar como eu posso. E tantas outras mulheres. Portanto, considero que perseverar é um jeito de realizar meus sonhos e ajudar outros a sonhar, ousar e realizar”.

reflexos-cedro_ivone-cavalhaisIvone Carvalhais, 53 anos, empreendedora é também lutadora dentro dos ringues. Motivada a colocar para fora o sofrimento, aprendeu a lutar boxe. A vida dela sempre foi uma batalha e a luta faz parte de sua rotina. Cada desafio, um round. Atualmente desempregada, aprendeu a fazer bolos e está se reinventando na pandemia. Inspirada em uma lembrança de nunca poder comer bolo, decidiu ser confeiteira. Para ela, a força é feminina e cíclica. “Sendo mulher, negra e pobre meu lugar nunca esteve onde devia. Por isso, eu luto com inteligência e busco refúgio na minha fé. Sei que não posso mudar o mundo, mas estou aqui para melhorar o meu universo. E acho que isso é aprendizado e exemplo. Para todos”, comenta confiante.

reflexos-cedro_kdu-dos-anjosKdu dos Anjos, 31 anos, artista e agitador cultural, tem no otimismo um traço de personalidade. É por meio dele que nasceu o Lá da Favelinha, um centro cultural de incentivo ao empreendedorismo criativo no Aglomerado da Serra. Ele conta que sua busca por justiça social veio de família onde todos estão envolvidos neste tipo de articulação. E revela que seu otimismo é impulsionado pela miséria: “Quando eu vejo a fome de comida, de arte, de pensamento crítico, de educação política eu sinto que não tenho o direito de parar. Meu rolê de otimismo tem a ver com a indignação com a miséria. Ela me dá coragem para superar medos e ser um sujeito que executa. Eu pego e faço. Mesmo sem saber como. Para mim, o feito é sempre melhor que o perfeito pois há coisas que não podem esperar”, desabafa.

colecaoSobre a coleção - São cinco novos artigos elastizados em denim, (Grant, Carter, Nigata, Randall e Veneto), com forte apelo tecnológico para proporcionar aos consumidores o conforto ao qual se acostumaram em meses sem sair de casa. E todo este conforto é possível mesmo usando jeans graças à tecnologia utilizada na fabricação do denim.

da redação com informações da 22 Graus Comunicação e Marketing imagens: fotos/divulgação

CANATIBA TÊXTIL

worldfashion • 10/03/22, 14:39

caminhao-1A empresa e a Transportes Maroso iniciaram um projeto piloto de transporte sustentável que visa de reduzir sensivelmente as emissões de CO² nas entregas de tecidos na Grande São Paulo, utilizando um caminhão movido à energia elétrica.

caminhao-3Trata-se de um veículo com capacidade para transportar 5 toneladas e autonomia para percorrer cerca de 240 quilômetros com uma carga de bateria. Essa distância corresponde ao trajeto de ida e volta, da base da Maroso em Campinas até a capital.  As emissões de um veículo com as mesmas características movido à diesel, somam cerca de 50 toneladas anuais de CO² na atmosfera. Outra vantagem é a economia potencial. O caminhão, funciona sem troca de marchas, movido por um motor que, em função da energia elétrica, tem dez vezes menos itens de manutenção que um veículo comum. O CO² é responsável por cerca de 60% do efeito-estufa, causado pela destruição da camada de ozônio da atmosfera. O gás é proveniente da queima de combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo, gás natural, etc), queimadas e desmatamentos.

caminhao-4A Transportes Maroso e a Canatiba são parceiros há oito anos. A transportadora leva os tecidos Canatiba para oito Estados brasileiros. A eletrificação da frota está no horizonte de ambas as empresas comprometidas com uma cadeia produtiva 100% sustentável e atentas à evolução das novas tecnologias nos seus segmentos.

Fundada em 2002, sediada em Palotina (PR), a Transportes Maroso conta com uma frota 100% rastreada, formada por caminhões e carretas com três anos de uso, em média.

da redação com informações do Ronald Sclavi   imagens: fotos/divulgação