Amni® Virus-Bac OFF.

worldfashion • 03/07/20, 15:37

LUPO

O Grupo Lupo, que há 100 anos entrega carinho e afeto para as famílias brasileiras, toma mais um passo inovador em relação à tecnologia têxtil no Brasil. A marca lança máscaras, item indispensável para a proteção de todos, em contexto atual, e peças exclusivas para a linha Lupo Sport, a partir do fio têxtil de poliamida da Rhodia, Amni® Virus-Bac OFF. Esta poliamida funcional é contra a ação de vírus e bactérias, bloqueando a contaminação cruzada entre os artigos têxteis e o usuário e evitando que a roupa seja um veículo de transmissão de vírus e bactérias, que podem estar em uma superfície têxtil.

mascara01mascara02Com o seu pioneirismo apresenta para o mercado as máscaras inéditas com a tecnologia do fio têxtil Amni® Virus-Bac OFF. A máscara é produzida com um tecido de toque macio, extremamente confortável e que oferece conforto térmico e bem-estar aos usuários - além de possuir rápida absorção de umidade, é fácil de lavar e seca rapidamente. As máscaras são laváveis, reutilizáveis e não devem ser compartilhadas. E mias a linha Lupo Sport oferece produtos de alta qualidade tecnológica, unindo conforto e estilo em suas peças, com produtos para diferentes modalidades e tecnologias, como a Seamless Dry, focada na alta performance de roupas esportivas sem costura, para atletas profissionais ou consumidor em geral. O upgrade da linha a partir do fio têxtil Amni® Virus-Bac OFF contempla os best sellers Lupo Sport - top, legging, camisetas manga comprida e curta, e manguitos. A marca estuda o lançamento de uma linha exclusiva voltada para profissionais da saúde, incluindo gorro cirúrgico, manguito, entre outros.

Todas as peças oferecem proteção contra bactérias e vírus, incluindo os vírus envelopados, como são classificados os vírus como influenza, herpesvírus, novo coronavírus e outros. Amni® Virus-Bac OFF tem a grande vantagem do efeito permanente, o que significa que a sua ação antiviral e antibacteriana permanecerá durante toda a vida útil do artigo têxtil, ou seja, uma roupa terá a mesma eficácia e de maneira uniforme mesmo após inúmeras lavagens. Além disso, o material reúne o conforto e a praticidade tão valorizadas neste momento, uma vez que oferece como benefícios toque macio, conforto térmico, respirabilidade, facilidade de manutenção e secagem rápida.

Os novos itens Lupo Sport e Máscaras com poliamida Amni® Virus-Bac OFF já estão à venda no e-commerce da Lupo (http://www.lupo.com.br), com entrega para todo o Brasil, em franquias da marca e em varejistas parceiros.

FELINE

img_5781_facetune_26-06-2020-22-06-20img_5783A marca de beachwear queridinha das celebridades, fundada pela designer Lidiane Feline, apresenta a primeira coleção de body produzida com ação antiviral do Amni Virus-Bac OFF – As peças trazem uma tecnologia que protege de influenzas, herpes e, também, do Coronavírus – COVID-19, com eficácia comprovada em laboratório, a Feline decidiu trazer essa novidade para suas peças, como uma proteção adicional para todos que buscam ter mais tranquilidade em momento de pandemia. “Sabemos a importância de ficar em casa no momento como esse, porém, muitas pessoas precisam transitar – ainda mais com a reabertura das atividades econômicas – por isso busquei o que existia de mais eficaz no universo da moda e oferecer o que há de mais fashion e com total proteção”, explica Lidiane.

As novidades estão disponíveis em dois modelos, com manga curta e comprida, nas cores: preto e branco. Além dos bodys, a Feline criou máscaras com a mesma tecnologia, pensando na saúde e segurança das pessoas. Vale dizer que estas propriedades são permanentes e não se perdem com a lavagem. A coleção estará disponível no site https://soufeline.com

CHROMA-LÍQUIDO

A Chroma-Líquido Tecidos Tecnológicos, joint venture formada entre o Grupo Chroma e a Líquido Indústria Têxtil, é homologada exclusiva da Rhodia, empresa do Grupo Solvay, para produzir artigos têxteis que utilizem o fio de poliamida Amni® Virus-Bac OFF, para todo o mercado automotivo, aéreo e ferroviário. Inovação genuinamente brasileira, o fio tem ação antibacteriana e antiviral com efeito permanente, inclusive para os vírus envelopados, como são classificados os vírus influenza, herpesvírus, coronavírus, entre outros.

foto-1-640x427 Luís Gustavo de Crescenzo, Naim Marof Hasan e Leandro Capucho (da esq. para dir.)

A exclusividade da CHROMA–LÍQUIDO, que tem como sócios-diretores Luís Gustavo de Crescenzo, CEO, Naim Marof Hasan, COO, e Leandro Capucho, CFO, inclui diversas áreas. A automotiva abrange montadoras e cadeia de fornecedores, concessionárias, oficinas e indústrias de acessórios. A de transporte público e privado, ônibus urbano e rodoviário, incluindo rodoviárias e pontos de embarques. A ferroviária engloba metrô, trem, VLT, além de estações e pontos de embarque. O setor aéreo comporta aviões e aeroportos.

Segundo Luís Gustavo de Crescenzo, os artigos fabricados com o fio de poliamida Amni® Virus-Bac OFF podem ser utilizados em bancos de carros, ônibus, caminhões, aviões e outros meios de transporte, e também na confecção de máscaras, roupas e protetores, usados em concessionárias, oficinas, fábricas, entre outras aplicações.

“O tecido produzido com o novo fio é o único indicado para uso profissional, por causa do efeito permanente da ação antiviral e antibacteriana, resistindo a atritos, higienizações e lavagens constantes, como exige os assentos do transporte público, o vestuário e o enxoval hospitalares e os uniformes das fábricas, por exemplo. Além de evitar a proliferação de bactérias e a transmissão de vírus por superfícies têxteis, possuem toque macio, conforto térmico, respirabilidade, facilidade de manutenção e secagem rápida”, afirma o CEO.

Projeções Chroma-Líquido

• Faturamento: nos próximos 12 meses, estima-se que a nova unidade de negócio fature R$ 250 milhões.

• Produção: cerca de duas mil toneladas de tecidos produzidos com o fio de poliamida Amni® Virus-Bac OFF, em 12 meses.

• Contratações: inicialmente, realocações. Ao longo de 12 meses, geração de até 500 novos empregos.

• Tamanho do mercado: potencial superior a R$ 5 bilhões.

1Mais informações sobre Amni® Virus-Bac OFF:

Inovação e vantagens do fio têxtil de poliamida Amni® Virus-Bac OFF / Rhodia é que o fio possui, agente antiviral presente na matriz polimérica do fio de poliamida Rhodia tem afinidade eletrônica com regiões de proteínas da estrutura externa do vírus, impedindo a hospedagem em células humanas, bloqueando a contaminação. em sua matriz polimérica, e atua no rompimento do envelope lipídico (gordura) dos vírus envelopados, quando este rompimento acontece, o material genético do vírus é exposto e o vírus inativado, impedindo assim a sua replicação, em outras palavras o vírus perde a sua capacidade de atuação (contaminação), o que garante um efeito permanente. Isso significa que a ação antiviral e antibacteriana permanecerá durante toda a vida útil do artigo têxtil, tecido ou malha, assegurando um produto bem homogêneo, e  traz ganhos no processo produtivo, com redução de etapas na cadeia produtiva e, consequentemente, aumento da produtividade. com a mesma eficácia e de maneira uniforme, mesmo em condições extremas de uso e manutenção.

Graças à tecnologia de aditivação da Rhodia, as funcionalidades desta poliamida não saem nas lavagens, agregando sustentabilidade ao processo têxtil. O fio de poliamida Amni® nasce de um processo que respeita o meio ambiente. Com o ciclo fechado de água, 0% de geração de resíduos e redução de emissão de CO2.

A eficácia do fio de poliamida Amni® Virus-Bac OFF foi comprovada por laboratório independente, seguindo os protocolos têxteis internacionais contidos na norma ISO 18184 (Determination of Antiviral Activity of Textile Products). Além de antiviral, a poliamida Amni® Virus-Bac OFF também tem ação antibacteriana comprovada, de acordo as normas têxteis internacionais AATCC100.

A Rhodia está no Brasil, sob as marcas do pioneirismo e da inovação, hoje empresa do Grupo Solvay, completou 100 anos de atividades no Brasil em 2019. A Rhodia iniciou sua trajetória de sucesso em Santo André – SP, com a instalação de uma unidade industrial de produtos químicos, que representou o primeiro passo da industrialização da região do ABC paulista. Sempre à frente do seu tempo, a Rhodia tem dado ao longo desse período uma contribuição decisiva para o fortalecimento do setor químico/têxtil e da indústria do Brasil em geral, com o desenvolvimento de tecnologias, processos e produtos para diversos mercados, e com um profundo relacionamento com a sociedade brasileira. O Grupo Solvay, é um dos mais relevantes players internacionais em materiais avançados e especialidades químicas.

A Rhodia destaca que esta tecnologia é uma barreira adicional no combate à contaminação cruzada de vírus e bactérias. O uso de peças com a poliamida Amni® Virus-Bac OFF não elimina a necessidade de cuidados de higienização frequente, segundo as instruções de segurança da OMS (Organização Mundial da Saúde) perante o cenário de pandemia do novo coronavírus.

da redação

com informações da LUPO pela INDEX,     da FELINE pela CANAL  A     da CHROMA LÍQUIDO pela  GRUPO PRINTER COMUNICAÇÃO  e   do Grupo Solvey/Rhodia pela Pexpress    imagens; fotos/divulgação

Amni® Virus-Bac OF

worldfashion • 29/06/20, 15:02

A Rhodia que acabou de completar 100 anos de Brasil, e desde de setembro de 2011, faz parte do Grupo Solvay, um dos mais relevantes players internacionais em materiais avançados e especialidades químicas, e está integrada na cadeia poliamida no país, com laboratórios de desenvolvimento instalados em suas fábricas de Paulínia (SP) e Santo André (SP). A empresa é pioneira e líder sul-americana no desenvolvimento de polímeros, fios e fibras têxteis de poliamida que são funcionais e sustentáveis.

Ao longo dos últimos anos, a empresa tem investido no aumento de seu portfólio de inovações têxteis de poliamida. As mais recentes são a microfibra Emana®, que ajuda a retardar a fadiga muscular e nos sinais de celulite; Amni® Soul Eco, Amni® Soul Cycle, que são fios têxteis funcionais e biodegradáveis, e Rhodianyl® Eco, fio têxtil de poliamida sustentável aplicado em uniformes escolares e outros artigos têxteis e acessórios. Todos esses produtos atendem ao mercado interno e vários países da América Latina, Europa e Ásia.

29O último desenvolvimento no Brasil do fio têxtil de poliamida  é o - Amni® Virus-Bac OFF – fio com propriedades de contra a ação de vírus e bactérias. Esta poliamida funcional bloqueia a contaminação cruzada entre os artigos têxteis e o usuário, evitando assim que a roupa seja um veículo de transmissão de vírus e bactérias que podem estar em uma superfície têxtil.

Desenvolvido para combater com eficiência a proliferação de bactérias e a transmissão de vírus em artigos têxteis, o fio de poliamida Amni® Virus-Bac OFF oferece uma proteção contra bactérias e vírus, incluindo os vírus envelopados, como são classificados os vírus como influenza, herpesvírus, novo coronavírus e outros, pois tem afinidade eletrônica com regiões de proteínas da estrutura externa do vírus, impedindo a hospedagem em células humanas, bloqueando a contaminação.

O fio têxtil Amni® Virus-Bac OFF, com agente antiviral e antibacteriano - que inibe a ação de vírus e bactérias - incorporado em sua matriz polimérica, pode ser usado na construção de malhas, tecidos, em diversas aplicações, tais como roupas casuais, esportivas, uniformes escolares, roupas profissionais, meias, calçados e acessórios, máscaras de uso social e até vestimentas e enxovais hospitalares. O agente antiviral atua no rompimento do envelope lipídico (gordura) dos vírus envelopados, quando este rompimento acontece, o material genético do vírus é exposto e o vírus inativado, impedindo assim a sua replicação, em outras palavras o vírus perde a sua capacidade de atuação (contaminação).

A grande vantagem do fio Amni® Virus-Bac OFF e que o efeito é permanente, o que significa que a sua ação antiviral e antibacteriana permanecerá durante toda a vida útil do artigo têxtil, ou seja, uma roupa terá a mesma eficácia e de maneira uniforme mesmo após inúmeras lavagens. Além de reunir conforto e a praticidade muito valorizadas, uma vez que oferece como benefícios toque macio, conforto térmico, respirabilidade, facilidade de manutenção e secagem rápida.

renato-boaventura-ceo-da-unidade-global-de-negocios-fibras-do-grupo-solvay-jun-15-11-640x427“É uma enorme satisfação e um orgulho para todos nós da equipe Rhodia contribuir com a sociedade neste momento tão difícil. Desenvolvemos no Brasil em tempo recorde um produto eficaz no combate a propagação de vírus. É uma proteção adicional que nos ajuda a ter mais tranquilidade em transitar neste momento de reabertura das cidades, ao evitar que a nossa roupa e sapatos sejam um veículo de transmissão de vírus e bactérias, ao mesmo tempo em que bloqueia o transporte destes microorganismos dos lugares públicos para a nossa casa. Isto é, protege a todos nós, nossas famílias e a sociedade como um todo”, afirma Renato Boaventura (na foto à esuqerda) Vice-Presidente Global de Poliamida e Fibras da Rhodia, Grupo Solvay.

A eficácia do fio de poliamida Amni® Virus-Bac OFF foi comprovada por laboratório independente, seguindo os protocolos têxteis internacionais contidos na norma ISO 18184 (Determination of Antiviral Activity of Textile Products). Além de antiviral, a poliamida Amni® Virus-Bac OFF também tem ação antibacteriana comprovada, de acordo as normas têxteis internacionais AATCC100.

A Rhodia destaca que esta tecnologia é uma barreira adicional no combate à contaminação cruzada de vírus e bactérias. O uso de peças com a poliamida Amni® Virus-Bac OFF não elimina a necessidade de cuidados de higienização frequente, segundo as instruções de segurança da OMS (Organização Mundial da Saúde) perante o cenário de pandemia do novo coronavírus.

antiviral-2A Santaconstancia tradicional empresa brasileira do setor têxtil que atua há mais de 70 anos na produção e comercialização de tecidos de moda e de alta tecnologia para esporte e praia lançou neste mês de junho uma linha inédita e inovadora de tecidos elaborados com fios de poliamida 6.6 antiviral e antibacteriano, o primeiro do mercado com princípio ativo permanente, que não sai nas lavagens. O produto atende a uma demanda crescente por soluções que protejam as pessoas da contaminação pelo novo coronavírus, além de outras doenças. Com este lançamento, a empresa amplia o seu portfólio de clientes e entra pela primeira vez no nicho voltado ao mercado de saúde.

gabriella-pascolatoA diretora de Marketing da Santaconstancia, Gabriella Pascolato Costa (na foto à direita)  explica que o novo tecido, feito com a poliamida 6.6 Amni® Antiviral, poderá ser utilizado na confecção de roupas e acessórios em geral, inclusive máscaras, uniformes, aventais e roupas de proteção hospitalar: “O produto tem a vantagem de servir tanto para a fabricação de roupas do dia a dia, seja de lazer, trabalho ou esporte, como para peças de uniformes e vestimentas de profissionais do setor de saúde, que exigem alta qualidade, durabilidade e segurança. Um dos diferenciais desse tecido é que a tecnologia tem o efeito permanente, ou seja, não se perde nas lavagens, pois o princípio ativo encontra-se nas próprias moléculas do fio. É um ponto muito importante, pois existem no mercado tecidos com funcionalidade parecida, que receberam uma impregnação antiviral, mas cuja eficácia é perdida em aproximadamente 20 lavagens”.

E completa que a nova linha de tecidos antivirais e antibacterianos deverá evoluir para cerca de 35% das vendas da Santaconstancia. A estimativa é que 40% desse total represente o fornecimento à cadeia de vestuário para o setor de saúde e 60% para os demais segmentos de moda. “Já temos demandas de hospitais e clínicas, além de nossos clientes habituais, entre confeccionistas, estilistas e atacadistas. Em poucas semanas, essas roupas e acessórios produzidos por diferentes marcas estarão disponíveis para o consumidor final”, conclui a executiva.

O lançamento é resultado de uma parceria entre a Santaconstancia e a Rhodia, empresa do grupo químico internacional Solvay presente no Brasil desde 1919.  A multinacional desenvolveu a tecnologia dos fios com seus pesquisadores brasileiros, com o objetivo de eliminar e bloquear a proliferação de bactérias e a transmissão de vírus em artigos têxteis. Na fábrica da Santaconstancia, o processo de fabricação do tecido é feito com água de reuso em circuito fechado, reduzindo ao mínimo o desperdício e evitando o consumo de água potável. “A Santaconstancia carrega em seu DNA a preocupação com as pessoas e com o meio ambiente. Oferecer uma proteção adicional às pessoas neste momento de pandemia de Covid-19 é muito importante. Essa é mais uma ação que fazemos juntos com a Rhodia, nossa parceira há mais de 50 anos”, diz Gabriella Pascolato.

2993dc0b-d65c-43ea-868d-43c439d70e390“Nós da Rhodia estamos felizes em trazer ao mercado têxtil com nossos parceiros como a Santaconstancia uma solução antiviral neste momento de reabertura das cidades. E ainda maior orgulho por ser uma tecnologia desenvolvida 100% no Brasil”, afirma Renato Boaventura, Vice-Presidente Global de Poliamida e Fibras da Rhodia, Grupo Solvay.

Como funciona a proteção do tecido contra vírus e bactérias

Segundo pesquisadores do mundo todo, o novo coronavírus pode permanecer em superfícies inanimadas por no mínimo 2 dias em temperatura ambiente, inclusive em roupas com tecidos comuns. Os testes feitos com a poliamida 6.6 Amni® Antiviral mostram que o fio tem a capacidade de inativar (OFF) 99% dos micro-organismos (vírus) e eliminar bactérias presentes na superfície têxtil, reduzindo a probabilidade de contaminação e aumentando a segurança do usuário. A tecnologia evita a contaminação cruzada de vírus envelopados (coronavírus, influenza, herpesvírus) e não envelopados (rotavírus, adenovírus, papilomavírus) – rompendo o envelope lipídico e bloqueando as regiões proteicas – e elimina as bactérias causadoras de doenças como pneumonia e meningite.

4432435-santa-1“Além de proteger, outros benefícios do novo tecido são a maciez oferecida pelo material da poliamida 6.6 e o conforto térmico, permitindo o uso de uma roupa confortável em várias ocasiões e fácil de lavar. Essa é uma tecnologia que veio para ficar, mesmo quando a pandemia de Covid-19 passar. É um tecido que se tornará universal para o dia a dia”, prevê a Gabriela Pascolato Costa (na foto ao lado com o Alessandro Pascolato e Costanza Pascolato)  diretora de Marketing da Santaconstancia.

A nova linha terá opções de cores variadas (lisa e estampada) e conta com cinco tipos de tecidos de malha: Light ® Vírus Bac OFF Permanente, Flux? ® Vírus Bac OFF Permanente, Link ® Vírus Bac OFF Permanente, Evolution Plus ® Vírus Bac OFF Permanente e Up Soft ® Vírus Bac OFF Permanente. O custo dos tecidos antivirais e antibacterianos será em torno de 15% maior em relação às linhas tradicionais de malhas similares em poliamida já comercializadas pela tecelagem.

Sobre o Grupo Solvay

114A Solvay é uma empresa de ciências cujas tecnologias oferecem benefícios em muitos aspectos da nossa vida cotidiana. Com 24.100 empregados em 64 países, a Solvay une pessoas, ideias e elementos para reinventar o progresso. O Grupo busca criar valor compartilhado sustentável para todos, principalmente por meio do programa Solvay One Planet, elaborado em torno de três pilares: proteger o clima, preservar recursos e promover uma vida melhor. As soluções inovadoras do Grupo contribuem para produtos mais seguros, limpos e sustentáveis, que podem ser encontrados em residências, alimentos e bens de consumo, aviões, carros, baterias, dispositivos inteligentes, equipamentos de saúde, sistemas de purificação de água e ar. Fundada em 1863, a Solvay está hoje entre as três principais empresas do mundo na maioria de suas atividades e obteve vendas líquidas de € 10,2 bilhões em 2019. A Solvay está listada na Euronext Brussels (SOLB) e Paris e nos Estados Unidos, onde ações (SOLVY) são negociadas através de um programa de ADR Nível I. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Sobre a Santaconstancia

antiviral-1A Santaconstancia é uma das líderes do mercado têxtil em inovação de tecidos e no desenvolvimento de produtos pioneiros, de alta qualidade, sustentáveis e com moderna tecnologia fabril própria. Instalada em São Paulo, a tecelagem atua há mais de 70 anos na produção e comercialização de tecidos para diversos segmentos de vestuário. Seus clientes B2B da cadeia varejista são confeccionistas, estilistas e atacadistas de todos os portes, presentes majoritariamente no Brasil, mas também no exterior. Fundada em 1948, a Santaconstancia sempre esteve na vanguarda da moda, lançando estilos e tendências, com um DNA criativo e inovador mantido através de três gerações da família Pascolato. Hoje, a empresa é comandada pelo sócio e presidente Alessandro Pascolato, filho da fundadora Gabriella Pascolato. Site: www.santaconstancia.com.br.

da redação com informações do Grupo Solvey/Rhodia no Brasil pela Pexpress, Fibras/Rhodia pela Index e da Santaconstancia pela assessora Marina Segre imagens: fotos/divulgação

V.SPACE

worldfashion • 25/06/20, 16:18

1Em sinergia com um mercado em constante transformação, a Vicunha, acaba de lançar ao público a versão completa do catálogo virtual de seu portfólio.

É o primeiro app do setor têxtil com simulação 3D, o V.Space permite navegação ágil e intuitiva pelos mais de 150 produtos e 500 itens de conteúdo audiovisual e oferece funcionalidades que facilitam a imersão em todo o universo da marca. A plataforma conecta todos os públicos do mercado têxtil em um só lugar e está disponível gratuitamente para download em três idiomas na Apple Store e no Google Play.

2Com a novidade, a Vicunha confirma seu protagonismo no setor ao oferecer inovação, agilidade e simplicidade no acesso a seus serviços e soluções, promovendo aproximação com funcionários, força de vendas, clientes, parceiros e entusiastas da moda. O aplicativo funciona como um hub de conhecimento e informações exclusivas disponibilizadas pela fabricante, e desempenha um papel estratégico para os negócios em um novo contexto de mundo, com foco na conectividade com seus diversos públicos e nas necessidades específicas de cada cliente.

german_imgl7709-ok-427x640De acordo com German Alejandro(na foto à esquerda) Diretor Comercial e de Marketing, a plataforma tem como objetivo promover relações duradouras, em qualquer hora e em qualquer lugar do mundo, por meio de ofertas assertivas e maior autonomia conferida ao cliente. “Desde o processo produtivo à apresentação do portfólio, nossa inovação tecnológica aparece de ponta a ponta e surge em um momento desafiador e necessário que exige maior agilidade e aproximação com nossos públicos, que procuram as melhores soluções em tendências de moda, sustentabilidade, design e produtos inovadores em um só lugar, materializando nosso modelo de negócios conhecido como one stop shop”, explica o executivo.

O resultado é uma ferramenta de navegação simples, que garante autonomia ao cliente para selecionar seus produtos favoritos. Como complemento, o usuário conta com o auxílio de uma consultoria capacitada e eficiente da equipe comercial e de especialistas.

Dá uma olhada nas funcionalidades do novo V.Space:

4• V.Products: todos os tecidos, especificações técnicas e seus diferenciais, fotos de produtos, shapes, shades de lavagens e vídeos;

• V.News: as principais novidades da Vicunha, como detalhes de produtos, campanhas, projetos, feiras, eventos, webinars;

5• V.Trends: as últimas tendências sobre moda, arte e comportamento em um guia completo com os principais lançamentos da Vicunha para cada temporada;

• Sustentabilidade: informações sobre as práticas sustentáveis e certificados da Vicunha, bem como novidades sobre o tema;

• Lista de Desejos: aqui os clientes podem escolher os tecidos desejados, solicitar pilotagem ou realizar desenvolvimento exclusivo e compartilhar com sua rede de contatos.

Para baixar e testar o aplicativo, basta acessar o link: https://apps.apple.com/br/app/vspace/id1439614652 ou  https://play.google.com/store/apps/details?id=br.grupovex.vicunha

da redação com informações da Press Pass  imagens: fotos/divulgação

CEDRO TÊXTIL

worldfashion • 19/06/20, 10:44

“Reinvenção” sempre foi uma palavra de uso frequente na Cedro Têxtil, inclusive utilizada para nomear uma das coleções da fabricante de sarjas e denim. Em quase 148 anos de história, a companhia já precisou se reinventar diante de diversos momentos desafiadores - e não está sendo diferente agora, durante a pandemia do Coronavírus. Sem o tradicional lançamento de editorial no primeiro semestre, sem eventos de moda agendados e, ainda, sem a possibilidade de confirmar uma data para o lançamento de coleção do segundo semestre, a Cedro reestruturou suas redes sociais para estar ainda mais próxima de seus clientes e colaboradores.
Com uma linguagem mais institucional e com o objetivo de aproximar, unir, criar laços e pontos de contato entre seus seguidores, todas as redes sociais da Cedro estão com um novo posicionamento: cedro-realinhando-o-futuro-11“Realinhando o Futuro”. O conceito celebra a capacidade de resiliência da companhia, para persistir diante de situações adversas, e de adaptação, para seguir em frente apesar de cenários inesperados. “Estamos unindo esforços para passar por tudo isso da melhor forma possível, atendendo nossos clientes com atenção e transparência e, ao mesmo tempo, cuidando de nossa equipe”, explica Eduardo Vaz, responsável pelo marketing da Cedro Têxtil. Ele conta ainda que, este mês, a empresa inaugurou um perfil na rede social profissional Linkedin, com o intuito de ampliar o diálogo com confecções e representantes.

Nas redes sociais a Cedro integra a campanha da Associação Brasileira da Industria Têxtil, Abit, “Moda Brasileira – Tamo Junto”, com a proposta de reunir as indicações de empresas nacionais de moda, de qualquer porte ou segmento. As indicações podem ser feitas até o final de junho por meio de comentários no perfil da @cedrojeanswear, no Instagram.  “Com essas indicações, vamos disponibilizar para download em nossas redes sociais um e-book da moda brasileira. Queremos usar esse espaço para apoiar marcas e empresas, unindo forças entre todos os integrantes do setor para que fique tudo bem”, detalha Eduardo.

da redação com informações da 22 Graus Comunicação e Marketing - imagens: foto/divulgação

COVOLAN

worldfashion • 19/06/20, 10:35

A crise gerada pela pandemia da Covid-19 tornou-se, de certa forma, oportunidade para a Covolan Têxtil, pois diante do isolamento social e a interrupção de atividades presenciais em todo o mercado, a empresa investiu na expansão dos negócios em ambiente digital.
No campo da sustentabilidade, a empresa investe ostensivamente em três pilares: social, econômico e ambiental, sendo a única empresa têxtil fabricante Denim do Brasil que é membro associado do programa ZDHC (Zero Discharge of Hazardous Chemicals) ou Descarte Zero de Produtos Químicos, voltado à eliminação de itens químicos nocivos de suprimentos de calçados e artigos têxteis.

Aline Nóbrega, executiva da área Comercial da empresa, assinala que a plataforma digital era um projeto que já estava em andamento e seria implantado de forma completa ainda este ano. “As medidas de restrições fizeram com que a implantação do recurso online fosse acelerada e entrasse em prática imediatamente”.

Em apresentação virtual, realizada em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, a equipe da Covolan Têxtil falou sobre projetos e certificações que a companhia conquistou no campo da sustentabilidade, bem como mostrou novidades em matéria de produtos, serviços e ações que estão sendo adotados.

Para promover a apresentação dos produtos de forma eficaz, facilitando o acesso dos clientes de todo o Brasil, a Covolan lançou o Show Room digital, integrado ao site da empresa. A plataforma traz fotos bem como especificações técnicas sobre os produtos, para que as confecções possam avaliar cada item de acordo com suas características, como assinala o coordenador do Sistema Integrado de Gestão da Qualidade Ambiental, Saúde e Segurança do trabalho da empresa, James Nadin.

img_2609-1-640x142

A Covolan detém a certificação STeP, da Oeko Tex, destinada a marcas, varejistas e fabricantes da indústria têxtil e de couro, visando à verificação em todas as etapas do processamento.

A Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) conta com moderna tecnologia de processamento, devolvendo à natureza águas cristalinas e livres de substâncias tóxicas ao meio ambiente e ao ser humano.

Outras certificações como a ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001, integrantes do Sistema de Gestão Integrado, associadas ao OEKO-TEX Standard 100, BCI (Better Cotton Iniciative), entre outros, garantem o fornecimento de produtos de qualidade, isentos de substâncias químicas nocivas, atendendo às necessidades dos consumidores, bem como garantindo a saúde, segurança e a responsabilidade social dos colaboradores e fornecedores.

Thaísa Peralta, Denim Head da companhia, destaca que a apresentação dos valores da empresa no campo da Sustentabilidade foi fator que contribuiu para a percepção de consistência da mensagem e do trabalho da Covolan como um todo por parte dos clientes. “Levamos essas informações sobre a política de sustentabilidade da empresa bem como sobre os produtos aos clientes por meio do site e das reuniões em ambiente virtual. E a resposta é rápida, pois são muitas as marcas que estão atentas aos requisitos da moda sustentável”.

São várias as certificações que a Covolan veio adquirindo ao longo dos últimos anos, entre eles: ISO 14001, ISO 9001, OHSAS (para gerenciamento da saúde e segurança do trabalhador), Oeko Tex Standard 100, STeP, ZDHC, Higg Tex (avaliação de fornecedores), Biomassa, Zero Anilina, Lycra, entre outros.

da redação por Eleni Kronka  imagens: fotos/divulgação

TECIDOS ANTIVIRAIS

worldfashion • 18/06/20, 14:23

senai-visita2-196O Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil - SENAI CETIQT - vem reunindo parceiros para o desenvolvimento de tecidos antivirais, no combate à disseminação do COVID-19,  um deles é a Diklatex, única indústria têxtil selecionada no Edital SENAI de Inovação da Indústria – Missão contra o COVID-19 e que desenvolve o projeto do tecido antiviral.

O projeto consiste no desenvolvimento de têxteis funcionais com propriedades antivirais e já conta com pesquisas e testes de eficácia realizados pela Bio-Manguinhos/Fiocruz, organização das mais gabaritadas no país, para este fim.  A expectativa é que sejam produzidas 600 mil peças por mês, entre máscaras, aventais e scrubs, que contarão com compostos químicos que já conseguiram inativar os vírus do sarampo e da caxumba em testes.

A observação da eficácia em relação ao novo coronavírus (SARS-CoV-2) está em execução e terá seus resultados divulgados até o final de junho deste ano.

Desde março, equipes com médicos, microbiologistas, engenheiros têxteis, de materiais e químicos, trabalham no desenvolvimento da solução.

adriano-passos“A plataforma de inovação em fibras trabalha em soluções inovadoras que envolvem o mapeando de matérias-primas alternativas, o desenvolvimento de novas formulações para funcionalização de antivirais em substratos têxteis e ajustes de processo aplicação. Temos o apoio do Instituto SENAI de Tecnologia Têxtil e de Confecção na produção de protótipos de itens hospitalares. A Bio-Manguinhos/FIOCRUZ é um parceiro importante em nosso desenvolvimento para determinação antiviral no artigo têxtil”, afirma Adriano Passos (na foto à esquerda) coordenador da plataforma de Fibras do Instituto SENAI de Inovação em Biossintéticos e Fibras, organização integrante do SENAI CETIQT.

A Bio-Manguinhos está testando, experimentalmente, a ação antiviral do tecido em seu Laboratório de Tecnologia Virológica (LATEV). Segundo a chefe do laboratório, Sheila Maria Barbosa de Lima (na foto à esquerda junto com Waleska Schwarcz) os estudos foram iniciados usando como modelo outros vírus de transmissão respiratória, como os de sarampo e caxumba, agentes biológicos que podem ser manipulados em laboratório com Nível de Biossegurança 2 (NB-2) e que possuem modo de transmissão semelhantes ao Sars-CoV-2.sheila-de-lima-e-waleska-schwarcz1adriana-azevedo1

A equipe das pesquisadoras Adriana Azevedo (na foto à direita)  e Waleska Schwarcz esta conduzido os ensaios e declaram que: “Nossos resultados preliminares demonstraram que amostras de tecidos formulados pela Diklatex foram capazes de inativar 99% das partículas virais (sarampo ou caxumba), nos ensaios in vitro. Os tecidos com maior ação antiviral serão selecionados para a próxima etapa do estudo que irá avaliar a eficiência antiviral dos têxteis contra o Sars-CoV-2 em laboratórios NB-3. Até o momento, os resultados alcançados são promissores e a expectativa é que em curto prazo seja comprovada a ação antiviral também contra o novo coronavírus”, conclui a chefe do Laboratório.

andre-jativaAndré Jativa (foto à direita)  diretor executivo da Diklatex afirma que “desta forma, consolidamos nossa presença como marca que pensa além e fazendo isso primeiramente por nossa nação, nossas empresas e nossas pessoas. É assim que enxergamos o nosso papel e o da indústria têxtil nacional, nessa crise. Eduardo Habitzreuter, engenheiro têxtil da Diklatex, cita a importância da valorização a produção e toda a cadeia nacional. “Este projeto produziu e agrega muitos conhecimentos técnicos, já que depois desta pandemia poderemos ampliar ainda mais o espectro de aplicações têxteis diferenciadas, produzindo soluções inovadoras que quebrarão alguns paradigmas do mercado e até mesmo uma maior independência nacional em relação à estas soluções.”

O projeto é financiado com recursos do Edital de Inovação para a Indústria (SENAI) e pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Sobre o SENAI CETIQT - Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil - criado em 1949 - é formado pela Faculdade SENAI CETIQT, Instituto SENAI de Inovação em Biossintéticos e Fibras e Instituto SENAI de Tecnologia Têxtil e de Confecção. E hoje é um dos maiores centros de geração de conhecimento da cadeia produtiva química, têxtil e de confecção, setores que juntos geram cerca de 11,9 milhões de empregos no país.

da redação com  informações da Target  imagens:fotos/divulgação

VTEX

worldfashion • 09/06/20, 14:48

logo-2Batizada de VTEX, a iniciativa da Vicunha referência em soluções jeanswear, segue desenvolvendo ações de apoio à sociedade no combate ao avanço da pandemia no Brasil e fortalece sua parceria com marcas, jovens estilistas, instituições e pequenos empreendedores por meio da criação de um banco de tecidos, e reforça a atuação da empresa, com foco no estímulo à moda nacional incentivando novos talentos e negócios do setor. Amplia seu viés social atendendo as necessidades urgentes no contexto do Covid-19.

1Desde o início da pandemia as medidas foram focadas na saúde, na segurança e no bem-estar de seus funcionários e da comunidade, e criou um banco de tecidos para contribuir com iniciativas de parcerias como o projeto PIM (Periferia Inventando Moda) Acolhe,  (foto ao lado de Marlene Bergamo) idealizado pelo estilista Alex Santos, que promove a capacitação profissional e empoderamento de jovens em vulnerabilidade social, para frear o avanço da pandemia na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo. a PIM Acolhe recebeu da empresa 600 máscaras prontas além de tecidos como desdobramento do projeto na região.

23Em São Bernardo do Campo (SP), a estilista Priscilla Silva também recebeu tecidos da Vicunha para confecção de máscaras, com verba revertida à compra de cestas básicas para aldeias indígenas Pipipãs, Kapinawá e Kambiwá, sediadas em Pernambuco.

“Mais do que nunca, a conexão entre comunidade e indústria por meio da colaboração se faz necessária para geração de impacto positivo na sociedade,” afirma Francisco Gonzalez, (na foto abaixo) Coordenador de Moda da Vicunha. francisco-gonzalez“O apoio da Vicunha a estilistas e instituições que fazem a diferença em momentos desafiadores como este, reafirma nosso compromisso em abrir espaços e diálogos para o desenvolvimento criativo e profissional na moda e para a amplificação do poder de mudança desses atores sociais diante de um mundo em transformação,” finaliza.

Somam-se às ações da VTEX - o banco de tecidos, com o apoio a instituições, marcas e pequenos empreendedores no combate ao Covid-19, as parcerias com  ONGs como Amigos do Bem e Doutores da Alegria, a marca Consciência Jeans e a Associação para a Educação, Esporte, Empreendedorismo e Direitos dos Pacientes da Divisão de Reabilitação do Hospital das Clínicas (AEDREHC).

A plataforma de parceria com novos criativos se volta neste momento para conduzir iniciativas sociais com foco no enfrentamento ao novo coronavírus e abrange ainda estilistas como Renata Buzzo, Heloisa Faria, Rafael Garcia, Jal Viera Brand, Pedro Motta e Cem Freio - este já tiveram apoio da empresa em semanas de moda, criações, coleções sazonais e cápsula, entre outras ações.

logo1Nos últimos meses, a Vicunha manteve participação ativa no combate à pandemia por meio de uma série de ações como a doação de tecidos ao Grupo Guararapes para a produção de 40 mil máscaras e o envio de 27 mil EPIs às secretarias do estado do Ceará e Rio Grande do Norte. Apoiou instituições como a Avenues World School, em São Paulo, para confecção de máscaras para comunidades carentes e profissionais de saúde, e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em maio, reabriu sua Sala de Costura para produção de 36 mil máscaras para funcionários, suas famílias e a comunidade, e criou, no início das atividades presenciais, um canal oficial “Juntos no combate ao Coronavírus”, a fim de garantir um diálogo aberto com seus públicos durante o período de pandemia.

da redação com informações da Press Pass  imagens: fotos/divulgação

RECUPERAÇÃO JUDICIAL

worldfashion • 04/06/20, 14:30

A paralisação dos setores de comércio, serviços e indústrias refletiram diretamente no caixa das empresas, avalia Ricardo Dosso, especialista em direito empresarial. E mesmo com a flexibilização e o funcionamento parcial das empresas em junho, o cuidado com a saúde financeira dos empreendimentos deve seguir em alta, uma vez que a saída de produtos e a contratação de serviços pode continuar em marcha lenta.

ricardo-dossoRicardo indica que deve existir uma redução do poder de compra da população, e também que esse período pode ocasionar mudanças profundas de costumes de consumo. “Portanto, as empresas devem cortar imediatamente custos fixos, preservando aquilo que têm de essencial, e buscar a renegociação de seus contratos.”

Se, ainda assim, as dificuldades empresariais não forem superadas e o caminho for a recuperação judicial, o especialista faz um alerta. “Olhe para dentro da sua empresa, considere todas as transformações ocorrida nos últimos anos no mundo dos negócios, e entenda que essa não é uma saída milagrosa e fácil. É, no entanto, uma ferramenta bastante poderosa e eficaz para estancar a crise financeira do negócio, proteger o patrimônio e as receitas, e para possibilitar o alongamento das dívidas. Um plano de recuperação aprovado prevê descontos de até 60% nos débitos, carência e prazos de até 15 anos para pagamento”, conta Dosso.

E caso o empresário perceba que não conseguirá honrar seus compromissos de forma duradoura, e esgotadas as tentativas de renegociação de seus compromissos financeiros, a decisão pelo pedido de recuperação judicial deve ser rápida. “Quanto menos afetada estiver pela crise, maior será a chance de êxito num processo de recuperação”, explica Ricardo.

Por meio dessa ferramenta, é possível readequar o negócio à nova realidade, e os encargos do período anterior – dívidas e compromissos com redução de custos – podem ser renegociados para pagamento de acordo com as possibilidades financeiras atuais da empresa. “Tanto o pequeno e médio empresário, assim como o grande, devem buscar nesse momento tão singular uma assessoria jurídica. É importante estar orientado sobre quais são os passos mais seguros para se dar num momento ainda incerto”, finaliza Ricardo Dosso do escritório Dosso Toledo Advogados, em Ribeirão Preto.

No setor têxtil a empresa Santaconstancia Tecelagem emitiu na semana passada 28 de maio o seguinte comunicado:

maxresdefault“A Santaconstancia – empresa brasileira do setor têxtil que atua há mais de 70 anos na produção e comercialização de tecidos de alto valor agregado para a indústria da moda – confirma que ajuizou pedido de Recuperação Judicial. A decisão foi tomada como medida preventiva, a fim de resguardar a operação da companhia a partir de um plano de reestruturação que a permita honrar seus compromissos financeiros e garantir a perenidade de suas atividades e a geração de empregos.

A empresa registrou crescimento em 2019 e já vinha equacionando seus fluxos financeiros, mas a crise de liquidez provocada pela pandemia do novo coronavírus interrompeu esse processo. Diante do cenário que afeta sobremaneira toda a indústria têxtil, a Santaconstancia precisou buscar outro mecanismo para honrar seus compromissos e reequilibrar sua gestão financeira.

A história da companhia, iniciada em 1948, é marcada pelo pioneirismo, resiliência e liderança no mercado nacional. Foram feitos importantes investimentos nos últimos anos para ter uma indústria robusta, bem equipada, com equipe experiente e focada no incremento das linhas de produtos e novos lançamentos. A Santaconstancia está confiante e preparada para manter suas atividades, preservando seus níveis de qualidade, inovação e excelência no atendimento e relacionamento com clientes, fornecedores, parceiros e demais públicos.”

da redação

com as informações da Dosso Toledo Advogados pela ComTexto Comunicação Integrada  imagem:foto/divulgação

Vicunha 2020

worldfashion • 13/03/20, 10:47

2-640x427A empresa referência global em soluções jeanswear, firmou seu protagonismo em 2019: ano que anunciou o novo modelo de negócios one stop shop; apresentou o posicionamento “Jeansidentity”, firmando a sua identidade jeanswear; e reforçou seu pioneirismo em inovação e sustentabilidade através de projetos como o Pegada Hídrica Vicunha.

Seguindo as orientações, em 2020, a Vicunha deixa de ser uma indústria que vende e passa a ser uma “empresa comercial que também produz”, fortalecendo a união das estratégias de marketing e comercial, com o objetivo de se aproximar do consumidor final e aumentar a importância estratégica para seus clientes, permanecendo relevante em um mercado globalizado cada vez mais conectado e imprevisível.

43Parte desse movimento é a nova periodicidade de lançamentos das coleções, que deixam de ser lançadas apenas em duas temporadas e passam a acontecer mais vezes ao longo do ano. Outro grande projeto dentro do modelo one stop shop é a V. Academy, centro de excelência em lavanderia que pretende capacitar pessoas no setor, seja a força de vendas da companhia, como representantes; assim como seus clientes.

O investimento na sustentabilidade, é irreversível no ano passado mapeou pela primeira vez no Brasil o volume médio de água necessário na produção de uma calça jeans, a partir da metodologia Water Footprint Network, com o propósito de diminuir o impacto ambiental da indústria da moda e promover a transparência, unindo os players do setor.

ampa_selo_guardiao_segestacc83o_post_1-640x640A concretização desta união é a iniciativa - A Moda Pela Água : uma plataforma que teve início a partir da Pegada Hídrica e que abre debate entre empresas, consumidores e ONGs a fim de buscar soluções para o desperdício de água na cadeia.

No mês de março de 2020, em homenagem ao Dia Mundial da Água, as empresas Guardiãs da Água, como a Vicunha, promovem o Summit AMPA para o debate da Água na Moda, onde apresentarão as suas soluções para a gestão responsável deste recurso pela indústria.

Por estas e outras iniciativas pioneiras, a companhia vem sendo reconhecida pelo setor, como a homenagem na categoria Destaque Empresarial na Medalha do Mérito, premiação promovida pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), destinada a condecorar empresas que realizaram ações de impacto durante 2019.

A companhia também aparece em evidência na última edição do anuário Empresas Mais Estadão, entre os destaques no setor Têxtil e Vestuário, colocada em quinto lugar como a única tecelagem do ranking; nas publicações 1000 maiores do jornal Valor Econômico e no ranking Melhores & Maiores da Exame; além do anuário Época Negócios 360, classificada entre as 500 maiores empresas do país.

5“Queremos ser a one stop shop modelo da cadeia têxtil mundial, com a consciência de que as relações são interdependentes e que ao compartilhar nosso conhecimento, construiremos as bases para melhores resultados, cada vez mais sustentáveis” comenta o diretor-presidente da Vicunha, José Maurício D’Isep. “Desta forma, enxergamos um grande potencial para a Vicunha de capturar mais valor em nosso mercado e impactar positivamente a sociedade. Assim, assumimos o propósito de estimular a cultura do Jeanswear com toda a sua funcionalidade, diversidade e beleza para permitir que cada pessoa no mundo encontre seu jeansidentity”, conclui.

da redação com informações da PressPass   imagens: fotos/divulgação

1º ATELIER DE PERFUMARIA FINA

worldfashion • 06/09/19, 18:37

atelier-de-perfumaria-fina-firmenich-640x427A Firmenich maior empresa privada do mundo no ramo de fragrâncias e aromas, fundada em Genebra, Suíça, em 1895. Impulsionada por seu objetivo de criar emoções positivas para melhorar o bem-estar, naturalmente, criou muitos dos perfumes e aromas mais conhecidos do mundo, proporciona prazer para mais de quatro bilhões de consumidores todos os dias. Reconhecida por sua pesquisa e criatividade de classe mundial, bem como sua liderança em sustentabilidade, a cada ano, a Firmenich investe 10% de seu faturamento em P&D para entender e compartilhar o melhor que a natureza tem a oferecer com responsabilidade.atelier-de-perfumaria-fina-firmenich-3-640x427

Está presente no Brasil desde 1952. Empregando mais de 400 funcionários, a empresa mantém um Centro de Desenvolvimento Criativo de classe mundial em Cotia, com instalações comerciais e operacionais para melhor atender às necessidades de seus clientes no Brasil por meio de soluções comerciais inovadoras e relevantes.

Recentemente inaugurou o primeiro Atelier de Perfumaria Fina da América Latina, na Vila Madalena e vai oferecer aos clientes, um espaço moderno, exclusivo e inovador, dedicado à cultura, criatividade e inspiração da perfumaria.

o-marc-jourdan-gassin-vice-presidente-de-perfumaria-fina-no-brasil-o-armand-de-villoutreys-presidente-de-perfumaria-e-ingredientes-e-jerry-vittoria-presidente-mundial-de-perfumarievent-firmenich_Na foto da esquerda para a direita temos o Marc Jourdan-Gassin, Vice-Presidente de Perfumaria Fina no Brasil, o Armand de Villoutreys, Presidente de Perfumaria e Ingredientes, e Jerry Vittoria, Presidente mundial de Perfumaria Fina.

“A Firmenich está presente no Brasil há quase 70 anos e agora estamos orgulhosos de oferecer aos nossos clientes brasileiros uma nova casa, única para inspirar a cultura da perfumaria. O nosso Atelier de Perfumaria Fina nos permitirá colaborar e co-criar melhor com os nossos clientes”, disse Armand de Villoutreys, Presidente de Perfumaria e Ingredientes.

“O Atelier de Perfumaria Fina no Brasil marca uma nova página na história da Firmenich. Agora, temos um espaço dedicado à perfumaria no coração da Vila Madalena, em São Paulo, um ambiente moderno e inspirador para trocar experiências, incentivar parcerias inovadoras e definir o futuro da perfumaria junto aos nossos clientes ”, explicou Jerry Vittoria, Presidente mundial de Perfumaria Fina.

A abertura contou com a presença de Armand de Villoutreys, Presidente de Perfumaria e Ingredientes, e Jerry Vittoria, Presidente mundial de Perfumaria Fina; renomados perfumistas internacionais, incluindo o Master Perfumer Olivier Cresp de Paris, o Principal Perfumer de Nova York, Frank Voelkl, bem como as estrelas da perfumaria nacional, o Principal Perfumer Adilson Rato e Senior Perfumer Carmita Magalhães; e clientes estratégicos de perfumaria fina além dos principais influenciadores de perfumaria do Brasil.

olivier-cresp-_event-firmenich_00871“Quando estou no Brasil, fico profundamente inspirado por seu povo e sua natureza. O Brasil não é só um enorme mercado de perfumaria fina, mas uma enorme fonte de inspiração. O Brasil tem uma identidade e assinatura olfactiva única. É o país da emoção, diversidade, cores, sustentabilidade e a terra do positive luxury ”, afirmou Olivier Cresp, Master Perfumer (na foto à direita)

frank-voelkl-_mg_9594“É emocionante para mim trabalhar em um ambiente tão inspirador no coração da criatividade brasileira. Isso criará uma dinâmica nova e disruptiva para a nossa parceria de longo prazo com os nossos amados clientes brasileiros de perfumaria fina ”, acrescentou Frank Voelkl, Perfumista. (foto à esquerda)

A inauguração contou com uma experiência sensorial completa, uma exposição ‘Carte Blanche Brasilis’, comemorando a arte da perfumaria, oferecendo um verdadeiro encontro do savoir-faire e da criatividade dos perfumistas. “Carte Blanche Brasilis é um ‘papel em branco’ dado aos perfumistas para expressarem a sua emoção, visão e intuição sobre a alma brasileira no universo do perfume”, explicou Marc Jourdan-Gassin, Vice-Presidente de Perfumaria Fina no Brasil.

A moda tem uma ligação estreita com a perfumaria e com certeza várias convergências e pontos fortes que aproximam estas duas indústrias, para inspirar e atender o exigente consumidor.

da redação com informações da Pre.stige Assessoria de Comunicação e Marketing Fotos: divulgação