25ª edição do Minas Trend - TECENDO FUTUROS

worldfashion • 29/10/19, 16:40

logo2Com a abertura no dia 21 para convidados, o evento aconteceu de 22 a 25 de outubro e o balanço dos resultados foi positivo para os expositores. Em quatro dias, mais de 20 mil pessoas passaram pelo Salão de Negócios - o maior do segmento de moda na América Latina –que reuniu marcas de vestuário, bolsas, calçados, acessórios e têxtil das cinco regiões do Brasil. O volume de vendas, em alguns casos, superou a casa dos 60% e contribuirá de forma significativa para a sustentação dos negócios até a próxima edição, prevista para abril de 2020.

48947277137_0acafcd4b0_cDe Norte a Sul do país, não faltam exemplos de quem escolheu o Minas Trend como um ponto de conexão com o mercado nacional e internacional. A consagrada marca do joalheiro e designer Hector Albertazzi (SP), especializada em acessórios de luxo, é um exemplo disso. Comemorando 10 anos de trajetória e 10 edições do Minas Trend, o grupo tem o evento como uma importante plataforma de promoção e geração de negócios. “Esta edição foi muito importante para nós. Abrimos novos clientes e em dois dias alcançamos o resultado que esperávamos para a feira inteira. Ainda não fechamos o resultado final, mas o crescimento parcial, comparado ao ano passado, está em torno de 60%. A estimativa é de que ele possa chegar a 90%. O evento é importante tanto para a abrangência da nossa atuação em cidades brasileiras, como para a entrada em novos países, como Polônia e Israel”, afirma Carla Panelli, diretora comercial da Héctor Albertazzi.

samanta-melo_cred-sebastiao-jacinto-junior-640x426A Ryzí e a DonnaLu, pertencentes ao Grupo MCM, de Novo Hamburgo (RS), em sua segunda participação, apostaram em um novo posicionamento no Salão de Negócios do evento, apresentando suas inovações nas famílias de bolsas. “O nosso resultado foi muito positivo. O Minas Trend é um evento importante para nossas marcas, pois traz o perfil de lojista que buscamos, as boutiques. Acredito que os lançamentos colaboraram para esses números, assim como os investimentos em espaço e divulgação, em parcerias com influenciadoras digitais”, ressalta Samanta Melo, gerente comercial do Grupo.(na foto à esquerda de Sebastião Jacinto Júnior)

48946574363_44a677ee7c_w-1Para o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, (na foto à direita, na abertura do Congresso Internacional da ABIT) esta edição reflete o novo momento do evento e sua consolidação como uma importante plataforma de geração de negócios para a indústria nacional. “Ampliamos o fomento aos negócios, fortalecendo o Salão, e também acrescentamos ao evento o lançamento de produtos da indústria mineira em diferentes setores, como o de energia. Vamos agregar ainda mais qualidade ao que oferecemos à cadeia produtiva da moda”, pontua.

gislaine-pereira_le-jolie_cred-sebastiao-jacinto-junior-640x426A Le Jolie Lingerie, uma das marcas de moda íntima – segmento estreante no evento -, ficou satisfeita com a sua primeira experiência no Minas Trend. “Foi muito interessante ter esse contato com o público e perceber como a nossa marca é vista no mercado. Desenvolvemos uma coleção exclusiva para o Minas Trend, empregando uma pegada fashion na moda íntima, que pode compor os looks casuais. Participar do FIEMG competitiva foi muito importante, pois abriu nossos olhos para essa tendência e nos trouxe uma experiência que será fundamental para o futuro”, comenta Gislaine Pereira, gerente de marketing da marca. (na foto à esquerda de Sebastião Jacinto Júnior)

Já a Nouveau Jour, loja online de T-shirts premium, encontrou nos programas de desenvolvimento empresarial da FIEMG a oportunidade de elevar o seu patamar no mercado da moda. “Criei a marca há cinco anos e há um ano e meio trabalho com atacado. Tive a oportunidade de estrear na edição primavera/verão 2019 do Minas Trend, por meio do programa Ready-to-go, participei de outros projetos neste formato e agora volto pelo FIEMG Competitiva. Fazer parte dessas iniciativas de capacitação foi essencial para que eu estivesse aqui hoje. Nesta temporada, tive uma boa movimentação no estande e consegui ampliar minha atuação com clientes de novas praças, dentro e fora do estado”, conta Natália Carneiro, proprietária da marca, que revela seu sonho: “quero me consolidar para voltar aqui por conta própria”.

amanda-di-nardi-foto-0-640x428A designer e ourives, Amanda De Nardi,(na foto à direita) faz seu debut no Minas Trend com uma novidade para o segmento de joias. A coleção intitulada Luminar aposta em modelos criados com diamantes sintéticos, pedras que possuem as mesmas propriedades físicas e óticas de um diamante natural, mas sem o impacto ambiental causado na extração da matéria-prima por meio da mineração.

amanda-di-nardi-foto-2-de-lets-sousa-1-640x4271As gemas utilizadas foram produzidas em laboratório com a tecnologia HPHT (do inglês, high pressure high temperature), na qual partículas de carbono foram comprimidas e cristalizadas num ambiente controlado de alta temperatura e pressão, que reproduzem a força da natureza.

Segundo a diretora criativa, Amanda De Nardi, o diamante sintético ainda não foi utilizado por nenhuma empresa nacional. “Somos pioneiros na produção do mix de peças com as gemas produzidas em laboratório. Estamos fazendo parte de um avanço tecnológico da indústria joalheira que amanda-di-nardi-foto-1de-lets-sousa-427x640transforma a amanda-di-nardi-foto-3-de-frank-bitencourt-1-547x640experiência de compra”.

Em tempos em que é preciso repensar processos de produção e consumo, a empresária mostra em sua coleção como é possível valorizar o design e o conceito estético, sem deixar de lado a responsabilidade social e ambiental como critério de trabalho. “Para seduzir o olhar, cada quartzo da coleção Lumiar tem cravação de design inédito com diminutos brilhantes CVD, que cumprem o papel de elevar a joia de prata e cristal à categoria de alto-padrão. Tudo isso feito por meio de uma produção sustentável”, afirma

48949344818_0bc54d022c_wProveniente da Cidade Maravilhosa, o Atelier Chilaze faz a ponte entre a exuberância carioca e a rica cultura da Região Norte, imergindo nas águas do Rio Negro para criar sua nova coleção  Eletrozônia: Amazônia eletro. A arte plumária e a riqueza artesanal locais são ponto de partida para Claudia Chilaze (na foto à esquerda) desenvolver uma fornada de peças solar, colorida, urbana e contemporânea que nada tem de étnica, mas se nutre dessa ambiência abençoada pela 0372-chilaze-m4687diversidade da maior floresta do mundo. A inspiração vem dos povos nativos situados na extensa área que compõe o Noroeste Amazônico, que vai do Brasil à Colômbia, cujas tribos carregam nomes exóticos e tradições tão ímpares quanto Karapanã, Barasana, Wakeneka, Yuhupde e Kubeo e Makuna.

0131-chilaze-m4305Para tanto, a label não se predispõe a realizar nenhum exercício etnográfico fashion. A proposta é outra: se deixar levar pela brisa cultural desses povos, se nutrindo de sua beleza num livre exercício criativo. A partir das percepções sensoriais captadas no processo de pesquisa, a designer se solta deixando a semiótica naturalmente brotar da epiderme: usa de forma quase intuitiva o conhecimento adquirido na fase de coleta de conteúdo para elaborar peças cuja matéria-prima de base é a resina de poliéster – carro-chefe da brand –, mesclada com materiais sustentáveis que incluem cordas exclusivas à base de pet, linhas em algodão, sisal, madeira e o aproveitamento dos rolos de papel kraft proveniente do descarte do papel higiênico. O Atelier Chilaze ainda oferece linhas de bags em cestaria e palha natural desenvolvidas por cooperativas do Ceará, além de bolsas de bambu com tingimento natural.

0570-chilaze-m49080516-chilaze-m4854São maxi colares, braceletes, brincos, cintos com fivelas avantajadas, bolsas e clutches que compõem o conjunto de itens, que vai mensalmente se ampliando com novos modelos criados em pequenas cápsulas complementares. Nas formas, o impera o mix da geometria com os acabamentos manuais em peças muitas vezes simétricas, cuja tônica é o contraste de toques. O tato, em caráter sinestésico com a visão, estimula a ludicidade e reafirma o imaginário estético da marca.

Já o colorido das penas de pássaros e da flora da região, que adorna os corpos dos nativos da Amazônia, comparece na plasticidade da amplo espectro cromático que a resina permite, em texturas bilhantes ou foscas, num resultado interessante quando combinado com os materiais orgânicos. (fotos de Marcel Streicher)

arte-sacra-foto-2-adriano-ramalho-337x640arte-sacra-foto-3-adriano-ramalho-347x640Para a temporada de inverno 2020, a Arte Sacra voltou seus olhos para as debutantes e desenvolveu uma coleção cápsula especialmente para elas. Composta por 16 peças, a ‘Arte Sacra Quinze’oferece às jovens peças modernas, que brincam com o desejo de princesa, mas sem deixar de lado a proposta descontraída e confortável. Por isso, os vestidos são funcionais e as saias são removíveis.

“O objetivo é que as meninas cheguem à festa com um vestido triunfal e, logo depois da valsa, possam curtir o baile com mais conforto. As saias são facilmente retiradas e transformadas o vestido transformado em um lindo curto ou arte-sacra-foto-0-480x640arte-sacra-foto-1-vivi-martinelli-406x640em um macaquinho”, revela Carolina Malloy diretora criativa da etiqueta(na foto à direita ao lado da sua irmã Marcela Malloy).

O Minas Trend é o maior Salão de Negócios de moda da América Latina, realizado em Belo Horizonte, em duas temporadas anuais primavera/verão e outono/inverno. A iniciativa da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) tem o objetivo de fomentar a indústria mineira da moda, 48947081066_808e224f45_ctrazendo oportunidades para toda a cadeia produtiva e promovendo a qualidade e a versatilidade de seus segmentos. A plataforma é conhecida internacionalmente por lançar tendências e oferecer uma experiência completa ao público, unindo conteúdo de moda, geração de negócios e a oferta de entretenimento de qualidade.

48973567543_819d2d621d_cO Minas Trend conta com apoio e patrocínio do SEBRAE, CODEMGE, AngloGold Ashanti, Multiplan, SESI SENAI Nacional, ABIT, Mais Previdência, Instituto Estrada Real, CEMIG, Ministério da Cultura, Lei de Incentivo à Cultura, Krug Bier, Zuurgin, IED + Consulado da Itália, Energisa/Alsol, CEMIG SIM/Mori, Credifiemg, Caimi&Liaison e Ecomaterioteca.

sem comentários

Atenção: o sistema de comentários foi concebido para promover debates construtivos sobre os assuntos publicados. A Link Editora reserva-se o direito de excluir conteúdos (textos, fotos, urls ou qualquer outro) que julgar preconceituosos, ofensivos, difamatórios, caluniosos, prejudicial a terceiros ou que infrinjam qualquer legislação atual. Conteúdos de caráter promocional ou comentários anônimos também serão removidos.
Ressaltamos que os conceitos e opiniões emitidos nesse espaço serão de única e exclusiva responsabilidade de quem os formular.

ainda não há comentários.

deixe seu comentário